busca | avançada
67078 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Sábado, 6/5/2006
Comentários
Leitores

Entre-Vistas
Parabéns amigos do Digestivo Cultural!!! Sempre inovando e buscando melhorar seus seus espaços... Agora com as entrevistas, acho que vai rolar muita coisa interessante!!! Espero que o DC continue criativo e com novidades para nossa comunidade cultural on-line!!!

[Sobre "Milton Hatoum"]

por Clovis Ribeiro
6/5/2006 às
11h00

Varig: quem paga a conta?
Será que o ótimo social é manter uma empresa mal administrada ou dar espaço a aquelas que estão crescendo e saudáveis? Manter maus administradores raramente é uma boa decisão... Quanto 'a questão "estratégica", ela se reduz ao seguinte fato: muitos voôs da VARIG já são feitos por code-share. Miami e Nova Iorque parece que já estão nas rotas da TAM e da Gol. Então não há nada estratégico nessa decisão... Quanto ao texto, acho que a crítica não foi ao governo (apesar de discordar do que foi feito), mas sim 'a associação de funcionários que se recusava a aceitar cortes salariais, achando que o BNDES iria colocar mais dinheiro para salvar a empresa... A questão é simples: saiu de casa, está tomando risco... Por que eu tenho que patrocinar o seu?

[Sobre "Sobre responsabilidade pessoal"]

por Ram
5/5/2006 às
23h31

FHC no Jô
Eu, com meus ataques de masoquismo, assisti ao programa do mala jô, entrevistando o ex FHC, parecia combinado de tão chato e rasante (o que me surpreendeu muito vindo do fhc). Talvez querendo ser modesto, não sei. Chegou quase a declarar-se anti-social na presença da rainha inglesa. Não sei por que tanta modestia, sr. presidente, antes de chegar no planalto o senhor já andava de cachecol na 5a. Avenida. Ah! Sim, o jô, "quase que goza".

[Sobre "Anti-Jô Soares"]

por carlos eduardo perei
5/5/2006 às
19h47

Santa inspiração!
Que leitura agradável! O texto do Marcelo é tão bom que dá vontade de não parar mais de ler...

[Sobre "Os meus conflitos"]

por Rose
5/5/2006 às
19h18

Sua nostalgia=minha nostalgia
Grande Julio, fantástico o texto! Uma nostalgia só! Claro que sua história foi muito parecida com a minha, e me idenfico demais com você quando você diz que essa história toda foi central para definir o que você é hoje. Não é à toa que fomos colegas de faculdade, afinal de contas. Grande abraço, Pi

[Sobre "Meu primeiro computador pessoal"]

por Pi
5/5/2006 às
16h42

Jô Soares parou no tempo
Eu era daqueles que não perdia um programa do Jô Soares. Com o tempo comecei a ficar aborrecido com esse excelente formador de opinião. Ele coloca posições estranhas para uma pessoa do meio artístico, ora de direita ora de esquerda. Fico sem entender nada. Depois que se posicionou a favor da venda de armas e munições acabou tudo que eu admirava nele. O gordo pisou feio na bola. Tchau, Jô. Ivo Samel

[Sobre "Anti-Jô Soares"]

por Ivo Samel
5/5/2006 às
14h52

Em defesa da Varig
Caro Ram: Não concordo com a ponte feita em seu texto entre responsabilidade pessoal e o caso Varig, mas não poderia deixar de ressaltar alguns pontos importantes:

1. O Governo deve à VARIG;
2. Entre as atribuições do Governo, certamente promover o crescimento e facilitar a manutenção de empresas nacionais com relevantes serviços prestados e inegável importância social estão entre elas;
3. manter uma empresa aérea nacional funcionando em rotas internacionais é uma questão estratégica também, evitando que fiquemos à mercê de políticas tarifárias internacionais, entre outros possíveis cenários de dependência.

Portanto, a questão VARIG vai além do simplismo a que foi reduzida, você poderia ter abordado o comportamento irresponsável de Luís Inácio na questão do gás boliviano, possivelmente em troca de mais algumas caixas de whisky recheadas com dólares venezuelanos, este, sim, um exemplo de (ir)responsabilidade pessoal.

[Sobre "Sobre responsabilidade pessoal"]

por Marcelo Zanzotti
5/5/2006 às
11h50

Jô, o comediante...
Também acho horrível esse programa, e há muito tempo deixei de assisti-lo. O apresentador "força" o tempo todo... e é irritante a pressão sobre o entrevistado, no sentido de transformar tudo o que está sendo falado em algo engraçado. Não convence. Talvez se ele apresentasse um ou dois programas na semana, pudesse se esmerar mais na sua qualidade... e não desgastar tanto a imagem.

[Sobre "Anti-Jô Soares"]

por eveline
5/5/2006 à
00h16

minha imaginação fervilhou
Parece que a declaração do final da entrevista, onde ele ressalta a complexidade da vida, da qual faz parte umas leituras apaixonadas, coincide tanto com o ponto onde ele menciona as infinitas vivências em sua cidade portuária! É nesse trecho que minha imaginação fervilhou. Baccios do Mário.

[Sobre "Milton Hatoum"]

por Mário G. Montaut
4/5/2006 às
19h34

Bendito conflito!
Eu adoro a sua coluna Marcelo, descobri hoje que adoro ainda mais quando você supostamente acha que nada tem a escrever!

[Sobre "Os meus conflitos"]

por Iza
4/5/2006 às
13h59

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
67078 visitas/dia
2,0 milhão/mês