busca | avançada
91200 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Quinta-feira, 4/2/2010
Comentários
Leitores

O Culturaholic
Esse que você, Cássia, chama de "chato cultural" vai um pouco além do "chato literário", que ao menos produz alguma coisa. O "chato cultural", que eu chamo de "culturaholic" (procure meu conto no Google, "O Culturaholic"), é uma figura ainda mais cabotina e irrelevante, porque crê possuir um conhecimento universal e nunca cria nada. É apenas um chato dotado dum conhecimento variado e presunçoso, sem qualquer unidade, a qual é a irmã da universalidade... ;-)

[Sobre "Edmund Wilson e os chatos da literatura"]

por yuri vieira
4/2/2010 às
22h42

O chato cultural
O chato literário nada mais é que um dos representantes mais expressivos do que eu sempre chamei de "o chato cultural" - aquele que, em palestras (na hora aberta às perguntas), cita pelo menos 7 referências - uma a uma; que, em eventos musicais, debate sobre "a música enquanto fenômeno..." - e por aí vai. Ninguém merece esses tipos em sua vida!

[Sobre "Edmund Wilson e os chatos da literatura"]

por Cássia
4/2/2010 às
17h01

Cadê o Bin Laden?
Onde se esconde Bin Landen, pela paz do mundo... [Fortaleza - CE]

[Sobre "Promoção: Segredos de O Símbolo Perdido"]

por elizabeth de castro
4/2/2010 às
13h02

Mistérios da Bíblia
Hoje em dia, com a velocidade da mídia e das informações, muitas vezes uma notícia é veiculada no dia seguinte equivocadamente. Partindo dessa premissa, qual a credibilidade a ser dada a um livro como a Bíblia, na qual as histórias são redigidas com base em relatos e memórias, em alguns casos, após 200 anos do acontecimento/fato? [São Paulo - SP]

[Sobre "Promoção: Segredos de O Símbolo Perdido"]

por Bruno Borgneth
4/2/2010 às
13h00

O mistério de JFK
O maior mistério que gostaria de ver decifrado é o do assassinato do Presidente dos Estados Unidos, John Fitzgerald Kennedy! Sua morte em circunstâncias ainda não totalmente esclarecidas e a história de conspiração que ronda o assassinato torna esse mistério um dos mais incríveis da era moderna. [Pindamonhangaba - SP]

[Sobre "Promoção: Segredos de O Símbolo Perdido"]

por Célia Regina
4/2/2010 às
08h37

Riquezas outras
Apenas gostaria de entender por que o ser humano rouba, polui, desmata, mata por riquezas materiais, quando o que realmente vale são as riquezas naturais, as riquezas do coração. O que vamos deixar para as próximas gerações? Calor, furacão, terremotos, inundações... [Porto Alegre - RS]

[Sobre "Promoção: Segredos de O Símbolo Perdido"]

por Sidinei Luis Haeflig
4/2/2010 às
08h36

As forças ocultas...
Um segredo que eu gostaria de ver decifrado é o da renúncia de Jânio Quadros, porque as forças ocultas, alegadas por ele, parece que assombraram Fernando Collor de Mello, parecem presentes nas decisões políticas deste país... Falta transparência democrática. [São José dos Campos - SP]

[Sobre "Promoção: Segredos de O Símbolo Perdido"]

por Ricardo Serapião
4/2/2010 às
08h34

O mistério de Atlântida
A prova da existência de Atlântida e por que ela se perdeu. Os relatos desta cidade e de suas maravilhas sempre encantaram e fertilizaram minha imaginação. [Suzano - SP]

[Sobre "Promoção: Segredos de O Símbolo Perdido"]

por Tania Pereira
4/2/2010 às
08h33

Micuim, o chato do chato!
O chato de galocha declarado: Eu escrevia sem pretensão de ser escritor, mas, certa vez, apareceu um chato em minha casa e, remexendo em meus rascunhos, este amigo, chato ou não, disse que eu tinha o dom da criatividade e passou a me incentivar a dar continuidade à obra! Como na época eu não dispunha de muito tempo, passei a comentar e importunar outros amigos pedindo sugestões; mas não parei por aí: após terminar a obra passei a importunar as editoras para fazerem uma avaliação dela, e depois de muito custo, chatices e engodos, meu primeiro livro foi publicado, então voltei a importunar meus amigos, vizinhos e conhecidos para comprá-lo! Até que, há poucos dias, recebi um e-mail do Digestivo Cultural; divulgando o sorteio de livro: e como sou um escritor chato com mania de leitura, pretendo concorrer ao livro, e oferecer uma de minhas obras para sorteio, caso consigam conviver com tamanha chatice! Mas depois de toda esta chatice, aproveito para deixar meu exemplo de paciência.

[Sobre "Edmund Wilson e os chatos da literatura"]

por João Cirinio Gomes
4/2/2010 às
06h44

O que tem valor
Hehehe, gostei desse texto. Eu não gosto de chatos literários na medida em que não gosto de pentelhar quem quer que seja. Quando percebo que estou chateando alguém, começo a me sentir péssimo - e sumo! O que tem valor não precisa ser forçado, empurrado. Irá prevalecer de um jeito ou de outro. Que o diga o baú do Fernando Pessoa... Abração!

[Sobre "Edmund Wilson e os chatos da literatura"]

por yuri vieira
4/2/2010 às
04h03

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
91200 visitas/dia
2,4 milhões/mês