busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Domingo, 31/1/2010
Comentários
Leitores

Perspectiva e imparcialidade 2
... nunca ensinou a verdade, mas a verdade da perspectivação, isto é, o respeito a todas as opiniões e/ou a relativização da opinião própria. A política, por seu turno, fala de verdades absolutas e, portanto, mente, porque a política é a arte do possível. Se a política mente, a arte só pode encontrar verdade em falar de políticos se apontar seus gestos e decisões refratados em pontos de vista. E mais nada. Quanto mais um artista torna absoluta a atitude de um político, mais o artista mente. Alguns sujeitos que têm a arte por ofício mentem, porque a levaram a falar de verdades absolutas, enquanto outros tantos afirmam em suas obras que a verdade não passa de perspectiva. Dois casos de artistas, dois políticos enrustidos.

[Sobre "O filme do Lula e os dois lados da arquibancada"]

por mauro judice
31/1/2010 às
20h30

Perspectiva e parcialidade I
Reclama-se que as pessoas vão logo polarizar para o bem ou para o mal a respeito do filme, de acordo com suas posições partidárias. Se alguém é partidário, só pode opinar tomando partido, senão, ele seria imparcial. Agora, a crítica à polarização é inócua. Não atinge os parciais, porque, se eles se achassem parciais, não o seriam. Se não produz efeito nas pessoas que pensam parcialmente, menos ainda a crítica incide nos imparciais. Indivíduo de visão não precisa ser avisado da existência de barricadas parciais, porque ele só conseguiu se tornar imparcial após ter consciência da parcialidade. Homem honesto nunca pensa de forma partidária. A verdade não é propriedade de um partido, como não é de um homem. Às vezes, está com um partido, às vezes com outro (ou com nenhum deles). Um homem honesto é sempre apartidário, porque não quer apoiar uma mentira, quando o partido estiver errado. A essência da arte não é ver a verdade, mas as perspectivas em que se enxerga a realidade. A arte nunca...

[Sobre "O filme do Lula e os dois lados da arquibancada"]

por mauro judice
31/1/2010 às
20h26

Um véu sobre o verdadeiro Irã
Ótima resenha, consegue reunir e destacar os pontos relevantes da obra, que de fato proporciona reflexões e entretenimento. É interessante observar a metáfora: um véu encobre o verdadeiro Irã, em que mulheres trabalham, estudam, pensam, opinam, mas, aos olhos do Ocidente, é apenas um país "atrasado". Parabéns ao autor do livro e ao do artigo.

[Sobre "O Véu, de Luis Eduardo Matta"]

por Roberta Resende
31/1/2010 às
18h03

Niemeyer fora de moda
Em tempos de ecologia e ambientalismanis, as obras de Niemeyer deveriam ser banidas da face da terra. Falta de funcionalidade, beleza, desperdício de tempo, dinheiro e material.

[Sobre "Niemeyer e a unanimidade"]

por Titus
30/1/2010 às
21h17

Marina em vez de Dilma
Marina Silva. Primeiro porque gostei muito dos trabalhos anteriores dela. Segundo porque acho que a Dilma não seguirá com o bom governo adotado pelo Lula. [São Paulo - SP]

[Sobre "Promoção Lula: O Filho do Brasil"]

por David da Silva Pires
30/1/2010 às
10h42

Ninguém segura!
Claro que o Brasil está progredindo! Basta ver os noticiários pelo mundo e notar o cenário econômico. Ninguém segura este país! [São Paulo - SP]

[Sobre "Promoção: Deu Tilt no Progresso Científico"]

por David da Silva Pires
30/1/2010 às
10h40

Aceleração do crescimento
Se observarmos bem, acredito que está. A passos lentos, mas melhor devagar do que ficar parado. Percebo uma maior consciência das pessoas para questões de educação, leitura e meio ambiente. Vamos torcer para tudo isso "acelerar" e atingir outros campos também. [Paulista - PE]

[Sobre "Promoção: Deu Tilt no Progresso Científico"]

por Severino Rodrigues
30/1/2010 às
10h39

A vez do cinema brasileiro
Sei que lista de destaques são bastante pessoais e que estão isentas de imparcialidade, mas ainda assim podem acontecer algumas injustiças, não que seja o caso da sua ótima lista, mas esperava uma maior participação de filmes nacionais, já que o cinema brasileiro de qualidade se firmou nesta primeira década do século. "Cheiro do Ralo", "Cidade Baixa", "Amarelo Manga", "Madame Satã", "À Deriva", "Via Láctea" e vários outros são bons exemplos de filmes que tiveram boa repercussão aqui e lá fora.

[Sobre "Os filmes mais significativos da década"]

por Amábile Grillo
30/1/2010 às
02h47

Dúvida
Não entendi o propósito do texto. Há alguma mensagem implícita que me passou despercebida?

[Sobre "O menino mais bonito do mundo"]

por Miguel Lannes Fernan
29/1/2010 às
14h32

Liindoo
Estou louca para ler livros dela. Vi um filme sobre ela. "O clube do livro de Jane Austen". É perfeito. Acho que vou começar com "Razão e Sensibilidade". ;*

[Sobre "Orgulho e preconceito, de Jane Austen"]

por Thaís
29/1/2010 às
10h48

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês