busca | avançada
37543 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Sexta-feira, 4/8/2006
Comentários
Leitores

Engraçadérrimo!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk! ótimooooooooo! muito bom! Lisandro, vc está de parabéns... foi impossível não rir dessa crônica sua! boa d+... e olha q eu nunca tinha te "reparado" por aqui, mesmo seu gênero sendo um dos meus preferidos... cbo? eu nunca soube dessa maluquice de requisito do censo...ai ai ai! mas e agora? que porcaria! não vou poder nem mais mentir qdo o moço do censo passar lá em casa... justo esse ano q eu queria me passar por escritora... beijo e mais uma vez, parabéns!

[Sobre "Escritora de Bom Censo"]

por janaina sorna
4/8/2006 às
10h36

Maroldi absolvido...
Maroldi,considere-se absolvido. Sua resposta foi brilhante. Não é pelo fato de ser eu, uma pessoa objetiva e pouco dada à devaneios (instinto de proteção)... que deva desmereçer os sentimentos... traduzidos nesta forma de arte - a poética. Eve

[Sobre "Receita para se esquecer um grande amor"]

por eveline
4/8/2006 às
09h52

A situação do autor?
Ué, como assim penalizada com a situação do autor? Qual é a minha situação, afinal? Ou vc está achando que estou de cama, tomando anti-depresssivos e me controlando para não cortar os pulsos com a faca de pão? Sinto decepcioná-la, mas infelizmente não, não dessa vez. Por amor seria uma estupidez gigantesca fazer isso, não acha? Maroldi, o autor que vitimiza leitoras :)

[Sobre "Receita para se esquecer um grande amor"]

por Marcelo Maroldi
4/8/2006 às
08h52

(quase) escritora
O personagem da velhinha (quase) escritora é ótimo.

[Sobre "Escritora de Bom Censo"]

por Alvaro
4/8/2006 às
07h39

fff aparecendo
pô, perdi a chance de te conhecer... fica pra próxima. e pode ser porque eu tô envolvido, mas o estudiolivre querer "aparecer" é bem menos do que a MS avisar um dia antes que ia participar de uma mesa, lançando um produto irrelevante e nada criativo. alguma dúvida de que o tal plugin é mero pretexto pra ter visibilidade no isummit?

[Sobre "Criei, tive como"]

por felipefonseca
4/8/2006 às
02h43

o que sinto em relação a Orkut
Eu também encontrei seu texto colocando no Google "como sair do Orkut". Você escreveu o que sinto em relação ao Orkut no início do seu texto. Mas quero realmente sair, pois muita gente está fazendo muita besteira no Orkut. Uma pena porque é uma ferramenta interessante. Virou uma perda de tempo. As discussões ficam na superfície.

[Sobre "Por que quero sair do Orkut (mas não consigo)"]

por lavinia teixeira
3/8/2006 às
20h41

meio triste, mas bonito
Muito bonito. Tem uns momentos meio tristes, mas bonitos.

[Sobre "Receita para se esquecer um grande amor"]

por Paula
3/8/2006 às
19h11

meu amor chama Marcelo
No primeira frase lida, pensei em não continuar: para que ler algo que vai me fazer mais uma vez lembrar um amor perdido? Certamente seu texto não ajuda a esquecer um grande amor. E o mais engraçado é que meu amor chama Marcelo e mora em São Carlos. Definitivamente voce não me ajudou a esquecer um amor. Conhecidências à parte, fica aqui a confirmação de quanto podemos sofrer e fazer outros sofrerem por amor. É loucura!

[Sobre "Receita para se esquecer um grande amor"]

por valeria noronha
3/8/2006 às
16h28

depois do Raulzito...
Degustar um texto carregado de sentimento é pra mim, no mínimo, salutar. Faz bem à alma, se é que ela existe. Apesar de na época olhar desconfiado para esse fenômeno "Legião", o Guga descreve como poucos sobre o universo musical. Parabéns pelo magnífico texto ! Vale lembrar que depois do Raulzito, a Legião Urbana foi a banda q ue conseguiu ser eternizada por todas as camadas socias. Valeu, Guga.

[Sobre "A Legião e as cidades"]

por Marco Aurélio
3/8/2006 às
14h53

relações devem ser como ilhas
Por quantos amores ainda vamos chorar? Só vivendo para saber... E para esquecer um grande amor, Marcelo? Acho mesmo que não existe receita, só o tempo... Seu texto é tocante e belíssimo, e me fez lembrar de um outro que li há algum tempo que dizia que as relações devem ser como ilhas. Precisamos aceitá-las como são aqui e agora, dentro de seus limites - ilhas rodeadas e cercadas pelo mar, constantemente tocadas e deixadas pelas ondas.

[Sobre "Receita para se esquecer um grande amor"]

por Rose Peixer
3/8/2006 às
14h13

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
37543 visitas/dia
1,2 milhão/mês