busca | avançada
74501 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Sexta-feira, 18/1/2008
Comentários
Leitores

Política não é futebol
Diogo, seu comentário sobre fanatismo é bem apropriado. Acho que falta ao brasileiro pensar em política como um instrumento para aperfeiçoar nossa sociedade, e não apenas como um campeonato de futebol, cega paixão partidária! Abraços e bom fim de semana a todos.

[Sobre "Preconceitos"]

por Saulo Ferraz
18/1/2008 às
14h06

Coisa mais ridícula
Coisa mais ridícula as pessoas ficarem corrigindo as outras na frente de todo mundo, mas quem não resiste a ser ridículo de vez em quando? É boarding, Ana Elisa, não é bording.

[Sobre "Do ridículo (especial aviões)"]

por Paulo Moreira
18/1/2008 às
12h26

País em estado de decomposição
Não há nada mais que surpreenda nesse país... que está na ladeira, em queda livre rumo a decadência, a insolvência moral e cultural, etc etc etc. Não há um nível sequer que não demonstre sinais evidentes de ruína. Cada dia que amanheço neste lugar, e penso no que estou vivendo, mais chateada me sinto. A massa nem nota... e está muito longe de sair da letargia, se é que algum dia sairá. Em tempos de BBB e da maior festa hipnotizante do mundo, o caos prossegue. O Brasil é um país que está sedado e fortemente drogado. Poucos sentem e pensam um modo de criticar, de atuar e de mudar. A massa está adormecida e não estou vendo saída.

[Sobre "Cultura da hipocrisia"]

por Rita Cytryn
18/1/2008 às
10h23

Coisa de intelectual
Me dá revolta no estômago ler essas coisas escritas por gente que precisava ter nascido cubana, ser condenada a jamais sair da ilha. Só aceito ler as maravilhas de Cuba a partir dos cubanos que estão lá e que lá ficaram. Dos demais, para mim não dá para nem considerar. Não sei se considero cretino ou patético, no mínimo hipócrita e desonesto. A ditadura prossegue. O cárcere prossegue. Justificativas prosseguem de gente que não vive e não viverá, muito menos para sempre, lá.

[Sobre "Em tempos de China, falemos de Cuba"]

por Rita Cytryn
18/1/2008 às
10h11

Só não quero entrar na lista
Ótimo texto. Só espero não entrar na lista dos em extinção.

[Sobre "Por onde andam os homens bonitos?"]

por Marcelo Telles
18/1/2008 às
09h51

JDB na Piauí
Vi uma citação elogiosa do seu nome na Piauí, parabéns. No mais, sempre comento algo do Digestivo em meu blog, ainda que de forma satírica. O último foi um texto chamado Emelhos a um Jovem Shvoong... Abraços do Lúcio Jr.

[Sobre "Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges"]

por Lúcio Jr
18/1/2008 às
08h47

Na crise dos 28 desde os 27
Meu Deus... faltam exatos 10 minutos para eu completar meus 28 ANOS! E acredite? Achei seu texto! Sim, sim, e olha que a crise comecou nos 27.... Aliás.... Copiei ele no meu Orkut.... Morri de rir, valeu ter lido isso! Obrigada, de coração!

[Sobre "A crise dos 28"]

por Priscilla Thimmig
18/1/2008 às
02h48

Noites saudosas em Recife
Tive várias oportunidades de escutar Geraldo Vandré ao vivo na residência da minha família em Recife/Pe. Quero mandar um abraço de Lúcia Croce, sou filho de José Ernesto Domingues, que era um dos seus grandes admiradores. Um grande abraço em nome da família Domingues da Silva.

[Sobre "Geraldo Vandré, 70 anos"]

por Eduardo Domingues
17/1/2008 às
19h38

Amei o texto de Ruy Castro
No verão de 1968, eu estava no Rio, em lua de mel, não tinha idéia do movimento politico, mas ja' conhecia a libertação sexual da mulher. Eu não tinha casado virgem como a maior parte das mulheres da minha geração...

[Sobre "O Verão de 1968"]

por Iara
17/1/2008 às
16h04

Jogo terminado
Nunca entendi muito bem o encanto de Cuba, o fascínio que a ilha exerce sobre alguns intelectuais, escritores, essa turma. A não ser a Cuba dos anos quarenta, cinqüenta, ou antes ainda, dos casinos e night-clubs, praias, rumbas e mambos. Alguém já me disse que isso só existiu na cabeça de imperialistas e pequenos burgueses de m. Ok, sem problemas. Mas política cubana... não aguento 5 minutos de um Renan Calheiros, quanto mais as 6 horas de praxe de um discurso de Fidel. De forma que meu interesse por Cuba é quase nulo. Ainda que o livro dessa espanhola seja ótimo (assim como é o texto do Spalding), me parece carta marcada, num jogo que já terminou.

[Sobre "Em tempos de China, falemos de Cuba"]

por Guga Schultze
17/1/2008 às
15h19

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
74501 visitas/dia
2,0 milhão/mês