Bate-papo com Daniel Piza | Digestivo Cultural

busca | avançada
56914 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> EcoPonte apresenta exposição Conexões a partir de 16 de julho em Niterói
>>> Centro em Concerto - Palestras
>>> Crônicas do Não Tempo – lançamento de livro sobre jovem que vê o passado ao tocar nos objetos
>>> 10º FRAPA divulga primeiras atrações
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> PANFLETO AMAZÔNICO
>>> Coruja de papel
>>> Sou feliz, sou Samuel
>>> Andarilhos
>>> Melhores filme da semana em Cartaz no Cinema
>>> Casa ou Hotel: Entenda qual a melhor opção
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
>>> Machado de Assis: assassinado ou esquecido?
>>> O problema do escritor
>>> Cadáveres
>>> A teoria do caos
>>> Ainda o mesmo assunto...
>>> Contradições da 30ª Mostra
>>> Chinese Democracy: grande disco
>>> 50 Anos de Preguiça e Insubmissão
>>> Dos Passos: duplamente grande
Mais Recentes
>>> Justiceiro Bem-vindo de Volta, Frank Parte 2 - Coleção Oficial de Grap de Garth Ennis; Steve Dillom pela Salvat (2015)
>>> Fernando Pessoa Poemas para Crianças de Fernando Pessoa pela Martins Fontes (2007)
>>> O Homem Tecnológico - Mito e Realidade de Victor C. Ferkiss pela Zahar (1972)
>>> Shinshoku Kiss - Nº 02 de Kazuko Higashiyama pela New Pop (2004)
>>> O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde pela Via Leitura (2018)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis pela Atica (2008)
>>> Programas de Trabalho e Renda uma Nova Forma de Análise de Paulo Lourenço Domingues Junior pela Olho D Agua (2010)
>>> O Último Jornalista - Imagens de Cinema de Stella Senra pela Estação Liberdade (1997)
>>> Descanse Em Paz de Joyce Carol Oates pela Leya (2010)
>>> A Imagem-tempo de Gilles Deleuze pela Brasiliense (2013)
>>> Bling Ring - a Gangue de Hollywood de Nancy Jo Sales pela Intrínseca (2013)
>>> O Diário de Anne Frank de Otto H. Frank; Mirjam Pressler pela Record (2004)
>>> Eletrônica Digital de Wilson M. Shibata pela Érica (1989)
>>> Aprendendo a Conviver Com Quem Se Ama de Neale Donald Walsch pela Sextante (2006)
>>> Como não aprender inglês de Michael A. Jacobs pela Do Autor (1999)
>>> O Que é Toxicomania - Coleção Primeiros Passos de Jandira Masur pela Brasiliense (1987)
>>> Velhos e Novos Males da Saude no Brasil de Carlos Augusto Monteiro pela Hucitec (2015)
>>> Depois Que Você Morreu de Márcia Leite pela Moderna
>>> A Mulher V - Moderna, à Moda Antiga de Cristiane Cardoso pela Unipro (2011)
>>> Entre Amigas de Evelyn Holst; Sabine Reichel pela Essencia (2009)
>>> Violencias Nas Escolas - Perspectivas Historicas e Politicas de Ana Maria Eyng (org.) pela Unijui (2011)
>>> Listening Extra: A Resource Book of Multi-Level Skills Activities de Miles Craven pela Cambridge University Press (2004)
>>> Kare Kano - as Razões Dele, os Motivos Dela - Nº 08 de Masami Tsuda pela Panini / Planet Mangá (2007)
>>> Clara Nunes - Guerreira da Utopia de Vagner Fernandes pela Ediouro (2007)
>>> Introdução aos Estudos Linguisticos de Francisco da Silva Borba pela Nacional (1967)
BLOG >>> Posts

Sexta-feira, 12/10/2007
Bate-papo com Daniel Piza

+ de 5700 Acessos
+ 2 Comentário(s)

1. Qual é o segredo de manter uma coluna, como a Sinopse, durante dez anos?
Muito trabalho, mas feito sem estresse, com muito prazer. Procuro não deixar passar nada relevante, nem em termos de produtos e eventos culturais, nem em termos de debates do cotidiano. E procuro olhar cada uma dessas coisas com um ângulo próprio, original. Não dizer o que "todo mundo" está dizendo.

2. Muita gente considera que a Sinopse mudou, da Gazeta para o Estadão (a partir de 2000); como você sentiu a mudança de casa (se é que houve alguma)?
Não tem nada a ver com a mudança de casa. Quem mudou fui eu, até para não fazer sempre o mesmo. Ganhei mais familiaridade com alguns assuntos e também adquiri maturidade para falar de coisas que sempre fizeram parte da minha rotina - como futebol e TV - sem ser demagogo ou condescendente. Uma coluna feita por alguém com 26 anos não pode ser igual à de alguém com 36.

3. A meu ver, houve uma guinada, em termos de assunto, da cultura para a política - o velho Francis foi uma inspiração?
O Francis abria todas as colunas com temas políticos. Eu abro em média uma a cada três. A política brasileira foi um dos assuntos em que me aprofundei, e em que tentei uma forma de abordagem que não encontrava em outros colunistas. Meu novo livro mostra como sempre critiquei tanto FHC - lá nos tempos de Gazeta - quanto Lula, mas não pelo unilateralismo do "Brasil é uma porcaria", como havia em Francis. Por sinal, aos 21 anos discuti seriamente com ele porque apoiou gente como Collor e Maluf. Eu estava certo.

4. Acha que os colunistas políticos deveriam falar mais de cultura e os jornalistas culturais deveriam se posicionar mais politicamente no Brasil?
Não exatamente. Mas os colunistas políticos são incultos, em geral, e não conseguem colocar os fatos do presente na perspectiva histórica - exceto Elio Gaspari. Quanto aos jornalistas culturais, eles já se posicionam politicamente, e no mau sentido: misturam estética e ideologia; só gostam de filmes que defendem seus credos. O bom sentido seria usar a política como forma de mostrar ao público que os livros e as artes dizem respeito à vida cotidiana de qualquer um na "pólis", na cidade.

5. Quais foram os modelos para a criação da sua Sinopse e quais colunistas, daqui e de fora, você acompanha hoje?
H.L. Mencken, Bernard Shaw, Karl Kraus, Millôr Fernandes e Paulo Francis são modelos pelo tom contundente e estilo aforístico. As notas são miniresenhas como as que a revista The New Yorker faz em seu roteiro de cinema. A ironia, que se contrapõe ao excesso de contundência, vem de Machado de Assis. Colunistas brasileiros: Marcelo Coelho, Arnaldo Jabor, Luis Fernando Verissimo, Carlos Heitor Cony e Diogo Mainardi. Estrangeiros: Frank Rich, Paul Johnson, Frank Furedi, Samuel Brittan, Auberon Waugh. Mas as duas revistas que leio toda semana, New Yorker e The Economist, não têm colunistas. No caso da New Yorker, não perco um texto de Adam Gopnik e Louis Menand.

6. Contemporâneo de mim não é a primeira coletânea de textos seus da imprensa - o que acha que mudou da primeira até essa última coletânea?
É minha quarta coletânea, mas a primeira da Sinopse. Ora, Bolas reúne crônicas de futebol. Perfis & Entrevistas, bem, o nome já diz. E Questão de Gosto é uma seleção de ensaios e resenhas sobre literatura e arte acima de tudo, embora 20 de seus 70 textos sejam da Sinopse. Contemporâneo de mim tem 173 textos da Sinopse, de 1996 a 2006. Portanto, é mais variada em temas e tem uma liberdade de forma muito grande, pois mistura artigos, listas, paródias, cartas, etc.

7. Você já disponibiliza todos os seus textos digitalmente - pensa que ainda lançaremos coletâneas como a sua, em livro, no futuro?
Sem a menor dúvida. Coletâneas de colunas publicadas na imprensa de papel ou virtual estão entre os livros mais vendidos no Brasil e fora dele, e assim estarão sempre. Jabor, Verissimo e Mainardi que o digam... Esperei dez anos para fazer a minha porque não queria uma simples reunião de 2 ou 3 anos. Queria um espaço de tempo que permitisse ao leitor ter uma visão em perspectiva da nossa história. Ler em livro, num formato sequencial, com capa e tudo, em vez de ler a cada semana no papel perecível do jornal ou na tela acelerada da internet, é muito agradável. Uma coisa não exclui a outra; soma. As coletâneas de Norman Mailer e John Updike têm mais de mil páginas cada uma. Os computadores chegaram, mas a indústria editorial segue vendendo mais e mais livros todo ano.

8. A comparação mais freqüente hoje é entre coluna e blog: para você que pratica os dois gêneros, quais são os prós e os contras de cada meio?
A coluna permite você misturar mais coisas, seja na costura do texto, seja na divisão em notas. Além disso, por enquanto, paga melhor. O blog exige temas separados em textos menos longos. Mas permite conversa, ida-e-volta, embora eu sempre tenha respondido aos e-mails para a coluna (e embora haja blogs que não permitem comentários). E tem os links, o uso de aúdio e vídeo, etc. De novo, um não exclui o outro. Graças aos deuses da tecnologia, os jornalistas atuais têm muitos meios de comunicação para trabalhar. Ainda faço TV e rádio, que tampouco morreram. Cada um me ensina algo e me faz melhor.

9. Quais os desafios para a Sinopse nos próximos dez anos? Acha que ela cumpriu as promessas "feitas" dez anos atrás?
Não lembro quais promessas seriam. Mas ela cumpriu minhas expectativas: funcionar como um minijornal, um folhetim de idéias, com hierarquias e conteúdo distintos dos que se vêem nos grandes jornais. O leitor sai da coluna com pelo menos uma informação que não tinha e uma idéia para pensar, nem que seja para discordar. Todos os testemunhos que ouço ou leio confirmam essa sensação. O desafio dos próximos dez anos é continuar reinventando a coluna, tanto criando novas seções quanto revendo velhas idéias.

10. O que você diria para quem vai começar uma coluna semanal hoje (em papel ou on-line)?
Viva intensamente: viaje, leia, observe, conheça pessoas das mais diversas classes sociais, estude muito, não esqueça o ócio. E saiba levar tudo para o papel com lucidez e charme. Para isto, aprenda também a praticar outros gêneros - reportagem, perfil, entrevista, resenha, ensaio, etc. - para não ser apenas uma voz egocêntrica, que fica no gabinete emitindo notas passionais sobre um mundo que odeia. Um autor não fica por seus bordões, por suas campanhas ou por seu conhecimento específico de um tema. Fica pelo poder de seus argumentos.

Para ir além
Contemporâneo de mim - Dez anos da coluna Sinopse


Postado por Julio Daio Borges
Em 12/10/2007 à 00h56


Quem leu este, também leu esse(s):
01. The Number of the Beast by Sophie Burrell de Julio Daio Borges
02. Olavo de Carvalho por João Cezar de Castro Rocha de Julio Daio Borges
03. Contardo Calligaris e Pedro Herz de Julio Daio Borges
04. O ar de uma teimosia de Ana Elisa Ribeiro
05. Frederico Trajano sobre a retomada de Julio Daio Borges


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
3/11/2007
15h12min
Gostei da frase: "O leitor sai da coluna com pelo menos uma informação que não tinha e uma idéia para pensar, nem que seja para discordar". Percebo que "o discordar" ainda é um grande problema entre as pessoas, em qualquer área ou classe social, é visto como ataque ou um aviso de que o texto não está muito claro ou como se o leitor não possuísse capacidade para compreender o que o autor quis transmitir; isso pode ser um erro, pois quem lê tem o direito de pensar diferente, ter opinião própria, sem estar atacando ninguém, apenas mostrando algo que percebeu, que não foi "dito" mas pode ser associado ao que compreendeu. Em geral as pessoas querem um retorno do leitor confirmando suas idéias, mesmo que não acrescente nada. E o sentido de escrever é também tornar as pessoas independentes, com coragem de discordar, argumentar em defesa do que pensam, o que não significa ter que convencer outros. Também gostei muito dos conselhos, sugestões variadas e bem lúcidas. Bom demais esse bate-papo!
[Leia outros Comentários de Cristina Sampaio]
5/11/2007
12h07min
Lendo o Piza, percebo quanto é importante o exercício da leitura, para quem pretende escrever melhor. Ele nos mostra claramente que as idéias se avolumam e fluem com mais clareza a partir da troca de informações entre escritor e leitor. E que tal processo comunicativo enriquece e fortalece a ambos, em áreas que extrapolam a literatura. O escritor amadurece, ao se exercitar no seu ofício. Adquire um aprofundamento que o torna cada vez mais coerente e lógico. E conviver com a realidade à sua volta, segundo Daniel Piza, faz o resto. Excelente!
[Leia outros Comentários de Beth Silveira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Myra - Homem e Mulher... Ate Certo Ponto
Gore Vidal
Record
(1970)



Husserl
Arion L. Kelkel; Rene Scherer
Edições 70
(1982)



Sobre Máscaras e Espelhos
Lucas C Lisboa
Sapere
(2012)



O Código da Inteligência
Augusto Cury
Ediouro Sinergia
(2008)



Conceitos de Linguagens de Programação - 11ª Edição
Robert W. Sebesta
Bookman
(2018)



Advanced Dictionary of American English
Collins
Thomson
(2007)



Tex a Ultima Fronteira - Historia Inedita Completa
Goran Parlov e Sergio Bonelli
Mithos
(2000)



Assim Crescem as Crianças
Franz J Maringgele
Paulinas
(1984)



Colunas do Caráter Cristão
Josué Gonçalves
Sem
(2008)



O Turista Acidental / Capa Dura - Confira !!!!
Anne Tyler
Circulo do Livro
(1985)





busca | avançada
56914 visitas/dia
1,8 milhão/mês