Anos oitenta - Segundo texto - Acabou Chorare | Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ

busca | avançada
35423 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Lançamento de livros em Natal
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Michael Jackson Tweeting
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> Troca-troca
>>> Harry, Rony e Hermione
>>> A comédia de um solteiro
>>> O palhaço, de Selton Mello
Mais Recentes
>>> Kit Terapia da Vida, da Aceitação, do Perdão de Lisa Engelhardt/david W. Schell pela Paulus (2019)
>>> O Mundo O Brasil O Homem de Darcy Bessone de Oliveira Andrade pela UFMG (1966)
>>> O Mundo O Brasil O Homem de Darcy Bessone de Oliveira Andrade(Autografado) pela UFMG (1966)
>>> Para Enriquecer, Pense como um Milionário de Howard E.Hill pela Ibrasa (1969)
>>> Domine o Seu Sistema Nervoso de David Harold Fink, M.D. pela Cientifica
>>> O Ateneu (Crônica de Saudades) - Série Bom Livro de Raul Pompéia pela Ática (1976)
>>> A Relíquia - Biblioteca Folha nº 6 de Eça de Queiroz pela Ediouro (1997)
>>> O Caçador de Nuvens - Poemas de Messias Marcelino Lopes pela Casa do Novo Autor (2011)
>>> Do Renascimento ao Impressionismo através das obras do... de Alberto Tassinari pela Berlendis & Vertecchia (1995)
>>> As 25 Leis Bíblicas do Sucesso de William Douglas e Rubens Teixeira pela Sextante (2012)
>>> Rezar os Salmos Hoje de Francisco Teixeira / Carlos Mesters pela Livraria Duas Cidades (1970)
>>> Cristo está Vivo de Michel Quoist pela Livraria Duas Cidades (1973)
>>> Padres e Bispos Auto-Analisados de João Mohana pela Livraria Agir (1967)
>>> Sofrer e Amar (Psicologia do Sofrimento) de João Mohana pela Livraria Agir (1966)
>>> O Mundo e Eu de João Mohana pela Livraria Agir (1967)
>>> Amor e Responsabilidade de João Mohana pela Livraria Agir (1966)
>>> O Encontro de João Mohana pela Livraria Agir (1976)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. XI - Edição do Centenário - 1947 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1947)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. IX - Edição do Centenário - 1947 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1947)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. XIII ...- Edição do Centenário - 1948 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1948)
>>> Obras de Eça de Queiroz Vol. III... - Edição do Centenário 1946 - Formato Grande de Obras de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1946)
>>> Santa - Helena de Octave Aubry pela Irmãos Pongetti
>>> O Retrato de Valentina de Afonso Schmidt pela Inst.Progresso Ed. (1948)
>>> Sainte Thérèse d'Avila/Lazarillo de Tormès/Christophe Colomb de Georges Haldas et José Herrera Petere pela Rencontre Lausanne (1963)
>>> Desenvolvimento Sustentável no Amapá: Uma visão crítica de Alain Ruellan/ Manuel Cabral e Nilson... pela Fund.João Mangabeira (2007)
>>> As Intermitências da Morte de José Saramago pela Companhia das Letras (2005)
>>> A Verdade Acima de Tudo de Eric Knight pela Universitária (1941)
>>> A Oração Pode Mudar Sua Vida de José Lázaro Boberg pela EME (2008)
>>> O Analista de Bagé de Luís Fernando Veríssimo pela Círculo do Livro
>>> Noventa e Três de Vitor Hugo pela Livraria Chardron
>>> Hacia La Estación de Finlandia de Edmund Wilson pela Alianza Ed.Madrid (1972)
>>> O Poder da Mente Humana em 9 volumes de Vários Autores pela Loyola
>>> Direito Penal em 4 volumes de E.Magalhães Noronha pela Saraiva (1973)
>>> Curso de Eletrônica volume 1 de U.S.Navy, Bureau of Naval Personnel... pela Hemus (1976)
>>> Superdicionário Língua Portuguesa de Francisco Fernandes/ Celso Pedro Luft pela Globo (1999)
>>> E Se Fosse Com Você? de Sandra Saruê pela Melhoramentos (2011)
>>> Deu no New York Times de Larry Rohter pela Objetiva (2007)
>>> Mega Dicionário de Termos Técnicos e Populares: da Saúde de Eduardo Nogueira pela Rovelle (2007)
>>> Rosas do Brasil de Sérgio Schaefer pela Edunisc (2006)
>>> Rosas do Brasil de Sérgio Schaefer pela Edunisc (2006)
>>> Novo Curso de Direito Civil Volume I Parte Geral de Pablo Stolze Gangliano e Rodolfo Pamplona Filho pela Saraiva (2007)
>>> Uma Execucao na Familia: a Jornada de um Filho de Pais Condenados A... de Robert Meeropol pela Casa Amarela (2006)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Economia (2002)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Economia (2002)
>>> Vexame -os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou o Sistema Financeiro de Paul Blustein pela Record (2002)
>>> A Dinâmica da Estratégia Competitiva de George S. Day e Outros pela Campus (1999)
>>> Travessia do Pantanal de Luís M. Neto - Maria T. Büchele pela Nova Letra (2006)
>>> Veronika Decide Morrer e o Zahir - Dois Livros de Paulo Coelho pela Sextante (2012)
>>> Direito Constitucional e Direito Administrativo de Aglair Figueiredo Villas Couto pela Impactus (2006)
>>> O Livro de Ouro da Mitologia - Historias de Deuses e Herois de Thomas Bulfinch pela Agir (2019)
BLOGS >>> Posts

Quarta-feira, 13/5/2015
Anos oitenta - Segundo texto - Acabou Chorare
ANDRÉ LUIZ ALVEZ

+ de 800 Acessos

Não, eu não vou reclamar de nada. Eu era muito novo naquele inicio do ano de 1972, recém havia completado dezessete anos. Acontece, porém, que eu estava apaixonado e um jovem apaixonado se perde facilmente no mundo de fantasias que cria e no qual existia apenas a linda moça dos longos cabelos negros, dos olhos miúdos e dona da voz que calava as outras sereias. Sim, eu era novo, mas era sonhador e determinado de um tanto que não me incomodei quando ela me apresentou o cabeludo que chamou de amigo. Simpático ao extremo, Pepeu apertou com força a minha mão e sem querer acabou ferindo o meu dedo anelar. Quando ela me convidou para ir morar no sítio de Jacarepaguá, sorri feito o menino que eu era já convencido que o meu caminho seria o mesmo pelo qual Bernadete seguisse. No fim daquele dia, ela me ofereceu um baseado. Fiquei com medo na hora, mas acabei cedendo e traguei levemente a bagana. Ela riu da minha falta de jeito e alongou as pernas, deixando escapar, pela fresta do vestido branco, a coxa roliça que paralisou meu olhar: "fume mais um pouco. - abriu um leve sorriso e os olhos miúdos brilharam - Você pode fazer tudo, desde que possua e não seja possuído, entende?" e me passou de novo a bagana que dessa vez traguei com gosto e logo depois cai numa risada desenfreada, mergulhando meus dedos num copo de cerveja. Enquanto Pepeu dedilhava com total desenvoltura as cordas do violão, perdi um longo tempo imaginando como faria para o meu cabelo crescer como o dele, ser brilhoso do mesmo tanto e a cara que eu faria quando fosse assoprar as mechas que certamente dançariam na minha testa. E o mundo se calava por instantes quando Bernadete resolvia cantar. Ela começava fechando os olhos e logo depois parecia adentrar num outro mundo, gemendo de mansinho, balançando a cabeça, fazendo a dança dos cabelos e eu me via completamente perdido de paixão. Cantou "A rosa e o espinho" de um jeito diferente, só dela, e me perdi num mundo só meu e de Bernadete, que no final deslizou pelo chão até os meus braços e adormeceu fazendo carinho na minha mão fedida de cerveja. Não sei quanto tempo passei junto dela, mas até hoje, quando penso, imagino a eternidade sob as luzes do campo, perseguido pela sombra do rapaz que tocava guitarra para a moça dos cabelos negros cantar e dançar. Eu ignorava completamente os outros cabeludos que moravam junto dela no sítio de Jacarepaguá. Apenas Pepeu merecia minha atenção, talvez porque era exatamente o único que prestava atenção em mim e que, sem perceber minha paixão pela mesma moça, confessou, num cair de noite, depois de duas tragadas seguidas no baseado que eu havia recém terminado de fazer, a fina dor do lado esquerdo do peito que aos poucos lhe consumia sempre que seus grandes olhos cruzavam com os miúdos olhos de Bernadete. Eu não queria admitir, mas era perceptível que ele era correspondido enquanto eu, ah, pobre de mim, era apenas uma das tantas pessoas que ela devotava carinho. No madrugada que fui embora, meus passos finos e o jeito cuidadoso com que desviei dos entulhos perto da porta, não foram suficiente para que escapasse despercebido. Paulinho olhou para mim no seu jeito desconfiado e cutucou Luiz Galvão que cochilava ao seu lado. Luiz era o mais avoado, parecia sempre flutuar, como se tivesse uma nuvem permanente sob seus pés. Coçou os olhos antes de me perguntar: "- Aonde você vai, guri?" E eu respondi com a boca ainda grudada de saliva da noite mal dormida. - Vou-me embora, acabou chorare. E Moraes se ergueu atrás dele: "- O que você disse?" Estava com a cabeça zonza e não consegui repetir a frase. Um senhor magricelo que passou a noite tocando violão e cantando com os cabeludos, envoltos numa densa nuvem da fumaça do que chamou canabis, apanhou as chaves do carro num canto e ordenou: - Venha, estou indo para o centro e vou lhe dar carona. Obedeci sem questionar. O homem magricelo tinha no timbre da voz uma espécie de ordenança, o que dizia se transformava numa ordem inegociável. No caminho, o homem, que se chamava João e era famoso, foi me contando algumas histórias e rindo a cada tropeço meu, que concordava antes que finalizasse a pergunta, coberto pela falta de resposta, ora e vez coçando os olhos que ardiam, estranhando cada vez mais o seu jeito um tanto intimista, como se eu fosse uma espécie de velho conhecido. Pisava destemido no acelerador e falava ao mesmo tempo, mantendo o rosto virado na minha direção, encolhido no banco do carro, apavorado ao perceber que ele avançava em todos os faróis fechados, sem se importar para o meu rosto de espanto, que aumentou consideravelmente quando ele freou abruptamente o carro diante do único sinal verde do caminho, no exato instante que à nossa frente cruzou um caminhão em alta velocidade. Respirei fundo, ajeitei o corpo e limpei da testa, com as costas das mãos, o suor que escorria. Só então olhei para o seu Gilberto e vi diante de mim uma espécie de anjo. Não havia outra explicação para aquele sorriso aberto, como se soubesse exatamente o que iria acontecer. Os dedos finos, que tocava violão como ninguém, engatou a marcha para frente e pisou novamente no acelerador, calmo dessa vez e eu fiquei admirado quando ele começou a assoviar as mesmas canções que desafinava ao cantar, sem se importar com que pensavam as outras pessoas. Seu rosto enigmático se abriu num sorriso quando me despedi, batendo devagar a porta do carro e baixando a cabeça, na forma do insignificante ser diante de uma divindade. Ele riu levemente antes das últimas palavras que guardei para sempre na memória. - Bernadete logo se chamará Baby e todo mundo ouvirá a sua voz. Não fique triste, nem desiludido, ela não é de ninguém, é de todos. E acenou com os dedos tocando na testa e aos poucos foi sumindo na curva da estrada. Nunca mais voltei ao sítio de Jacarepaguá. Deixei que o tempo apagasse a desilusão. Só tempos depois, no começo dos anos oitenta, voltei a pensar em Bernadete, que agora se chamava Baby e cantava em todas as rádios algo bem próximo das palavras que certa vez assoprou nos meus ouvidos, provocando calafrios: "Você pode fazer quase tudo, contanto que você possua e não seja possuído."

Postado por ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Em 13/5/2015 às 19h03


Mais Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ULTRA-ESTRUTURA E FUNÇÃO CELULAR
L. C. U. JUNQUEIRA / L. M. M. SALLES
GUANABARA KOOGAN
(1975)
R$ 58,00



STARTERS - SOBREVIVER É APENAS O COMEÇO
LISSA PRICE
NOVO CONCEITO
(2012)
R$ 12,00



VERONIKA DECIDE MORRER
PAULO COELHO
OBJETIVA
(1998)
R$ 9,80



AS QUALIDADES POSITIVAS DOS FLORAIS DE BACH
HUGH MACPHERSON
AQUARIANA
(1992)
R$ 12,00



ANGLO VESTIBULARES PORTUGUÊS 2 LITERATURA
CACIO ANTONIO DE CASTRO - IVAN PRADO TEIXEIRA...
ANGLO
(2003)
R$ 4,99



APELO AOS VIVOS
ROGER GARAUDY
NOVA FRONTEIRA
(1981)
R$ 7,00



O VÍNCULO DO PRAZER
MASTERS & JOHNSON
RECORD
(1975)
R$ 12,24



MONIZ SODRÉ E A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA
EDMUNDO MONIZ (DEDICATÓRIA)
NOVA ÉPOCA (RJ)
(1981)
R$ 28,28



ALMA E CORAÇÃO
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER / EMMANUEL
PENSAMENTO
(1969)
R$ 13,00



SOCIEDADE E ESPAÇO GEOGRAFIA GERAL E DO BRASIL
J WILLIAM VESENTINI
ATICA
(1997)
R$ 4,90





busca | avançada
35423 visitas/dia
1,3 milhão/mês