busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Sexta-feira, 20/10/2006
Comentários
Leitores

a função do Estado
Marcelo, olá. Acho que nenhum de nós quer cair na discussão infinita de estatismo x liberalismo. Eu não quero. O meu ponto de vista nesta questão é a seguinte: se a iniciativa privada, que visa o lucro, não faz melhorias sociais, não creio que seja o Estado a fazer. Está ali no meu texto: não acredito no altruísmo político. Porém, não nego a importância de um poder legislativo, executivo, judiciário e das agências de regulamentação dos serviços essenciais. Esta é, segundo meu ponto de vista, a função do Estado. Mais que isso acho distorção e é o que acontece no Brasil. Até =]

[Sobre "Por que votei nulo"]

por Edward Bloom
20/10/2006 às
09h33

Não ao Estado Mínimo
Bloom, li sua resposta e não vi justificativa... não é possível haver melhoria social com Estado Mínimo. Imagine se a vacinação fosse privatizada. O privativo visa, apenas, o lucro. Acredito que o serviço privado seja de melhor qualidade... mas o pobre, que é a grande maioria do país, não tem e nem terá acesso a ele.

[Sobre "Por que votei nulo"]

por Marcelo Telles
20/10/2006 às
08h40

A questão é outra
A democracia não envelheceu. O que acontece é que política é um assunto enfadonho e faz com que as pessoas interessadas soem levemente cansativas. Políticos são, por necessidade, mentirosos e inescrupulosos, e sobrevivem apenas porque os crédulos e os ingênuos não desistem deles. Hoje, graças a Internet, por exemplo, as pessoas estão interessadas em outras coisas mais legais.

[Sobre "Democracia envelhecida"]

por Guga Schultze
20/10/2006 às
03h19

Direito ou Dever?
Um dos grandes problemas do voto no Brasil é que, apesar de ser proclamado como um DIREITO, ele é um DEVER. E nós, brasileiros, não gostamos nem de fazer o dever de casa da escola primária! Votamos, então, na base do: "É o jeito, né? Fazer o quê?"

[Sobre "Por que votei nulo"]

por Karlobo Santana
19/10/2006 às
16h57

Próximo alvo: o não votar
Milton, pode deixar. Na próxima eu faço como os políticos e só mostro pobres. Se isso convence alguém a votar, deve convencer alguém a não votar. Dangerrau, receba meu sorriso por dar ao meu texto mais importância do que ele merece. Renan, Zamuner, Helana, Luiz, Luiza, Joao, Janethe, Jorge, Eliana, José: obrigado pelos comentários =]

[Sobre "Por que votei nulo"]

por Edward Bloom
19/10/2006 às
14h04

Tratar político como empregado
Preciso agradecer primeiro ao Julio por ter dado esse destaque ao meu texto. E, vejamos, quanta gente - façam fila por favor. Euclides, a Daniela comentou bem essa confusão que é o voto nulo e a idéia do "voto contra" rende uma boa discussão, seria interessante. Daniela, concordo, concordo. Marcelo, a rotatividade deveria ser natural, pois se um governo é ruim, na seqüência elege-se outro. A situação é que, mesmo se elegendo outro, eu duvido melhorar. E não defendi o fim de um Estado, mas sua diminuição que exige privatizações e demissão de funcionários públicos em massa. Vi o Mercadante, por exemplo, falando em enxugar o Estado, que soou muito bonito mesmo, mas sei que é mentira porque ele não faria o necessário para isso. Fabio, nossa, deve ser isso, sim. André, fazer o brasileiro tratar político como empregado já seria um bom começo. Félix, hum, então o Alckmin é isso? E eu falando bem dele esse tempo todo.

[Sobre "Por que votei nulo"]

por Edward Bloom
19/10/2006 às
13h59

Mil anos de leitura!
Interessante... Eu gostaria de viver 1000 anos só pra ler todos os livros que não li, pra reler aqueles maravilhosos títulos que já li, umas 1000 vezes, como O pequeno príncipe, O perfume - Patrick Suskind, a Bíblia, a Poesia - Deus negro; não lembro o sobrenome; se errei, perdoe-me. Enfim, se fosse pra escolher a morte, morreria lendo, debaixo de um pé de amora, sem frutos, pra não sujar o livro em questão.

[Sobre "Da paciência dos livros"]

por Manuela de Cassia
19/10/2006 às
12h56

Que democracia é essa?
O pior e' que concordo contigo, mas ainda assim me fica o desespero de saber que meu voto nao e' validado nesse caso, e ai' temos um problema gigantesco: que democracia e' essa que nao da' possibilidades para qualquer cidadao tentar chegar a qualquer cargo independente de suas parcerias, ou tamanho da conta? Que democracia e' essa onde confunde-se de maneira infame a esfera publica e a privada? Que democracia e' essa onde temos de escolher alguem obrigatoriamente, mesmo sem opcoes razoaveis? Concordo, concordo e choro. Abraco

[Sobre "Por que votei nulo"]

por Renan De Simone
19/10/2006 às
10h21

Elucidou a nebulosidade
Muito criativo! Elucidou a nebulosidade ao som de uma orquestra.

[Sobre "Nebulosidade"]

por André Bushatsky
19/10/2006 às
09h01

Como se fosse possível...
Depois é o Mainardi um polemista barato... Como se fosse possível um país sem uma classe dirigente (políticos), como se fosse possível um vácuo de poder. Como se fosse possível alienar-se do ordenamento jurídico. Sinceramente, até criticar esse texto é dar mais importância do que ele merece.

[Sobre "Por que votei nulo"]

por von Dangerrau
19/10/2006 à
00h15

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês