Digestivo Blogs

busca | avançada
62879 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Cia O Grito evoca os fantasmas do teatro em nova peça
>>> Meu Reino por um Cavalo faz temporada online a partir de 2 de dezembro
>>> Rosas Periféricas apresenta espetáculos sobre memórias e histórias do Parque São Rafael
>>> Música: Fabiana Cozza se apresenta no Sesc Santo André com repertório que homenageia Dona Ivone Lara
>>> Nos 30 anos, Taanteatro faz reflexão com solos teatro-coreográficos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> A cor da tarja é de livre escolha
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
>>> A Lei de Murici
>>> Três apitos
>>> World Drag Show estará em Bragança Paulista
>>> Na dúvida com as palavras
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Viva a revolução
>>> L’Empereur
>>> Estamira: a salvação no lixo
>>> Ode ao indivíduo, ódio ao coletivo
>>> Imprudência
>>> Para você estar passando adiante
>>> No fundo bem no fundo
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Play it again, Sam
>>> 29 de Dezembro #digestivo10anos
Mais Recentes
>>> Vozes da Origem: Estórias sem Escrita - Narrativas dos indios Suruí da Rondônia de Betty Mindlin e Narradores Suruí pela Ática (1996)
>>> Vida e morte no sertão História das secas no Nordeste nos séculos XIX e XX de Marco Antonio Villa pela Ática (2006)
>>> Brasil: De Getúlio a Castelo (1930-1964) de Thomas Skidmore pela Paz e Terra (1979)
>>> O Xará de Apipucos - Um Ensaio sobre Gilberto Freyre de Gilberto Felisberto Vasconcelos pela Casa Amarela (2000)
>>> Violência sexual no brasil: perspectivas e desafios de Cecília de Mello e Souza; Leila Adesse pela Ipas (2004)
>>> Olhar Sobre A Mídia de Fátima Oliveira pela Mazza (2002)
>>> Sociologia e História de Peter Burke pela Edições Afrontamento (1980)
>>> Antropologia Social de Emílio Willems pela Difel (1966)
>>> Orixás Teogonia de Umbanda de Rubens Saraceni pela Madras (2004)
>>> Dar a vida e cuidar da vida: Feminismo e ciências sociais de Lucila Scavone pela Unesp (2004)
>>> 500 Anos de Brasil - Histórias e Reflexões de Mary del Priore e mais pela Scipione (1999)
>>> Estudos Brasileiros de Ronald de Carvalho pela Nova Aguilar (1976)
>>> Mulher:Feminino Plural - Mitologia, História e Psicanálise de Dulcinéa da Mata Ribeiro Monteiro pela Rosa dos tempos (1998)
>>> Quem São os Criminosos? de Augusto Thompson pela Achiamé (1983)
>>> Liberdade na Escola de A.S. Neill pela Ibrasa (1969)
>>> Gangues, Galeras, Chegados e Rappers. Juventude, Violência e Cidadania nas Cidades de Miriam Abramovay pela Garamond (2006)
>>> Manifestações de junho de 2013 no Brasil e praças dos indignados no mundo de Maria da Gloria Gohn pela Vozes (2014)
>>> ultura Brasileira e Identidade Nacional de Renato Ortiz pela Brasiliense (2001)
>>> Problemas Agrário Camponeses do Brasil de M. Vinhas pela Civilização Brasileira (1972)
>>> A Ilusão Americana de Eduardo Prado pela Alfa Omega (2001)
>>> Da revolta ao crime S.A (Coleção Polêmica) de Alba Zaluar pela Moderna (1996)
>>> Juventude em Debate de Helena Wendel Abramo E Outros (orgs.) pela Cortez (2002)
>>> Razão Sangrenta de Robert Kurz pela Hedra (2010)
>>> Relativizando: Uma introdução à Antropologia Social de Roberto DaMatta pela Vozes (1981)
>>> Estudos sobre o Brasil Contemporâneo de Luiz Pereira pela Pioneira (1971)
BLOGS

Terça-feira, 30/11/2021
Digestivo Blogs
Blogueiros

 
A cor da tarja é de livre escolha

Oi, Edson. Tranquilo?

Dentro do possível, seu Douglas.

Algum problema, filho?

Os de sempre, mas tem um assunto aí consumindo as ideias.

Se quiser compartilhar, tenho tempo. Mas, antes, me serve um pretinho curto sem açúcar.

Fica em paz, seu Douglas. Vou incomodar o senhor com as minhas pirações não.

Como de costume, Edson abriu o bar às 5h30 da manhã.

Fez café, ajeitou os salgados na vitrine e conferiu os trocados do dia anterior.

Naquele momento, enquanto atendia no balcão o dono da loja de artigos religiosos, estava resignado.

Por muito pouco não ligara para o proprietário do "Vem quem quer", o bar onde trabalha, para pedir folga naquele dia.

Estava moído. A noite havia sido cansativa demais, dessas preparadas por espíritos sem luz.

Passara a madrugada numa via crucis pelos cemitérios da cidade, procurando por sua mãe, esquizofrênica.

Quando está em surto, dona Lurdes adota a alcunha "Menininha", uma mensageira espiritual com a missão de visitar túmulos e contar histórias para ninar os mortos.

Passou pelo Quarta Parada, Vila Alpina, São Luiz e, após rápida procura pelos cemitérios da Saudade e do Araçá, encontrou sua genitora no Campo Grande.

Junto ao túmulo do rapper Sabotage, toda de branco e com uma rosa vermelha na mão, ela declamava 'O Homem na Estrada', dos Racionais.

Ele sente falta dos palcos, Edson.

Terminou, mãe? Deixa o Sabota descansar. Ele dorme faz tempo.

"A gente sonha a vida inteira e só acorda no fim"... Tenha uma boa noite, Maurinho.

Agora podemos ir. Ainda tenho uma reunião com o Daime. Ele ficou de me passar as coordenadas de amanhã.

[Comente este Post]

Postado por Blog de Marco Garcia
30/11/2021 às 20h03

 
Desigualdades

Quem nasce burro, ou melhor, limitado intelectualmente, não será nunca igual aquele que nasce inteligente, Não há nenhuma formula, tratamento, feitiço, reza, simpatia que mude o padrão: Burro é burro.
Quem nasce vagabundo será vagabundo a vida inteira. É estigma. É defeito de fabricação
Quem nasce inteligente, com facilidade de entender os seus entornos, as situações e oportunidades que a vida vai apresentando no seu decorrer, será reconhecido como tal.
Inteligente é inteligente . Apesar de eventualmente comportar-se como um burro. Mas o inverso não acontece, Um burro pode ser prudente, mas inteligente nunca.
Quem tem sorte, é sortudo (a). Não tem erro. Quem não tem sorte é azarado.
Quem é inteligente e tem sorte vai dar certo, vai prosperar, vai progredir, vai encontrar objetivos a alcançar, vai vencer.
Quem é feio, mas inteligente e sortudo tem mais chances do que os que são bonitos mas burros e/ ou azarados.
Quem é bonito, inteligente, sortudo, prudente, focado, tem todas as condições de vencer, prosperar, realizar a vida com sucesso.
Quem é burro, feio, azarado, imprudente tem todas as indicações para um retumbante fracasso, limbo, derrota e tristeza.
E daí? Quanta besteira. Quanto raciocínio e tempo perdido, inútil.
Não. Apenas uma forma de escancarar a estupidez que é o conceito de igualdade.

Não existe igualdade. Não existem dois indivíduos iguais, nem nunca existiram.
A igualdade nega a realidade da vida. Raças, sexos, nacionalidades, capacidade intelectual, aptidões, ventura ou desventura, alegria e tristeza, prosperidade e miséria, fogo e água, luz e treva, anormais e normais. Ricos e pobres, céu e inferno D´us e Satan.

Os igualitários querem dividir o que não conquistaram.
Os invejosos querem compartilhar o que a vida não lhes concedeu. Os estroinas, satrapas, ladinos, igualitários, vagabundos e malandros querem manter o controle, reservando para si mesmos o que de melhor a desigualdade oferece.
Não existe igualdade senão na morte.
O enterro de primeira só interessa aos que estão fora do caixão. Ninguém quer ser visto num velório com um féretro simples, forrado com pano preto e alças de lata. Fica mal na foto.
Ser solidário, sem filantropo, ser condescendente, ser piedoso, não quer dizer ser socialista, comunista, sindicalista ou, o pior,politico. Basta ser inteligente, para entender a necessidade de ajudar aos que não o são.
O resto fica resolvido na igualdade bíblica que a todos favorece: Marcos 2-38 Todos serão perdoados.
Então, cada um no seu quadrado e segue o salão.

Raul Almeida

[Comente este Post]

Postado por Contubérnio Ideocrático, o Blog de Raul Almeida
25/11/2021 às 09h16

 
Novembro está no fim...

Sem muito o que dizer ou o que contar, chegamos ao fim de mais um ano.
Daqui a pouco é dezembro. Festas tradicionais serão mais ou menos celebradas, cumprimentos, saudações e frases comemorativas para um novo ano serão desencavadas da memória em rotinas cerimoniais, encontros de amigos, reuniões de empregados, famílias, e até nos depósitos de velhos e teimosos viventes, descartados do convívio com o mundo, incômodos em casa, doentes, tristes, esquecidos de si próprios, dispendiosos, desnecessários.
As mudanças e transformações na maneira de entender o mundo, de amar, querer, cobiçar, pretender e pensar em melhor desfrutar a vida, ficam bem nítidas quando planos, objetivos, desejos , vontades, aspirações e crenças são revisitadas, reorganizadas, reformuladas e colocadas na primeira página do livro do novo ano.
Não é assim para todos.
A maioria nem sabe o que é planejar a vida para seguir em frente mais um ano, mais um tempo, ou mesmo se a vida pode ser imaginada ou planejada com alguma antecedência. Os dias passam, sem foco, sem objetivo outro senão o de sobreviver, ganhar pela manhã para comer a noite...
Para todos o destino, o acaso e a fatalidade vão escrever a melodia, fazer o arranjo, dar o tom, o timbre e abrir ou rasgar a cortina do palco da vida para mais um recital de 365 dias e 6 horas. Mais um ano, mais esperança, mais fé, mais vontade ou , apenas, mais do mesmo.
Assim é.
A qualquer momento o ano acaba.
A qualquer momento o fim do mundo acontece.
A qualquer momento o Barqueiro do Aqueronte encosta seu barco, cobra as duas moedas, separa os que vão seguir e atravessar o Rio do Inferno ou os que vão continuar ali na margem, entre lamúrias, remorsos e arrependimentos.
Assim é ou, será assim?
Não faz diferença. Dezembro está chegando, muitas casas estarão enfeitadas para comemorar o Natal, depois a chegada do novo ano, da nova jornada. Vamos nessa!
Novos ou renovados desejos, vontades, aspirações, objetivos, crenças e expectativas.
Viva o marketing para ajudar nas escolhas das coisas materiais. Viva a medicina para acalmar os malucos, mitigar as dores, curar os doentes.
Segue o salão...Ah, para os que tem medo do sobrenatural, das profundezas dantescas, das furnas satânicas para os de mau caráter, vai o consolo bíblico, só para não esquecer: Marcos 3-28 Todos serão perdoados.
Feliz Natal! Feliz e próspero Ano Novo.
Raul Almeida

[Comente este Post]

Postado por Contubérnio Ideocrático, o Blog de Raul Almeida
24/11/2021 às 12h00

 
Indizível

Na sintaxe do
autoconhecimento
o sujeito oculto
é indeterminado

[Comente este Post]

Postado por Metáforas do Zé
18/11/2021 às 23h42

 
Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem


Muita gente está atualmente procurando um rumo na vida. Algo que dê para pagar as contas e viver de forma tranquila, mas nem sempre é tão fácil. Pois o mercado de trabalho está difícil, sem falar na tal experiência que todos pedem sem que a pessoa tenha começado na profissão. Somada a isso, está a necessidade de formação específica e estudo contínuo para que não caia em desatualização.

Certamente, todas essas razões não ajudam a conseguir um bom emprego nos dias de hoje. Então, é preciso pensar fora da caixa, nas alternativas que não estão lá tão expostas e formais na área profissional. Mas todo mundo tem o direito de vencer profissionalmente! Sendo assim, nesses casos, as opções estão quase sempre no esforço pessoal e em quanto você está disposto (a) literalmente a fuçar para descobrir alternativas autodidatas que o levem a um novo patamar.

Confie, pode não ser na primeira hora, no primeiro dia, talvez nem na primeira semana, porém haverá aquele momento de start em que todas as ideias se alinharão e a oportunidade perfeita se concluirá bem na sua frente. É assim com ideias pioneiras para canais no YouTube, concursos, cursos e colocações, sejam formais, remotas ou autônomas que você não fazia ideia que podiam ser opções e agora caíram como uma luva para uma tentativa de inscrição.

Talvez não dê resultado logo de cara, ou ainda não seja algo em que realmente deva gastar o seu tempo, contudo, o importante é procurar sendo sincero e verdadeiro sem nunca desistir. Dessa forma, só para começar... Você já pensou em seguir uma carreira como Programador?

Pois saiba que pode ser uma profissão muito rentável, exercida de maneira remota que de fato deverá levar a diversos caminhos dentro da informática, inclusive à formalização, basta que tenha paciência, curiosidade e cabeça boa para lógica e estudo.


Como conseguir conhecimento em programação?

Existem variados cursos técnicos, graduações, etc. baseadas em programação. Porém, para alguém que precisa começar do zero sem qualquer custo envolvido, pode estudar por tutoriais e cursos online grátis. Até como forma de conhecer num primeiro momento, analisando se é ou não para você. Surpreendentemente, muita gente já foi por esse caminho e criou produtos que mudaram suas vidas.

Desse modo, como exemplo, você pode iniciar pela matéria do Hostinger para saber o que é programação e conhecer em detalhes o que realmente envolve. Depois, aproveite para conferir os cursos na prática em sites como School of Net e Cursou. Há também dicas de canais para não ficar nada faltando. Lembrando que, existem muitos outros cursos por aí, só tome cuidado com a forma como oferecem, porque alguns ofertam o conteúdo até certa parte e depois acabam cobrando para pegar o final ou o certificado.

Para os mais engajados, é recomendada ainda a participação em eventos e torneios como o Campus Party, que acontece anualmente em São Paulo, maratonas de programação e os famosos Labs.


Onde conseguir emprego em programação?

Para aqueles que buscam uma vida nerd, um negócio próprio com empreendedorismo ou as acomodações e horários flexíveis do lar, existem diversas empresas que contratam remotamente ou com presença esporádica. Claro, é possível se enquadrar em algo absolutamente formal, porém quase sempre a experiência será requerida antes.

Dessa forma, consulte o banco de empregos de instituições como:

  1. GeekHunter - criação de perfil e convite de empresas, podendo ou não ser remoto.
  2. ProgramaThor - criação de perfil e convite de empresas, podendo ou não ser remoto.
  3. Nerdin - através de criação de perfil e convite de empresas, podendo ou não ser remoto.
  4. Freelancer - site freelancer com jobs informais em diversos níveis de dificuldade.
  5. Workana - site freelancer com jobs informais em diversos níveis de dificuldade.

Obs. O ramo de programação e tecnologia em geral é o mais defasado no país em termos de mão de obra. Assim, diariamente centenas de vagas são oferecidas no mercado de trabalho, ficando a espera de profissionais que as preencham por falta de qualificação. Isso reflete um agravamento futuro, se nada for feito, e as pessoas não perceberem que as ocupações estão abandonado as atividades braçais.

Então, não deixe que isso aconteça com você! Se prepare o quanto puder e encontre colocações no mínimo condizentes com a nova situação do mercado de trabalho.

Disponível em: https://www.elavestepreto.com/



[Comente este Post]

Postado por Blog de Camila Oliveira Santos
18/11/2021 às 09h32

 
Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas

Artista plástico e figurinista Déh Dullius.

Para incentivar e promover as ações de formação artístico-culturais, o Fly Maria lançou em seu cronograma mais duas oficinas de criação em artes plásticas e moda. As atividades, programadas entre novembro/2021 e janeiro/2022, serão coordenadas pelo multiartista Déh Dullius – artista plástico e figurinista –, que possui 14 anos de experiência nas áreas de criação, coordenação e formação.

Ao todo, serão quatro atividades exclusivas, sendo duas oficinas culturais de Criação (“Desenho Sensorial Botânico” e “Cabeças de Carnaval, Plástico Legal”) e mais duas jornadas de moda (“Desenho Sensorial da Moda” e “Desenho, Molde e Máquina”). Os dias e horários – veja em “Serviço” – variam conforme cronograma do Fly Maria, que iniciou suas atividades neste mês em Campinas.

"Estas ações de formação se dividem entre técnica e intuição. Na prática, os interessados poderão utilizar diversos materiais, que são fundamentais à sustentabilidade do planeta, por exemplo, bem como resgatar os conceitos internos que possam motivá-los no processo criativo. Uma forma moderna que une à técnica o trabalho lúdico por vezes ignorado em nosso cotidiano”, comentou o artista.

As oficinas de criação serão desenvolvidas no próprio espaço multiuso do Fly Maria, na Rua Dr. Quirino, 152, no centro. Os preços variam entre R$ 100 e R$ 220.

Multiartista
Déh Dullius é artista plástico e figurinista há mais de 14 anos. Em seu currículo artístico-cultural, possui participações comprovadas em várias exposições com esculturas – “Mostra Artemosfera”, do Grupo RBS (2012) – e performances – “The Dance Party”, Galeria Ecarta (2016), e “Depois do Fim”, vernissage realizada pelo Museu Iberê Camargo (2017), ambos em Porto Alegre/RS.

Também realizou palestras e oficinas culturais sobre processo criativo, como as dos desenhos de botânica, figura humana – com destaque aos adereços de cabeça – e de moda. Promoveu ainda ações em eventos universitários, como as da Semana Acadêmica, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e do Curdo de Moda da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos).

SERVIÇO
Oficina de Criação
Desenho Sensorial de Moda
Data: a partir de 17 e 18/11 (quartas e quintas)
Horário: das 18h às 19h
Local: Fly Maria
Investimento: R$ 220,00/mês

Oficina de Criação
Aula de Moda: Desenho, Molde e Máquina.
Datas: a partir de 17 e 18/11 (quartas e quintas)
Horário: das 19h às 20h
Local: Fly Maria
Investimento: R$ 220,00/mês

Oficina de Criação
Desenho Sensorial Botânico
Data: 27/11
Horário: 9h30 às 11h30
Local: Fly Maria
Investimento: R$ 100,00

Oficina de Criação
Cabeças de Carnaval - Plástico Legal
Data: 29/11
Horário: 18h às 20h
Local: Fly Maria
Investimento: R$ 100,00

Informações: Insta @deh_dullius
WhatsApp 19.99560 4294

Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
17/11/2021 às 07h17

 
A Lei de Murici

“Em tempos de murici,
cada um cuida de si.”

No jargão popular, Murici virou nome de uma lei. Entanto, palavras e adágios pulam os muros dos dicionários e enciclopédias e a etimologia se perde nas precisas imprecisões da linguagem do povo, construindo e desconstruindo significados, o que faz a gente entender que a fala desvela uma filosofia do cotidiano. Esse dito popular aponta para vários lados de uma sabença capaz de alertar quanto aos dois lados da moeda: constatação e reflexão sobre o salve-se quem puder, abrindo sentidos da vida e ressonando de forma diversa nas várias classes sociais.

Aliás, é sempre assim. A linguagem pede interpretações. Se alguém da classe A disser: “estou com fome,” de imediato terá à sua frente lauto banquete. Se um morador de rua disser a mesma frase, o sentido muda e pode até indicar que está morrendo de fome.

Já conhecido em Portugal, e citado no século XVI por Gabriel Soares de Souza, tal adágio, aqui posicionado como epígrafe, fincou pé no Nordeste brasileiro, onde o fruto, o murici, aparece após o tempo das chuvas. João Ribeiro, tentando explicar o folclore pelo difusionismo dos antropólogos, atribuiu a origem do dito ao nome “murixi” ou “morexi” – o cólera − terrível epidemia que matava populações na Índia, onde os lusos iam à cata de especiarias. Assim, podem ter surgido corruptela e metáfora!

Visitando cenas de Os Sertões, encontrei referências de Euclides da Cunha a esse dito do povo. Afirma o autor que, após a morte do Cel. Moreira César na terceira expedição de Canudos, o Cel. Pedro Nunes Tamarindo, temendo ser morto, teria invocado tal adágio ao recusar-se a assumir o comando das tropas do governo. Uma vez salva sua pele, a tropa − o povão − que cuidasse de si.

Tempo vai. Tempo vem. Chuva miúda não mata ninguém. E a frutinha amarela deu nome à lei e o nome da lei virou sonoridade ao entrar no samba de vários autores, entre eles Juraci e Bezerra da Silva, ensinando como sobreviver em meio à malandragem.

Na internet há quem afirme que, em tempos de seca, só o muricizeiro retém água e permanece dando frutos: “Quando apenas a frutinha murici (tempo de murici) sobrevive é tempo de cada um cuidar de si, uma vez que, se só sobrou o murici, a coisa está feia. ”

Tempo vai, tempo vem, estamos em maus lençóis. A norma chamada popularmente Lei de Murici parece ter virado Medida Provisória nos últimos tempos, estendendo-se aos danos da Covid-19. Desdobrando o dito popular, eu diria: em tempos de mercado financeiro, não sobrevive nem muricizeiro.

Diante disso, Lima Barreto teria muito a acrescentar às histórias dos bruzundangas. Solidariedade? Farinha pouca, meu pirão primeiro. Pandemia? Todo mundo vai mesmo morrer um dia. Vacina? Cada um que se contamine e siga o rebanho dos mortos. Emprego pra quê? Vagabundo não gosta de trabalhar, afirmam os jogadores da bolsa.

Assim, como grande parte dos dizeres do povo, o adágio em pauta conduz sabença capaz de alertar para a riqueza da fala, escavando sentidos escondidos no fundo das verdades não verdadeiras. Ditos e adágios são feito poesia: suas palavras e imagens viram o mundo de cabeça pra baixo. E a linguagem pode tornar-se ato, dando novo sentido à vida e outro rumo à existência.

Dizem que “boi não sabe a força que tem”. Mas esse ditado pode significar muito mais: Ah! Mas se o boi descobre a força que tem! Por isso, na perspectiva poética, se, ante as dificuldades, cada um tem que cuidar de si, a fala também alcança aqueles que querem revogar a Lei de Murici.

Linguagem é isso: ontogênese. Quando menos se espera, um dito pode ressurgir trazendo antigas e novas ideias e também preciosas contradições que podem virar a mesa.

[Comente este Post]

Postado por Blog da Mirian
15/11/2021 às 08h59

 
Três apitos

“Nos meus olhos você lê
Que eu sofro cruelmente
Com ciúmes do gerente impertinente
Que dá ordens a você [...]”.

Noël Rosa

Você duvida? Nos arredores de Vila Isabel, o poeta inscreveu o mundo de ontem. E o de hoje. Noël Rosa registrou na poesia o cenário do fordismo que, em Tempos Modernos, Chaplin satirizaria ao enfocar a desumanização do homem pela máquina. Em julho de 2019, guiando-me na visita ao prédio da antiga fábrica de tecidos, e sempre brincalhão, Seo Armindo observou: “Ora, pois, que acabamos de passar pelo gerente impertinente! Que carranca, pá!” Em "Três apitos", não escapara a Noël a figura do gerente alienado − espécie de guarda-da-esquina − que fiscalizava o trabalho.

Dizem os estudiosos que a namorada de Noël trabalhava numa fábrica de botões. Mas poesia inventa realidades que se bastam a si mesmas. Fosse indústria de salsichas, de botões ou tamancos, nosso apaixonado Noël captaria com perfeição a voracidade do capital contrapondo-se ao afeto. A poesia tem mil olhos. Cadê que ela deixa escapar alguma coisa!

Poema revisitado, aonde vais? Meu olhar te acompanha. E à escuta da canção de Noël, meus olhos enxergam o amor desenrolando-se dos fios de algodão:

“Mas você não sabe
Que enquanto você faz pano
Faço junto do piano
Estes versos pra você.”

Transformada a fábrica em centro comercial nos idos 1980, o apito tocava às 17 horas, como atração turística. Um ano antes da COVID-19, não mais o apito. Entanto, rememorando Nöel, meus ouvidos reverteram o tempo. Fios e mais fios reunidos na trama expelida pela máquina; meu pensamento emaranhado nos braços movimentando-se na luta contra o cansaço e a fome. E, naquele dia frio em 2019, era também de carne e osso a moça descalça, parada em frente ao supermercado: imagem que, numa hipérbole, lembrava a jovem na canção:

“Você no inverno
Sem meias vai pro trabalho [...]”

Entre as duas cenas, outras imagens emergiam naquele prédio. Imagem puxava imaginação e ideia. Nos arredores do quarteirão, meus ouvidos atentos à nostalgia poética ouviam a buzina do carro de Noël, querendo abafar o som que lhe feria os ouvidos e o amor. Você duvida? Em Vila Isabel, o poeta juntou fragmentos do seu tempo e de um futuro, que, em parte, se desenhava na pobreza. Trabalho precário. Desemprego. Miséria.

E, neste escrito, a poesia de Nöel atravessa o antigo cenário, ansiosa para chegar aonde não é chamada.

[Comente este Post]

Postado por Blog da Mirian
13/11/2021 às 17h27

 
World Drag Show estará em Bragança Paulista

Espetáculo com performances será apresentado no Centro Cultural Teatro Carlos Gomes.

A discografia que tornou conhecida em nível internacional as ações do Movimento LGBT pelos direitos e pela proteção serviu como fundamento para a criação do “World Drag Show”, do ator e diretor Cleiton Carlos. O espetáculo será apresentado domingo (21), às 20h, no Centro Cultural Teatro Carlos Gomes, em Bragança Paulista (entrada franca; única apresentação).

Por meio de dublagens musicais, a montagem propõe o resgate histórico-cultural sobre os desafios impostos aos LGBTs. No elenco, quatro drag queens – Caco Nunes, Lala Chernobyl, Rubby Prado e Thalita Petrovanni –, e ainda duas trans drag – La Petit Demoiselle (Lara Oliver) e Lady Marrone (Kate Dias) – promovem uma viagem e um verdadeiro resgate artístico-cultural do Movimento.

Além das dublagens, consideradas “peças fundamentais” (e muito divertidas) do Movimento LGBT, “World Drag Show” oferece uma interação ativa entre as artistas e o público presente. “Por isso, o espetáculo também resgatou a importância da comedy queen (drag caricata), que, por meio da irreverência e do humor, diverte, entretém e informa”, declarou o diretor.

De acordo com Cleiton Carlos, a participação da comedy queen no espetáculo irá ocorrer por meio de esquetes teatrais rápidas fundamentadas no Teatro do Absurdo e Teatro Besteirol. “As intervenções irão ocorrer entre as dublagens. Na prática, uma combinação perfeita entre o conhecimento e a diversão marcados por brilho, diversão, emoção e muito ritmo”, comentou.

Classificação Livre
“World Drag Show” oferece ao público uma linda viagem por Brasil, Estados Unidos, França, México e Peru, que possuem reconhecida militância LGBT. O espetáculo possui 50 minutos de duração, livre para todos os públicos. O recorte artístico referente à época e ao período é resultado de pesquisa cênica e discográfica do Polo Artístico-Cultural (PoloAC), de Campinas.

A realização do espetáculo é da Secretaria de Cultura e Turismo da prefeitura de Bragança Paulista. A apresentação irá encerrar as atividades previstas nesta data em “O Poder e o Impacto da Diversidade na Sociedade”, evento realizado em celebração à Parada do Orgulho LGBT. O PoloAC tem apoio cultural do deputado Edmir Chedid (DEM) e da AG Pratique Comunicação.

SERVIÇO
World Drag Show
Data: 21/11/2021
Horário: 20h
Local: Centro Cultural Teatro Carlos Gomes
R. Cons. Rodrigues Alves, 251.
Centro – Bragança Paulista/SP
Entrada Franca

Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
10/11/2021 às 10h48

 
Na dúvida com as palavras

Do céu foram as nuvens varridas,
Seu azul e o verde se deparam,
Essa vasta beleza sem fim, e
A satisfação que há em mim,
É provável que ainda não levaram.

[Comente este Post]

Postado por Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
2/11/2021 às 16h06

Mais Posts >>>

Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Foi Ela Que Começou
Toni Brandão
Melhoramentos
(2004)



Adeus, FAREWELL
Serguei Kostine, Raynaud, Eric
Record
(2011)



Ética Profissional - para Aprender Direito
Laurady Figueiredo
Bf&a
(2005)



Fotografia Arte e Tecnica
Robert E. Browner
Iris
(1960)



O Preço de uma Lição
Gutti Mendonça; Frederico Devito
Novas Paginas
(2011)



Os Sete Recados Capitais
Machado de Assis
Hunter Books
(2011)



Poemas Escolhidos
Fernando Pessoa
Klick
(1997)



Dito e Feito
Jennifer Armstrong e Kimberly Bulcken
Brinque Book
(1996)



A Mulher Pintada
Françoise Sagan
Círculo do Livro



Os Jesuítas
José Carlos Sebe
Brasiliense
(1982)




>>> A Lanterna Mágica
>>> BLOG DO EZEQUIEL SENA
>>> Githo Martim
>>> Abrindo a Lata por Helena Seger
>>> Blog belohorizontina
>>> Blog da Mirian
>>> Blog da Monipin
>>> Blog de Aden Leonardo Camargos
>>> Blog de Alex Caldas
>>> Blog de Ana Lucia Vasconcelos
>>> Blog de Anchieta Rocha
>>> Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ
>>> Blog de Angélica Amâncio
>>> Blog de Antonio Carlos de A. Bueno
>>> Blog de Arislane Straioto
>>> Blog de CaKo Machini
>>> Blog de Camila Oliveira Santos
>>> Blog de Carla Lopes
>>> Blog de Carlos Armando Benedusi Luca
>>> Blog de Cassionei Niches Petry
>>> Blog de Cind Mendes Canuto da Silva
>>> Blog de Cláudia Aparecida Franco de Oliveira
>>> Blog de Claudio Spiguel
>>> Blog de Dinah dos Santos Monteiro
>>> Blog de Eduardo Pereira
>>> Blog de Ely Lopes Fernandes
>>> Blog de Enderson Oliveira
>>> Blog de Expedito Aníbal de Castro
>>> Blog de Fabiano Leal
>>> Blog de Fernanda Barbosa
>>> Blog de Geraldo Generoso
>>> Blog de Gilberto Antunes Godoi
>>> Blog de Hector Angelo - Arte Virtual
>>> Blog de Humberto Alitto
>>> Blog de João Luiz Peçanha Couto
>>> Blog de JOÃO MONTEIRO NETO
>>> Blog de João Werner
>>> Blog de Joaquim Pontes Brito
>>> Blog de José Carlos Camargo
>>> Blog de José Carlos Moutinho
>>> Blog de Kamilla Correa Barcelos
>>> Blog de Lúcia Maria Ribeiro Alves
>>> Blog de Luís Fernando Amâncio
>>> Blog de Marcio Acselrad
>>> Blog de Marco Garcia
>>> Blog de Maria da Graça Almeida
>>> Blog de Nathalie Bernardo da Câmara
>>> Blog de onivaldo carlos de paiva
>>> Blog de Paulo de Tarso Cheida Sans
>>> Blog de Raimundo Santos de Castro
>>> Blog de Renato Alessandro dos Santos
>>> Blog de Rita de Cássia Oliveira
>>> Blog de Rodolfo Felipe Neder
>>> Blog de Sonia Regina Rocha Rodrigues
>>> Blog de Sophia Parente
>>> Blog de suzana lucia andres caram
>>> Blog de TAIS KERCHE
>>> Blog de Thereza Simoes
>>> Blog de Valdeck Almeida de Jesus
>>> Blog de Vera Carvalho Assumpção
>>> Blog de vera schettino
>>> Blog de Vinícius Ferreira de Oliveira
>>> Blog de Vininha F. Carvalho
>>> Blog de Wilson Giglio
>>> Blog do Carvalhal
>>> Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
>>> Blog Ophicina de Arte & Prosa
>>> Cinema Independente na Estrada
>>> Consultório Poético
>>> Contubérnio Ideocrático, o Blog de Raul Almeida
>>> Cultura Transversal em Tempo de Mutação, blog de Edvaldo Pereira Lima
>>> Escrita & Escritos
>>> Eugênio Christi Celebrante de Casamentos
>>> Flávio Sanso
>>> Fotografia e afins por Everton Onofre
>>> Impressões Digitais
>>> Me avise quando for a hora...
>>> Metáforas do Zé
>>> O Blog do Pait
>>> O Equilibrista
>>> Relivaldo Pinho
>>> Ricardo Gessner
>>> Sobre as Artes, por Mauro Henrique
>>> Voz de Leigo

busca | avançada
62879 visitas/dia
1,9 milhão/mês