busca | avançada
79550 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Sexta-feira, 5/1/2007
Comentários
Leitores

Fruto de sensibilidade
Todas as artes expressam, cada uma à sua maneira, sentimentos e pensamentos. Talvez os que preferem literatura sejam mais racionais que aqueles que se emocinam com outras artes, como a pintura. Estes, talvez, tenham uma sensibilidade mais aguçada e percebem o que existe de expressivo ali na arte. Já aqueles que preferem assistir à TV, talvez, sejam menos sensíveis que os da literatura. Mas, enfim, são apenas suposições... Até que alguém descubra, um dia, como a arte causa fascínio aos homens.

[Sobre "Por que se lê e por que se escreve?"]

por Elisandra Carla
5/1/2007 às
16h55

Atualizando a informação
Davd Irving não foi quem falsificou os diários... Mein Kampf é editado pela Editora Moraes (tem edição de 1983).

[Sobre "Achtung! A luta continua"]

por Jorge
5/1/2007 às
15h44

o cigarro é um companheiro
Tchê! Larga do cigarro!!! Convivo a trinta anos com fumantes. Minha mãe, com dois infartos e três pontes de safena, não consegue parar de fumar. Percebo que mais que um vicio o cigarro é um companheiro, acalenta a dor e as horas vagas. Sofro por não conseguir convencer meus amigos, minha mãe, meu pai, de larqar o cigarro, vejo que ele é muito importante na vida deles, e que infelizmente tenho que lavar meus cabelos todos os dias antes de dormir, porque o cheiro é insuportável. Seu texto é excelente e eu recomendo. Suas palavras são de um conhecedor da causa "fumar". Eu sei bem como é dificil largar o cigarro. Um dia minha mãe foi em um especiliasta que lhe disse: Sei o quanto é bom uma tragada, o prazer que ela dá. E como se todos os neurônios ficassem a espera da fumacinha...

[Sobre "Parei de fumar"]

por simone camargo
5/1/2007 às
15h04

monografia sobre web 2.0
Julio, o seu artigo é excelente. Estou escrevendo uma monografia sobre o tema. Na realidade, não sou da área de informática. Eu iria escrever sobre direitos autorais na Web 2.0, mas quando comecei a fazer minha pesuisa, percebi que a maior parte das pessoas utilizam as ferramentas da Web 2.0 e nem sabe o que é. Isso sem contar as que acham que Web 2.0 é a Internet 2.0... que é aquela rede super rápida que interliga instuições. Bom, o tema me fascinou muito, e o seu texto é mesmo muito bom. Parabéns!

[Sobre "Web 2.0 (ou uma tentativa de)"]

por Déa
4/1/2007 às
20h42

Entendendo tudo
Extremamente esclarecedor e bem concatenado. Faz entender a lógica subjacente a essa (r)evolução que tá rolando. Abraço, Patricia

[Sobre "Web 2.0 (ou uma tentativa de)"]

por Pati Rabelo
4/1/2007 às
19h37

Perfeito
Julio, vc definiu com maestria essa relação ambivalente entre veículo/produtor de conteúdo e as fontes/assessorias. Melhor impossível. Abraço, Patrícia

[Sobre "Aos assessores, divulgadores, amigos até, e afins"]

por Pati Rabelo
4/1/2007 às
19h29

Método Matrix de aprendizado
hahaha! genial! conheço um bom número de acadêmicos que não hesitariam em aderir a este método Matrix de aprendizado. vai vender feito água. vai por mim. aliás, eu achava que era a única pesssoa que tivesse dormido no tal filme. ô, chatice sem fim.

[Sobre "Conhecimento sem sofrimento"]

por Vitor Diel
3/1/2007 às
21h11

Eles gostam mesmo é de rotular
Eles gostam mesmo de rotular. Por exemplo, quem contesta suas idéias e pretensa hegemonia da verdade é chamado de "reacionário". Gostaria só de saber o que eles fizeram ou disseram que tenha permanecido, como as músicas e a voz de Wilson Simonal, na lembrança dos brasileiros. Ah, sim!: sua campanha sórdida para destruir a carreira de um dos maiores patrimônios da cultura musical brasileira, hoje tão pobre de talentos.

[Sobre "Simonal e O Pasquim: nem vem que não tem"]

por Francisco
3/1/2007 às
19h32

Tem fórmula pra escrever bem?
Pois... Escrevo mal pra chuchu, porque para seres humanos eu escrevo pessimamente. Pior é que leio bem e escrevo mal. Aprender a escrever é uma arte, não é para qualquer um, não! Existem pessoas inteligentíssimas que não conseguem escrever uma linha, outras, porém, mesmo com uma vida vazia, fazem sucesso com seus escritos. Então, querido Marcelo, como você me explica estes acontecimentos?? Parabéns pelo seu texto. Ah! Não existe uma formula mágica que ensina você a ter ótimos textos?? Brincadeirinha.

[Sobre "Como escrever bem — parte 1"]

por simonecamargo
3/1/2007 às
14h42

Alguém pode explicar?
Adorei ler o texto acima e me coloquei no lugar do personagem, visto ter perdido há pouco tempo uma pessoa. Não sabia que a dor da perda seria tão forte. Estou apaixonado por alguém com quem fiquei relacionado por 1 ano de maneira intensa e esse amor acabou como se não tivesse acontecido nada entre eu e ela. Alguém pode explicar? Trocou um grande amor pela paz e pensou que eu não sentiria nada. Nossa, gente. Como estou mal.

[Sobre "Receita para se esquecer um grande amor"]

por Odelir
3/1/2007 às
08h49

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
79550 visitas/dia
2,1 milhões/mês