Lembrança de Paulo Brossard | Digestivo Cultural

busca | avançada
30036 visitas/dia
773 mil/mês
Mais Recentes
>>> Segundas de julho têm sessões extras do espetáculo À Espera
>>> Circo dos Sonhos, do ator Marcos Frota, desembarca no Shopping Metrô Itaquera
>>> Startup brasileira levará pessoas de baixa renda para intercâmbio gratuito fora do país
>>> Filho de suicida, padre lança livro sobre o tema
>>> LANÇAMENTO DO LIVRO "DIALÓGOS DE UM RABINO REFLEXÕES PARA UM MUNDO DE MONÓLOGOS" DE MICHEL SCHLESI
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Sob o mesmo teto
>>> O alívio das vias aéreas
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES II
>>> Honra ao mérito
>>> Em edição 'familiar', João Rock chega à 17ª edição
>>> PATÉTICA
>>> Presságios. E chaves III
>>> Minha história com Philip Roth
>>> Lars Von Trier não foi feito para Cannes
>>> O brasileiro e a controvérsia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Passarinho do Twitter
>>> Letra de música é poesia?
>>> A arapuca da poesia de Ana Marques
>>> A Erva do Diabo, de Carlos Castaneda
>>> Recordações da casa dos mortos
>>> Viral Loop, de Adam Penenberg
>>> Lauro Machado Coelho
>>> Voltar com ex e café requentado
>>> O Agressor, de Rosário Fusco
>>> Elke Coelho e a estética glacial-conceitual
Mais Recentes
>>> Apontamentos para a História da Revolução Rio-grandense de 1893
>>> Einstein Apaixonado + Um romance científico
>>> Leonardo, o primeiro cientista
>>> Envie Meu Dicionário + Cartas e Alguma Crítica
>>> O Segredo de Guilherme Storitz
>>> A selva do dinheiro + Histórias clássicas do inferno econômico
>>> Oscarito Nosso Oscar de Ouro
>>> A Nudez da Verdade
>>> Emoções em Prosa e Verso
>>> A Telessaúde no Brasil e a Inovação Tcnológica na Atenção ...
>>> O Pagador de Promessas
>>> O Caçador das Bolachas Perdidas
>>> Juizado Especial: Criação Instalação, Funcionamento e a ...
>>> Meu Querido Canibal
>>> Anjo de Quatro Patas
>>> Vencendo Aflições, Alcançando Milagres
>>> Eles Pedem em Casamento, Elas Pedem o Divórcio
>>> Procurando Firme
>>> Ensino Holístico da Medicina
>>> Depressão e Autoconhecimento: Como Extrair Preciosas Lições ...
>>> Utopia?
>>> Resistência: a História de uma Mulher Que Desafiou Hitler
>>> Uma Herença Preciosa
>>> Prazer uma Abordagem Criativa da Vida
>>> O Retorno Financeiro de Programas de Promoção da Segurança, ...
>>> Confissão de uma Harpista
>>> Os Mestres de Gurdjieff
>>> Proposta para uma Graduação Médica Contemporânea
>>> O Tao da Física
>>> O Santeiro do Mangue e Outros Poemas
>>> Português para Concursos
>>> Bola na Rede: a Batalha do Bi
>>> Paulo Francis Polemista Profissional
>>> Fisiologia e Fisiopatologia do Hormônio de Crescimento
>>> Ser Médico no Brasil - o Presente no Passado
>>> Padre Severino da Pessoa ao Instituto
>>> Micropoderes Macroviolencias
>>> Educação e Tecnologias no Brasil
>>> Cultura e Tecnologias no Brasil
>>> Hupe - Série Rotinas Hospitalares Pediatria 2 Volumes
>>> A Exposição Oral nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - Vol. 3
>>> O Reverso da Logística e as Questões Ambientais no Brasil
>>> Gestão Financeira de Fundos de Pensão
>>> Águias Terrestres - uma Missão Planetária
>>> Homem de Montana
>>> Freud - Pensamento Vivo
>>> Manuelzão e Miguilim
>>> O Poder dos Pêndulos
>>> Confesso Que Vivi
>>> Em Cantos do Ser
BLOG >>> Posts

Domingo, 12/4/2015
Lembrança de Paulo Brossard

+ de 1600 Acessos

Nesta manhã de domingo, aos 90 anos, Paulo Brossard nos deixou. Há muito que se dizer do jurista, do político, do ministro de Estado, do colunista político, do liberal clássico formado sob Raul Pilla que combateu a ditadura militar na sua memorável passagem pelo senado, enfim, do homem público na acepção mais ampla que a expressão pode ter. Muito foi e será dito neste 12 de abril sobre este homem que deve ser lembrado pela posteridade, com todo o merecimento e sem nenhum favor, como um dos principais artífices do Brasil democrático.

Por isso, em meio a tanto que será dito em homenagem a Brossard, quero também dizer algo sobre ele. Será uma pequena, breve contribuição. Mas uma contribuição que, tenho certeza, só poderá ser feita por mim. E por uma razão muito simples, que passa longe de qualquer delírio pretensioso: porque trata-se de uma lembrança pessoal. Uma lembrança que fala pouco de mim, muito dele e dará, creio, bem a medida do homem Brossard. Por isso, e só por isso, é que a deixo aqui.

Era um jantar na casa de meu tio, amigo do ministro desde os tempos de MDB, numa noite fria de junho.de 2011. Lá estavam, entre muitos outros convidados, Brossard, sua esposa e uma de suas filhas. Enquanto estas últimas conversavam com os demais convidados o ministro pediu, gentilmente, para sentar-se em outra mesa. E ali acomodou-se. Tive então a oportunidade de conversar com ele.

Comentei que, havia poucos dias, tinha lido o seu prefácio a "Pequena história territorial do Brasil", de Ruy Cirne Lima. Foi o suficiente para que um discreto sorriso se abrisse no rosto no ministro, talvez pela oportunidade de conversar sobre um tema de sua predileção. Falou então longamente sobre a impressionante familiaridade de Cirne Lima com a tradição jurídica ibérica e ibero-americana, em especial os juristas portugueses e espanhóis do fim da Idade Média e do Renascimento, e lamentou que esta tradição já não fosse tão conhecida dos jovens de hoje.

Perguntou-me então o que estava cursando. Respondi que, naquele ano, concluía o curso de Direito e logo depois o de Letras (este, na verdade, teria de esperar até 2013). Outro sorriso se abriu. Perguntou então quais as minhas áreas de preferência dentro do Direito. Respondi que tinha especial atração pelos temas de Direito Público, Direito Internacional e Teoria do Estado (que seriam, aliás, objeto de minha monografia de conclusão). "Excelente, excelente", disse ele. Sugeriu então - "se lhe posso sugerir algumas leituras", foram suas exatas palavras - que lesse aqueles autores citados por ele com muita atenção. Agradeci e apontei que, no prefácio ao livro de Cirne Lima, ele, Brossard, lembrara que o autor costumava dizer que "as novidades jurídicas têm, em geral, trezentos anos idade". Outro sorriso, desta vez mais aberto, menos comedido: "É verdade, mas não podemos dizer isso por aí".

A conversa estendeu-se por mais umas duas horas e adentrou o jantar. Falamos sobre o estado atual das faculdades de Direito, as exigências que hoje se faz para ingresso na carreira acadêmica (exageradas e tolhedoras, segundo ele), de alguns episódios da política do Império e da República, da importância de Raul Pilla para a formação dos políticos de sua geração e muito mais. Após falar e ensinar muito, interrompido por algumas perguntas minhas - a isso limitei-me - ele virou-se para mim e perguntou: "você está terminando o curso de Letras, não é?". "Sim", respondi. Perguntou então o que achava da crítica que Machado havia feito à obra de Eça de Queirós na famosa resenha de "O Primo Basílio", publicada quando o brasileiro ainda era um iniciante e Eça um nome já consagrado. Respondi que concordava, em parte, e que, embora tivesse apreciado imensamente "O Mandarim", "A Cidade e as Serras" e alguns de seus contos, achava que faltava o conflito interior e autonomia às personagens de Eça, razão pela qual não me sentia tão tentado a lê-lo novamente.

Brossard ouviu tudo atentamente e em silêncio, assentindo aqui e ali. Quando terminei, indagou: "Já leu os artigos de opinião dele?". Respondi que, salvo um ou outro ensaio, não havia lido. Ele sugeriu que os procurasse. "Ali está algo do que melhor se escreveu em português no que se refere ao humor e à sátira", disse ele. Agradeci a indicação. Logo depois, Brossard foi chamado pela esposa e a filha para irem para casa. Já passara da meia noite. Levantamos e nos despedimos, não sem antes o ministro agradecer a companhia e a conversa e eu a imensa generosidade da companhia, das lições e da oportunidade única. Oportunidade que agora recordo, certo de que o homem que a concedeu fará uma irreparável falta.



Postado por Celso A. Uequed Pitol
Em 12/4/2015 às 15h27


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nick Denton sobre Peter Thiel de Julio Daio Borges
02. Janine Ribeiro na Educação de Julio Daio Borges
03. 6 de Julho #digestivo10anos de Julio Daio Borges
04. 12 de Maio #digestivo10anos de Julio Daio Borges
05. 1 de Maio #digestivo10anos de Julio Daio Borges


Mais Celso A. Uequed Pitol no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




STALINGRADO O PRINCIPIO DO FIM
GEOFFREY JUKES
RENES
(1974)
R$ 10,00



HAMBRE DE TIERRA
MARILIA KLAUMANN CANOVAS
COMPANHIA NACIONAL
(2010)
R$ 29,99



DE TUDO UM POUCO - 15479
VANDA JOSE
EDICON
(1989)
R$ 5,00



O REDENTOR
JO NESBO
RECORD
(2012)
R$ 16,00



BUGRINHA - CLÁSSICOS BRASILEIROS
AFRANIO PEIXOTO
EDIÇÕES DE OURO
(1976)
R$ 8,83



A NOVA ECONOMIA INTERNACIONAL
REINALDO GONÇALVES E OUTROS
CAMPUS
(1998)
R$ 45,00



ACUPUNTURA CLÍNICA
M. TETAU; H. M. LERNOUT
ANDREI
(1985)
R$ 150,00



CLARO ENIGMA
CARLOS DRUMOND DE ANDRADE
COMPANHIA DAS LETRAS
(2018)
R$ 25,00



CÉLULAS-TRONCO HUMANAS
JULIO LUIS MARTÍNEZ
LOYOLA
(2005)
R$ 21,00



POEMAS DE ALAVARO DE CAMPOS E FERNANDO PESSOA
ALAVARO DE CAMPOS E FERNANDO PESSOA
COMPANHIA DAS LETRAS
(2018)
R$ 25,00





busca | avançada
30036 visitas/dia
773 mil/mês