O homem-show da língua alemã | Franco Caldas Fuchs | Digestivo Cultural

busca | avançada
37001 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 10/11/2008
O homem-show da língua alemã
Franco Caldas Fuchs

+ de 5200 Acessos

Imagine se o professor Pasquale Cipro Neto realizasse uma turnê por países da Europa, em hipotéticos institutos Machado de Assis. Eis uma comparação fantasiosa, mas que talvez dê uma idéia do que representa a vinda do jornalista e escritor alemão Bastian Sick para o Brasil e outros países da América do Sul.

No dia 30 de outubro, Bastian lotou o auditório do Instituto Goethe em Curitiba, onde apresentou uma de suas palestras-show sobre questões espinhosas do idioma alemão.

Bastian Sick é hoje o comentarista da língua alemã mais famoso no mundo. Fenômeno da mídia, ele assina uma coluna sobre gramática na revista Spiegel e apresenta shows em teatros e na televisão. Entre seus livros publicados, que já venderam mais de quatro milhões de exemplares, o mais conhecido é O dativo é a morte do genitivo (Der Dativ ist dem Genitiv sein Tod), dividido em três volumes. Bastian também lançou CDs, um DVD e até um jogo educativo, tendo o idioma como mote.

Trajetória
Na palestra em Curitiba, além de transformar em comédia uma conversa sobre erros freqüentes da língua, Bastian contou ao público um pouco sobre sua vida. Nascido em 1965, no norte da Alemanha, em Lübeck, Bastian disse que desde pequeno já gostava de escrever. Foi ator nos tempos de colégio e inclusive escreveu algumas peças teatrais, cujos papéis principais acabavam sendo, invariavelmente, representados por ele.

Filho de professores, quando jovem pensava em seguir a mesma profissão dos pais. Porém, depois que se formou em História e Romanística, acabou trabalhando como revisor e tradutor de revistas em quadrinhos, até ingressar, em 1995, na revista Spiegel, um dos semanários mais importantes da Europa, na função de arquivista.

Tempos depois, promovido a revisor da Spiegel on-line, surgiria por acaso a oportunidade que mudaria a sua carreira. Naquela época, Bastian enviava, por conta e risco, e-mails bem-humorados aos colegas, aplicando neles sutilmente alguns puxões de orelhas gramaticais.

Tais e-mails chegariam ao conhecimento do editor da revista, que gostou do que leu e o convidou para escrever uma coluna sobre dúvidas da língua. Bastian topou o desafio e em maio de 2003 estreava a coluna "Zwiebelfisch" (literalmente "Peixe-cebola", é uma expressão usada em gráficas para dizer que há erro de tipologia em uma palavra; com esse nome, na verdade, Bastian alude a palavras que são usadas de forma incorreta). Foi o início do fenômeno Bastian Sick, que em 2006 chegou a reunir 15 mil pessoas em um ginásio para a "maior aula de alemão do mundo", devidamente registrada pelo Guinness Book.

O segredo da popularidade
Mais do que passar lições sobre a língua, os textos e as apresentações de Bastian são verdadeiras crônicas humorísticas, repletas de reflexões e provocações.

"O que Bastian faz é mostrar que todos cometem erros com o idioma, mas ele não fica só criticando. Ele faz tudo com humor, com alegria. Ele não é um professor, é mais um entertainer", diz o austríaco Rüdiger Wetzl, professor de alemão e inglês.

"O objetivo maior dele é que as pessoas tenham mais consciência sobre o que lêem e escrevem. A mensagem que ele deixa é que não se deve ter medo da língua. Língua é alegria", afirma Rüdiger, que assistiu à palestra de Bastian em Curitiba.

Mas com todo o sucesso e os fãs que conquistou, Bastian viu surgir também uma série de críticos ao seu trabalho. Artigos buscando apontar onde o corretor de alemão havia escorregado pulularam na mídia e neste ano até um livro foi publicado para rebatê-lo: Doente com o Sick? Um passeio pela língua como resposta à coluna Zwiebelfisch (Sick of Sick? Ein Streifzug durch die Sprache als Antwort auf den Zwiebelfisch), do professor André Meinunger, da Universidade de Leipzig.

Diante disso, pergunto a Bastian como ele se sente quando é corrigido. Naturalmente ele responde que também tem dificuldades para ouvir uma crítica, mas afirma que sempre tenta refletir sobre o que dizem dele. Sobre os acadêmicos que policiam os seus passos, ele reconhece que muitos estudam profundamente a língua e sabem do que falam. "Mas não conseguem fazer o que eu faço", diz. "Eles não são engraçados. Eles são cientistas e cientistas são chatos."

Língua se aprende por paixão
Depois de passar pela Colômbia, Equador, Bolívia, Brasil e Chile, a turnê do jornalista, escritor e entertainer da língua alemã Bastian Sick finalmente termina na Argentina, no dia 11 de novembro. No dia 30 de outubro, falando pela primeira vez à imprensa na América do Sul, Bastian concedeu uma entrevista momentos antes de sua apresentação em Curitiba. Leia a seguir os principais trechos da conversa.


Bastian Sick: best-seller em países germânicos com livros que tratam sobre gramática de forma bem-humorada


Existe a possibilidade de os seus livros serem traduzidos para outros idiomas?

Infelizmente a tradução dos meus livros não dá muito certo, o que deixa meus editores um pouco tristes. Afinal, eu trato de aspectos específicos e engraçados da língua alemã ― regras, ortografia etc. ― que não existem em outros idiomas e não ficam bem traduzidos. Além de perderem a graça.

Os shows dessa sua turnê são muito diferentes dos que você faz na Alemanha?

O que venho fazendo aqui são leituras mescladas com algumas projeções de imagens. Na Alemanha é mais um one-man show, com leituras também, porém com mais elementos, como filmes e músicas. Lá as minhas apresentações acontecem em um palco.

Como avalia a qualidade do ensino de alemão na Alemanha?

As conclusões que tiro, a partir do que leio e observo, é que o conhecimento geral da população está diminuindo e o tempo para se dedicar aos idiomas é cada vez mais reduzido. Há escolas que nem ensinam mais gramática. Então quando alguém vai aprender português e o professor passa a diferença entre adjetivo e advérbio, aí já é tarde demais, porque o aluno já deveria ter aprendido isso na sua própria aula de alemão.

Você teve bons professores de alemão na sua infância e juventude?

Sim, tive bons professores que hoje estão orgulhosos e felizes comigo, especialmente a minha professora do primário, que me ensinou a ler e a escrever.

Você se considera um professor de alemão?

Na verdade, não. Apesar de que muitas vezes as pessoas me declaram como tal. Na universidade eu até estudei pedagogia, para poder dar aulas, mas depois me dediquei a outras matérias.

Alemão é uma língua fácil ou difícil? Que conselho você daria para quem está começando a estudar esse ou qualquer outro idioma?

Nós, alemães, também temos dificuldades para aprender russo, mas mesmo assim há quem o aprenda, assim como finlandês, que é também um idioma muito complicado. Não é uma questão do que é fácil ou difícil. As pessoas aprendem uma língua porque têm uma paixão. Seja pela língua mesmo, por um país ou por uma pessoa que more nele.


Franco Caldas Fuchs
Curitiba, 10/11/2008


Mais Franco Caldas Fuchs
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A VIDA VEM DA VIDA
A. C. BHAKTIVEDANTA SWAMI PRABHUPADA
THE BHAKTIVEDANTA BOOK TRUST
(1980)
R$ 5,99



BIORRITMO: UMA CIÊNCIA PESSOAL
BERNARD GITTELSON
CÍRCULO DO LIVRO
(1992)
R$ 7,90



LITERATURA ESTRANGEIRA
FANGA COLEÇÃO OBRAS COMPLETAS
CAMINHO
(1996)
R$ 68,00



O ALBATROZ AZUL
JOÃO UBALDO RIBEIRO
NOVA FRONTEIRA
(2009)
R$ 8,90



CRÔNICAS DA ALDEIA
LIRA NETO
ARMAZÉM DA CULTURA
(2014)
R$ 45,00



BRAS, BEXIGA E BARRA FUNDA
ALCANTARA MACHADO
SOL
R$ 5,00



A CIDADE IDEAL
FELIPE AFONSO LIMA SILVA
DO AUTOR
(2000)
R$ 10,00
+ frete grátis



MEDICINA
TUMORES Y LESIONES SEUDOTUMORALES DEL ESQUELETO
EDITORIAL CIENTIFICO - TÉCNICA
(1979)
R$ 64,20



OS VELHOS MARINHEIROS OU O CAPITÃO DE LONGO CURSO
JORGE AMADO
RECORD
(1979)
R$ 8,00



MUDANÇA IDEOLÓGICA PARA A QUALIDADE: UMA ABORDAGEM ANTROPOLÓGICA
MIGUEL PEDRO CARDOSO
EDUFF
(2000)
R$ 24,82





busca | avançada
37001 visitas/dia
1,4 milhão/mês