busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Domingo, 20/2/2011
Comentários
Leitores

Repetir é ruim
Como não somos "dupla", apesar do subconsciente viver eternamente, fica difícil repetir o que consideramos "erros". Uma simples "falha" do tempo que vivemos e como somos. Portanto, repetir é ruim. Cansa. Desgasta. Sim, eu viveria outra vida. Qual? Outra somente. Apesar de "ter" que aceitar a que vivi até agora. Assim, um misto de aceitação, resignação e melhor, a de submeter a inteligência a outra formulação de viver. Essa é a verdadeira vontade. Pena que não possamos. Estamos atados a uma, de cada vez. Feliz ou infelizmente!

[Sobre "Você viveria sua vida de novo?"]

por Cilas Medi
20/2/2011 às
08h35

eu lembro daquele especial ...
eu lembro daquele especial de fim de ano(2005) mais especifico 01/12/05 com os 20 anos da radio tocando todos os classicos do rock, tocou ate mamonas foi a primeira radio a tocar as musicas deles, ai alguns meses depois a radio acaba po e sacanagem com os fãs.

[Sobre "89 FM, o fim da rádio rock"]

por everton
20/2/2011 à
00h05

Eu faria outra vida
Ana, faço minhas as palavras de Mario Quintana: "Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio...", eu viveria muita coisa diferente do que vivi, faria outra vida, afinal, essa eu já experimentei, então por que não consertar o que não foi assim tão bom?

[Sobre "Você viveria sua vida de novo?"]

por Dayse Vilas Boas
18/2/2011 às
09h46

Me pisa, me chama de lagartixa
Ótima crítica. Já o livro... fiquei me perguntando como diabos alguém iria se apaixonar por uma mulher tãããooo chata como a tal "A"! "Me pisa, me chama de lagartixa" tem limite... isso é universo feminino? Socorro! Uma coisa é verossímil: que o tal amante tenha bro(é com ch ou x?)ado e cometido violência contra esse personagem pegajoso. Que mesmo assim continua na cola dele. Horrível! Esse personagem feminino puxa pelos piores aspectos da personalidade de qualquer um. Outra coisa consistente no romance: que o amante tenha corrido tanto do purgante que fugiu do apartamento que alugava sem dar notícias. Rsrsrs Vou ler as outras críticas dessa Mariana, menina inteligente!

[Sobre "Flores Azuis, de Carola Saavedra"]

por Marilia
17/2/2011 às
14h28

O meu cupcake
Elisa, realmente os cupcakes de shoppings são incomíveis. Gordura pura e um exagero naquela cobertura horrorosa. Se eu fosse de Sampa, mandaria a você um cupcake, adoraria ouvir seu comentário sobre ele. Um beijo :)

[Sobre "Triste fim de meu cupcake"]

por Michele Pazo
17/2/2011 às
13h15

Giannetti é um craque
O Eduardo Giannetti é um craque. Seus livros são fonte de puro prazer intelectual. Escritos com erudição e objetividade, respeitam o leitor, deixando espaço para que cada um tire suas próprias conclusões a respeito do tema abordado. Quanto à questão da felicidade, a melhor metáfora que eu conheço é a da cenoura colocada com uma vara de pescar na frente do burrinho para que ele continue em frente...

[Sobre "Felicidade: reflexões de Eduardo Giannetti"]

por Carlos Santanna
17/2/2011 às
11h40

Vandré evoluído
Só conhecendo o passado é que poderemos enfrentar toda situação atual, porém não devemos voltar ao passado, pois só vamos em frente. Geraldo Vandré é uma pessoa evoluída.

[Sobre "Geraldo Vandré, 70 anos"]

por otacilio de paula
16/2/2011 às
15h12

Religiões: criação nossa
Se o mundo dos negócios ludibria a tantos através da "estética das mercadorias", por acaso as religiões - ao nos prometerem uma salvação, um perdão, um paraíso, uma vida eterna etc. -, não estarão também nos ludibriando? Ora, todo o Universo Transcendente é uma criação nossa, logo, ele não vai além de nossas cabeças.

[Sobre "Convite ao 'por quê?'"]

por Assis Utsch
15/2/2011 às
18h46

Quem não cobrar, vai falir
Tomara que dê certo a versão brasileira, porque acredito que conteúdo bom deva ser pago. Nada substitui um bom trablaho de jornalismo, e, se os jornais não começarem a cobrar por seu conteúdo na internet, eles vão falir.

[Sobre "O jornal no iPad é uma frustração"]

por Sofia
15/2/2011 às
16h58

Fiquei arrebatada
Ontem fui assisti-lo, fiquei arrebatada. Nunca saberemos onde nossas aspirações, inquietações, espírito crítico... nos levarão. Mergulharmos e desbloquearmos por inteiro em um só salto: uma clássica vida poderá nos levar a processos de criação e destruição, deixando apenas alguns objetos e lembranças de quem poderíamos ter sido...

[Sobre "Bailarina salta à morte, ou: Cisne Negro"]

por Nelita Soares
15/2/2011 às
13h20

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês