Conhecimento sem sofrimento | Mayrant Gallo

busca | avançada
67107 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Ruy Castro
>>> Diga: trinta e três
>>> O Casal 2000 da literatura brasileira
>>> Lucas vs. Spielberg
>>> Do desprezo e da admiração
>>> A pulsão Oblómov
>>> Arte Brasileira Hoje: um arquipélago
>>> Sobre o som e a fúria
>>> O fim do livro, não do mundo
>>> Jornal: o cadáver impresso
Mais Recentes
>>> Que Es El Tiempo ? de Damm Antje pela Iamique (2011)
>>> A Colonização Alemã no Rio Grande do Sul de Aldair Marli Lando; Eliane Cruxên Barros pela Movimento (1982)
>>> Encontro Poesia Brasília de Arisnaldo dos Santos Januário pela Da Autore (1984)
>>> Onde Moras? Moradia e Fraternidade de Campanha da Fraternidade pela Aec (1993)
>>> Festa na Floresta Itaúna de Márcia Regina Morais pela Vile (2008)
>>> Anime Do Especial Número 9 Dragon Ball de Lisa Matsuzaka pela Escala
>>> Revista Anime Do Número 5 de Lilian Maruyama pela Escala
>>> Defensores de Tóquio Número 3 de Eduardo Leão pela Trama
>>> O Castelo De Otranto de Horace Walpole pela Nova Alexandria (1996)
>>> O Ânus Solar de Georges Bataille pela Hiena (1985)
>>> O Perigo das Radiações de Jack Schubert; Ralph E. Lapp pela Ibrasa (1960)
>>> Apometria: Um instrumento para a harmonia e para a felicidade a nova ciencia da alma de J S Godinho pela Holus (2012)
>>> The Little Prince de Antoine de Saint-Exupéry pela Harbrace (1971)
>>> Livro MILAGRES de Vera Nappi pela A Vida é Bela (2003)
>>> Você Pode Curar Sua Vida 126ª edição. de Louise L Hay pela Best Seller (2021)
>>> Livro CANTO ALGUM de Flávia Reis pela Reformátório (2020)
>>> Apologia de Sócrates - clássicos de bolso ediouro de Platão ( tradução de Maria Lacerda de Moura) pela Ediouro (2002)
>>> Mediunidade e Apometria: Terapêutica e Apometria edição. revista e atualizada de J S Godinho pela Holus (2012)
>>> Livro Mulher V Moderna, à moda antiga de Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson (2013)
>>> Der Kleine Prinz de Antoine de Saint-Exupéry pela Harbrace (1971)
>>> Der Kleine Prinz de Antoine de Saint-Exupéry pela Karl Rauch
>>> Brief an Den Vater de Franz Kafka pela Fischer (1989)
>>> Sonhos de Bunker Hill de John Fante pela L&pm (2003)
>>> I Ching - O Livro das Mutações de Desconhecido pela Trevo (2004)
>>> O Mistério dos Temperamentos de Rudolf Steiner pela Antroposofica (1994)
ENSAIOS

Segunda-feira, 1/1/2007
Conhecimento sem sofrimento
Mayrant Gallo
+ de 6100 Acessos
+ 3 Comentário(s)


Take a pill de Lauren Hale

Na universidade, sempre que me encontro com Sérgio Rivero, um dos meus colegas de Teoria da Literatura e que, além de professor, é romancista e arquiteto, conversamos sobre o grau de interesse dos alunos do curso de Letras. É óbvio que há alunos bons, alguns verdadeiramente excepcionais eu diria, mas uma boa parte se contenta em apenas polir as cadeiras.

Estes alunos são, em geral, uns eternos reclamões. Reclamam tanto das aulas mais complexas quanto daquelas mais simples, quase pueris. Reclamam da quantidade excessiva de textos, do fato de que têm de tirar fotocópias, pois a biblioteca nem sempre abriga em seu acervo os livros indicados, e eles não dispõem de dinheiro suficiente, eles, que volta e meia sacam do bolso ou da bolsa, não raro em plena aula, o discreto e indispensável telefone celular...

Também reclamam que está calor ou que está frio; que os trabalhos de pesquisa demandam muito tempo e esforço e que as provas ou são muito difíceis (exigem que se pense sobre o que se vai escrever e, afinal, se escreva) ou que são muito extensas, obrigando-os a ficar durante muito tempo pregados à cadeira, fazendo o que menos gostam de fazer... Em suma, reclamam de tudo, exceto de si mesmos.

Num dos nossos últimos e eventuais encontros, Sérgio e eu descobrimos afinal o porquê de tanta queixa e intolerância. A verdade – nos parece – é que, em tempos tão rápidos, tão exigentes quanto à própria economia de tempo, estudar dia a dia, aula a aula, texto a texto, livro a livro, e ser avaliado prova a prova, seminário a seminário, tornou-se um trabalho fastidioso e angustiante.

Até que se adquira o pleno conhecimento para o exercício de uma determinada profissão, alguns anos terão se passado, e parte da juventude escoado, se não toda ela, levando-se em conta que algumas profissões demandam do sujeito dez anos ou mais de rigorosos estudos. Quer dizer: quando se começa a exercê-las, mais ou menos metade da vida já se derramou. E a consciência da passagem do tempo é cruel, mesmo para o menos preocupado dos homens.

Essa reflexão nos levou a compreender que a educação, em sintonia com os novos tempos, deve se processar de maneira bem mais rápida e bem menos angustiante, de preferência sem desperdiçar nem um minuto sequer. Mas como seria isso? Não demoramos muito a perceber que o conhecimento precisa antes de tudo, para o bem do homem e o pleno gozo de sua vida, ser engolido, literalmente. E então começamos a imaginar...

Em lugar da exaustiva disciplina de Teoria da Literatura I, com trinta títulos, duas ou três avaliações escritas, seminários e extensos questionários em equipe, em lugar de tudo isso, apenas uma caixinha de suaves e açucarados comprimidos. E pílulas de Latim I, também cápsulas de Lingüística II.

O aluno só teria o trabalho de se dirigir ao gabinete do professor e solicitar a receita. Depois, praia, festas, viagens, namoro e as inúteis leituras de Paulo Coelho ou Sidney Sheldon... E para aqueles alunos que têm dificuldade de engolir (que ainda não abandonaram de todo a infância), as disciplinas poderiam também ser oferecidas em versões mais frugais: na forma efervescente ou no tom espesso e adocicado dos xaropes cor de laranja.

Não faltaria, é claro, para alguns poucos, a intragável colherada-rícino de Língua Portuguesa V. E para os masoquistas, aqueles que admiram o fervor do caos, a apreensão de Língua Inglesa I ou Filologia Românica II na aguilhoante forma de injeções ou supositórios... Ou na dolorosa variante de soro na veia, que talvez seja a maneira preferida dos hipocondríacos de atingir o conhecimento, indo para lá e para cá, na rua e pelos corredores, com sua garrafinha...

Para os que falam muito, as homeopáticas doses de meia em meia hora de Língua Francesa I ou da árida História da Crítica Literária, de Sílvio Romero a Luís Costa Lima. Já para os contemplativos, História da Arte ou Introdução à Filosofia em tépidos chás medicinais diários, às cinco da tarde, o sol se espreguiçando no horizonte, em meio a ternas nuvens.

E percebam que lucrariam com isso tanto os alunos quanto os professores, que teriam tempo quase integral para se dedicar às pesquisas de novas disciplinas e sua melhor e mais proveitosa ingestão...

Quando um certo aluno necessitasse, por força das circunstâncias, de uma imposição mais aguda de conhecimento, se promoveria a implantação, diretamente no cérebro, mediante intervenção cirúrgica, de um curso inteiro, seja de Letras, seja de Geografia, ou mesmo de Biologia ou Direito.

Os ganhos com tal procedimento seriam extensivos e incalculáveis. Por exemplo: quando se precisasse urgentemente de um novo professor, não seria nem preciso abrir concurso ou seleção. De um dia para o outro, o aluno se tornaria apto a ser contratado e a seguir, salvo se não quisesse, uma brilhante carreira acadêmica.

– Fantástico! – Sérgio exultou, da última vez que debatemos, com mais profundidade, o assunto.

– É. E é também, sem dúvida, a solução de todas as reclamações – acrescentei.

Enredado em seus pensamentos, Sérgio de pronto se lembrou do monótono Matrix, um filme que nos faz dormir com suas enfadonhas seqüências de ação.

– Sim, é o que acontece no desfecho – concordei. – A protagonista toma, em segundos, por computador, um curso inteiro de pilotagem de helicóptero. É como se ingerisse um simples comprimido com o conteúdo de centenas de aulas. A educação do futuro, no tempo de nossos netos ou bisnetos, talvez seja essa – concluí, sombrio.

Na oportunidade, conversávamos sozinhos na sala da área de literatura. De repente, a porta se abriu, e uma aluna que desconhecíamos perguntou, com uma inatural indolência, efeito talvez de seu estado:

– Vocês têm... aí... um comprimido...

Rimos, às bandeiras despregadas, como se dizia antigamente nos piores e melhores romances. Sem entender por que ríamos, a garota completou:

– Para dor... de cabeça...?

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no Correio da Bahia em outubro de 2002.


Mayrant Gallo
Salvador, 1/1/2007
Quem leu este, também leu esse(s):
01. De Kooning em retrospectiva de Sonia Nolasco
02. Sermão ao cadáver de Amy de João Pereira Coutinho
03. Ninho vazio de Lélia Almeida
04. Aquarela de um Brasil sem cor de Túlio Henrique Pereira
05. A Empulhação Esportiva de André Forastieri


Mais Mayrant Gallo
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/1/2007
01h20min
Tive a honra de ser aluno de Mayrant Gallo em quatro disciplinas. Uma delas optativa. E seria aluno dele por tantas outras matérias, se tivesse oportunidade. Um verdadeiro mestre, que sabe como passar o conhecimento aos alunos. As aulas de Mayrant e de alguns raros professores não podem ser distribuídas em pílulas. Pois são com eles que aprendemos não apenas lições acadêmicas, mas lições para toda a vida.
[Leia outros Comentários de Rafael Rodrigues]
3/1/2007
21h11min
hahaha! genial! conheço um bom número de acadêmicos que não hesitariam em aderir a este método Matrix de aprendizado. vai vender feito água. vai por mim. aliás, eu achava que era a única pesssoa que tivesse dormido no tal filme. ô, chatice sem fim.
[Leia outros Comentários de Vitor Diel]
22/1/2007
11h40min
Certo, alguém que qualifica o filme "The Matrix" como "monótono" e "enfadonho"... Agora compreendo melhor porque os cursos de Letras estão sendo abandonados enquanto que as pós de Semiótica e Cibercultura vivem lotadas. Faz muito sentido...
[Leia outros Comentários de Daniela Castilho]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Hacia La Reponsabilidad Familiar Corporativa
Patricia Debeljuh
Sem
(2013)



Cenas Admiráveis II - Manifestações de Jesus Crucificado e Ressuscitad
Max Seltmann
Nova Revelação
(1998)



Livro Biografias Pavarotti Meu Mundo
Luciano Pavarotti
Rocco
(1996)



Guia Completo Sobre Diabetes da American Diabetes Association
Bruce R Zimmerman e Elizabeth a Walker
Anima
(2002)



LJA - Nova Ordem Mundial
Diversos Autores
Dc Comics
(2017)



Livro de Bolso Ecologia O Aquecimento Global Folha Explica 75
Claudio Angelo
Publifolha
(2008)



Ethics In Marketing: International Cases And Perspectives
Patrick E., Laczniak, Gene R. Murphy; Andrea Prothero
Routledge
(2012)



A Volta ao Mundo Em 80 Dias
Julio Verne
Abril Cultural
(1979)



Introdução a Turismo e Hotelaria
Vários autores
Senac
(1998)



Lobo Negro
Antoine Guilloppé
Melhoramentos
(2007)





busca | avançada
67107 visitas/dia
2,1 milhões/mês