busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Quinta-feira, 15/10/2009
Comentários
Leitores

Idealistas
Ótimo texto, Diogo! Realmente, uma coisa que nos choca é o contraste, e nos impressiona o quanto um coração pode ser tão duro a ponto de não se importar com isso - como o que você mostrou: casa do prefeito versus escola imunda... Numa dessas escolas, onde o bairro era desses de esgoto a céu aberto, vi uma Hi-Lux zero estacionando e quem desceu de lá? O prefeito, ao lado da primeira-dama (esta debaixo de algumas jóias)... Mas mesmo vendo tudo isso, digo que vale (muito!!!) a pena ser ingênuo. Grande abraço!

[Sobre "Mazelas do coronelismo"]

por Wolber Campos
15/10/2009 às
08h53

O Rio sem balas
Finalmente um foco internacional: a cidade maravilhosa que se desviou das balas! [Berlin - De]

[Sobre "Promoção: Cartas a um Jovem Atleta"]

por adriane queiroz
15/10/2009 às
08h52

Visibilidade para o Brasil
Apesar de compreender as Olimpíadas no Brasil como uma estratégia de política internacional, e de me incomodar com os efeitos de pão e circo que uma Olimpíada pode ter no país, considero importante a mudança do paradigma de que a sede das Olí­mpiadas tenha que ser em país desenvolvido... Talvez seja uma oportunidade para dar visibilidade para o Brasil e proporcionar o desenvolvimento urbano e social que nós herdaremos do que ficará das preparaçõees para o evento... [Salvador - BA]

[Sobre "Promoção: Cartas a um Jovem Atleta"]

por Mariana Lima
15/10/2009 às
08h51

Nosso esporte crescerá
Bom para o Rio e ótimo para o Brasil: novos empregos, novos atletas, mais patrocí­nios virão, e com isso nosso esporte crescerá...! [Fortaleza - CE]

[Sobre "Promoção: Cartas a um Jovem Atleta"]

por elizabeth de castro
15/10/2009 às
08h50

Um poder simbólico
Essa vitória tem um poder simbólico muito grande, porque representa uma carta branca dada pelo mundo ao Brasil, juntamente com a Copa de 2014. Por outro lado, temos um déficit muito grande em vários setores, que não serão superados em pouco tempo. Temos ainda os superávits, os corruptos de plantão e outras levas que ainda vão aparecer... No fim das contas, o saldo acaba sendo nulo (ou até negativo), se pensarmos nos dois lados da moeda! [Macaé - RJ]

[Sobre "Promoção: Cartas a um Jovem Atleta"]

por João Paulo Barbosa
15/10/2009 às
08h48

A Ilha Perdida
O melhor livro infanto-juvenil que li foi "A Ilha Perdida". Achei o melhor porque parecia que eu estava vivendo a mesma aventura que os dois garotos. Parecia tão real a história contada por Maria José Dupré que eu lia na biblioteca da escola nas aulas de leitura, quando eu estudava na quinta série, e em casa eu ficava só imaginando todas as aventuras na ilha, e louco para participar da próxima aula de leitura, e ficar sabendo a continuação da história, que parecia ser vivenciada por mim... [Cidade Gaúcha - PR]

[Sobre "Promoção Mistério do 5 Estrelas"]

por Jorge
14/10/2009 às
18h51

Horas lendo, sem parar...
Coincidentemente, é do Marcos Rey o livro que mais gostei de ler na minha transição infância-adolescência, e se chama "Um cadáver ouve rádio", da série Vaga-Lume, que éramos estimulados a ler, na infância... Gostei muito desse livro, porque gostava de ler livros com tramas policiais. Era um estímulo para ficar horas lendo, sem parar... [União da Vitória - PR]

[Sobre "Promoção Mistério do 5 Estrelas"]

por Jussara Leite
14/10/2009 às
18h49

A droga e a droga
Eu gostava muito das aventuras dos personagens "Karas", dos livros de Pedro Bandeira: "A droga do amor" e "A droga da obediência". [São Paulo - SP]

[Sobre "Promoção Mistério do 5 Estrelas"]

por Aline Ferreira
14/10/2009 às
18h47

Por que o medo de escrever?
O próprio Andrew Solomon no prefácio do seu livro chegou a dizer "escrever sobre depressão é doloroso, triste, solitário e estressante. Contudo, a ideia de que eu estava fazendo algo que poderia ser útil a outros era gratificante". Ainda podemos ajudar outras pessoas contando nossas experiências, como superamos nossas angústias, problemas, crises. Por que você tem medo de escrever? O que teria para revelar ao mundo, quais suas angústias, seus medos, o que colocaria no papel e deixaria para a posteridade, o que se desvelaria para o mundo com a sua escrita? Por que não escrever para si próprio, ou mandar uma carta, um e-mail, contar sua vida, ver seu pensamento organizando em palavras, frases, linhas, parágrafos...? É um desafio interessante.

[Sobre "Encontre seu motivo para blogar"]

por Ronaldo Magella
14/10/2009 às
11h45

Ser mãe não é fácil!
Ser mãe não é uma tarefa muito fácil. Principalmente porque temos a tendência de complicar ainda mais. Tenho uma filha de 8 (quase 9) anos e desde o momento que descobri estar grávida eu reflito sobre minhas atitudes e as consequências destas na vida da minha filha. E te confesso que já vivi situações de orientar a minha pequena que mantivesse distância de determinada coleguinha... Não foi uma tarefa fácil. Mas foi necessário... Nunca por razões econômicas ou sociais, mas somos os responsáveis pela segurança de nossas crianças e, diante de uma má influência (ainda que de pouca idade), acredito que o mais apropriado seja se afastar. Confesso que cheguei a vislumbrar a possibilidade de tomar o caminho contrário... Em vez de me afastar (minha filha), me envolver. Tentar solucionar ou, pelo menos, ajudar nos problemas que a criança (a coleguinha) apresentava. Mas isso ia além das minhas forças... E agora, ao ler o teu texto, lembrei da minha decisão de seguir o caminho mais fácil.

[Sobre "Intolerância"]

por Maite Lemos
14/10/2009 às
10h35

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês