Conhecimento sem sofrimento | Mayrant Gallo

busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
>>> ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES ONLINE DO ESPETÁCULO O DESMONTE
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A PROPÓSITO DE UM POEMA
>>> Como E Por Que Ler O Romance Brasileiro
>>> Jornalista, um bicho de 7 cabeças e 10 chifres
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> O amigo do escritor
>>> O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece
>>> SemiÓtica
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Cinema e os Direitos Humanos
>>> Elogio Discreto: Lorena Calábria e Roland Barthes
Mais Recentes
>>> Seleta de Versos e Contos vol. 10 de Varios pela Durantis (1998)
>>> Marília de Dirceu de Tomás Antônio Gonzaga pela Publifolha (1997)
>>> O Jogo dos Convexos de Nanette Carvalho Moreira pela Alcance (1993)
>>> Em Busca de Cézanne de Peter Mayle pela Rocco (2000)
>>> Capitães da Areia - Companhia de Bolso - 2012 de Jorge Amado pela Companhia de Bolso (2012)
>>> Confusão Cotidiana de Ana Beise pela Gente de Palavra (2014)
>>> Para Além do Bem e do Mal - 2011 - Obra Prima de Cada Autor de Friedrich Nietzsche pela Martin Claret (2011)
>>> Rezando com os Anjos de Antônio Lúcio da Silva Lima (org.) pela Paulus (1994)
>>> Como ajudar seu filho na Escola de Vera Lúcia Casari Parreira e Edna Maria Marturano pela Ave-Maria (1999)
>>> A Criança de 2 a 6 anos - Vida Afetiva e Problemas Familiares de Myriam David Dra. pela Paulinas (1987)
>>> Trevas e Luz - Uma coletânea de contos, crônicas e reflexões de José Carlos dos Santos (autografado) pela Do autor (2002)
>>> O Príncipe Playboy - O Reino de Cordina de Nora Roberts pela Harlequin (2013)
>>> Marília de Dirceu de Tomás Antônio Gonzaga pela Leitura XXI (2002)
>>> Enquanto Minha Querida Dorme - Best Bolso de Mary Higgins Clark pela BestBolso (2009)
>>> Idrologia e Crenoterapia (Le acque Minerali D' Italia) - 1924 de Dott. Prof. P. Piccinini pela Ulrico Hoepli (1924)
>>> Cânticos - 1996 de Cecília Meireles pela Moderna (1996)
>>> Homem Cobra - Mulher Polvo de Içami Tiba pela Gente (2004)
>>> Um Homem de Sorte - 2012 de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2012)
>>> Lembranças da Espanha/Recuerdos de España de César Pereira sel. pela Orvalhon Andaluz (1996)
>>> O Homem que Calculava - 2010 de Malba Tahan pela Record (2010)
>>> Le Cahier de Turin de Lionel Duroy pela Julliard (2003)
>>> Lolita - 1998 de Vladimir Nabokov pela Companhia das Letras (1998)
>>> Amar, Verbo Intransitivo Idílio de Mário de Andrade pela Villa Rica
>>> Fahrenheit 451 - 2018 de Ray Bradbury pela Globo (2018)
>>> A Arte da Cura Espiritual - 1991 de Keith Sherwood pela Siciliano (1991)
>>> O Encontro Inesperado ditado pelo Espírito Lucius de Zibia Gasparetto pela Vida & Consciência (2014)
>>> Melhor que Comprar Sapatos - 2015 de Cristiane Cardoso pela Unipro (2015)
>>> Quem me roubou de mim? de Fábio de Melo pela Canção Nova (2009)
>>> Quebra-Cocos de Lindolfo Lino pela João Scortecci (1997)
>>> As Cidades Invisíveis - Coleção Biblioteca Folha de Italo Calvino pela Globo/Folha de S.Paulo (2003)
>>> O Uraguai de Basílio Gama pela Leitura XXI (2009)
>>> Dexter Design de Um Assassino de Jeff Lindsay pela Planeta (2011)
>>> Dexter no Escuro de Jeff Lindsay pela Planeta (2010)
>>> Querido e Devotado Dexter de Jeff Lindsay pela Planeta (2009)
>>> O Guardião de Memórias de Kim Edwards pela Sextante (2007)
>>> Querida Filha de Elizabeth Little pela Rocco (2017)
>>> Cinquenta Tons Mais Escuros de E. L. James pela Intrísica (2012)
>>> Cinquenta Tons de Cinza de E. L. James pela Intrísica (2012)
>>> Viver é coisa Perigosa - Orientações para soluções de conflitos de Guilherme Schelb pela Do autor (2008)
>>> Contos (Literatura Francesa) de Voltaire pela Nova Cultural (2003)
>>> Mulherzinhas (Literatura Norteamericana) de Louisa May Alcott pela Nova Cultural (2003)
>>> O morro dos ventos uivantes (Literatura Inglesa/Britânica) de Emily Brontë pela Nova Cultural (2003)
>>> Naná (Literatura Francesa) de Emile Zola pela Nova Cultural (2003)
>>> Babbitt (Literatura norteamericana) de Siclair Lewis pela Nova Cultural (2003)
>>> Ivanhoé (Literatura Escocesa/Britânica) de Walter Scott pela Nova Cultural (2003)
>>> A mulher de Trinta Anos (Literatura Francesa) de Honorè de Balzac pela Nova Cultural (2003)
>>> Razão e Sensibilidade (Literatura Inglesa) de Jane Austen pela Nova Cultural (2003)
>>> Tom Jones (Literatura Inglesa) de Henry Fielding pela Nova Cultural (2003)
>>> Ninguém escreve ao coronel de Gabriel Garcia Marques pela Record (2014)
>>> Tragédias - Romeu e Julieta/Macbeth/Otelo, o mouro de Veneza de William Shakespeare pela Nova Cultural (2003)
ENSAIOS

Segunda-feira, 1/1/2007
Conhecimento sem sofrimento
Mayrant Gallo

+ de 5300 Acessos
+ 3 Comentário(s)


Take a pill de Lauren Hale

Na universidade, sempre que me encontro com Sérgio Rivero, um dos meus colegas de Teoria da Literatura e que, além de professor, é romancista e arquiteto, conversamos sobre o grau de interesse dos alunos do curso de Letras. É óbvio que há alunos bons, alguns verdadeiramente excepcionais eu diria, mas uma boa parte se contenta em apenas polir as cadeiras.

Estes alunos são, em geral, uns eternos reclamões. Reclamam tanto das aulas mais complexas quanto daquelas mais simples, quase pueris. Reclamam da quantidade excessiva de textos, do fato de que têm de tirar fotocópias, pois a biblioteca nem sempre abriga em seu acervo os livros indicados, e eles não dispõem de dinheiro suficiente, eles, que volta e meia sacam do bolso ou da bolsa, não raro em plena aula, o discreto e indispensável telefone celular...

Também reclamam que está calor ou que está frio; que os trabalhos de pesquisa demandam muito tempo e esforço e que as provas ou são muito difíceis (exigem que se pense sobre o que se vai escrever e, afinal, se escreva) ou que são muito extensas, obrigando-os a ficar durante muito tempo pregados à cadeira, fazendo o que menos gostam de fazer... Em suma, reclamam de tudo, exceto de si mesmos.

Num dos nossos últimos e eventuais encontros, Sérgio e eu descobrimos afinal o porquê de tanta queixa e intolerância. A verdade – nos parece – é que, em tempos tão rápidos, tão exigentes quanto à própria economia de tempo, estudar dia a dia, aula a aula, texto a texto, livro a livro, e ser avaliado prova a prova, seminário a seminário, tornou-se um trabalho fastidioso e angustiante.

Até que se adquira o pleno conhecimento para o exercício de uma determinada profissão, alguns anos terão se passado, e parte da juventude escoado, se não toda ela, levando-se em conta que algumas profissões demandam do sujeito dez anos ou mais de rigorosos estudos. Quer dizer: quando se começa a exercê-las, mais ou menos metade da vida já se derramou. E a consciência da passagem do tempo é cruel, mesmo para o menos preocupado dos homens.

Essa reflexão nos levou a compreender que a educação, em sintonia com os novos tempos, deve se processar de maneira bem mais rápida e bem menos angustiante, de preferência sem desperdiçar nem um minuto sequer. Mas como seria isso? Não demoramos muito a perceber que o conhecimento precisa antes de tudo, para o bem do homem e o pleno gozo de sua vida, ser engolido, literalmente. E então começamos a imaginar...

Em lugar da exaustiva disciplina de Teoria da Literatura I, com trinta títulos, duas ou três avaliações escritas, seminários e extensos questionários em equipe, em lugar de tudo isso, apenas uma caixinha de suaves e açucarados comprimidos. E pílulas de Latim I, também cápsulas de Lingüística II.

O aluno só teria o trabalho de se dirigir ao gabinete do professor e solicitar a receita. Depois, praia, festas, viagens, namoro e as inúteis leituras de Paulo Coelho ou Sidney Sheldon... E para aqueles alunos que têm dificuldade de engolir (que ainda não abandonaram de todo a infância), as disciplinas poderiam também ser oferecidas em versões mais frugais: na forma efervescente ou no tom espesso e adocicado dos xaropes cor de laranja.

Não faltaria, é claro, para alguns poucos, a intragável colherada-rícino de Língua Portuguesa V. E para os masoquistas, aqueles que admiram o fervor do caos, a apreensão de Língua Inglesa I ou Filologia Românica II na aguilhoante forma de injeções ou supositórios... Ou na dolorosa variante de soro na veia, que talvez seja a maneira preferida dos hipocondríacos de atingir o conhecimento, indo para lá e para cá, na rua e pelos corredores, com sua garrafinha...

Para os que falam muito, as homeopáticas doses de meia em meia hora de Língua Francesa I ou da árida História da Crítica Literária, de Sílvio Romero a Luís Costa Lima. Já para os contemplativos, História da Arte ou Introdução à Filosofia em tépidos chás medicinais diários, às cinco da tarde, o sol se espreguiçando no horizonte, em meio a ternas nuvens.

E percebam que lucrariam com isso tanto os alunos quanto os professores, que teriam tempo quase integral para se dedicar às pesquisas de novas disciplinas e sua melhor e mais proveitosa ingestão...

Quando um certo aluno necessitasse, por força das circunstâncias, de uma imposição mais aguda de conhecimento, se promoveria a implantação, diretamente no cérebro, mediante intervenção cirúrgica, de um curso inteiro, seja de Letras, seja de Geografia, ou mesmo de Biologia ou Direito.

Os ganhos com tal procedimento seriam extensivos e incalculáveis. Por exemplo: quando se precisasse urgentemente de um novo professor, não seria nem preciso abrir concurso ou seleção. De um dia para o outro, o aluno se tornaria apto a ser contratado e a seguir, salvo se não quisesse, uma brilhante carreira acadêmica.

– Fantástico! – Sérgio exultou, da última vez que debatemos, com mais profundidade, o assunto.

– É. E é também, sem dúvida, a solução de todas as reclamações – acrescentei.

Enredado em seus pensamentos, Sérgio de pronto se lembrou do monótono Matrix, um filme que nos faz dormir com suas enfadonhas seqüências de ação.

– Sim, é o que acontece no desfecho – concordei. – A protagonista toma, em segundos, por computador, um curso inteiro de pilotagem de helicóptero. É como se ingerisse um simples comprimido com o conteúdo de centenas de aulas. A educação do futuro, no tempo de nossos netos ou bisnetos, talvez seja essa – concluí, sombrio.

Na oportunidade, conversávamos sozinhos na sala da área de literatura. De repente, a porta se abriu, e uma aluna que desconhecíamos perguntou, com uma inatural indolência, efeito talvez de seu estado:

– Vocês têm... aí... um comprimido...

Rimos, às bandeiras despregadas, como se dizia antigamente nos piores e melhores romances. Sem entender por que ríamos, a garota completou:

– Para dor... de cabeça...?

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no Correio da Bahia em outubro de 2002.


Mayrant Gallo
Salvador, 1/1/2007

Mais Mayrant Gallo
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/1/2007
01h20min
Tive a honra de ser aluno de Mayrant Gallo em quatro disciplinas. Uma delas optativa. E seria aluno dele por tantas outras matérias, se tivesse oportunidade. Um verdadeiro mestre, que sabe como passar o conhecimento aos alunos. As aulas de Mayrant e de alguns raros professores não podem ser distribuídas em pílulas. Pois são com eles que aprendemos não apenas lições acadêmicas, mas lições para toda a vida.
[Leia outros Comentários de Rafael Rodrigues]
3/1/2007
21h11min
hahaha! genial! conheço um bom número de acadêmicos que não hesitariam em aderir a este método Matrix de aprendizado. vai vender feito água. vai por mim. aliás, eu achava que era a única pesssoa que tivesse dormido no tal filme. ô, chatice sem fim.
[Leia outros Comentários de Vitor Diel]
22/1/2007
11h40min
Certo, alguém que qualifica o filme "The Matrix" como "monótono" e "enfadonho"... Agora compreendo melhor porque os cursos de Letras estão sendo abandonados enquanto que as pós de Semiótica e Cibercultura vivem lotadas. Faz muito sentido...
[Leia outros Comentários de Daniela Castilho]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MISS DANÚBIO
MARÇAL AQUINO
SCRITTA
(1994)
R$ 12,66



O DESENTULHO DE GÓRI
NEY EICHLER CARDOSO
AUTOR
(2003)
R$ 26,00



JE SAIS TOUT OU PRESQUE - 2658
ELISABETH IVANOVSKY
GAUTIER-LANGUEREAU
(1985)
R$ 15,00



MANUAL DE ESCRITOS
YOLANDA JORDÃO
THESAURUS (BRASÍLIA)
(1979)
R$ 31,00



THE HOUSE BY THE SEA
PATRICIA ASPINALL
CAMBRIDGE
(1999)
R$ 7,00



ASSASSINATO DE REPUTAÇÕES UM CRIME DE ESTADO
ROMEU TUMA JUNIOR
TOPBOOKS
(2013)
R$ 75,00
+ frete grátis



O AMOR, A FÉ E A ESPERANÇA - 200 CHAVES DE SABEDORIA
J. CHINELATO
K&R
(2010)
R$ 22,00



LOLITA
VLADIMIR NABOKOV
O GLOBO
(2003)
R$ 20,00



INICIAÇÃO A ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO
IDALBERTO CHIAVENATO
MAKRON BOOKS
(1991)
R$ 19,90



JK O OTIMISMO EM PESSOA
JOSÉ LOUZEIRO
EDIOURO
(1999)
R$ 5,00





busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês