busca | avançada
41138 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Segunda-feira, 12/7/2010
Comentários
Leitores

É uma questão muito pessoal
O problema começa na definição da palavra legado, que de modo algum é a mesma coisa que herança. Um legado é o sentido de herdar diretamente e não em sentido de repasse de uma herança, seja somada ao que já possuía, seja na ausência desta, e isto em todos os sentidos de referência de valor, claro que não apenas financeiro. Minha pessoal e segunda discordância é que não conheço um ser humano que de fato seja uma criatura. Corpos foram criados, mas espíritos/almas, jamais. Finalizo concordando que o sentido maior da paternidade não é apenas ser pai biológico, e isto não depende da concordância ou modismos dos outros, é uma questão muito pessoal. Há os que são pais por desejarem isto, outros por acidente de percurso e outros mais que nem sabem ou não se responsabilizam por seus filhos. Mas, de fato, quem poderia compreender tudo isto não se utilizaria de palavras tão chulas em um texto, buscando modismos baratos. Hummm..., urra, ufa! Waikikebra.

[Sobre "O estranho caso do Wiki-Machado"]

por Celito Medeiros
12/7/2010 à
00h34

Podia passar sem essa
Não gostei! Cagou em Machado!!! Podia passar sem essa...

[Sobre "O estranho caso do Wiki-Machado"]

por Natalia
12/7/2010 à
00h24

Nada substitui o nosso lar
É natural que morando tantos anos em São Paulo você crie uma identidade (e até uma relação íntima) com a cidade. Qualquer cidade do mundo, por mais bela e diferente que seja, não substitui o nosso lar. No entanto, Los Angeles é uma cidade muito mais bem cuidada que São Paulo. Tomar sorvete em Santa Monica e visitar a famosa praia de Malibu com suas casas ao pé da areia é sem dúvida uma experiência maravilhosa. Particularmente acho o skyline de Los angeles mais bonito que o de São Paulo. LA tem ilhas de edifícios mas ao mesmo tempo existe espaço para olhar o céu e sentir uma certa liberdade. São Paulo é uma verdadeira selva de pedra com concreto por todos os lados contrapondo-se até onde a vista alcança. Para viver e aproveitar Los Angeles acredito que seja necessário deixar as comparações com São Paulo, Rio, ou qualquer outra cidade na bagagem.

[Sobre "Para amar Los Angeles"]

por Dan
11/7/2010 às
15h39

Solidão nas ruas e janelas
Tenho uma ligação afetiva com os textos de Elisa Andrade Buzzo. Tenho hábito de, da janela do meu apartamento, imaginar histórias dos vizinhos, que nem conheço, das outras janelas, da praça, da rua. E haja solidão, na rua e nas janelas.

[Sobre "A vida subterrânea que mora em frente"]

por Liliane
10/7/2010 às
05h13

Minhas amigas mamães
Puxa! Que texto legal! Uma perspectiva totalmente diferente do que minhas 62382937 amigas mamães já relataram.

[Sobre "Orgasmo ao avesso"]

por Kátia Chiaradia
9/7/2010 às
20h48

O blog para divulgar-se
Você não imagina a minha surpresa quando abri minha caixa de e-mails e vi o seu artigo. Explico: sou estudante de comunicação social e minha monografia é justamente sobre esta discussão - o modo pelo qual o novo escritor do século XXI utiliza-se do blog para divulgar-se. Seja para mostrar um trabalho novo, com esse "romantismo" do qual falaste de sonhar em ser descoberto e publicado em papel (coisa que, apesar da internet, ainda não está relegada ao esquecimento, e, pelo contrário, ganha agora maior valor), há uma noção de que o reconhecimento real só chega quando se tem um livro impresso. Por outro lado, observa-se também, ainda na questão do distanciamento desses novos escritores do mundo editorial glamuroso, que estes sujeitos veem no blog literário uma ferramenta bastante eficaz para divulgarem suas obras publicadas de forma independente, istó é, aquelas que fizeram seus livros e pagaram para ser editado. Belo artigo. Grande abraço.

[Sobre "O To be or not to be do escritor"]

por Sidney Andrade
9/7/2010 às
16h52

Mentiras e mais mentiras
Interessante o texto. Reflete o mundo atual, cheio de virtudes escritas e mentiras bem elaboradas. Como um dos assuntos: O homem na Lua? Bem, alguem não acredita, do qual sou fã. E tem os seus direitos. Ler A fraude do século é ótimo exemplo dos dizeres. Mentiras e mais mentiras. Se ainda hoje caem os aviões, imaginar um homem indo e vindo de quatrocentos mil quilômetros é mesmo para os que acreditam em tudo. Até que escrevam bem. Afinal, sempre se tem quem acredite. Parabéns pela crônica. Excelente.

[Sobre "Assim é..."]

por Cilas Medi
9/7/2010 às
12h47

Felipe Melo e Costa do Marfim
Ah, tá, agora entendo a origem do Felipe Melo e dos jogadores da Costa do Marfim.

[Sobre "Essa Copa de caneladas..."]

por Rafael Tavares
9/7/2010 às
12h38

Quando há muitas indagações...
Quando há muitas indagações significa que as informações foram mal dirigidas, mal feitas, ou alguma coisa está errada. Penso que o problema é o sistema capitalista em que quem tem privilégios nas informações é quem mantém o bom capital empregado. Quem não tem capital faz a informação a machado. E as perguntas continuam a desafiar determinados veiculos da mídia como a televisão os jornais ou coisa que o falha.

[Sobre "Assim é..."]

por manoel messias perei
9/7/2010 às
10h44

Virei 'seguidor' do seu blog
Muito bom Mauro! Acabei de virar "seguidor" do seu blog. Fazia tempo que eu não "te" lia. Bom saber que você continua firme e forte. Estes dias lembrei da matéria que você escreveu no dia 06 de janeiro de 2003! Lembra? Desejo sucesso e muitos acessos ao blog! Forte abraço, Leandro

[Sobre "Novos caminhos para a cultura"]

por Leandro Carvalho
8/7/2010 às
11h03

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
41138 visitas/dia
1,3 milhão/mês