busca | avançada
68231 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Terça-feira, 15/4/2008
Comentários
Leitores

Uma escritora indecisa
Digamos que eu saiba escrever, sobre o que escrever? Faltam-me idéias, ou elas são muitas, mas não são boas ou vêm muito desorganizadas. Por isso sempre que, me animo a iniciar uma história, desisto uns três dias depois.

[Sobre "Como escrever bem — parte 1"]

por Juliana
15/4/2008 às
14h45

Carlos, o historiador
Na minha opinião, escreve muito bem o historiador Carlos Fico, da UFRJ. [São Paulo - SP]

[Sobre "Promoção Escrever Bem"]

por Miliandre Garcia
15/4/2008 às
14h30

Ronaldo, o filósofo
Ronaldo Lima Lins. Porque põe cultura filosófica em suas obras, tanto nos livros de ensaios como nos romances, e demonstra muita sensibilidade com isso. [Bom Jesus do Itabapoana - RJ]

[Sobre "Promoção Escrever Bem"]

por Paulo Prazeres
15/4/2008 às
14h29

Arte: Ressonância
A teoria da arte é cheia de confusões porque a arte é um negócio meio inefável. No entanto é muito fácil perceber a arte, onde quer que ela se encontre. A arte sinaliza através de uma ressonância que provoca no interior de cada um. Não importa que o objeto seja tradicionalmente considerado uma "obra de arte". Não importa sequer que seja um objeto. Pode ser um salto, um som, uma ultrapassagem numa corrida de F1. Se a arte estiver presente, ela vai sinalizar e causar a tal ressonância interior que permite que ela seja percebida. Nem todo mundo consegue perceber a arte e há vários níveis, hierárquicos mesmo, nessa capacidade de perceber. Às vezes, jogando Play Station, eu parava no meio do jogo para observar algumas construções gráficas no cenário ou nos personagens. Alguns designs são soberbos. E essa é a única interatividade possível com a arte. Não importa que você toque em alguma coisa, experimente outra coisa, ou apenas observe. Há que haver ressonância. Muito bom o artigo.

[Sobre "Arte eletrônica? Se liga!"]

por Guga Schultze
15/4/2008 às
13h42

Rubem, o preciso
Rubem Fonseca. Ele, sim, passa-nos a certeza de que sabe exatamente o que está fazendo, não cai em contradições e não erra em peso, ou em tamanho. Não escreve sobre o que não conhece, como muitos autores hodiernos. [Porto Alegre - RS]

[Sobre "Promoção Escrever Bem"]

por audrien maciel
15/4/2008 às
11h48

Daniel, o afiado
Daniel Piza, porque, além de dominar os assuntos que trata, possui uma linguagem limpa e clara. Afiadí­ssimo. [Campinas - SP]

[Sobre "Promoção Escrever Bem"]

por Vicente Escudero
15/4/2008 às
11h46

Novaes, o ecólogo
Washington Novaes, o lúcido. Porque, além de possuir um texto jornalístico limpo, sem o pecado da vaidade - comum no meio -, ele vem pautando a conversa mais séria da vida, a questão ambiental! [Belo Horizonte - MG]

[Sobre "Promoção Escrever Bem"]

por Kaká Maia
15/4/2008 às
11h21

Sérgio, o elegante
Sérgio Augusto. Porque tem a capacidade de escrever sobre todos os assuntos com uma elegância absoluta, com o tipo de texto que nos dá a (falsa) sensação de que escrever é, afinal, muito fácil. [Porto Alegre - RS]

[Sobre "Promoção Escrever Bem"]

por Cássia Zanon
15/4/2008 às
11h12

Muito bom!
Muito bom! Eu vivo batendo na tecla de que se todo mundo interagir a internet será um lugar melhor! Pena que ainda tem muita gente usando cabresto né?

[Sobre "Jornalismo de todos para todos"]

por Carol
15/4/2008 às
10h21

melhores: na Web
Quem escreve bem no Brasil são os mais bem informados, e estão na internet, sem exceção! Quem não escreve bem, poderá fazê-lo pesquisando na própria internet... Quem escreve "melhor", vai do gosto e do momento de cada um... [São Paulo - SP]

[Sobre "Promoção Escrever Bem"]

por Guto Maia
15/4/2008 às
10h12

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
68231 visitas/dia
2,5 milhões/mês