busca | avançada
114 mil/dia
2,4 milhões/mês
Sexta-feira, 7/6/2002
Comentários
Leitores

Nunca tenha receio...
Nunca tenha receio de se tornar um chato, Alexandre. Não há perigo algum disso vir a acontecer. Malvados nunca são chatos, você não deixará de ser malvado, logo... Eu não conhecia Edward Lear, Alexandre, só o outro Lear, o rei da Bretanha, que pode ser classificado como chato. Seu texto está excelente (inteligente, interessante, divertido, muitíssimo bem escrito) foi prazerosa a leitura de cada linha. Mais tivesse... Só fiquei com um autoquestionamento em aberto, cricrilando aqui: serei eu um chato? Depois eu penso nisso. Agora quero reler sua coluna... Abraço do Dennis

[Sobre "A Guerra contra a Chatice"]

por Dennis
7/6/2002 às
15h33

Obrigada aos três
Aos três meninos, muito obrigada pela visita, mas eu temo que para vocês seria muito mais interessante ir para um Fórum que discuta táticas de jogo, armações, técnica e aquela coisa toda que eu infelizmente não posso prover, tendo apenas conhecimento básico das regras do futebol. Para falar a verdade, até que para uma mocinha eu sei bastante, sei a diferença entre um tiro de meta e um escanteio! A maioria das moças que eu conheço não sabem isso não. Mas é muito pouco para os milhares de técnicos que visitarão este site em busca de conversas mais elevadas. Obrigada pela companhia. Beijos da Sue.

[Sobre "O Primeiro Jogo"]

por Assunção Medeiros
7/6/2002 às
16h08

Haja faca!
Moço, o senhor agora me trouxe um pepino do tamanho de uma melancia!! Não era só disso que eu estava falando, mas é disso também. Todas as pessoas que não estão dormindo - dos dois lados - sabem bem direitinho que nada acabou. O problema maior é como vai ficar. E enquanto isso, o país dorme e sonha com o futebol... Tomara que o sonho seja bom, com final feliz. Estamos precisando de alegrias. E de gols contra dso adversários! Com certeza! Beijos da Sue.

[Sobre "O Primeiro Jogo"]

por Assunção Medeiros
7/6/2002 às
16h02

Descascando pepinos...
Isto é verdade, Sue. A alegria do brasileiro pode facilmente fazer dele um bobo-alegre. Ou já fez. Então o estado de caos social está prestes a estourar e o brasileiro diz: "comunismo? não tem perigo não; esse negócio de comunismo já acabou; é do tempo do meu pai". O vice-presidente da Colômbia falou que se não fizermos nada, logo estaremos como eles (falou de forma bem mais sutil, é claro...). Mas se eu saio falando isso por aí, vão dizer que eu sou paranóico (ou discípulo do Olavo de Carvalho). Vamos chegar a um ponto em que o mundo inteiro estará paranóico, menos nós. Mais ou menos como aconteceu com a União Soviética! Sabe como vamos "vencer" o atraso ideológico? Aos 48 minutos do segundo tempo, com gol contra do adversário (de bicicleta!). Isso se não aparecer um Ronaldinho comprado pela Nike (ops, alguém falou em Lula aí?) para melar tudo de uma vez por todas! E se vencermos não levamos taça nenhuma, mas apenas um enorme pepino para descascar. Beijos, Evandro.

[Sobre "O Primeiro Jogo"]

por Evandro Ferreira
7/6/2002 às
14h57

Vergonha
Rapaz! Fiquei com uma vergonha imensa de ser o grande chato ranzinza que sou. Parabéns, Alexandre. E obrigado por me apresentar o barrigudo e narigudo Lear.

[Sobre "A Guerra contra a Chatice"]

por Rogério Prado
7/6/2002 às
13h24

Achei!
Olha só... depois de muito pesquisar... http://terra.arremate.com.br/user/images/85/858506.jpg Chamava-se "Recruta Biruta". Será que passou do número 1? Ah, e ao contrário do que imaginamos, era da Editora Abril. Grato.

[Sobre "50 Anos de Preguiça e Insubmissão"]

por Leandro
7/6/2002 às
13h40

Nunca mais
Alexandre, seu danado! Eu nunca mais vou poder olhar a barriga de uma mulher grávida sem soltar uma gargalhada! Você é um menino muito mau... Mais um texto brilhante. Parabéns, você venceu mais uma batalha contra a chatice. Quisera ser como você... Beijos da Sue

[Sobre "A Guerra contra a Chatice"]

por Assunção Medeiros
7/6/2002 às
13h08

Quem entende de história e que
Muito bom, como sempre, o trabalho do Sérgio Amaral. Quero mais.

[Sobre "Quem entende de História e quem se faz entender"]

por Decio Tambelli
7/6/2002 às
11h06

Pensando bem...
Ah, sim. Confesso que é um tanto difícil torcer por gente chamada Cafu. E, se eles todos forem considerados alunos, são uns alunos um tanto idiotas- como o Rivaldo naquela história da bolada na cara. Você me convenceu! Beijos, e principalmente parabéns pelo texto- Alexandre (Soares again).

[Sobre "O Primeiro Jogo"]

por Alexandre
7/6/2002 às
03h12

OI, General!
General Soares! Eu nunca neguei que torço pelo Brasil nesta Copa! Nossa, sou uma manteiga derretida, sempre choro na hora que tocam o Hino Nacional. Minha semi-bronca é o contrário disto, é achar que os próprios jogadores é que não estão nem aí... Queria torcer por guerreiros melhores, that's all... Beijos da Sue

[Sobre "O Primeiro Jogo"]

por Assunção Medeiros
7/6/2002 às
03h06

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
114 mil/dia
2,4 milhões/mês