busca | avançada
54240 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Segunda-feira, 28/4/2008
Comentários
Leitores

O mais sábio falar...
"O mais sábio falar vem de um longo e silencioso escutar" [Belo Horizonte - MG]

[Sobre "Promoção Mario Quintana"]

por maria fernanda
28/4/2008 às
12h39

Beta grande x Beta pequeno
Verdade. Toda interação será sempre saudável. Um aquário com um Beta pequeno ao lado de um aquário com um Beta grande, faz com que os dois fiquem agressivos, cresçam de tamanho para exibir força, mas nunca se tocarão. Mas também nunca ficarão apáticos...

[Sobre "Jornalismo de todos para todos"]

por Guto Maia
28/4/2008 às
12h38

O que funciona, fica!
A arte do futuro já no presente! A inovação com a tecnologia aplicada às Artes, especialmente na pintura por computador, como o caso do brasileiro que recentemente obteve a premiação da Academia de Ciências, Letras e Artes de Paris, em seguida convidado para expor em dezembro passado no museu do Louvre em Paris. De similar modo na área musical a arte eletrônica e outras áreas estão mostrando o BELO, expressão máxima das artes em qualquer setor. Sabemos que é uma questão de valores subjetivos, mas na concordância chegamos aos valores de grupo e, neste caso, sou fã da tecnologia aplicada como foi com a internet, o celular e tudo o que virá. O que funciona, fica! E ficam para trás os conservadores que não aplaudiram o sucesso de seu próprio tempo.

[Sobre "Arte eletrônica? Se liga!"]

por Clarice
28/4/2008 às
12h29

Visões da arte
Claro que não se pode enterrar o passado, seja nas artes ou em qualquer outro aspecto. O que nos cabe é compreender os movimentos da ESTÉTICA, quem sabe com um pouco mais de ÉTICA. Nessa compreensão ainda nos cabe apreciar o BELO. Dentro desse conceito é que temos a ARTE. E isso pode diferenciar desde os que glorificam o Penico de Duchamp aos que trabalham com a TECNOLOGIA de nossos TEMPOS, abrigando conceitos modernos e outras FERRAMENTAS. E, nestas, qualquer área das artes do passado, do futuro, já no PRESENTE, se fazem notar... pelos INOVADORES. Muito bom seu texto neste contexto.

[Sobre "Arte eletrônica? Se liga!"]

por Celito Medeiros
28/4/2008 às
12h17

Confirmação das Amizades
Lendo, reafirmei, para mim mesma, que buscar os amigos e declarar a eles o valor que têm, nas nossas vidas, demonstra que não estamos sozinhos, apesar de nos sentirmos isolados, e sem futuro, em momentos difíceis...

[Sobre "The ultimate cure for startup"]

por Elizabeth Castro
28/4/2008 às
10h10

O valor das diferenças
Ótimo, esse texto, onde é demonstrado que, entre homem e mulher, o sabor de um relacionamento rico está exatamente nas diferenças e não na igualdade. Quando ambos pensam igual, a mesmice da vivência na relação pode torná-la monótona e desenxabida, fadada à morte súbita pelo cotidiano... Onde se resolvem tais diferenças? Nem mesmo foi necessário abordar isso, pois é óbvio que o desempenho na cama é que determina o grau de interação entre os casais...

[Sobre "Cenas de um casamento"]

por Elizabeth Castro
28/4/2008 às
10h03

Big Brother também é cultura!
Tudo que você diz tem lógica... Não sei se "preconceito" é a melhor definição para não relaxar e gozar o BBB. De qualquer forma, seu blog ganhou mais um fã. Abraço.

[Sobre "O momento Rafinha de todos nós "]

por Guto Maia
28/4/2008 às
08h43

Que pressa é essa?
Meu ditado preferido é "quem tem pressa, come cru". As pessoas vivem num mundo frenético e nem têm tempo pra sequer dirigir um olhar quando falam... A pressa e a correria viraram rotina em suas vidas. Então por que não parar um pouco? [São Paulo - SP]

[Sobre "Promoção Mario Quintana"]

por jacqueline leal
28/4/2008 à
01h37

Sábios e tolos
"Até o tolo se passa por sábio quando se cala." A morte e a vida estão no poder da língua, quem bem a utiliza come do seu fruto. [Rio de Janeiro - R.J.]

[Sobre "Promoção Mario Quintana"]

por lucimar nunes
28/4/2008 à
01h37

Red One
Parabéns pelas observações! Todas expressam fragmentos da verdade que cada um percebe. Exorto os comentaristas do belo artigo do Yuri a revisitarem este site onde novidades sobre essa revolução já demonstram a inevitabilidade do processo "migratório". Entretanto, vale ressaltar que algumas façanhas ainda não foram alcançadas pelas câmeras que tomarão o lugar das veteranas de 35mm. Uma delas é vencer as condições extremas de temperatura e humidade encontradas em alguns lugares remotos de nossa querida Terra. Estou me preparando para rodar um segundo documentário na Amazônia, em um dos locais de mais difícil acesso do planeta. Quando indagados se a Red One suportaria as condições extremas apresentadas, a resposta do fabricante não foi animadora: fui sugerido que deveria usar "Gel Packs" o todo tempo. Alguém sabe onde gelo meus gelpacks no meio da selva? :-) Abraço a todos!

[Sobre "Fetiche por película"]

por Orlando Lemos
27/4/2008 às
18h26

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
54240 visitas/dia
2,0 milhão/mês