busca | avançada
70622 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Sexta-feira, 3/10/2008
Comentários
Leitores

Viva o revisor!
Meus sinceros respeitos a todos os revisores. Não consigo revisar meus próprios textos, mesmo tentando muito. Já vi que sempre passa alguma coisa que por algum tempo creditei a alguma força oculta vinda do inferno pois "...não é possível...". Uma vez paguei para uma revisora deixar meu texto nos trinques. Não deixou. Pior: esculhambou e tive então que revisar o que ela havia feito (por incrível que pareça, só assim consegui revisar meu texto e deixá-lo "bom"). Mas acho que o trabalho de revisão merece muito valor. Só nos damos, aliás, atenção a isso, quando pegamos um texto em que vemos que ali faltou um profissional competente da revisão. Hakuna matata (revise isso, não sei como se escreve Hakuna Matata, por favor!)

[Sobre "Trocar ponto por pinto pode ser um desastre"]

por Albarus Andreos
3/10/2008 às
11h53

Situações que conheço bem
Posso dizer que me senti contemplada por esse texto, já que, além de professora, me fizeram revisora. Essas situações que você colocou tão bem fazem parte da minha vida (e como!). Acho que vou imprimir esse texto e colocá-lo de baixo do braço para esfregá-lo na cara de algum desavisado. Gostei muito.

[Sobre "Trocar ponto por pinto pode ser um desastre"]

por Adriana Godoy
3/10/2008 às
11h24

Orkut: culpado da falha humana
Uma vez Renato Russo disse, com uma sabedoria ímpar: "Digam o que disserem, o mal do século é a solidão". Pretensiosamente digo que assino embaixo, sem dúvida alguma. É muito fácil colocar a culpa nos sites e nos outros quando as pessoas apresentam dificuldades de se relacionarem com os namorados, noivos, maridos. Ninguém nunca olha para si mesmo e tem a coragem para refletir: pq meu namorado(a) fica tanto no Orkut, Myspace e não me dá atenção? Não tenho uma parcela de culpa nisso? Pq não se faz isso? Pq não gostamos de ver que tb pisamos na bola, e que às vezes sentimos um amor primitivo do tipo dominador, possessivo e obssessivo; queremos controlar nosso suposto amado e não vemos as reais necessidades deles. Entao... continuem colocando culpa na internet e cuidado com seus celulares, hehehehe

[Sobre "Adeus, Orkut"]

por Genevieve
2/10/2008 às
21h59

Depois eu comento...
Hoje à tarde estava na internet fazendo algumas pesquisas e acabei por pesquisar artigos a respeito de bons livros. Vi alguns comentários sobre "O apanhador no campo de centeio" e gostei. Mais tarde fui à biblioteca e uma pessoa comentava a respeito dele; então peguei para ler e estou com ele agora. Espero gostar da leitura, depois comento o que achei do livro, bjs.

[Sobre "O apanhador no campo de centeio"]

por luciana soares
2/10/2008 às
21h25

Sussurrar é muito difícil
Ótimo texto! Sou professora de música e vou levar este texto para meus alunos de oitava série começarem a entender o que é Bossa Nova. Quanto ao comentário sobre sussurrar, será que pensam que sussurrar é fácil? Não é mesmo! É muito difícil, mas dá um charme enorme à música. Ainda estou aprendendo a sussurrar para cantar Bossa Nova como deve ser!

[Sobre "50 anos de Bossa Nova"]

por Marta Borges
2/10/2008 às
19h03

Quitandas da vovó
Ainda me lembro da "maria mole"... que delícia! Mas está no passado, não se encontra com facilidade. Tens razão, aos poucos foram adicionando sabores e texturas aos nossos biscoitos e docinhos, tirando deles aquele gostinho dos biscoitos da vovó. De vez em quando ainda compro quitandas do tempo da vovó em alguma "bodega" esquecida no tempo. E dá uma saudade...

[Sobre "Da indústria do sabor e do desgosto"]

por Solange Boy
2/10/2008 às
18h38

A exceção seria o Gabeira?
Luis, ainda que eu discorde da obrigação do voto como um dever social, quero ressaltar aqui a excelência do seu texto. Bom saber que você não é um político porque, na minha expectativa meio anarquista, políticos devem se manter na mediocridade intelectual de sempre (a exceção seria o Gabeira?). Muito bom, meu! Bom mesmo! Abraços!

[Sobre "A evolução da nova democracia brasileira"]

por Guga Schultze
2/10/2008 às
11h43

Radiohead: divino
Radiohead tocando um clássico do New Order? O que dizer além de sen-sa-cio-nal?!? Abraço!

[Sobre "Ceremony, pelo Radiohead"]

por Luiz Augusto Lima
1/10/2008 às
21h40

Espaço virtual mal utilizado
Caro amigo Diogo, seu texto, além de muito bom, tem por mérito levantar esta lebre: como a política brasileira anda aproveitando a internet e seus instrumentos? Como deu para perceber: muito mal, salvo raras exceções. E o pior é que isso não é surpresa. Se nos EUA as eleições também são calcadas na imagem e no marketing, ao menos há espaço para questionamentos. Por aqui, nem isso. Só não concordo com o que você mencionou sobre "algum militante do MST" ao referir-se ao blog do Dirceu. Soou preconceituoso. Abraços e parabéns!

[Sobre "Ideologias em forma de spam"]

por Luiz Augusto Lima
1/10/2008 às
21h30

Viver de e para escrever
Odir, parabéns pela entrevista lúcida e focada, como você é. Não conhecia seu lado doméstico, mas tenho certeza de que ele também te ajuda a evoluir... E parabéns principalmente por conseguir algo que tantos escritores brasileiros buscam: ser publicado e viver de escrever e para escrever. Espero sempre participar das suas conquistas literárias! Um abraço

[Sobre "Bate-papo com Odir Cunha"]

por Lucíola Morais
1/10/2008 às
11h07

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
70622 visitas/dia
2,0 milhões/mês