busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Segunda-feira, 30/12/2013
Comentários
Leitores

Mas Don Herold morreu com 7...
Mas Don Herold morreu com 77...

[Sobre "Instantes: a história do poema que não é de Borges"]

por lisandro do amaral
30/12/2013 às
10h47

Fico com Braque, Gerhard Ri...
Fico com Braque, Gerhard Richter e tantos outros artistas que ao longo de toda história disseram a mesma coisa com palavras diferentes: Falar sobre arte, explicar a arte, é desnecessário. Da primeira metade do século XX pra cá, principalmente, o observador passou a exercer papel fundamental nas obras. Percebeu-se que interpretações múltiplas podiam e deviam ser aceitas, o que não anula a questão do contexto histórico e da intenção do artista, apenas se torna, no mínimo, igualmente importante.

[Sobre "Mas isso é arte???"]

por Raphaela
28/12/2013 às
10h11

Gustavo, os ebooks só têm o...
Gustavo, os ebooks só têm o mesmo preço dos livros impressos em países idiotas como o Brasil. Quem manda o preço dos ebooks lá para as alturas ainda não compreendeu o espírito da coisa: comprar um livro impresso é uma homenagem que se faz ao autor - é luxo; comprar um ebook é experimentar uma nova escrita - é praticidade. Se esses caras entendessem de economia, perceberiam que é melhor vender 1000 ebooks a R$1,00 cada do que 100 livros a R$10,00 cada. E por que seria assim se o lucro seria o mesmo? Ora, porque serão 900 leitores a mais!

[Sobre "Passeata Contra o eBook"]

por Yuri Vieira
9/12/2013 às
09h27

Amei esse texto, quando con...
Amei esse texto, quando conheço uma pessoa sempre observo o que usa. E ultimamente a personalidade diária está sendo exposta tbm pelas sapatilhas com cores ou detalhes fortes.

[Sobre "Os sapatos confessam"]

por Cristina cavalcante
20/10/2013 às
17h28

Adorei o texto, professor. ...
Adorei o texto, professor. Sua coluna ganhou uma fã.

[Sobre "Simplicidade ou você quer dormir brigado?"]

por Mariana
16/10/2013 às
07h04

não entendi o "lobby": não ...
não entendi o "lobby": não vejo este lobby, quem financiaria? Acho que os italianos tem o seu proprio estilo, e atraem as simpatias de muita gente; ninguem é o melhor, cada povo tem sua cultura; agora os fatos: 1)a Italia foi o ambiente onde se formou a base cultural da civilização ocidental; soube incorporar a chama, o legado da cultura grega e latina e produziu o Rinascimento, que se espalhou pela Europa e pelo mundo, 2)assim como incorporou a mensagem revolucionaria de Cristo criando a Cultura do Cristianismo; 3)a Italia pela sua posição ao centro do Mediterraneo, sempre foi o ponto de encontro das culturas dos povos antigos, resultando em uma enorme variedade de tradições culturais, na arte e na vida; este patrimonio está no nosso DNA: alegria, bom gosto, criatividade, e muitos defeitos também!! :-)

[Sobre "Grandes Carcamanos da História"]

por giuseppe ferrua
26/9/2013 às
08h52

Quero aproveitar a oportuni...
Quero aproveitar a oportunidade de falar algumas palavras sobre seu artigo preconceito invertido. Invertido é uma palavra que designava homossexuais há muitos e muitos anos atrás. É tão descabida em termos linguísticos que foi esquecida. Seu artigo, na minha opinião é um poço de preconceito não invertido aos homossexuais, usando palavras grosseiras e vulgares. Tá na cara, ou tá na sua cabeça, como queira. Se me permite a franqueza, achei seu artigo um horror. O Sr. poderia ter xingado os homossexuais o tempo todo que seria mais honesto. Quanto ao seu artigo atual: "Zoológico da Malandragem", quando lí que o Sr. escreveu que sentou com seu amigo no balcão, 'em bancos separados, que fique claro (?)'. O resto do artigo eu deixei de lado.

[Sobre "Zoológico da malandragem"]

por José Solon
24/9/2013 às
02h17

Parabens pelo texto leve do...
Parabens pelo texto leve dotado de fina ironia

[Sobre "Não há vagas? Então viva a informalidade!"]

por Geiza do Carmo
15/9/2013 às
22h01

Me formei em jornalismo no ...
Me formei em jornalismo no ano passado e agora estou design gráfico. Porém, minhas noites em claro são investidas em algo que não pousa nem no primeiro nem no segundo. Passo minhas horas livres escrevendo roteiros de quadrinhos. Por mais que não tenha nada publicado e pouco tempo no "mercado" (já que o tal mercado ainda é uma incógnita pra mim), tive roteiros empacados por desenhistas que desistem. Até meu analista sugere: "desenhe!". Será que esse é o caminho? Escrever o roteiro é fantástico e muitas das histórias seriam perfeitas em HQ, mas o desenho não é meu dom. Terei eu que desafiar o criador e pedir um novo dom? Talvez trocar algum sub-utilizado por algum outro? Abraços, Danton, obrigado pelo ótimo texto que mostra a falta de respeito aos roteiristas. Ainda me espelho em Gaiman, e creio que uma nova era quadrinística chegará.

[Sobre "Em defesa dos roteiristas de quadrinhos"]

por Angelo Dias
5/9/2013 às
12h21

Programa Raul Gil: Tire as ...
Programa Raul Gil: Tire as crianças da sala! Félix Maier Há algumas semanas, o Programa Raul Gil resolveu competir com o que há de mais degradante na televisão brasileira, a exemplo do Zorra Total, um programa cloaca que a Rede Esgoto de Televisão apresenta aos sábados à noite. Uma dupla conhecida como Caju e Castanha se apresentou para o auditório, com inúmeras crianças no palco - um dos quadros do Programa Raul Gil é "Eu e as crianças". E o que é que essa dupla cantou na frente das crianças? Além de uma baixaria que tinha como tema a bunda da mulher, com frases chulas, de duplo sentido, a dupla cantou algo que ficaria bem num programa de piadas do falecido Costinha, ou de Ari Toledo, para adultos, não para crianças e, por extensão, para a população brasileira em geral: "mulher de amigo meu é como violino: eu viro a cara e enfio a vara". Nos próximos programas do Raul Gil, é bom tirar as crianças da sala. Não se sabe o que poderá vir pela frente.

[Sobre "Raul Gil e sua usina de cantores"]

por Félix Maier
20/8/2013 às
13h56

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês