crônica - ou ensaio - à la hatoum | Ítalo Puccini | Digestivo Cultural

busca | avançada
74271 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Designer e arquiteto brasileiro, Giovanni Vannucchi participa da VIIBienal Ibero-americana de Design
>>> Risorama anuncia retorno aos palcos com grandes nomes do humor nacional em São Paulo
>>> Inspirado nas Living Dolls, espetáculo de Dan Nakagawa tem Helena Ignez como atriz convidada
>>> As Caracutás apresentam temporada online de Tecendo Diálogos com bate-papo e oficina
>>> Obra de referência em nutrição de plantas ganha segunda edição revista e ampliada
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
Colunistas
Últimos Posts
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> A Arte de Odiar
>>> Três Irmãs
>>> Sempre procurei a harmonia
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> O ensaísta Machado de Assis
>>> Entrevista com Claudio Willer
>>> Os narradores de Eliane Caffé
>>> 7 de Setembro
>>> 8º Salão do Livro
Mais Recentes
>>> O Mal-Estar da pós-Modenidade de Zygmunt Bauman pela Jorge Zahar (1997)
>>> A Morte da Porta Estandarte e Tati, A Garota e Outras Histórias de Aníbal Machado pela José Olympio (1977)
>>> Ilustração de Moda Masculina de Chidy Waine pela Paisagem (2011)
>>> Deus no pasto de Hermilio Borba Filho pela Civilização Brasileira (1972)
>>> Brasil - O romance (2 volumes) de Erroll Lincoln Uys pela Best Seller (1986)
>>> A metamorfose de Franz Kafka pela Nova Época (1989)
>>> Diário Intimo de Franz Kafka pela Livraria exposição do livro (1964)
>>> Chapeuzinho Amarelo de Chico Buarque pela José Olympio (2011)
>>> Paula de Isabel Allende pela Bertrand Brasil (1997)
>>> História de lince de Claude Lavi-Strauss pela Companhia das letras (1993)
>>> Vida, universo e sabe lá o que mais de Douglas Adams pela Brasiliense (1988)
>>> Nuvens de pássaros brancos de Yasunari Kawabata pela Nova Fronteira (1993)
>>> História de Mayta de Mario Vargas Llosa pela Francisco Alves (1984)
>>> O processo de Franz Kafka pela Círculo do livro (1963)
>>> Ilustrando o Cerrado de Geni ALexandria pela IPHAN (2002)
>>> Cartas aos meus amigos de Franz Kafka pela Nova Época (1978)
>>> Josefina, a cantora de Franz Kafka pela Clube do livro (1977)
>>> As idéias de Freud de Richard Wollheim pela Círculo do livro (1971)
>>> Estudos sobre teatro de Bertold Brecht pela Nova Fronteira (1978)
>>> A ilha de Aldous Huxley pela Civilização Brasileira (1965)
>>> Também o cisne morre de Aldous Huxley pela Livros do Brasil
>>> A situação humana de Aldous Huxley pela Globo (1982)
>>> O grande problema de Aldous Huxley pela Livros do Brasil (1989)
>>> As portas da percepção - O céu e o inferno de Aldous Huxley pela Civilização Brasileira (1971)
>>> Noite sobre as águas de Ken Follett pela Siciliano (1992)
>>> Na toca do leão de Ken Follett pela Record (1986)
>>> A colonia penal de Franz Kafka pela Nova Época
>>> Trump - Atrás dos bastidores de Jerome Tuccille pela Siciliano (1988)
>>> Nos ombros do cão de Miguel Jorge pela Siciliano (1991)
>>> Rei, valete, dama de Vladimir Nabokov pela Artenova (1976)
>>> O que esperar quando você está esperando: Um guia completo para a gravidez de Heidi Murkoff; Arlene Eisenberg; Sandee Hathaway pela Record (2012)
>>> Eminencia parda de Aldous Huxley pela Hemus (1978)
>>> A verdadeira vida de Sebastião Knight de Vladimir Nabokov pela Civilização Brasileira (1961)
>>> Ada ou ardor de Vladimir Nabokov pela Record (1969)
>>> Os Livros e a Camiseta Listrada: Crônicas e Memórias de um Torcedor de Thiago Ingrassia Pereira pela Cirkula (2015)
>>> Lolita de Vladimir Nabokov pela Civilização Brasileira (1959)
>>> O despertar do mundo novo de Aldous Huxley pela Hemus (1977)
>>> Adonis e o alfabeto de Aldous Huxley pela Hemus (1972)
>>> Viagem ao Centro da Terra de Júlio Verne; Walcyr Carrasco pela Moderna (2012)
>>> Satãnicos e visionários de Aldous Huxley pela Cea (1975)
>>> Geração devassa de Aldous Huxley pela Hemus (1974)
>>> Somos todos arlequins de Vladimir Nabokov pela Record (1974)
>>> O mago de Vladimir Nabokov pela Nova Fronteira (1987)
>>> Desespero de Vladimir Nabokov pela Record (1966)
>>> Fogo pálido de Vladimir Nabokov pela Guanabara (1985)
>>> Do Outro Lado do Muro de Maria Paula Roncaglia pela Escrita Fina (2010)
>>> Não se Desespere! Provocações Filosóficas de Mario Sergio Cortella pela Vozes (2014)
>>> Mary de Vladimir Nabokov pela Record (1970)
>>> Pnin de Vladimir Nabokov pela Record
>>> Leonardo Da Vinci de Walter Isaacson pela Intrínseca (2017)
COLUNAS

Terça-feira, 17/12/2013
crônica - ou ensaio - à la hatoum
Ítalo Puccini

+ de 2500 Acessos

não conhecia o milton hatoum cronista. deparei-me com o livro Um solitário à espreita e o comprei, fazendo vibrar o prazer, pouco comum a mim, de uma compra inesperada. o título, aliás, é muito condizente com o jeito de ser do autor: um sujeito recluso, pouco midiático e de publicações quase que raras. autor de apenas quatro romances e um livro de contos, com dois deles, Relato de um certo Oriente (1999) e Cinzas do Norte (2005) foi vencedor do jabuti de melhor romance; com Órfãos do Eldorado (2008), segundo colocado no mesmo prêmio; e, com Dois irmãos (2000), conquistou o terceiro lugar. quatro romances premiadíssimos, no brasil e no mundo, tendo sido publicado em dezessete países até hoje.

a característica da crônica deste escritor amazonense é a de esticá-la um tanto a mais do que costuma ser comum ao gênero. são crônicas-quase-ensaios, nas quais o autor apresenta um fato cotidiano nos primeiros parágrafos para chegar ao, digamos, ponto-chave do texto, e então abordá-lo por mais algumas tantas linhas. isto na maioria das 94 crônicas que compõem o livro, algo que não diminui sua escrita, pelo contrário: apresentar uma unidade no modo como escreve demonstra segurança e a mim, enquanto leitor, muito satisfaz.

é dessa maneira que o autor desenvolve, por exemplo, "Liberdade em Caiena", crônica que me despertou a escrever esta com a qual, até aqui, enrolo o leitor. no começo do seu texto, hatoum aborda a dificuldade que tem de lidar com tantas informações em um ritmo tão frenético de tempo, o que o leva a deixar passar a oportunidade de participar de debates, palestras e até encontros entre amigos: "Agora, ao fazer uma faxina na caixa de entrada, notei que havia 122 mensagens não lidas". deste ponto para chegar ao tema: o convite, recusado pelo autor, por não ver a mensagem em tempo, para ir a caiena, capital da guiana francesa, lugar de muitas lembranças trazidas da infância e de seu avô.

e o que me trouxe a escrever foi esse modo de vida digamos que desacelerado do escritor amazonense, com o qual, a meu ver, muito se pode aprender, uma vez que, atualmente, não somos mais ensinados a viver ligados à tecnologia, e sim o contrário: nascemos imbricados a ela, e precisaríamos, urgentemente, aprendermos a nos desligarmos mais.

algo assim como o que foi proposto pela jornalista eliane brum, quando escreveu uma crônica intitulada "É urgente recuperar o sentido de urgência", na qual aborda o quanto nos tornamos dependentes do imediatismo, nas diferentes esferas sociais, privando-nos da nossa intimidade em prol de mostrarmo-nos disponíveis a todos a qualquer momento do dia, atitude esta que eu vejo soar como uma pseudo-demonstração de atenção e respeito pelo próximo. assim argumenta brum: "Estamos vivendo como se tudo fosse urgente. Urgente o suficiente para acessar alguém. E para exigir desse alguém uma resposta imediata. Como se o tempo do 'outro' fosse, por direito, também o 'meu' tempo".

como se pode ver, são tantas as frases certeiras que convido o leitor a ler a crônica dela na íntegra, (aqui) percebendo, assim, a existência de outras maneiras de viver, oriundas de uma reflexão que envolve principalmente o ato de respeitar a si mesmo nesse emaranhado virtual que nos abraça e do qual não conseguimos, a priori, desgarrarmo-nos, afinal, alerta-nos a escritora, "Viver no tempo do outro - de todos e de qualquer um - é uma tragédia contemporânea", da qual, parece-me, hatoum tem a mesma consciência.

e é uma forma de preenchermos nosso ego, acrescento. ao mostrarmo-nos dispostos a qualquer momento do dia para sermos interrompidos de diferentes maneiras - sms, ligação telefônica, bate-papo virtual, visita-sem-combinação-prévia - disfarçamos o nosso egoísmo sob a veste falsa de dar atenção ao outro. ao expormos tal disponibilidade, estamos na verdade gritando para que nos procurem, para que nos olhem, para que curtam - o mais rápido possível - aquilo que acabamos de postar. e retribuímos o ato como forma de garantir que ele nos seja devolvido.

é o nosso ato de covardia, sobre o qual escreve o romancista jonathan franzen, num ensaio intitulado "Curtir é covardia" (aqui), no qual o autor apresenta um contraste entre as tendências narcisistas da tecnologia e o problema do amor verdadeiro, uma vez que o amor, este verdadeiro, denuncia a mentira que o mundo tecnoconsumista - e imediatista - exige de nós compreensão: "Se pensarmos nisso em termos humanos, e imaginarmos uma pessoa definida pela ansiedade desesperada de ser curtida, qual é o quadro que vemos? O de uma pessoa sem integridade, descentrada. Em casos mais patológicos, vemos um narcisista - alguém incapaz de tolerar em sua autoimagem as manchas que seriam representadas pela possibilidade de não ser curtida e que portanto busca uma fuga do contato humano ou se dedica a sacrifícios cada vez mais extremos da própria integridade com o intuito de ser curtida".

o comportamento de milton hatoum e de eliane brum (ela abriu mão do aparelho celular e faz questão de ser contatada somente por e-mail) é aqui apresentado não como referência em termos de relações humano-sociais, e sim como alternativa, eco do que propôs franzen: um comportamento consciente, não-dependente, muito menos falso ou egoísta.

sendo assim, não defendo nesta croniqueta (sim, está muito mais para um ensaio) uma tomada de posição de contrariedade radical. se escrevo sobre este assunto é porque a mim ele ainda se apresenta bastante confuso, tamanha a linha tênue que nos separa de uma dependência e de uma aversão tecnológica e social, ambas atitudes extremistas que trazem consigo muitas perdas ao ser humano. uma vez que somos bebês no contato com essa ultramodernidade na qual estamos inseridos, nada melhor do que o exercício de olharmo-nos dentro deste meio, procurando sempre uma reflexão em prol de melhores atitudes.

Nota do Editor:
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no blog Um sentir complementa o outro.


Ítalo Puccini
Joinville, 17/12/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Minimundos, exposição de Ronald Polito de Jardel Dias Cavalcanti
02. Os olhos de Ingrid Bergman de Renato Alessandro dos Santos
03. A poesia afiada de Thais Guimarães de Jardel Dias Cavalcanti
04. Notas confessionais de um angustiado (VI) de Cassionei Niches Petry
05. Lembrança de Plínio Zalewski de Celso A. Uequed Pitol


Mais Ítalo Puccini
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




BOA NOITE, DESDÊMONABOM-DIA, JULIETA
ANN-MARIE MACDONALD
BEST SELLER
(2001)
R$ 11,00



MULHER UM PROJETO SEM DATA DE VALIDADE
MALCOLM MONTGOMERY
INTEGRARE
(2010)
R$ 6,90



FORÇA PARA VIVER
JAMIE BUCKINGHAM
BETÂNIA
(1987)
R$ 5,00



PLAYBOY MANU/ PLAYBOY SYANG/PLAYBOY AS GÊMEAS/PLAYBOY AS MALANDRINHAS/PLAYBOY AS GAROTAS DA COPA
DIVERSOS
ABRIL
(2002)
R$ 76,00



NOSSA ESPERANÇA
JOHN PIPER
IMPACTO PUBLICAÇÕES
(1986)
R$ 25,00
+ frete grátis



DICIONÁRIO LAROUSSE ESPANHOL-PORTUGUÊS/PORTUGUÊS-ESPANHOL AVANÇADO
JOSE A. GALVEZ
LAROUSSE
(2006)
R$ 22,00



TRUMP ATRÁS DOS BASTIDORES
JEROME TUCCILLE
SICILIANO
(1988)
R$ 5,00



QUEM SAI AOS SEUS...
JOSÉ GAMEIRO
AFRONTAMENTO
(1994)
R$ 11,16



AS JÓIAS DO REI PELÉ
CELSO DE CAMPOS JUNIOR
REALEJO
R$ 150,00



ALINE E SEUS DOIS NAMORADOS
ADÃO ITURRUSGARAI
L&PM POCKET
(2001)
R$ 8,38





busca | avançada
74271 visitas/dia
2,0 milhões/mês