busca | avançada
77507 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Quinta-feira, 12/7/2007
Comentários
Leitores

Chico e Caetano é marketing
E as grandes ausências? Raul Pompéia, Manuel Bandeira, Cecília Meirelles, Eneida, Carlos Eduardo Novaes e outros que não me ocorrem. A inclusão de Chico e Caetano é marketing. E alguns "novos", como Danuza Leão, forçação de barra...

[Sobre "As Cem Melhores Crônicas Brasileiras"]

por F. Alves
12/7/2007 às
10h25

Caetano Veloso cronista?
Caetano Veloso entre os cem melhores desde o século XIX até os dias de hoje? Alguém, injustamente, foi excluído. Vou ler, porém, duvidando do valor dessa "seleção".

[Sobre "As Cem Melhores Crônicas Brasileiras"]

por Marcos Reis
12/7/2007 às
06h14

o lado chato do jornalismo
O bom humor é sempre um sinal de que as dificuldades podem ser contornadas. Essa crônica é uma pequena (mas eficiente) aula sobre o lado mais aborrecido da praxis jornalística, levada com o humor tranquilo de quem, parece, sabe das coisas. Muito boa essa crônica, Drica.

[Sobre "Práticas inconfessáveis de jornalismo"]

por Guga Schultze
12/7/2007 à
00h43

um perfil da América Latina
Hmmm, não sei não, para uma lista que pretende abranger "todas as ramificações" e dar "um panorama geral de sua história", existem algumas ausências fundamentais: Respiração Artificial, Museo de la Novela de la Eterna, Os Sete Loucos, Wasabi, Adán Buenosaires e A Invenção de Morel, além dos escritores Saer e Cesar Aira, só para ficar nos argentinos. Do Uruguai, Felisberto Hernandez. Do Chile, Lumperica de Diamela Eltit. Da Colômbia, Fernando Vallejo. Do México, Carlos Fuentes. Enfim, acho que não dá para traçar um perfil da América Latina com apenas dez livros.

[Sobre "Dez obras da literatura latino-americana"]

por Leandro Oliveira
11/7/2007 às
22h57

Sobre o preço dos livros
Belíssimo texto, Ana. Você conseguiu, em alguns parágrafos, fazer um mosaico muito interessante dos hábitos de leitura de pessoas muito diferentes, que seja por suas idades e/ou profissão. Só gostaria de dar aqui uma pequena contribuição ao trecho que fala da aquisição do gosto pela literatura: É muito dificil, para uma pessoa de classe média, ler 30 livros por ano quando o preço médio de um livro no Brasil é de 30 ou 40 reais. Sim, existem bibliotecas públicas, mas a preguiça e o prazer de se sentir como dono do livro fala mais alto. Para mim, o mais deprimente é quando vou para a Livrara da Travessa aqui do Rio, que é um pedaço do paraíso para qualquer aspirante à bibliófilo, e vejo que alguns livros em francês, importados da França, estão custando 18 reais, e que o mesmo livro, em português, editado aqui no Brasil, custando 49. Fica então a pergunta: a culpa é da editora, que com os preços altos impede o leitor de ler, ou do leitor, que lê pouco, e obriga assim as editoras...

[Sobre "Leituras, leitores e livros Final"]

por Bruno Laragoiti
11/7/2007 às
17h52

Só dando uma passadinha...
Estava no computador (momento raro nesses últimos dias) e resolvi dar uma passada no "seu" site. Parabéns! Adorei! Acho até que vou comprar o livro. Rs. Bjos. Até.

[Sobre "História dos Estados Unidos"]

por Mayra Ferreira
11/7/2007 às
14h07

Juan Gutiérrez e Bioy Casares
Tem também o cubano Pedro Juan Gutiérrez e o maravilhoso Bioy Casares, parceiro de todas as horas de Borges.

[Sobre "Dez obras da literatura latino-americana"]

por Luiz Rebinski Junior
11/7/2007 às
13h13

A 1a. FLIP a gente não esquece
Estando na Flip pela primeira vez fiquei encantada com as palestras em geral e com o movimento e a energia que rolam em Paraty. Gostei muito dos posts aqui publicados sobre a FLIP. Uma ótima oportunidade para eu revivê-la e repensar algumas opiniões. Ótimas suas sugestões sobre novos nomes. Uma festa desta importância deveria apresentar todos os segmentos. Uma pequena correção: quem chamou Amos Oz para uma conversa de homem pra homem foi o avô dele (seu pai já havia falecido àquela altura...), conforme ele relata em sua biografia.

[Sobre "A Flip como Ela é... III"]

por Viva
11/7/2007 às
12h43

Mia Couto fora da Flip?
Pô, tirar o Mia Couto de uma festa como essa? Cê deve estar brincando... É uma honra receber um escritor como ele num evento no Brasil.

[Sobre "A Flip como Ela é... IV"]

por Luiz da Motta
11/7/2007 às
12h33

Mainardi
Gostei da sua opinião sobre o Mainardi, apesar de simpatizar com o cara. E por ele tbm ser uma espécie de totem inquebravel entre os intelectuais brasileiros. Estes posts, sim, foram uma ótima cobertura da Flip. Parabéns ao blogue.

[Sobre "Anima Mundi vem aí"]

por wellington
11/7/2007 às
12h21

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
77507 visitas/dia
2,1 milhões/mês