busca | avançada
73422 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Sexta-feira, 3/11/2006
Comentários
Leitores

A questão da Cor literaria
Como autor negro, que já tive textos publicados nos Cadernos Negros, rompendo juntamente com outros escritores brasileiros a ditadura editorial do mundo branco brasileiro, sei que o comentario de Marcelo Spalding é uns dos mais importantes do processo de reeleitura do Brasil atual, no qual temos uma sociedade descobrindo-se afro descendente e, então, surge o que os sociólogos da nova geração chamam de "processo de identidades itinerantes". Valeu imensamente como brilho florescente, este trabalho de crônica jornalística de teor... bem Brasil.

[Sobre "Um defeito de cor, um acerto de contas"]

por Manoel Messias Perei
3/11/2006 às
04h14

Genet em literatura comparada
É fundamental que possamos ler Jean Genet, entendê-lo, numa literatura comparada, com Plinio Marcos no Brasil, no aspecto da marginalidade, no aspecto do olhar freudiano, num contexto social, e até mesmo num contexto político... Creio que dá pra fazer essa reeleitura.

[Sobre "O diário de Genet"]

por Manoel Messias Perei
3/11/2006 às
04h03

Contos na praça
E para completar, os minicontos estão em banners, nas paredes do Centro Cultural Érico Verrissimo e da Casa de Cultura Mario Quintana. Estão na praça, lidos pelos autores e convidados. É a Feira do Livro e a Editora Casa Verde, provocando em Porto alegre.

[Sobre "A editora Casa Verde"]

por Ana Mello
2/11/2006 às
22h35

Cuidar é uma arte
Cuidar é uma arte. E se descuidar também, embora esteja em desuso. É preciso ser muito confiante para viver como nasceu: cara limpa, cabelo encaracolado, unhas sem esmalte. Nesse mundão de preocupações narcisísticas quase ninguém deixa de se acarinhar, mas não olha para os lados alheios. Não há tempo. É um mundo fast-food, rapidinho e superficial. Mas as sobrancelhas são depiladas com desvelo, demoradamente. Talvez sejam muito importantes e eu não saiba! Eu bem que queria ser uma delas, negra, curva, altiva. Aí, sim, eu seria motivo de cuidado... Seu texto é muito bom. Assino em baixo.

[Sobre "Cuidar, cogitar, tratar, amar"]

por Dalila Flag
2/11/2006 às
21h34

O espelho dos blogueiros
Rapaz, que questão interessante. Eu montei o meu blog por insistência do meu ex-marido, quando ainda éramos casados. Acho que ele queria que eu me distraísse de alguma coisa para não perceber o final do casamento :P Foi efeito inverso, porque rapidamente eu tinha um monte de leitores - até hoje não entendi por quê - e o casamento acabou mesmo. O chá está lá, firme e forte até hoje, com mais de 10.000 leitores mensais. Eu escrevo o que me dá na telha, posto o que me dá vontade, sem a menor programação. Blogs são geniais. Não penso que blogs sejam diários, acho que são espelhos de seus donos.

[Sobre "Por que eu montei um blog"]

por Daniela Castilho
2/11/2006 às
20h42

Anos Incríveis
Acho que não há quem não tenha se emocionado com esse seriado, pela forma como ele foi feito e pelas lições que nos deixa... Assisto desde quando tinha 13 anos (assim como tudo que passava na Tv Cultura), e de certa forma me identifico com ele. (Criei até uma comunidade no orkut para a série) Sem contar com a trilha sonora de excelente qualidade. Obrigado à TV Cultura... Agradeço por essa tv de qualidade existir e fazer parte da minha infância... Esses dias chego em casa à tarde, ligo a tv, e que tédio, não passa nada de interessante e legal, nada que você possa dizer que ficará marcado na sua vida... Exceto alguns canais como a Tv Cultura, TVE Brasil e por aí vai.

[Sobre "Anos Incríveis"]

por Luiz Paulo
2/11/2006 às
19h05

Oficinas de texto: uma defesa
Ôpa, nem tanto ao céu, nem tanto à terra. Se as oficinas correm o risco de acachapar a criatividade, por outro lado mostram os instrumentos de trabalho, a importância da leitura e do trabalho constante. Organizei muitas no Clube Paulistano. Participei de outras tantas na Casa da Palavra, nos tempos da Anna Maria Martins. Vi muita gente crescer em qualidade, enriquecer o texto, fazer o trabalho de carpintaria. O mais é talento, e esse ninguém ensina.

[Sobre "Circuito Editorial Literário"]

por Jeanette Rozsas
2/11/2006 às
15h08

Quanto à arrogância...
Só descobri isto aqui hoje. E, por acaso, "fuçando" o Google. Realmente não existem novos escritores, não porque você assim o queira, mas porque nasce-se escritor. É visceral. Desde criança o caderninho na mão, as idéias brotando à revelia numa mente imaginativa... E continua-se vida afora, mesmo sem conseguir ser publicado, porque no universo literário só aparece quem tem "quem indica", o famoso QI. Então sobra o blog como válvula de escape, como meio projeto de sonhos irrealizáveis, como tentativa de "quem sabe?"... Escrever implica em vivências, mesmo que sejam triviais, sexuais, transgressoras ou dramáticas. Mas se desejar ler algo profundamente doído, que o faça perder o sono, aconselho os prontuários médicos do Hospital do Câncer.

[Sobre "Novos escritores? Onde?"]

por Dalila Flag
2/11/2006 às
13h44

Ter um blog ajuda
Belo texto. Tenho blog pra treinar a minha escrita, ela ainda está muito ruim, mas as pessoas que me acompanham desde de sempre me disseram que melhoro a cada dia.

[Sobre "Por que eu montei um blog"]

por eduardo
2/11/2006 às
13h18

arte e loucura em Aristóteles
A associação entre arte e loucura não é tão recente assim. A menção mais antiga que eu conheço é a de Aristóteles, no capítulo XVIII ou XIX (já não me lembro) da Poética. Ele diz que para alguém ser um bom ator trágico, ou viveu a situação que representa, ou é tomado pela loucura. Aliás, a própria origem do teatro está na loucura das festas dionisíacos, assim como de certa forma a origem da poesia está nas pitonisas enlouquecidas pela fumaça.

[Sobre "Artistas não são pirados"]

por Paulo Osrevni
2/11/2006 às
04h37

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
73422 visitas/dia
2,5 milhões/mês