Githo Martim

busca | avançada
84710 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Relacionamentos amorosos com homens em cárcere é tema do espetáculo teatral ‘Cartas da Prisão’, monó
>>> Curso da Unil examina aspectos da produção editorial
>>> “MEU QUINTAL É MAIOR DO QUE O MUNDO - ON LINE” TERÁ TEMPORADA ONLINE DE 10 A 25 DE ABRIL
>>> Sesc 24 de Maio apresenta Música Fora da Curva: bate-papos sobre música experimental
>>> Música instrumental e natureza selvagem conectadas em single de estreia de Doug Felício
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
>>> Exposição curiosa aborda sobrevivência na Amazônia
>>> Coral de Piracicaba apresenta produção virtual
>>> Autocombustão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O grito eletrônico do Overmundo
>>> Picasso versus Duchamp e a crise da arte atual
>>> Usina
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Web 2.0 reloaded
>>> Lendas e mitos da internet no Brasil
>>> A loucura das causas
>>> Queen na pandemia
>>> Nerd oriented news
Mais Recentes
>>> O Retorno À Origem de Lex Hixon pela Cultrix (1997)
>>> Emma - Edição Bilíngue - Português/ Inglês de Jane Austen pela Landmark (2012)
>>> O Vento Da Mudança de Julie Soskin pela Pensamento (2000)
>>> A Nave de Noé de Trigueirinho pela Pensamento (1999)
>>> Karma E Maturidade Um Guia Diferente para a Jornada de Eileen Connolly pela Cultrix (1999)
>>> Diálogos de Roman Jakobson e krystyna Pomorska pela Cultrix (1985)
>>> Receita da felicidades de Ken Keyes Jr. E Penny Keyes pela Pensamento (1995)
>>> História Caderno de Competências Conecte de M. Esther Nejm et al pela Saraiva (2014)
>>> A Viagem de Uma Alma de Peter Richelieu pela Pensamento (2006)
>>> Entre o Agora e o Sempre de J. A. Redmerski pela Suma de Letras (2014)
>>> Respostas da Vida de Francisco Cândido Xavier (Espírito André Luiz) pela Instituto André Luiz (1975)
>>> Entre o Agora e o Nunca de J. A. Redmerski pela Suma de Letras (2013)
>>> O Guardião de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2013)
>>> Viagem Atraves Da Luz de Lorna Todd pela Pensamento (1995)
>>> Curso Básico de Mecânica dos Solos de Carlos de Sousa Pinto pela Oficina de Textos (2002)
>>> Anjo da Morte de Pedro Bandeira pela Moderna (2009)
>>> História Volume Único Conecte Lidi de Ronaldo Vainfas et al pela Saraiva
>>> Vidas que nos Completam de Américo Simões pela Barbara (2011)
>>> Uma O Tau. Um Sinal Espiritualidade de Mariano Bigi pela Vozes (2004)
>>> Diálogo Com A Cidade de Cardeal Dom Cláudio Hummes pela Paulus (2005)
>>> Patologia das Fundações de Jarbas Milititsky, Nilo Cesar Consoli, Fernando Schnaid pela Oficina de Textos (2005)
>>> Escrita chinesa de Viviane Alleton pela L&Pm (2010)
>>> Caderno de revisão Química Conecte de M. Esther Nejm et al pela Saraiva (2014)
>>> A Igreja. 51 Catequeses do Papa Sobre a Igreja de Felipe Aquino pela Cleofas (2004)
>>> O Sono dos Hibiscos de Lygia Barbiere Amaral pela Lachatre (2005)
BLOGS

Quarta-feira, 24/3/2021
Githo Martim
Githo Martim

 
Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay

Letra foi escrita pela artista no início deste ano.

Influenciada pela poesia urbana e desafiada a retratar os desafios comuns aos jovens homossexuais da periferia, a drag queen Natasha Sahar lançou o single “Quero Mais”. O trabalho, quarto de sua carreira musical, marca o início da temporada musical de 2021. O single está disponível no Spotify.

O trabalho, que foi produzido a partir de pesquisas sobre o RAP, fala principalmente sobre o enfrentamento e a superação de desafios. Segundo a artista, o single resume o desejo para que todos os cidadãos, independente da orientação sexual ou da condição financeira, tenham paz e mais amor.

“Esta canção retrata a vida de um jovem gay da periferia que, desde muito cedo, teve que lutar para superar o preconceito – tanto sexual quanto social – para atingir suas metas. Infelizmente, essa história ainda é bastante comum no país, o que comprova a importância do trabalho”, comentou.

Natasha Sahar disse que “Quero Mais” representa o anseio por dignidade e respeito de parte dos jovens homossexuais da periferia. “Na prática, é a minha história de vida. Uma história de vida que combina os sonhos do jovem à trajetória da artista, que está atuando há mais de anos”, finalizou.


BLOG | Site | Ouça no Spotify


Trajetória
“Quero mais” foi escrita por Natasha Sahar, com beat do DJ Diogenes Santos. A gravação e a edição ocorreram no Radioativo Estúdio, com Claudio Lima, em Sumaré/SP. Natasha Sahar tem outros três sucessos musicais: “Pretty Blonde” (2015), “Loka Exagerada” (2017) e “Toma Vacilão” (2020).

Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
24/3/2021 às 10h54

 
Coral de Piracicaba apresenta produção virtual

Regido por Tania Pacca Peticarrari, atividade durou cinco meses.

Foram quase cinco meses de encontros virtuais, adaptações e uma troca enriquecedora de conhecimento; uma prova de resistência e poder de ressignificação em meio à pandemia. Um porto seguro e feliz em um período tão difícil e sombrio. Todas essas palavras definem os sentimentos dos participantes do Coral Canto Alegre, projeto coordenado pela regente Tania Pacca Perticarrari, de Piracicaba (SP), que reuniu 50 vozes de diferentes idades, numa ação virtual inédita nesses tempos de isolamento. O grupo concluiu as atividades com uma produção audiovisual emocionante, divulgada pelas redes sociais.

Na apresentação do vídeo, editado por Lucas Galli, durante o último encontro no fim de fevereiro, os coralistas não contiveram as lágrimas. Muito emocionada, a pedagoga Márcia Simonetti Clemente, de Ribeirão Preto/SP, declarou que a experiência resultou num importante processo individual, mas também coletivo, onde cada um tem seu valor e todos encontram a arte dentro de si. "Devemos nos permitir."

A produção musical intercala belas paisagens naturais com os rostos dos coralistas emoldurados pelas telas de computador, cantando “Semente do Amanhã” (Gonzaguinha), acompanhados pela pianista Francine Rigitano. Em uma sequência, embalados pelo piano ritmado em som semelhante ao do movimento de um trem maria-fumaça, eles entoam o clássico “Trenzinho Caipira” (Villa-Lobos/ Ferreira Gullar), enquanto as imagens levam o expectador a uma viagem por frases de motivação.

Todo o processo foi de grande acolhida para minimizar as dificuldades do isolamento, na avaliação da neuropsicóloga Valéria Zucco Strini Matrangolo, coralista de Sertãozinho/SP. "O coral virtual foi uma proposta desafiadora, mas resultou em uma libertação a todos os participantes." Já para o analista de sistemas Júlio César Franco, de Piracicaba/SP, cantar é "um bálsamo" e a participação no coral serviu como porto seguro nesses meses. "Foi a representação do quanto somos fortes juntos, uma atitude de resistência em meio à pandemia", disse.

Na dinâmica do processo, as aulas eram realizadas semanalmente, em uma sala virtual onde todos se encontravam on-line com a pianista e a regente, que é educadora musical especializada em regência coral há mais de 30 anos em Piracicaba e coordena a Teia Vocal, programa que proporciona a música como ferramenta de desenvolvimento humano. Apesar da carreira, essa foi sua primeira experiência com coral virtual. "Estou feliz porque deu muito certo. Diferente do coral presencial, em que todos se ouvem, virtualmente as aulas privilegiavam a percepção da própria voz, do ouvir-se sozinho e tomar consciência individual”, destaca Tânia.

Foi justamente essa dúvida que despertou a curiosidade do projetista Salvador Blat Anton, de Piracicaba. Ele não acreditava que pudesse ser possível o canto coral virtual, pois já participava presencialmente e confiava que, uma característica dessa atividade, era a soma das vozes em uníssono. "On-line, todos cantariam separados, mas essa experiência somou pelo desejo de fazermos juntos."



Projeto renovado
O projeto de canto coral começou a ser desenvolvido presencialmente pela regente Tânia em agosto de 2017, com patrocínio da Oji Papéis Especiais, envolvendo funcionários e moradores do Bairro Monte Alegre, onde a empresa está instalada. Em 2018, ganhou apoio da Lei de Incentivo à Cultura, com realização da Secretaria Especial da Cultura e Ministério do Turismo.

Com a pandemia, tudo precisou de adaptação e, para dar continuidade ao objetivo de proporcionar às pessoas o contato com a linguagem musical e com o desenvolvimento pessoal por meio de exercícios rítmicos, corporais, de respiração, técnica vocal e experiências que vão além do cantar, Tânia decidiu encarar o desafio de formar um coral virtual.

Encantada pela proposta virtual, a Oji Papéis Especiais patrocinou novamente o desafio por intermédio da Lei de Incentivo à Cultura, com realização da Secretaria Especial da Cultura e Ministério do Turismo. Para Mônica Salles, do departamento de Comunicação e Sustentabilidade da Oji, "o Coral Canto Alegre atua com competências humanas que extraem o melhor dos participantes". A atividade, segundo Mônica, envolve autoestima, disciplina, concentração, trabalho em equipe e sentimento de pertencimento a um propósito coletivo e de bem. "Por isso, a Oji Papéis entende o valor desse projeto, que cuida das pessoas de uma forma muito especial.”

Um dos desejos de Tânia, da pianista Francine e de todos os coralistas, é que o projeto possa ter continuidade e se expandir futuramente. "O Coral Canto Alegre é outra forma de se autoconhecer, por outro ângulo, trabalhar com vivências musicais como um caminho além do desenvolvimento musical, mas de reflexão sobre a vida e as relações humanas”, ressalta a regente."


Para conferir a produção musical, assista o Coral Canto Alegre no Youtube (clique aqui).


Ficha Técnica Audiovisual
A produção audiovisual do Coral Canto Alegre tem regência e coordenação de Tânia Pacca Perticarrari, piano de Francine Rigitano, assistência de produção de Maria Angela Perecin Foltram, organização de mensagens Sandra Regina de Oliveira e edição de Lucas Galli. Músicas: "Semente do Amanhã" (Gonzaguinha/arranjo Tânia Pacca/arranjo instrumental Francine Rigitano) e "Trenzinho Caipira" (Villa-Lobos/letra de Ferreira Gullar/arranjo Tânia Pacca/ arranjo instrumental Rubens Ricciardi adaptado por Francine Rigitano)."


Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
16/3/2021 às 11h49

 
Os Doidivanas: temporada começa com “O Protesto”

O casal nunca consegue ficar livre de confusão.

A recém-empossada líder comunitária já está provocando a maior confusão entre os moradores da Vila das Mercês. Para se ter uma ideia, o primeiro ato oficial foi justamente reajustar em 100% o valor da contribuição da comunidade às atividades da entidade. Izilda (Kate Dias) ficou bastante irritada e o pobre Zoroastro (Anselmo Dequero) desesperado!

“O Protesto”, primeiro episódio da terceira temporada de “Os Doidivanas”, disponível nas principais plataformas de podcasts do país, retrata de forma bastante divertida as extravagâncias e imprudências deste casal de meia idade que parece não se habituar às ditas “modernidades”. Izilda e Zoroastro resgatam a tradição dos programas de humor no rádio.

A terceira temporada terá 26 episódios inéditos, sempre às quintas-feiras, a partir das 20h. “O podcast foi uma alternativa aos fechamentos dos teatros em decorrência da pandemia do coronavírus. Desta forma, nos vimos obrigados a adaptar o texto para podcast, uma maneira super interessante de apresentar o trabalho”, disse o ator e diretor Anselmo Dequero.

Para ouvir, clique aqui.

Site | Redes Sociais


Temporadas

“Os Doidivanas” possuem ouvintes-internautas em 11 países. Além do Brasil, a plataforma de hospedagem confirma o acesso de brasileiros que vivem na Alemanha, Espanha, Estados Unidos, França, Irlanda, Lituânia, Portugal, Reino Unido, Rússia e Singapura. “Para nós, uma grande honra e uma imensa surpresa a audiência em todos esses países”, concluiu.

Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
5/2/2021 às 13h12

 
Visibilidade Trans: “Elise” chega ao Youtube.

Natasha Sahar, Lara Oliver e Kate Dias durante apresentação do espetáculo.

O espetáculo “Uma História para Elise” ganhou uma versão compacta para o YouTube. A produção do PoloAC (Polo Artístico-Cultural), com 31,5 minutos de duração, apresenta o relato comovido de três artistas da noite sobre a violência policial; uma tentativa de impedir os atos de agressão que sempre resultavam em dores (e muitos constrangimentos) às profissionais.

A produção, que também celebra o Dia da Visibilidade Trans, descreve a investigação sobre o sumiço de uma das artistas da boate da Rua XII, colocando em dúvida o depoimento de Albertina (Natasha Sahar), Bernardina (Lara Oliver) e Campesina (Kate Dias), personagens coadjuvantes da casa noturna. O espetáculo é resultado de uma oficina de pesquisa cênica.

A versão compacta descreve parte do cotidiano vivenciado por três artistas – duas delas transexuais – de uma boate cujo mistério em relação ao desaparecimento da principal personagem revela a hostilidade e a violência praticadas por um oficial de Justiça; Antero da Redenção buscava por respostas, mas ignorava o cuidado e o devido respeito às profissionais.

“O oficial de justiça acreditava que as artistas podiam esclarecer o mistério em torno do desaparecimento de Elise, que não deixou vestígios. Mas, para isso, usou do ‘rigor da Lei’ para conseguir as informações. Antero da Redenção é agressivo e parece não se incomodar com a violência, principalmente contra Campesina”, disse o escritor e diretor Anselmo Dequero.


Para ter acesso ao vídeo, clique aqui
.

Elenco
A montagem do espetáculo reúne as atrizes transexuais Kate Dias – Conservatório Carlos Gomes, em Campinas/SP –, Lara Oliver – formação em teatro burlesco por escolas de arte dramática de Paris – e a drag queen Natasha Sahar, referência no cenário LGBTQI+ no país. “Além do talento natural, todas conhecem a realidade deste cenário artístico”, afirmou.

Para Anselmo Dequero, a experiência profissional destas artistas pode ser considerada um diferencial nesta montagem de “Uma História para Elise”. “Na prática, todas trabalham ou já trabalharam em casas e boates destinadas ao público LGBTQI+ do Brasil e exterior. Por isso, trazem, além da disposição, bagagem para falar sobre os percalços da profissão”.


BLOG | Site


Visibilidade Trans
A fim de ampliar a divulgação do material ao YouTube, as artistas produziram videochamadas a partir do relato de agressões e violências cometidas contra transsexuais. São três vídeos com os depoimentos de Kate Dias, Lara Oliver e Natasha Sahar. “Além da divulgação do espetáculo, a intenção foi alertar o público para este tipo de violência”, disse Lara Oliver.

A atriz lembrou que o Brasil é o país que mais mata transsexuais, segundo um levantamento realizado pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra). “Este é um dado muito alarmante, mas que infelizmente passa despercebido pela maioria das autoridades. Por isso, não podemos nos calar ante às agressões e violências”, finalizou a atriz.

Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
29/1/2021 às 13h35

 
Kate Dias vive Campesina em “Elise

Atriz afirma que personagem é vótima de violência.

O ciúme a torna muito indiferente e a ironia a deixa bastante irritada! Esta a definição da atriz Kate Dias à Campesina, sua personagem em “Uma História para Elise”, do diretor Anselmo Dequero, que tem estreia prevista para a primeira quinzena de dezembro. O espetáculo conta ainda com as atrizes Lara Oliver e Natasha Sahar e produção geral de Vinícius Silva.

O espetáculo narra a história de três artistas que trabalham na Estrelinha da Praça, uma das mais tradicionais boates da Rua XII, em um subúrbio qualquer de um grande centro urbano. As artistas são constantemente vítimas da violência desenfreada de um oficial de justiça que busca incansavelmente por Elise, considerada a principal estrela desta casa noturna.

Neste contexto, Campesina é obrigada a criar “Uma História para Elise” a fim de garantir o fim da violência provocada pelo oficial de justiça. “A personagem é amável, distraída e confia demais nas pessoas. Mas já estava cansada de tanta violência cometida por Antero da Redenção – o tal oficial de justiça –, que sempre saía ileso dos atos criminais”, comenta a atriz.

Kate Dias explica que, com o apoio de Albertina (Natasha Sahar) e Bernardina (Lara Oliver), é obrigada a criar um enredo fictício para garantir que Antero da Redenção nunca consiga encontrar Elise na boate da Rua XII. “O texto traz revelações, surpresas sobre esta atuação desenfreada do oficial de justiça com as demais artistas da boate da Rua XII”, diverte-se.


BLOG | Site


Kate Dias
Formada em Artes Cênicas pelo Conservatório Carlos Gomes, de Campinas/SP, Kate Dias atuou e produziu diversos espetáculos infanto-juvenis criados para os alunos de unidades públicas e privadas de ensino. Nesse período, também se empenhou nas atividades de pesquisa cênica voltadas à Farsa, gênero teatral que se fundamenta em espetáculos cômicos populares.

Nos últimos anos, a atriz também passou a se dedicar às pesquisas sobre o Teatro do Absurdo e, ainda, à personagem “Kate Marrone”, uma debochada – e decadente – atriz de cabaré. “Com esta personagem, por exemplo, me apresentei em boates e casas noturnas de todo o Estado de São Paulo, o que me serviu de base à criação de Campesina”, completou Kate Dias.

Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
22/1/2021 às 22h55

 
Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”

Publicação é resultado de pesquisa de Tåmires Souza.

O livro “Ninha, a Bolachinha”, resultado de pesquisa realizada pela publicitária e escritora Tåmires Souza, foi lançado no fim do ano passado pela Editora Sinna como aposta de entretenimento e divertimento ao público infantil. A publicação – inédita em nível nacional – está disponível no site da editora.

Elaborado de forma lúdica e criativa, “Ninha, a Bolachinha” apresenta a história da delicada e pequena bolacha Maria (Ninha). “Esta personagem foi resgatada de uma grande e poderosa indústria pela querida tia Alberta, que decide leva-la para a cidade de São Biscoito de Polvilho”, comenta a escritora.

Nesta cidade, Tåmires Souza disse que a bolachinha terá que superar grandes desafios, como os relacionados à ansiedade, à baixa autoestima, ao medo e à rejeição. “Ninha descobre, no entanto, que o apoio de amigos pode ser fundamental. Por isso, passa a contar com o carinho de Tida, uma goiabinha feliz, Rudi, um tubinho muito mal-humorado e Drogo, um pãozinho de mel animado.”

Em meio a todos os desafios, Ninha ainda precisará salvar a receita do amável confeiteiro da vilã que deseja roubá-la com o intuito de criar um pó mágico e muito especial. “Esta história é comovente e o enredo bastante inspirador. Espero que todos possam se entreter e se divertir com Ninha”, declarou.


Produção
O segundo livro da publicitária e escritora Tåmires Souza, com previsão de lançamento para o fim deste semestre, promete uma aventura medieval às crianças. “Os textos foram elaborados com fundamento no depoimento de pais e educadores que já tiveram acesso à primeira publicação”, complementou.


Venda
“Ninha, a Bolachinha” está disponível no site da Editora Sinna. Para adquirir a publicação, clique aqui.


Contato
E-Mail | Instagram | Whatsapp


Sobre a Autora
O universo de histórias infantis sempre marcou a trajetória de Tåmires Souza. Desde criança, aprecia as obras literárias destinadas ao público infantil e infanto-juvenil, com destaque às que deram origem aos desenhos animados e filmes com super-heróis (e também super vilões)!

Os clássicos da literatura nacional, assim como os produzidos pela indústria cultural em todo o mundo, serviram – e ainda servem – de base à autora, que também ama animais e brigadeiros. Tamires Souza é uma destas profissionais modernas e multimídia, que circulam com absoluta tranquilidade e profissionalismo entre escrita, fala e imagem.

Ela também tem o dom de deixar as pessoas sempre mais felizes e melhores; e adora distribuir abraços quentinhos.

Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
20/1/2021 às 19h45

 
“Elise”: Lara Oliver representa Bernardina

Apresentação virtual será em 29 de janeiro.

A tradicional boate da Rua XII infelizmente não representa mais nenhuma novidade a Bernardina, personagem da atriz Lara Oliver em “Uma História para Elise”. A experiente profissional não esconde sua insatisfação com o trabalho que realiza; também não esconde seu descontentamento com outras personagens da boate nesta trama do diretor Anselmo Dequero.

“Uma História para Elise” relata o cotidiano de três artistas que trabalham na Estrelinha da Praça – como é conhecida a boate da Rua XII –, num subúrbio qualquer de um grande centro urbano. Neste contexto, as artistas são constantemente vítimas da violência de um oficial de justiça que busca por Elise, considerada a principal estrela desta casa noturna.

Para escapar das agressões do homem da Lei, Bernardina se junta à Albertina (Natasha Sahar) e Campesina (Kate Dias). “Na verdade, Bernardina não queria manter contato com as demais artistas da boate. Mas, por forças da ocasião, viu-se obrigada a juntar forças para inventar uma história que o convencesse de que nada sabia sobre Elise”, afirmou Lara Oliver.

A atriz explicou que a experiência adquirida na noite deixou a personagem bastante amargurada e, por vezes, irritada. “Bernardina já estava cansada de tudo e de todos, mas já não tinha muitas forças para recomeçar. Por isso, deixou de esconder sua amargura e insatisfação com o trabalho. Apesar de tudo, é uma artista muito interessante”, complementou.


BLOG | Site


Lara Oliver
A atriz atuou em diversas casas noturnas e boates ao público LGBTQI+ de Paris, onde morou por oito anos. Neste período, especializou-se em arte burlesca, além de ter participado de oficinas e workshops voltados às artes cênicas. “Foi um período importante de aprendizado, pois ampliei os conhecimentos que possuía da época em que atuava no Brasil”, garantiu.

Lara Oliver também integra o grupo de pesquisa cênica do Polo Artístico-Cultural (PoloAC) voltado à Farsa e ao Teatro do Absurdo. Também integra outros projetos da companhia, inclusive os desenvolvidos às plataformas de podcasts. “Acredito que o aprendizado seja contínuo em artes cênicas, como em praticamente tudo que ocorre em nossa vida”.

Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
19/1/2021 às 19h23

 
Os preparativos para a popular Festa de Réveillon

Casal investiu pesado para a festa deste ano.

O casal mais extravagante e imprudente da Vila das Mercês se prepara para a tradicional Festa de Réveillon, que será realizada no salão do centro comunitário. Mas, antes da celebração, Izilda (Kate Dias) parece mais uma vez irritada com Zoroastro (Anselmo Dequero), que decidiu tomar conta do único banheiro da casa. Já imaginou a confusão?

Os dois últimos episódios da segunda temporada – e também os últimos de 2020 – de Os Doidivanas trazem mais um pouco das trapalhadas do casal durante os preparativos para a Festa de Réveillon (episódio 24) e durante o maior evento do bairro (episódio 25). Os episódios estão imperdíveis. O casal parece se superar”, disse Anselmo Dequero.

O ator explicou que os episódios inéditos voltarão às plataformas de podcasts a partir de 04 de fevereiro de 2021. “Após as férias, elenco e produção irão se reunir para a produção dos episódios. No total, serão mais 25 episódios – entre a quarta e a quinta temporadas – de Os Doidivanas, conforme a proposta original do PoloAC”, completou.

Para ouvir, clique aqui.

Site | Redes Sociais


PicPay

O PoloAC criou uma forma especial para que o ouvinte-internauta possa contribuir com o projeto cultural. Por meio do PicPay – aplicativo de pagamentos digitais – é possível fazer doações à manutenção e ampliação da série de humor, que, em breve, chegará aos palcos. Para isso, clique aqui! Siga as orientações e pronto! Sua ajuda é muito importante!!!

Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
31/12/2020 às 17h56

 
Clownstico de Antonio Ginco no YouTube

Antonio Ginco em "À Quem do Sentimernto Explodiu" (Imagem: Renato Grieco).

Desmistificar o ridículo sem medo da exposição e das revoltas desafinadas; sem medo dos protestos contra a consequente injustiça e as infinitas possibilidades do fazer artístico. Esta foi a definição do ator, escritor e diretor teatral Antonio Ginco à “personagem” Clownstico, disponível no YouTube – maior plataforma de compartilhamento de vídeos em nível mundial.

Clownstico é resultado de um projeto inédito que tem por finalidade mover palavras e atos que procuram inspirar e provocar o internauta. “Quando a pandemia nos enclausurou, nossa arte precisou expandir. E como artista, não poderia deixar de me levar pela angustia, impotência ou tédio. Afinal, o artístico é justamente aquilo que sou e faço de melhor”, disse.

Antonio Ginco explicou que a personagem nasceu após um “tempo de maturação” – ou de quarentena, como também costuma defender –, fundamental à elaboração do projeto que desenvolve em parceria com o companheiro Renato Grieco, responsável pela fotografia e edição dos vídeos.

“Com a pandemia do coronavírus, que atualmente ainda nos impossibilita de promover a arte (tradicional) presencial, outras formas de existência tiveram que ser adaptadas pelos artistas. Por isso, ante o cancelamento de temporadas de espetáculos teatrais e gravações – cinema e TV –, optamos por algo mais intimista, mas ainda muito provocador”, afirmou.

“Clownstico” tem seis episódios no Youtube. No primeiro, Antonio Ginco interpreta “À Quem do Sentimento Explodiu”, que escreveu 41 anos atrás. “Quero muito mais que você quis querer; trancafiei um universo e dele nem o verso me escapará. Sou sincero comigo e não me importa a humanidade; ou me importa a humanidade porque sou sincero comigo”.


Para ter acesso ao canal do YouTube clique aqui.


Instagram
Antonio Ginco | Renato Grieco


Projeto
O ator, escritor e diretor teatral também explicou que pretende ampliar o projeto a fim de garantir a ampla abordagem dos temas culturais, sociais e políticos. A intenção, segundo ele, e promover a análise e a discussão destes temas que passam despercebidos diante de outras “prioridades”.

“Clownstico ainda está na fase inicial, mas a ideia é ampliar a produção e, consequentemente, as discussões que tanto parecem nos incomodar. O primeiro episódio deste projeto chegou à plataforma de compartilhamento de vídeos no dia primeiro de outubro e, desde então, estamos escrevendo e nos empenhando em produzir mais vídeos”, finalizou Antonio Ginco.

Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
26/12/2020 às 15h26

 
A Ceia de Natal de Os Doidivanas

Zoroastro e izilda posam para a foto de Natal!

A melhor ceia de Natal da tradicional Vila das Mercês será muito especial neste ano! Pelo menos, esta a expectativa de Izilda (Kate Dias) e Zoroastro (Anselmo Dequero) com as compras no supermercado do bairro para o melhor jantar de toda a vizinhança. Como de costume, o casal sempre compra o que há de melhor para impressionar os convidados.

“Na verdade, os dois decidem romper a barreira do que realmente é necessário para poder impressionar os vizinhos do bairro. Por isso, compram diversos produtos, das melhores marcas, para garantir que todos fiquem surpresos com o poder aquisitivo do calas. E, claro, tudo isso garante o enredo dos episódios especiais de Natal”, completa Kate Dias.

A atriz explica que as confusões do casal mais popular da Vila das Mercês começam ainda no supermercado e chegam à ceia de Natal. “Izilda está sempre ligada nos 220 volts, enquanto Zoroastro parece movido a querosene. Esta falta de sintonia deixa tudo confuso e muito engraçado. Você não pode perder os episódios 22 e 23 do podcast”, diverte-se.

Para ouvir, clique aqui.

Site | Redes Sociais


PicPay

O PoloAC criou uma forma especial para que o ouvinte-internauta possa contribuir com o projeto cultural. Por meio do PicPay – aplicativo de pagamentos digitais – é possível fazer doações à manutenção e ampliação da série de humor, que, em breve, chegará aos palcos. Para isso, clique aqui! Siga as orientações e pronto! Sua ajuda é muito importante!!!

Conteúdo PoloAC

[
Comente este Post]

Postado por Githo Martim
26/12/2020 às 15h09

Mais Posts >>>

Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Um Capitão de Quinze Anos
Julio Verne
Matos Peixoto



Como os Homens Sentem
Anthony Astrachan
Imago
(1989)



Guardachuvando Doideiras
Sylvia Orthof
Ed. Atual
(1992)



Histórias e Personagens da Vista Chinesa
Luiza Mussnich, Alex Ward e outros
Id Cultural
(2017)



Poemas de Minha Terra
Fernando Martins Braga
Espaço do Autor
(2003)



Revista do Tribunal Superior do Trabalho Vol. 71 Nº 2 Maio/ago
Vantuil Abdala
Sintese
(2005)



Letras de Hoje Nº 104 Jun 1996
Puc Rio Grande do Sul
Puc Rio Grande do Sul
(1996)



Viva Melhor Com a Medicina Natural
Luiz Carlos Costa
Vida Plena
(1996)



A primeira carta do apóstolo Paulo à comunidade de Corinto: Um comentário exegético-teológico
Gottfried Brakemeier
Sinodal
(2008)



Imprensa na Berlinda - a Fonte Pergunta
Norma S. Alcântara e Outros
Celebris
(2005)




>>> A Lanterna Mágica
>>> BLOG DO EZEQUIEL SENA
>>> Githo Martim
>>> Abrindo a Lata por Helena Seger
>>> Blog belohorizontina
>>> Blog da Mirian
>>> Blog da Monipin
>>> Blog de Aden Leonardo Camargos
>>> Blog de Alex Caldas
>>> Blog de Ana Lucia Vasconcelos
>>> Blog de Anchieta Rocha
>>> Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ
>>> Blog de Angélica Amâncio
>>> Blog de Antonio Carlos de A. Bueno
>>> Blog de Arislane Straioto
>>> Blog de CaKo Machini
>>> Blog de Camila Oliveira Santos
>>> Blog de Carla Lopes
>>> Blog de Carlos Armando Benedusi Luca
>>> Blog de Cassionei Niches Petry
>>> Blog de Cind Mendes Canuto da Silva
>>> Blog de Cláudia Aparecida Franco de Oliveira
>>> Blog de Claudio Spiguel
>>> Blog de Dinah dos Santos Monteiro
>>> Blog de Eduardo Pereira
>>> Blog de Ely Lopes Fernandes
>>> Blog de Enderson Oliveira
>>> Blog de Expedito Aníbal de Castro
>>> Blog de Fabiano Leal
>>> Blog de Fernanda Barbosa
>>> Blog de Geraldo Generoso
>>> Blog de Gilberto Antunes Godoi
>>> Blog de Hector Angelo - Arte Virtual
>>> Blog de Humberto Alitto
>>> Blog de Isaac Rincaweski
>>> Blog de João Luiz Peçanha Couto
>>> Blog de JOÃO MONTEIRO NETO
>>> Blog de João Werner
>>> Blog de Joaquim Pontes Brito
>>> Blog de José Carlos Camargo
>>> Blog de José Carlos Moutinho
>>> Blog de Kamilla Correa Barcelos
>>> Blog de Lourival Holanda
>>> Blog de Lúcia Maria Ribeiro Alves
>>> Blog de Luís Fernando Amâncio
>>> Blog de Marcio Acselrad
>>> Blog de Marco Garcia
>>> Blog de Maria da Graça Almeida
>>> Blog de Nathalie Bernardo da Câmara
>>> Blog de onivaldo carlos de paiva
>>> Blog de Paulo de Tarso Cheida Sans
>>> Blog de Raimundo Santos de Castro
>>> Blog de Renato Alessandro dos Santos
>>> Blog de Rita de Cássia Oliveira
>>> Blog de Rodolfo Felipe Neder
>>> Blog de Sonia Regina Rocha Rodrigues
>>> Blog de Sophia Parente
>>> Blog de suzana lucia andres caram
>>> Blog de TAIS KERCHE
>>> Blog de Thereza Simoes
>>> Blog de Valdeck Almeida de Jesus
>>> Blog de Vera Carvalho Assumpção
>>> Blog de vera schettino
>>> Blog de Vinícius Ferreira de Oliveira
>>> Blog de Vininha F. Carvalho
>>> Blog de Wilson Giglio
>>> Blog do Carvalhal
>>> Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
>>> Blog Ophicina de Arte & Prosa
>>> Cinema Independente na Estrada
>>> Consultório Poético
>>> Contubérnio Ideocrático, o Blog de Raul Almeida
>>> Cultura Transversal em Tempo de Mutação, blog de Edvaldo Pereira Lima
>>> Escrita & Escritos
>>> Eugênio Christi Celebrante de Casamentos
>>> Flávio Sanso
>>> Fotografia e afins por Everton Onofre
>>> Impressões Digitais
>>> Me avise quando for a hora...
>>> Metáforas do Zé
>>> O Blog do Pait
>>> O Equilibrista
>>> Relivaldo Pinho
>>> Ricardo Gessner
>>> Sobre as Artes, por Mauro Henrique
>>> Voz de Leigo

busca | avançada
84710 visitas/dia
2,6 milhões/mês