busca | avançada
62561 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Terça-feira, 6/7/2010
House, 6ª Temporada

Julio Daio Borges




Digestivo nº 466 >>> Se começou como uma das melhores temporadas de House — com Gregory no hospital psiquiátrico —, a Sexta terminou com uma das piores audiências desde a Primeira. Desde que perdeu a equipe que o consagrou, House vinha tentando reestruturá-la e as últimas temporadas foram basicamente sobre isso. Como ninguém mais aguentava seus processos de seleção — e as mortes, na equipe —, os roteiristas acharam por bem devolver-lhe Chase e Foreman, acrescidos de Taub e de "Thirteen". Cameron se afastaria (com o fim de seu casamento), Wilson perderia traumaticamente a namorada, ciceroneando House (no novo apartamento), enquanto Cuddy se amancebaria com Lucas... A Sexta temporada foi importante para, inicialmente, enfraquecer o personagem todo-poderoso de Hugh Laurie. Afinal, ao ceder à internação no hospital psiquiátrico, House estava admitindo que não conseguia mais lutar contra o vício em Vicodin. Estava admitindo uma fraqueza, uma derrota, e, mais adiante, estava se submetendo a um terapeuta que poderia discutir "de igual para igual" com ele (como até então ninguém havia feito). Nos derradeiros meta-episódios — presentes desde a Primeira temporada —, Cuddy também lhe falaria umas verdades, até porque ela estava noivando, Wilson retomando um casamento, e só ele, House, não conseguia avançar (move on), amadurecer: estava sozinho, estava condenado à solidão. Poderia ser um final demolidor mas um beijo selou uma promessa... para a Sétima temporada. A exemplo de Lost, os roteiristas de House estão ficando sem saída, ou então desistem de ser "coerentes", como os de 24 Horas. Assim como Jack Bauer — que House, às vezes, cita —, Gregory ou morre por bala (como já quase morreu), ou por vício, ou, finalmente, enlouquece de vez. A mensagem do seriado parece ser: não adianta você ser um gênio, se você não for também... um homem, um ser humano. É uma bonita mensagem, mas o melhor de House talvez sejam os diálogos — até porque Hugh Laurie nunca foi tão engraçado quanto... House.
>>> House, M.D.
 
>>> Julio Daio Borges
Editor
 

busca | avançada
62561 visitas/dia
2,3 milhões/mês