busca | avançada
47547 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Quinta-feira, 25/3/2010
Comentários
Leitores

Colunismo social blogueiro
Bela e lúcida reflexão. Debord é mais atual do que nunca. O espetáculo, não de hoje, pauta o nosso simulacro de vida literária. A grande maioria dos blogs parece coluna social, "who's who" de quem vai ao lançamento do gênio de plantão eleito pelos segundos cadernos. Esse Truman Show de umbigos, indignação estudada e mundo editorial, mostrou sua cara com força nos anos 90, e parece que só tende a piorar. Parabéns pelo artigo e pelo seu blog - prova de que há, sim, possilidade de reflexação sincera, inteligência e sensibilidade na blogosfera. Um abraço.

[Sobre "Os Blogs e o Espetáculo"]

por Guilherme Vaz
25/3/2010 às
17h13

Blog não é só isso
É, mas a senhora só esquece que os blogs podem ser formas de comunicação, e não apenas meios de exbição das nossas vidas. Um mecanismo de divulgação dos nossos pensamentos, das nossas ideias, sem adentrar nessa seara íntima, pessoal, mas permitindo e nos dando uma chance de dizer alguma coisa a alguém, em algum lugar do mundo, do mundo em que estamos. Abraços. (Concordo o resto.)

[Sobre "Os Blogs e o Espetáculo"]

por Ronaldo Magella
25/3/2010 às
08h34

Ao vivo é diferente
Olá, Diogo, concordo com você plenamente! Embora tenha também uma coleção respeitável, nós assistimos aquilo que as câmeras captam... mas nosso olhar vai longe quando estamos ali ao vivo e a cores! Vemos e sentimos coisas que só nós mesmos podemos saber e nunca, talvez, conseguiremos transmitir tudo que captamos e absorvemos naquele momento de esquecimento total do mundo lá fora! Será que você me entendeu agora, ou não? Rsrsrs

[Sobre "Shows da década (parte 1)"]

por fernanda flores
24/3/2010 às
19h11

Até hoje não me acostumei
Adriana, meu amor, olha só, eu sou gaúcha e me orgulho muito de pertencer ao Rio Grande do Sul. Cada estado com suas manias e sotaques, não é? Moro no Rio faz 20 anos e até hoje não me acostumei aos hábitos e o jeitão do carioca de levar a vida. Não moro por opção, mas por questão de trabalho, fui transferida, fazer o quê...? Respeito todo carioca, mas infelizmente vejo que o próprio carioca e muitos outros não agem da mesma forma... Gaúchos e paulistanos são sempre ridicularizados por eles! E novamente pergunto: fazer o quê? Preciso trabalhar! Me considero brasileiríssima, sim. Tenho orgulho do meu estado e do meu país! Beijos para todos!!

[Sobre "Breve reflexão cultural sobre gaúchos e lagostas"]

por fernanda flores
24/3/2010 às
18h27

O sonho poético
Ela parte da ilusão abstrata para entrar no céu concreto. Ela vive o sonho poético, por isto vale a pena ler.

[Sobre "Poesia sem ancoradouro: Ana Martins Marques"]

por Manoel Messias Perei
24/3/2010 às
03h09

Vivo uma paixão assim
Amei o texto e me identifiquei com ele, pois vivo no momento uma paixão assim... O encontro ainda não se deu por minha causa, pois temo que haja uma decepção de ambas as partes. Da parte dele, hummm... Diz ele estar muito certo de que isso jamais ocorrerá... bom... eu não sei... Na dúvida, prefiro continuar vivendo esse amor na virtualidade, até que eu não me aguente e corra para encontrá-lo!!! Detalhe importante: moramos próximos um do outro, mas cadê a coragem? Temo perdê-lo caso haja decepção de uma ou de ambas as partes... Já marquei com ele várias vezes, mas chega na hora "H" e eu acabo desistindo. Mas tenho sofrido muito com isso. Enfim, seja o que Deus quiser, beijos!

[Sobre "Don Juan de mIRC"]

por fernanda flores
23/3/2010 às
22h55

Bacana seu texto
Bacana seu texto, acabei de indicá-lo no Twitter da Capitu. Só discordo que "Cabeça Dinossauro" não tenha significado. E discordo violentamente de que as músicas do Ramones sejam nonsense.

[Sobre "A morte anunciada dos Titãs"]

por Duanne Ribeiro
23/3/2010 às
17h29

Crítica da crítica da crítica
Difícil criticar um texto em que se critica a crítica, mas vou tentar ser construtivo. O que seu amigo me parece ter dito, pelo que você citou, não é que ele não entendeu a ideia do texto, mas a quem você dirigia e quais resultados esperava ter. São coisas diferentes. Você pode precisar dar ou não determinado tipo de informação ou se esforçar ou não para convencer sobre determinadas coisas, dependendo de para quem escreve - mesmo que esteja passando a mesma ideia. Você, neste artigo, tem uma ideia de público: é o cara que tem a perfeita apreensão, tem na ponta da língua as regras de interpretação que você precisou consultar manuais para lembrar. Mas são todos assim? A crítica dele era construtiva nesse ponto: "não sei se sua mensagem convence alguém, mas a mim, não". Também penso que você criticá-lo porque ele não produz é uma falácia. Que importa se não produz? Principalmente quando se fala de texto, ele tem a capacidade de raciocínio e de saber se a mensagem chega a ele ou não.

[Sobre "A interpretação dos chatos"]

por Duanne Ribeiro
23/3/2010 às
17h19

Ótimas dicas
Com certeza são otimas dicas. Valeu pela ajuda!

[Sobre "Dicas para você aparecer no Google"]

por Yuri Dassayev
23/3/2010 às
14h01

Erudição e vocação
Ismael, mais uma vez você mostra com brilho e delicadeza sua erudição e vocação de pedagogo. Wilde é uma figura perfeita para a leitura de J.C. Ismael pela sua complexidade e picardia.

[Sobre "Oscar Wilde, dândi imortal"]

por Frederico L. Menezes
23/3/2010 às
12h29

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
47547 visitas/dia
1,6 milhão/mês