busca | avançada
74378 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Quinta-feira, 19/1/2006
Comentários
Leitores

O sul e o meu país
Sou gaúcho, resido em SC, me orgulho de ser gaúcho, não sei se mais ou menos do que ser brasileiro. Nunca ouvi de parentes ou amigos a vontade de desmembrar o RS do restante do país. Creio que essa idéia já morreu, há muito. Uso a bandeira do estado no carro porque gosto do lugar de onde vim, das minhas raízes, assim como gosto do lugar em que estou e que admiro. Embora tenha saído de lá com cerca de 10 anos de idade, hoje, 20 anos depois, muitas noites sonho andando pelas ruas de Porto Alegre, ruas que, conscientemente, não me recordo mais. Esse atavismo é interessante e bonito, e, creio, não deve ser exclusividade dos gaúchos. Em tempo, embora Cristovão Tezza tenha passado mais de uma noite em Curitiba ele é de Lages, SC.

[Sobre "Breve reflexão cultural sobre gaúchos e lagostas"]

por Alexsander
19/1/2006 às
14h23

O Gaúcho no Divã
Muito interessante teu texto, Adriana. Além de bem redigido, é também reflexivo. Participei em 2005 do Laboratório de Jornalismo Cultural do Programa Rumos, do Itaú Cultural. Numa das atividades, produzimos reportagens sob o tema geral "Identidade". Eu escrevi sobre essa questão do tradicionalismo fechado e impostiivo do Rio Grande do Sul (se quiser, posso te mostrar o texto). Uma colega do Paraná escreveu sobre a sua cultura. Acho que te interessaria ler. No mais, saiu uma matéria faz um tempo na revista Aplauso discorrendo sobre isso. O título: O Gaúcho no Divã. Vale a pena ler. Abraço.

[Sobre "Breve reflexão cultural sobre gaúchos e lagostas"]

por Augusto Machado Paim
18/1/2006 às
16h52

Lamentável e preocupante
É, realmente, 2005 foi ruim. As pessoas o fizeram ruim. O mundo e as relações humanas, empobrecidos, assim se expressaram, nesse último e malfadado ano, nas artes, nos esportes, na política, na cultura... Vivemos a decadência dos antigos valores sem havermos descoberto os seus substitutos. Lamentável e preocupante. Qual será o nosso conceito, ao final de 2006, para a humanidade e seus desvarios?

[Sobre "10 razões para esquecer 2005"]

por Elizabeth Silveira C
18/1/2006 às
16h27

O Feitiço das Letras
Parabéns, Luiz Eduardo! Seus textos críticos estão excelentes! Abraço, Ana Maria Santeiro

[Sobre "O feitiço das letras"]

por Ana Maria Santeiro
18/1/2006 às
15h53

Recolho-me
Bom, mesmo, o ano que esta chegando... 2006. Data redonda (?!)... e a gente ainda esta' inocente, nao sabe de nada que vai acontecer, ou seja, sabemos, sim: * carnaval, * semana dita santa, * copa do mundo, * eleiçoes. Quem viver.... Recolho-me 'a minha insignificancia diante dos acontecimentos, do ano que passou e os de 2006. 10 Razões para esquecer 2005: Gostei do texto. Obrigada. Neide

[Sobre "10 razões para esquecer 2005"]

por Neide Pessoa
18/1/2006 às
13h09

tchê
essa ana elisa ribeiro tá precisando de um gaúcho pra resolver esses conflitos internos traduzidos pelo falso desdém lançado. de qualquer forma, se o colunista fosse gaúcho e o texto falasse o mesmo sobre curitiba, a opinião seria a mesma, às avessas, para agradar a rede e liberar um pouco do gás intoxicante de que parece padecer. beijos para a amigona raquel. engenheiros na primeira fase é muito bom. depois virou lixo. precisando de um joelhaço, que tudo resolve, é só falar.

[Sobre "Breve reflexão cultural sobre gaúchos e lagostas"]

por carl30
18/1/2006 às
11h39

Urubus
Ops, faltou dizer que, pela primeira vez, um filme brasileiro ganhou uma mostra internacional.

[Sobre "10 razões para esquecer 2005"]

por paula
18/1/2006 às
11h26

scraps pro meu amor
Tive alguns desentendimentos por causa de scraps pro meu amor tb. Sem contar no antigo relacionamento que estava balançando e realmente acabou por isso. O que me fará mta falta se eu sair é a divulgação dos eventos de rock aqui de Campinas, bem como as discussões em cima de um tema que curto, pois frequento bastante as comunidades. Em algum momento passa a ser meio que utilidade pública, uma vez que tive crise de amidalite e me confortava na opinião de outras pessoas também. Resumindo... às vezes dá vontade de sair, outras não... Mas não adianta, é só ter aquilo pra dar a famosa coceirinha de fuçar no profile alheio. Admiro sua atitude e espero um dia fazer o mesmo. E juro que nunca mais brigo por causa de scrap de seja quem for pro meu amor. Ele tá comigo, é o que importa.

[Sobre "Adeus, Orkut"]

por Aline Arielo
18/1/2006 à
00h09

alem-nietzsche tb e' preciso
acho que so' existem dois tipos de pessoas: os que leram e os que nao leram nietzsche, pois e' uma leitura impactante e que joga por terra os nossos conceitos que sao, em sua maioria, baseados nessa sociedade maniqueista. Porem, como disse o propio nietzsche, ele nao queria ser idolatrado, entao nao nos limitemos, pois quando ele pregava o alem do homem tambem estava pregando o alem-nietzsche, mas continuemos a degusta'-lo e continuemos a nos deliciar com sua sinceridade e falta de pudor, a qual ainda choca muita gente!

[Sobre "A Auto-desajuda de Nietzsche"]

por taise de jesus santo
17/1/2006 às
18h59

2005 reloaded
Mas é como dizem sobre a têvê: só temos as notícias ruins – parece que é o que dá mais audiência... Posso garantir que coisas boas aconteceram em 2005, mas a gente se lembra mais fácil das outras.

[Sobre "10 razões para esquecer 2005"]

por Fábio S.
17/1/2006 às
12h03

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
74378 visitas/dia
2,1 milhões/mês