Biografia de Freud em quadrinhos é exuberante | Blog de Renato Alessandro dos Santos

busca | avançada
54198 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Poesia BR em Paris
>>> Animismo
>>> E Éramos Todos Thunderbirds
>>> Lares & Lugares
>>> Arco da Crise
>>> 24 Horas: os medos e a fragilidade da América
>>> Elesbão: escravo, enforcado, esquartejado
>>> Precisa-se de empregada feia. Bem feia.
>>> I won’t dance, don’t ask me
>>> Sultão & Bonifácio, parte I
Mais Recentes
>>> Cabo Anselmo - Minha Verdade de José Anselmo dos Santos pela Matrix (2015)
>>> Pablo Escobar Em Flagrante - O que meu Pai nunca me contou de Juan Pablo Escobar pela Planeta (2017)
>>> Oiobomé - A epopeia de uma nação de Nei Lopes pela Agir (2010)
>>> Simplicidade e Plenitude de Sarah Ban Breathnach pela Ediouro (2000)
>>> A Expedição da Esperança. de Neltair Pithan e Silva pela Nativa (2002)
>>> Futuro Espiritual da Terra ( Espiritismo ) de Samuel Gomes pela Dufax (2016)
>>> D. Leopoldina - a História Não Contada de Paulo Rezzutti pela Leya (2017)
>>> Maíra de Darcy Ribeiro pela Círculo do Livro (1977)
>>> O Poder da Autorresponsabilidade - A ferramenta comprovada que gera alta performance e resultados em pouco tempo de Paulo Vieira pela Gente (2018)
>>> A Face Oculta da Medicina de Paulo Cesar Fructuoso pela Lar de Frei Luiz (2013)
>>> Morte a Vossa Excelência - Entenda a verdadeira história do juiz que desafiou e abalou a máfia de Alexander Stille pela Citadel (2020)
>>> Curso de Filosofia de Régis Jolivet pela Agir (1965)
>>> O Menino do Pijama Listrado de John Boyne pela Seguinte (2007)
>>> Tiro no coração - A história de um assassino de Mikal Gilmore pela Companhia das letras (1996)
>>> Os Olhos Dourados do Ódio de José Carlos Oliveira pela José Alvaro
>>> Os quarenta dias de Musa Dagh de Franz Werfel pela Paz e Terra (1995)
>>> É isto um homem? de Primo Levi pela Rocco (1998)
>>> O Romance da Atlântida de Taylor Caldwell e Jess Stearn pela Record (1975)
>>> Dentro e fora da Broadway - O teatro moderno norte-americano de Jean Gould pela Bloch (1968)
>>> O melhor de Carmen da Silva - A arte de ser mulher de Laura Taves Civita (Org.) & Julia Tavares pela Rosa dos tempos (1994)
>>> Introdução à Filosofia de Julián Marias pela Livraria Duas Cidades (1966)
>>> Shalimar, o equilibrista de Salman Rushdie pela Companhia das letras (2005)
>>> Canhões de agosto de Barbara W. Tuchman pela Objetiva (1994)
>>> Vínculos do fogo de Alberto Dines pela Companhia das letras (1992)
>>> Massa e poder de Elias Canetti pela Melhoramentos (1983)
BLOGS >>> Posts

Terça-feira, 25/8/2015
Biografia de Freud em quadrinhos é exuberante
Renato Alessandro dos Santos

+ de 2400 Acessos



Pareciam atletas olímpicos do salto a distância. Primeiro, veio Copérnico, com seus joelhos estralando; ele mirou o sol, colocando-o no seu devido lugar, e saltou - fria e precisamente, como só um cientista de olhar telescópico como ele poderia fazer. Da turba, apenas algumas palmas e uns gritos meio-tossidos, tímidos tapinhas nas costas pelos quais um resignado, mas feliz Copérnico agradeceu. Darwin chegou em seguida, tropeçando em sua barba de onde micos leões dourados saíam sorridentes. A hipótese de fazer o sinal da cruz nem de longe passou por sua cabeça; sorriu, olhou para um sujeito de batina bem ao seu lado e, com o punho direito cerrado, como um típico Pantera Negra, gritou àqueles ouvidos celestiais: nevermore! E saltou. Em câmera lenta. Do outro lado, os pequenos micos pendurados na barba mafagafinho de Darwin - como num passe de mágica - trans-for-ma-ram-se em elétricos bebês berrantes, que, num átimo, foram acolhidos com espigas de milho que Freud, o próximo a saltar, atirou na direção deles. Eles agradeceram e - ploc! ploc! ploc!-, como pipoca, começaram a crescer, a sofrer, a falar pelos cotovelos , enquanto Freud ouvia tudo, dando as costas a eles, porque precisava saltar, e precisava saltar agora. Saltou. E foi um salto e tanto. Todos eles ficaram hipnotizados, perguntando a si mesmos, como ele havia conseguido saltar tão longe. Freud agradeceu e começou a explicar, a explicar, a explicar. Falou de complexo disso, complexo daquilo. Ego. Id. Superego. Ninguém entendeu nada.

Copérnico deixou o papa estarrecido quando afirmou que a Terra não ficava exatamente no centro da Capela Sistina. "Não somos o umbigo do universo, chefe", disse, enquanto trocava a lâmpada da sala. "Somos punks da periferia" - e acendeu a luz. Darwin causou o maior reboliço quando também tirou o homem do berço armado a ele, como lobotomia, no meio da manjedoura: "Somos animaizinhos quaisquer, a nos resfestelar na lama". E ninguém melhor do que Freud para nos fazer calar, enquanto atravessamos o labirinto, guiados pelo cordão que ele nos atira como finos fios de aranha. Fomos todos hibernar, inconscientemente reprimidos, lá nos fundilhos da infância, de onde Freud nos fisgou, como um peixe.

Ninguém nunca mergulhou tão fundo

Está tudo aqui, em Entendendo Freud, publicado no Brasil pela LeYa. Além de toda a equipe editorial, os principais responsáveis por esta biografia ilustrada do pai da psicanálise são dois: Richard Appignanesi, que se preocupou com o roteiro, e Oscar Zarate, quepintou o sete com seus traços muito bem-humorados. "As ilustrações de Zarate são incríveis e os textos de Appignanesi são pesquisados com esmero e apresentados com clareza", escreveu, acertando em cheio, o Washington Post.


Vai se arrepender quem, de repente, deixar de ler Entendendo Freud por julgar que uma biografia em quadrinhos não é uma forma adequada para se conhecer mais da vida e da obra de Sig. Claro, nada melhor do que ir à fonte: é um prazer ler o que Freud escreveu em seus textos, pois ele foi um excelente autor (quando puder, leia seu ensaio a respeito de "A Gradiva", de Jensen); e em relação à sua vida, boas biografias não deixam os leitores na mão (A vida e a obra de Sigmund Freud, de Ernest Jones; Freud - uma vida para nosso tempo, de Peter Gay), mas que tal esta biografia ilustrada de Sigmund?

Em Entendendo Freud, lemos sobre o conteúdo manifesto e o conteúdo latente dos sonhos (gosta de literatura? os capítulos 6 e 7 de A interpretação dos sonhos esperam por você); lemos sobre parapraxia e, nessa hora, você ficará com vontade de ler A psicopatologia da vida cotidiana (1901), em que Freud descreve exemplos típicos de esquecimento, coisas banais como lapsos verbais e falhas de memória que ocorrem frequentemente em nossa vida; lemos sobre inconsciente e pré-consciente; sobre o Complexo de Édipo; sobre a inveja do pênis e a angústia da castração; sobre perversão, sexualidade, libido, amnésia infantil, narcisismo, instinto de morte etc. et cetera; e, claro, lá pelo fim de Entendendo Freud, sobre ego, id e superego - outra grande descoberta a respeito de nosso aparelho psíquico.

Lendo Entendendo Freud não fica difícil admirar o médico vienense não apenas pelo que ele legou à ciência, mas também pelas mazelas que sofreu, principalmente, em seus últimos 16 anos de vida, quando o câncer o fez passar por 33 cirurgias que não o impediram de morrer, em 23 de setembro de 1939. Freud foi operado pela primeira vez em 1923. "Todo o maxilar superior e o palato do lado direito foram removidos", diz Appignanesi. "Durante os dezesseis seguintes anos de vida", complementa, "Freud frequentemente sofreu de uma dor angustiante. Sua fala e sua audição foram afetadas e ficou difícil comer. Uma prótese (um tipo de dentadura imensa) teve de ser projetada para separar a boca da cavidade nasal". Freud não merecia. Mas os portões do inferno já estavam abertos: em 1920, ele havia perdido Sophie, sua "filha querida", que morreu aos 26 anos, e, em 1923, perdera também o "neto predileto", filho de Sophie, que tinha apenas 4 anos e 6 meses.

E diante de uma vida tão devotada à ciência, finalizada a leitura, não fica difícil entender por que o bordão "Freud explica" se aplica tão bem ao pai da psicanálise. Ninguém nunca mergulhou tão fundo. Ao menos até aqui.

RENATO ALESSANDRO DOS SANTOS, 43, é editor do site TERTÚLIA (www.tertuliaonline.com.br).

Ilustração de HELTON SOUTO.


Postado por Renato Alessandro dos Santos
Em 25/8/2015 às 13h38


Mais Blog de Renato Alessandro dos Santos
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Misteriosa Morte de Miguela de Alcazar
Lourenço Cazarré
Bertrand Brasil
(2009)



O Novo Mapa do Mundo
Demétrio Magnoli
Moderna
(1995)



Compêndio de Direito Constitucional
Nailê Russomano de Mendonça Lima
Juriscredi
(1971)



Aspire - Upper-intermediate Student Book Dvd
Robert Crossley
Cengage do Brasil
(2012)



Fray Luis de Leon
Alerto Barasoain
Júcar
(1973)



Prática Jurídica Empresarial
Alessandro Sanchez
Saraiva
(2012)



José Aparecido - Inventor de Utopias
Alan Viggiano
André Quice
(1999)



Guia Prático para a Vida Gay
Ken Hanes
Topbooks
(1995)



Mine Boy
Peter Abrahams
Heinemann
(1999)



Tigres Em Dia Vermelho
Liza Klaussmann; Adalgisa Campos da Silva
Intrinseca
(2013)





busca | avançada
54198 visitas/dia
2,2 milhões/mês