busca | avançada
86234 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Quarta-feira, 12/2/2003
Comentários
Leitores

Michael Jackson
Parabéns pelo texto, você foi muito preciso e racional no que toca a toda esta histeria que tomou conta da mídia. Só lamento que a cada vez que temos um Jacko mais sensacionalista, menos temos o gênio da música e da dança. Paulo Roberto Pegoraro Junior Cascavel-Paraná-Brasil PS. solicito autorização para publicação do artigo em jornal local de Cascavel.

[Sobre "Quem somos nós para julgar Michael Jackson?"]

por Paulo Pegoraro Jr.
12/2/2003 às
11h08

Lição de vida...
Que bela entrevista e que lição de vida para nós. A paixão pelo que faz está presente nitidamente em sua fala o tempo todo. Aliás, é só com muita paixão e bastante investimento que alcançamos um bom resultado tanto na vida profissional, como na vida pessoal. Parabéns!

[Sobre "José Tonezzi: Arte e Pesquisa Sem Fronteiras"]

por Marli
12/2/2003 às
03h10

gravava todos capitulos...
sou apaixonado pelos anos incriveis, assisti e (quase)gravei todos os episodios em meados de 90, brigava com minha namorada na epoca pois só saia de casa depois de gravar,comprei até o box com os cds da série, no ultimo capitulo tive até um crise de choro de tanta emoção, me indentificava demais com o kevin , assim como ele acabei sem minha winnie cooper....

[Sobre "Anos Incríveis"]

por marcelo mergulhão
11/2/2003 às
18h02

O eterno homo-guerra
Original e interessante, é uma ótima leitura para quem vê o mundo com outros olhos além das barreiras que nos impoem.

[Sobre "Outro fim de mundo é possível"]

por Vinicius Brown
11/2/2003 às
14h16

Bem legal
Clarissa Bem legal esse texto de hoje! Parabéns!

[Sobre "Jack Nickolson arrasa em As Confissões de Schmidt"]

por marina salles
11/2/2003 às
10h09

Michael
Achei o texto realmente muito bom, e a sua atitude em defender o grande músico que é Michael Jackson também tem o meu total apoio. Eu nunca culparia Michael de pedofilia, e coisas e esquisitices do mesmo gênero, afinal não tenho provas e nem o porquê de tal ato. Mas o episódio onde ele balança o filho na sacada não merece aplausos nem tão pouco defesa ( não deve ser comparado a um erro do pai de emprestar o carro para o filho, pois emprestando o carro ele oferece ao filho diversão, agora qual o tipo de benefício traz um pai em sacudir o filho na janela?) Contudo não sou ninguém para julgar outra pessoa, e quem nunca errou que atire a primeira pedra.

[Sobre "Quem somos nós para julgar Michael Jackson?"]

por Maria
10/2/2003 às
20h25

Bons os Malandros
Adorei o texto, achei muito legal ler sobre os malandros cariocas e com a simpatia do texto certamente o torna mais gosto de ler. Parabéns Eduardo.

[Sobre "Zoológico da malandragem"]

por Maria
10/2/2003 às
20h21

Parabéns múltiplos
Parabéns múltiplos Ricardo. Acrescentou e muito.Apreciadora do compositor, ignorava os poemas. Vou difundi-los. nota- tbem quero as referencias, please Cylene

[Sobre "Da Poesia Na Música de Vivaldi"]

por Cylene Gama
8/2/2003 às
22h25

michael jackson
Gostei muito do seu texto e de sua defesa do Michael Jackson. acho-o um artista sensacional e fiquei maravilhado quando ele ficou branco, abrindo, inclusive, a possibilidade para eu ficar preto um dia (o que seria demais!!!). Sua observação é exata, Michael é uma criança porque não teve infância, como Mozart, que também tinha comportamentos infantis. No mais, os artistas em geral são crianças que tentam manter à salvo da imbecilidade normativa do mundo sua criancitividade (se me permite criar uma palavra). Parabéns. jardel

[Sobre "Quem somos nós para julgar Michael Jackson?"]

por jardel
7/2/2003 às
16h48

É isso mesmo
Edu, mandou bem neste site, me fez lembrar dos nossos dias com nosso velho amigo. É exatamente isso, claro, na tua maneira de escrever. As vezes, imagino você também, penso como está nosso viejo amigo. Sem esquecer, há duas maneiras de conhecer Cuba, ou há duas maneiras de conhecer qualquer lugar, apenas visitando-o ou realmente sentindo o lugar, buscando conhecer sentimentos, mastigando e digerindo o ambiente e não apenas cheirando-o e achando o cheiro agradável.

[Sobre "Todas as paixões desperdiçadas"]

por Luis Alves de Lima
7/2/2003 às
10h50

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
86234 visitas/dia
2,1 milhões/mês