busca | avançada
37024 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Segunda-feira, 18/8/2008
Comentários
Leitores

sinceridade e coragem
O que deu para perceber, nesta entrevista, foi muita sinceridade e coragem. Entrevista rica e bem conduzida. Gostaria de saber mais como você trabalha os livros de vestibular em sala, sob a ótica dos alunos que "têm de passar a qulaquer custo". PS: Sempre tive a impressão de que você é muito caxias e meio inacessível. Depois dessa entrevista, mudei um pouco o meu conceito.

[Sobre "Ana Elisa Ribeiro"]

por Adriana Godoy
18/8/2008 às
11h17

na qualidade de vida
A maior influência ocorre nas questões relacionadas à qualidade de vida. Estamos em constante busca do ser ideal, da melhor forma para viver a vida com mais qualidade, de longevidade e riqueza interior. A influência que o Oriente exerce sobre o Ocidente, nesses três aspectos, é incontestável. [Rio de Janeiro - RJ]

[Sobre "Promoção Anne Cheng na Bienal"]

por Fernanda Nogueira
18/8/2008 às
11h04

Concordo com você
Com exceções raras, concordo com você. Porém, o que mata são pessoas que só lêem esse tipo de livro ou de auto-ajuda e se arvoram em dizer que são grandes leitores. Já vi muita gente que diz ler muito e quando pergunto: O quê? Dizem: Toda a obra de Paulo Coelho.

[Sobre "As duas divas da moderna literatura romântica"]

por Adriana Godoy
18/8/2008 às
10h52

a leitura precisa me cativar
Outro dia, disse que lia até artigo de jornal, e não menti. Tenho, porém, uma "maneira" de selecionar o que leio. Nunca, porém, sem que esteja com o livro nas mãos (para aquisição, a tal maneira é outra). Até a quinquagésima página mais ou menos a leitura precisa me cativar, e se isso não acontecer, então, o desastre: cancelo o empreendimento. Verdade também que, casos raros, alguns livros (mesmo de autores famosos) tiveram que ser empurrados, e me deram muita canseira. Pontos importantes: leitura prazerosa, leitor descomprometido, crítica libertadora. Simplicidade sem pieguice, é disso que a literatura precisa.

[Sobre "As duas divas da moderna literatura romântica"]

por Américo Leal Viana
18/8/2008 às
09h38

gostaria de te conhecer
Huumm. Decididamente, você é uma pessoa que eu gostaria de conhecer. Apresentou sua causa (visto que é polêmica, tem de ser "causa") com serenidade e solidez de argumentos. Li as duas autoras - e muitas do gênero. Minhas críticas, portanto, seriam fundamentadas. Leio e releio escritores clássicos. E também reconheço o esnobismo hipócrita de criticar sem ter lido - embora eu admita que uma boa folheada pode ser educativa. Escritores que afirmo detestar são fruto da minha experiência de leitura deles (incluindo um brasileiro famoso, e péssimo! Eu li!). Minha maior crítica a essa ficção está em algumas derrapagens de estilo (quando o açúcar fica excessivo) para o leitor que é também escritor. Será que isso não o afetaria? Apenas isso. Porque como leitora há dias e horas em que quero descansar, e Deborah Simmons (e Penny Jordan, nos seus melhores momentos) servem muito bem.

[Sobre "As duas divas da moderna literatura romântica"]

por Claire
18/8/2008 às
08h10

uma boa conversa de amigos
A Língua Portuguesa é complexa pra quem a estuda. São tantos meandros que uma palavra tem, induz, ou quer parecer, que pira qualquer aprendiz. Exceções às regras, indefectíveis cedilhas, zês, xis - são um emaranhado ilógico para uma criança. Labirintos léxicos e sintáticos embotam o raciocínio. Por isso as entrevistas, em geral (ou, às vezes?), confundem mais que esclarecem (mas, que esclarecem!). Quando o entrevistador tem a perguntar e o entrevistado tem a responder, saímos todos ganhando, como numa boa conversa de amigos. A entrevista da Ana Elisa apresenta uma pessoa generosa, de talento, e com domínio da ferramenta. Tomamos contato de forma inteligente com a "nova" Literatura de quem há muito batalha disciplinadamente com palavras, e tem muito mais a oferecer. A internet já pode mostrar seus frutos mais preciosos amadurecendo. Boas conversas, já não acontecem apenas e tão somente no entorno de chopes gelados com gosto de fumaça. Embora nada anule nada.

[Sobre "Ana Elisa Ribeiro"]

por Guto Maia
17/8/2008 às
11h50

Zizi Maravilhosa Possi
Amo Zizi Possi acima de qualquer coisa, tudo que ela canta é maravilhoso. Fico muito triste pelo fato de ela demorar tanto para fazer show em Recife.

[Sobre "As noites insanas de Zizi Possi"]

por Giselle Lins
16/8/2008 às
22h07

Ler é dialogar eternamente
Escrever é o exercício, ler é o alimento. Sou ex-viciado, ex-vagabundo, ex-presidiário, ex-marido, porém também sou estudante, escritor e espectador do mundo imaginário que crio, abastecido por vivências e leituras. Escrever é a forma que achei de deixar de ser escravo do sistema avassalador atual. E blablablá... Escrevo para ser lido e manter-me vivo virtualmente na mente do leitor. Ler é um diálogo, uma eterna comunicação.

[Sobre "Cartas a um jovem escritor"]

por Ósi Luís
16/8/2008 às
13h59

Razão e Sensibilidade
Luis Eduardo, meu caro, você se diz emocionado ao ler o livro. Não precisa dizer mais nada em favor da obra reputada por sub-literária. Quem engana o sentimento? Quem pode ser louco de querer forçar emotividades na solidão de um livro? Há apenas você e a luz do quarto. E o oceano. Precisamos de teorias literárias? Um homem que gosta muito de ler, um letrado, se emocionou. Que mais falar? Qual teoria literária pode desdourar o sentimento de um sujeito sincero que ama a leitura? Que decodificação a um símbolo, que tropo de um tropo, que hermenêutica metafórica, pode desdenhar espontânea emoção, quanto mais de alguém provido de refinamento estético? A razão, no entanto, pode ser manipulada...

[Sobre "As duas divas da moderna literatura romântica"]

por mauro judice
16/8/2008 às
11h16

Sobre uma entrevista agradável
Legal conhecer a Ana Elisa através da entrevista. Só achei um ponto falho: demoraram 5 anos para entrevistá-la? Tsc, tsc, tsc. A Ana conseguiu mostrar em suas respostas aspectos comuns a todos os q lêem, escrevem ou blogam (oq acho ser uma mistura dos dois anteriores mais um toque peculiar). Em vários trechos parecia aquela vozinha que volta e meia fala comigo lá de dentro de minha cabeça. Totalmente sinistro! É legal saber q existem pessoas como ela, dispostas a mostrar os seus gostos sem medo e talvez até ajudar outros a fazer o mesmo. Eu, leitor esporádico do site, quero ver se apareço mais vezes por aqui para ler as crônicas da Ana Elisa ou encontrar outras pérolas iguais ela. Parabéns, Ana Elisa, continue brilhando. 1 abraço.

[Sobre "Ana Elisa Ribeiro"]

por JLM
15/8/2008 às
15h54

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
37024 visitas/dia
1,4 milhão/mês