Vou tentar não ser piegas para falar de amigos | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 14/8/2009
Vou tentar não ser piegas para falar de amigos
Ana Elisa Ribeiro

+ de 3600 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Dia desses foi Dia do Amigo. Só descobri porque recebi mensagens de celebração. Enrubesci porque eu não sabia. A sensação de vergonha cedeu e deu lugar a um conforto muito grande. Mesmo que isso seja apenas uma "gracinha" (e nem acho que seja), duas pessoas se preocuparam em enviar mensagens para mim. Duas pessoas. Na verdade, três, porque um dos remetentes era um casal. E nem me interessa se as mensagens foram "gerais" ou não. Interessa que estive nas listas de duas pessoas. E preciso dar o braço a torcer: não enviei mensagem a ninguém.

O casal amigo enviou um torpedo. Feliz Dia do Amigo. Meu coração teve um sobressalto bom. Eu estava muito longe de casa, em terra estranha, comendo mal e dormindo fora de hora, com saudades da minha cama e do meu travesseiro, quando o celular vibra, depois de um longo silêncio. Os amigos queriam me abraçar à distância ou expor seu apreço por mim. Minha resposta imediata foi um sorriso aberto, alienado, gostoso. Os olhos se afogaram um pouco. Não pude responder pá pum porque ficaria muito caro, mas arremessei meus agradecimentos pelo ar, pensei muito nos meus amigos, desejei muitas coisas boas a eles e guardei a mensagem. Quando cheguei em casa, corri ao e-mail e enviei logo um agradecimento efusivo, embora conciso.

De outro lado, minha amiga de infância (de infância mesmo, da vida inteira) mandou uma mensagem por e-mail para lembrar dos amigos. Fiquei feliz também. Naquela mesma semana, tive a rara oportunidade de falar com ela sem pagar interurbano. Não conseguiríamos nos encontrar pessoalmente, mas foi reconfortante falar-lhe ao telefone de tão perto, com tempo, trazendo à tona nossas vidas atuais e nossos planos para o futuro próximo.

O Dia do Amigo misturou-se às mensagens e à minha saudade e virou uma salada de coisas infinitamente valiosas. Dessas que a gente custa a perceber. E tem sido um exercício diário (aeróbico, quase) tentar expressar às pessoas que realmente interessam o meu apreço por elas. Não é fácil, não é rápido. E não que a gente não queira, mas é que a gente não se dá conta. É ignorância, desinvenção. Infelicidade.

Naquela mesma tarde, reencontrei, pelos corredores de uma escola, vários ex-professores e colegas de profissão. Uma delas, muito alegre, me veio contar que conhecia minha amiga (a mesma do telefonema) de outros Carnavais, que coincidência boa, quanta coisa a dizer, que pessoa boa, que figura ótima. E mais uma professora se juntou à roda para dizer que também conhecia minha amiga. De repente, minha memória foi lá no baú dos meus melhores dias e buscou uma reminiscência muito delicada. Eu e minha amiga morávamos lado a lado, em casas grandes, ainda com muros baixos. No meu quintal havia cães e grama, além de uma pequena piscina de lona. No quintal dela havia grama e uma pintangueira carregadinha. Os muros que separavam nossos lotes se desencontravam em algum ponto e ali havia uma fresta. E era assim: a gente subia na pia do banheiro, assobiava de um jeito especial, corria para o buraco do muro, sentava de perna cruzada e batia papo até a mãe chamar. Era isso a nossa primeira infância, quando o assobio ainda não podia chamar para a rua.

Minha amiga não sabe, mas há pouco tempo resolvi enfeitar de verde a frente da minha casa, além de atender às normas da Prefeitura. Plantei grama, arbustos, bambus, beijinhos, crótons e achei que ainda faltava uma árvore. Fui à flora, andei, andei, pedi informações e escolhi: uma pitangueira jovem. E ela cresce lentamente, com pitanguinhas que ameaçam vingar.

O casal de amigos quer ter um bebê. Ficam esperando a melhor hora, o momento menos complicado, um esquema mais confortável, mas nunca dá. A gente fica tão preocupado em planejar tudo que se esquece de deixar espaço para os de repentes. Esse bebê já entrou na minha lista de amigos, mas eles precisam saber que minha falta de mensagens não quer dizer grande coisa. Essas três ou quatro pessoas a quem eu enviaria mensagens carinhosas estão sempre em minha mira, naquelas lembranças mais suaves.

Nem sempre eu fui legal com elas, nem sempre fui carinhosa, nem sempre consegui enxergar que sofriam ou que estavam frágeis. Quantas vezes falei sem parar e nem perguntei "e você?". É desses arrependimentos que não quero padecer. As frestas no muro são, hoje, apenas imagens de algo que estará sempre lá, para a gente poder conversar e contar segredos, todo dia.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 14/8/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Voto de Meu Pai de Heloisa Pait
02. O Vendedor de Passados de Marilia Mota Silva
03. 'O sal da terra': um filme à margem de Humberto Pereira da Silva
04. Voltar com ex e café requentado de Ana Elisa Ribeiro
05. O que em mim sente está lembrando de Ana Elisa Ribeiro


Mais Ana Elisa Ribeiro

colunista_mais_acessadas_query=SELECT colunistas.iniciais, colunas.ano, colunas.acessos, colunas.codigo, colunas.titulo, colunas.dia, colunas.mes FROM chamadas, colunas, colunistas WHERE colunas.codigo = chamadas.coluna AND colunas.colunista = colunistas.codigo AND colunistas.iniciais = 'AER' AND colunas.ano = 2009 ORDER BY colunas.acessos DESC LIMIT 10 Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2009
01. Amor platônico - 10/4/2009
02. Aconselhamentos aos casais ― módulo I - 13/3/2009
03. Aconselhamentos aos casais ― módulo II - 27/3/2009
04. Eu + Você = ? - 27/2/2009
05. Cupido era o nickname dele - 1/5/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/8/2009
14h04min
Querida Ana Elisa, falar de amigos não é piegas, aliás, sinto uma ausência enorme no mundo atual de amorosidade, solidariedade, hospitalidade. Sem pieguiçes, o seu texto me comoveu, me fez feliz, minha distante-próxima amiga! PS. amei a sua entrevista há pouco tempo publicada no Digestivo!
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
18/8/2009
06h12min
Sendo a tal amiga da frestinha do muro não tenho vergonha nem medo de ser piegas em assumir que, ao ler o seu texto, minha eterna amiga, chorei! E lembrei das conversas no muro, na janela do banheiro, das festas em casa, das idas à Baturité, enfim, da grande parte da minha vida que foi compartilhada com você! E muito, muito bem compartilhada! Um beijo grande do lado de cá do Atlântico!
[Leia outros Comentários de Ana Luiza Castro]
24/8/2009
22h05min
Fiquei emocionada com o texto. Não só fui ao fundo do baú, mas lembrei da construção do baú da minha vida. Então, parabéns por este texto, e por apresentar ao mundo que amizade ainda existe. Podemos confiar, sonhar e construir um baú!
[Leia outros Comentários de Polyana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FESTA DE CRIANÇA - COL. PARA GOSTAR DE LER - JÚNIOR - 2
LUIS FERNANDO VERISSIMO
ATICA
(2013)
R$ 15,00



LEI DO INQUILINATO COMENTADA (RESIDENCIAL E COMERCIAL)
GILBERTO CALDAS
JALOVI
(1989)
R$ 13,00



O MENINO NARIGUDO - WALCYR CARRASCO (TEATROO INFANTIL)
WALCYR CARRASCO
MODERNA
(2003)
R$ 12,00



SOLVENTES INDUSTRIALES - SELECCIÓN, FORMULACIÓN Y APLICACIÓN
PAULO GARBELOTTO
RHODIA
(2008)
R$ 28,27



ABRIL COLEÇÕES - OLIVER TWIST
CHARLES DICKENS
ABRIL COLEÇÕES
(2012)
R$ 10,90



ROBIN HOOD O SALTEADOR VIRTUOSO
JOEL RUFINO DOS SANTOS
SCIPIONE
(2004)
R$ 19,90



DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA COMPLETO 2 CORES
SÉRGIO XIMENES
EDIOURO
(2001)
R$ 23,75



A MULHER VIRTUAL
MARIA GORETTI PEDROSO
PRIMA LINEA
(2005)
R$ 45,00



SITUAÇÕES, FACES & FORMAS DESENHOS - VASCO 1965-1978
ANDRÉ LAUDE
CULTARTE
(1978)
R$ 33,00
+ frete grátis



LADAINHAS DE NOSSA SENHORA DE SANTO AMARO
MABEL VELLOSO
LEYA CASA DA PALAVRA
(2016)
R$ 12,00





busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês