busca | avançada
49702 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Quarta-feira, 8/2/2006
Comentários
Leitores

Gostei muitíssimo
Excelente. Gostei muitíssimo. Interessante as imagens de homem e mulher traçadas aqui. Ele, apaixonado, sonhador e ciumento, colocando a decisão final nas mãos da amada. Ela, segura e determinada, "foi" embora numa boa e ainda debochou. Não pensem que foi pelas imagens que gostei; podia ser o contrário. Gostei porque o texto é bom, bem escrito e bem humorado.

[Sobre "Orkut: fim de caso"]

por cecile
8/2/2006 às
22h47

quer ser meu amigo?
Camarada Vitor, realmente o Orkut pode ser uma coisa interessante, mas também pode ser uma sala cheia de mediocres faladores. Tudo depende da vivência de cada um. Também resisti aos apelos de meus amigos para me agrupar nos infinitos grupos dessa aldeia global de tagarelas. Nada substitui os abraços e o aperto de mão, das boas e velhas amizades. Gostei do seu texto, parabéns, por acaso você quer ser meu amigo?!

[Sobre "Um imenso Big Brother"]

por Clovis Ribeiro
8/2/2006 às
19h37

Fim de caso
Muito interessante o texto de vocês. Ótimo. Parabéns

[Sobre "Orkut: fim de caso"]

por Mauro Gorenstein
8/2/2006 às
18h24

sua tragetória on-line
Acabei de comentar no seu blog (entrei nesse link que você colocou no meio do texto)... Me identifiquei muito com sua tragetória on-line... Também passei por várias dessas fases que contou, inclusive a de achar meu amor pela Web. Claro que não escrevo tão bem, mas mantive um blog por um bom tempo. Hoje tenho um no MSN, mas não dou tanta atenção. Só uma coisa não bateu muito: não odeio o Orkut, mas também não o levo muito a sério, e também não tenho tanto cuidado em clicar no dedinho pra baixo quando não quero adicionar alguém... hehehe Um abraço.

[Sobre "Não quero encontrar você no Orkut"]

por Jussara
8/2/2006 às
17h10

Orkut: muito mais do que isso
Pois eu nao considero uma das minhas melhores amigas um "ghost". Inclusive, no Orkut, eu encontrei pessoas que tem muito mais a ver comigo do que muitos dos meus amigos de carne e osso. E, nao, eles nao sao irreais, eles sao bem verdadeiros. As comunidades me auxiliaram a achar pessoas que compartilham dos mesmos pensamentos que eu. E, assim, eu pude crescer em areas que sempre tive muito interesse mas 'as quais nao tinha acesso... Como grupos contra o racismo e organizoes contra a guerra. Todas as discussoes nessas comunidades me trouxeram um conhecimento enorme, me fizeram crescer e descobrir mais do mundo e de mim propria. Talvez, para voce, tudo que o Orkut poderia trazer de bom, ja' trouxe. Isso, porem, eh somente o seu ponto de vista. Se voce escolher achar que todo mundo que frequenta o Orkut so quer fazer propaganda de seus negocios ou arrumar uma fodinha para o final de semana, isso eh so' o seu mundo. Mas saiba que, pelo Orkut afora, tem gente que encontra muito mais do que isso.

[Sobre "Orkut, um sonho impossível?"]

por Karen Vaccaro
8/2/2006 às
14h43

Vamos boicotar o Orkut!
O Orkut é a "coisa" mais besta e burguesa que já vi! Vamos boicotar!!!

[Sobre "Não quero encontrar você no Orkut"]

por silmara
8/2/2006 às
13h54

Soberbo!
Julio, desculpe-me se não tenho mais a dizer sobre este texto. É que ele está soberbo. É isso. Um abraço!!!

[Sobre "Orkut Ano Dois"]

por Alessandro de Paula
8/2/2006 às
12h38

Uma mão na roda
Muito interessante sua análise, e além disso, muito intrigante explicar a nota de rodapé com a nota de rodapé moderna, o hipertexto! Trouxe à luz sua necessidade em tempos de educação setorizada, onde a filosofia e a visão analítica do conhecimento foram subjugadas pelo apertar de botões! Uma mão na roda para os não intelectuais e enlatados de plantão! Já repassei para meus pares.

[Sobre "A História das Notas de Rodapé"]

por Heloisa Brum
8/2/2006 às
09h55

Resposta a Florisbela
É óbvio que eu refleti muito antes de escrever. Até parece que alguém escreveria para uma publicação do porte do Digestivo sem pensar. Quer discordar de mim? Encontre um argumento melhor do que me considerar irresponsável ou inconsequente. Aos 39 anos de vida, 364 pessoas é um número pequeno. Incluem meus familiares, amigos, colaboradores de trabalho, alunos. Minha vida toda está no mundo real. É onde deve estar, é onde vivemos. Não existe vida virtual, o virtual é uma extensão do real ou é ilusão. Enquanto os solitários procuram diversão na frente de computadores o que não diminui a solidão de ninguém, porque não substitui abraços, sorrisos, risadas, vozes amigas a minha diversão sempre esteve e sempre estará no mundo real cinema, jantares, festas com pessoas de carne e osso, reais como eu. O Orkut é pobre diversão, só vale a pena com pessoas reais por trás das "figurinhas" adicionadas à lista de "meus amigos". Caso contrário é um mero "ghost in the shell"...

[Sobre "Orkut, um sonho impossível?"]

por Daniela Castilho
8/2/2006 às
08h38

Apaixonados pelo iPod
Nossa, Julio, vc está mesmo apaixonado pelo seu iPod... Não posso falar nada, pois tb sou apaixonada pelo meu. Como comprei pelo site da Apple, e eles gravam duas frases grátis (pelo menos aqui na Europa e nos EUA), eu gravei atrás: iDream, iCan, iPod... Compartilho com vc essa descoberta maravilhosa! O único problema é que ficamos viciados nos acessórios... Um abraço.

[Sobre "E eu comprei um iPod; e a minha vida mudou"]

por Tania Nara
8/2/2006 às
07h14

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
49702 visitas/dia
2,0 milhão/mês