busca | avançada
77579 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Sábado, 20/10/2001
Comentários
Leitores

olho por olho, dente por dente
Quando Gamal A. Nasser expulsou os fundamentalistas do Egito, refugiram-se estes na Arabia Saudita. A familia real saudita reconhece hoje que ao tê-los acolhido e propiciado emprego de professores , instilaram o virus da intolerância, que eclodiria (eclodiu) no terror, pura e simplesmente. Olho por olho e dente por dente, poderia ser eficiente ao tempo das tábuas religiosas - mas hoje ? (roubou ? corte-se lhe a mão ) Cylene

[Sobre "Relativismo e Fundamentalismo Midiático"]

por Cylene Gama
20/10/2001 à
00h00

Mas isso é arte???
Daniela, gostei da matéria e gostaria de saber exatamente em que livro do Walter Benjamin está esse texto.Abração do Mário!

[Sobre "Mas isso é arte???"]

por Mário G. Montaut
19/10/2001 à
00h00

Casamentos...
Cara Adriana, Sinto por você não ter tido oportunidades de ir a casamentos matinais. Sim, eles existem. O meu foi no dia 17/01/96 assim, simples e às claras. O de um casal amigo, no ano seguinte, foi também às claras e mais simples, pois ocorreu numa pequena igreja de Santa Edwirges, a padroeira dos endividados! Ambos os casamentos foram em Fortaleza e foram duas das pouquíssimas (mesmo) oportunidades em que entrei numa igreja nos últimos dez anos. Parabéns pelos seus textos e meus sinceros votos para que o buquê agarrado por você cumpram mesmo a tradição, pois casar é tão bom que já estou no segundo (o primeiro, não o fiz na igreja). Será que a benção só veio no segundo, por ter casado na igreja, e pela manhã? Um abraço Bernardo Carvalho Goiânia - GO

[Sobre "À luz de um casamento"]

por Bernardo Carvalho
19/10/2001 à
00h00

Sem insultos
Fique tranquilo, este e-mail nao contem insultos! O que voce disse eh verdade: nos mulheres estamos confusas. Tao confusas quanto voces, pobres homens. Porem, ao contrario dos homens, o que nos aflige nao eh a necessidade de redescobrir um papel no mundo e sim, de descobri-lo, de, pela primeira vez, entendermos qual nossa funcao neste mundo. Pela primeira vez na historia nos (mulheres) temos liberdade o bastante para viver como queremos e para ser o que escolhemos. E eh muito decepcionante perceber que, neste momento, nos escolhemos ser.... HOMENS! Homenzinhos de saias (irrrrc!). Agora, vou lhe dar uma informacao, daqui do ponto de vista feminino, ok? Sinto informar que A, B, C e D nao sao mulheres. Na-na-ni-na-nao. Sao papeis que as mulheres se habituaram a representar para justificar suas atitudes e explicar suas decisoes. Afinal, eh mais facil "culpar" o louro malvado, a familia repressora, o mundo machista, a profissao escravizante. Mais facil sofrer pela "opressao" do que assumir os proprios desejos, paixoes, erros, medos, etc. Triste, nao? Algumas linha e nenhum insulto. Nada mal, nao? Alias, gostei! Kelly.

[Sobre "A crise da mulé"]

por Kelly C. Hatanaka
19/10/2001 à
00h00

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
77579 visitas/dia
2,1 milhões/mês