busca | avançada
76535 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Sábado, 5/11/2005
Comentários
Leitores

auto-ajuda filosofica
Andrea, acho interessante essa sua iniciativa de fazer um paralelo entre um pensamento que pode realmente mudar uma pessoa e outro que quer apenas domina-la. O perigo é que, como o proprio já dizia, a plebe deixa as suas marcas aonde quer que coloque as mãos. Sendo assim nestes tempos de popularização de Nietzsche, o desafio mais radical é realmente encarnar suas obras e conceitos sem fazer deles meras palavras de ordem, ou transformar-se em padres nietzschianos. Que cada um tenha a liberdade de interpretar as coisas como quiser, mais a de se ter cuidado, para não transforma-lo numa mera auto-ajuda filosofica, como vem fazendo com o Hagakure, ou com o Sun tzu... Abraços, Danilo

[Sobre "A Auto-desajuda de Nietzsche"]

por Danilo S. Cruz
5/11/2005 às
21h14

!
Bom retorno!

[Sobre "Escritora-apesar-de"]

por Julio Cesar Corrêa
5/11/2005 às
17h48

Poema lindo
Poema lindo, tocante, que evidencia a sensibilidade da escritora. Recomendo aos amantes das coisas boas da vida.

[Sobre "Suicídio da razão"]

por Paula Souto
5/11/2005 às
14h23

aos exegetas
...mas não queremos ser como nietzsche que enlouqueceu a busca de pessoas que pensassem como ele.

[Sobre "A Auto-desajuda de Nietzsche"]

por celso muniz
5/11/2005 às
13h16

Ver, para quê?
Achei belíssimo o poema "Suicídio da Razão" da profa. R. Bogliolo Sirihal. Parabéns ao Suplemento Literário do Jornal da Secretaria de Cultura do Estado de Minas Gerais que está trazendo a público a obra desta poeta. Ouvi falar que ela vai aparecer, também, no "Labirinto dos Autores", oficina integrange do evento "Fórum das Letras", em Ouro Preto, de 10 a 15 de novembro, com o poema "Ver, para quê?".

[Sobre "Suicídio da razão"]

por Andreia Lanza
5/11/2005 às
11h42

gays e ex-padres
Hoje em dia, só gays e ex-padres querem casar.

[Sobre "E você, quer casar?"]

por Jonas Lopes
5/11/2005 às
10h51

a Globo fez muito mal ao Jô
Crei que a Globo fez muito mal ao Jô. Nos tempos do SBT ele era muito mais criativo. Agora parece meio engessado. A turma que trabalha com ele parece que foi sendo aos poucos globalizada, o sexteto não tem mais novidades a apresentar... Agora aparece com essa paranoia bolchevique e aquele programa ridículo das quartas-feiras que se vê longe é missa encomendada. Evirou o Jô torquemada convocando o Zé Dirceu para comparecer frente ao seu tribumal para se confessar. É isso mesmo: para se confessar, porque se emitir opinião contraria 'a sua é tortura na certa... Pois é, não sei se é a idade ou a Globo mas o fato é que o nosso "literato" já era. Para concluir: essa literatura juvenil que o Jô escreve não teria a menor visibilidade se não fosse o seu passado de promotor das artes.

[Sobre "Anti-Jô Soares"]

por Lyn Ribeiro
5/11/2005 às
10h24

papo de mãe pra mãe
Mas-bah! (como se diz aqui no sul). Ana, tô contigo em todos os graus de tentativa e acerto. Tragetórias semelhantes: sou formada em artes, já fiz cinema, já tive banda, só me sobrou o papel e a caneta (e o computador, por extensão). Depois que a gente tem um filho, as mídias de expressão se minimalizam, e a vida fica mais punk. Tudo pra melhor! Teu guri é tão lindo quanto a minha guria (papo de mãe olhuda). A minha diz que é poeta, e ama instalações e arte cyber-digital. Tem sete anos e meio. Tomara que o teu filho goste de mulher mais velha... Beijão

[Sobre "Escritora-apesar-de"]

por Paula Mastroberti
5/11/2005 às
09h13

de que adiantam os generos?
Marcelo, novamente você cumpre a sua missão, me instigou a escrever algo sobre o que quis dizer... Esse paralelo que tentou traçar me parece tão válido quanto o de discutir se um filme é bom ou não, me parece que você quis falar mais sobre sobriedade e experimentalismo da obra cinematografica, penso que cada qual cumpre seu papel quando o resultado final é de trazer algo novo a se pensar, seja na doideira do Von Trier, ou com o Bonachão do Moore... Cada qual na sua, pois agradeço muito ao Moore e seu jeito "infantil", me despertou para coisas muito legais, assim como o Eisenstein na sua séria perfeição de a Greve, onde tudo parece estar na melhor "forma" possivel, até com uma maioridade marxista, se preferir... eu penso que é isso aí, esse paralelo nos leva a pensar mais, define generos... aliás, de que adiantam os generos???

[Sobre "Filmes maduros e filmes imaturos"]

por Danilo S. Cruz
5/11/2005 às
03h38

Passei horas pesquisando...
Boa madrugada a todos! O que dizer de "Anos Incríveis"! Passei horas pesquisando sobre o seriado e pude encontrar esse fórum... que legal... saber que tantas pessoas se emocianaram ao assistir os episódios que fariam parte da nossa vida num futuro bem próximo... Parabéns ao autor da matéria e a TV Cultura, que está reprisando o seriado! Realmente foram... "Anos Incríveis"

[Sobre "Anos Incríveis"]

por Robson André
5/11/2005 à
00h39

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
76535 visitas/dia
1,8 milhão/mês