busca | avançada
54240 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Sexta-feira, 1/11/2002
Comentários
Leitores

questão mal resolvida
Faço minha a pergunta do Pedro Servio! Também gostaria que Heitor se manifestasse sobre as colônias na Cisjordânia.

[Sobre "O Conflito do Oriente Médio"]

por Dieter
1/11/2002 às
10h51

ops!
Cuidado, Alexandre, a vulgaridade anda à solta. Encontrei um "burguês flaubertiano" num texto seu, recentemente.

[Sobre "Sinais de Vulgaridade - Parte II"]

por Dieter
1/11/2002 às
10h35

MODISMOS VULGARES
Acho que poderia ser acrescentado a novidade dessa eleição em dizer tudo no masculino e no feminino, isto é: Candidatos e candidatas, para deputado e deputada, para governador e governadora. No meu tempo, aprendi que é convenção quando tem masculino e feminino, adotar-se o masculino como indicação do gênero humano. Outro modismo vultar, muito adotado em Brasília é a palavra atores. Os atores envolvidos no processo ... E pior ainda, é o fulano de tal, enquanto cidadão ... UGHHHHH!!

[Sobre "Sinais de Vulgaridade - Parte II"]

por Eleutério Langowksi
1/11/2002 às
10h17

Os gatos e as bibliotecas
Gostei dos gatos e niguém melhor que nós para saber sobre eles. Parabens!!!

[Sobre "Os gatos, as bibliotecas e a literatura"]

por M.Angélica
1/11/2002 às
02h18

trocar o ter por possuir
Tem outra, também do meio acadêmico,só que é mais fácil de encontrar entre os alunos: trocar o ter por possuir - " Ah,porque a obra Machadiana possui uma atmosfera peculiar e característica das funções sublimares assinaladas pelo ser enquanto indivíduo dentro de um contexto".

[Sobre "Sinais de Vulgaridade - Parte II"]

por Daniel Nunes
1/11/2002 às
02h04

resenha "Canto Geral"
Caro Rodrigo, foi uma pausa maravilhosa, gostei muito e imagino que Canto Geral deve ser belo e profundo, vem a calhar bem com os dias de hoje. Parabens! sua sensibilidade se cruza igualmente com a do Poeta, maravilhoso!!

[Sobre "Criando constelações em defesa da América Latina"]

por Maria Angélica Parga
1/11/2002 à
00h53

Nosso ociólogo mór
Claro que nossa Maria Antonieta mulata pensou no país. Bem de longe. Ele pensava no país com um certo fastio enquanto viajava pela França, Inglaterra, Espanha, Itália, Portugal, Estados Unidos, Canadá, Eslovênia, Atlântida, Hungria, Japão, Ilha de Java, Liechtenstein, Suécia, República Tcheca, Finlândia, Noruega, Terra do Nunca, Suíça, Lilliput ...

[Sobre "Lula Já É Um Coitado"]

por Claudio
31/10/2002 às
23h49

Medíocres
Sou Tucano, desde a fundação. E já afirmava antes das eleições que, fosse quem fosse o próximo presidente, apenas uma coisa estava garantida: Somente a história será capaz de fazer justiça ao Fernando Henrique. Ele pensou no país. E tão cedo será substituido à altura.

[Sobre "Lula Já É Um Coitado"]

por Antonio Castellane
31/10/2002 às
23h33

solidariedade
"Julio, meu amigo. voce e 'todo mundo' deveriam ter a liberdade _ 'sempre' _ de expressar o que bem entender e tambem o que nao entender. Euripedes, em 'As Suplicantes', diz que 'a verdadeira liberdade ocorre quando os homens, nascidos livres, precisando dirigir-se ao publico, podem falar livremente; Aquele que puder e quiser falar, merecera honrarias. Aquele que nao puder ou nao quiser, podera ficar em paz.' O que podera ser mais justo do que isso? Abracos, com admiracao"

[Sobre "Lula: sem condições nenhuma*"]

por Mais Um Amigo
31/10/2002 às
10h19

Pablo Neruda
Rodrigo Li o que escreveu sobre Pablo Neruda. É maravilhoso... convida, ou melhor, praticamente nos obriga, a ler Canto Geral. Parabéns Paula

[Sobre "Criando constelações em defesa da América Latina"]

por Paula Marcia
30/10/2002 às
21h46

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
54240 visitas/dia
2,0 milhão/mês