O som na cabeça | Daniel Daibem

busca | avançada
29017 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Mosteiro de São Bento: 50 anos da morte de Thomas Merton
>>> Residência Artística FAAP: espaço democrático onde os artistas de todo o mundo se encontram
>>> Última Terça Aberta do ano apresenta dois solos no Kasulo
>>> Eloy Casagrande e Michelle Abu encerram o projeto Baterias Brasileiras no Sesc Belenzinho
>>> LANÇAMENTO - livro " O CRIME COMO GÊNERO NA FICÇÃO AUDIOVISUAL DA AMÉRICA LATINA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As palmeiras da Politécnica
>>> Como eu escrevo
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
>>> Do canto ao silêncio das sereias
>>> Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela
>>> A barata na cozinha
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O Voto de Meu Pai
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
Colunistas
Últimos Posts
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
Últimos Posts
>>> A verdade? É isso, meme!
>>> Ser pai, sendo filho - poema
>>> A massa não entende
>>> ARCHITECTURA
>>> Os Efeitos Colaterais do Ano no Mundo
>>> A Claustrofobia em Edgar Allan Poe - Parte I
>>> Casa de couro V
>>> Heróis improváveis telefonam...
>>> Um lance de escadas
>>> No tinir dos metais
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O estilo de Freddie Hubbard
>>> Cartas a um jovem escritor
>>> Livros, brinquedos, bichos de estimação e imagens
>>> 8º Cordas na Mantiqueira, em São Francisco Xavier
>>> Corpo é matéria, corpo é sociedade, corpo é ideia
>>> Mostra SP: EUA Contra Lennon
>>> Cores Paulistas e os Quatro Anos da IQ Art Gallery
>>> Ensaio.Hamlet e a arte de se desconstruir quimeras
>>> nem tanto assim
>>> Sob o domínio do Mal
Mais Recentes
>>> Jantares De Mesa E Cama de Alexandra Forbes pela Marco Zero (2004)
>>> Cândido ou o Otimismo de Voltaire pela LPM Pocket (2018)
>>> Cinemas de Horror (Cinema Estronho) de Demian Garcia (Org.) pela Estronho (2016)
>>> 1001 Discos Para Ouvir Antes de Morrer de Robert Dimery pela Sextante (2007)
>>> O Massacre da Serra Elétrica - Arquivos Sangrentos de Stefan Jaworzyn pela Darkside Books (2013)
>>> Dick Tracy - Edição Especial 50 Anos de Chester Gould pela Rge
>>> Isaac Asimov Magazine nº 10 de Vários Autores pela Record (1985)
>>> Isaac Asimov Magazine nº 3 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Açucar de Gilberto Freyre pela Ministério da Indústria e do Comércio (1969)
>>> Histeria - Primeiros Artigos II de Sigmund Freud pela Imago (1986)
>>> Critique No 471-472 1986 Michel Foucault: du Monde Entier de Axel Honneth, François Ewald e outros pela Éditions de Minuit (1986)
>>> A Felicidade em Albert Camus, Aproximação à sua Obra de Marcello Z. Mathias pela Tempo Brasileiro (1975)
>>> Los Rollos del Mar Muerto, El Descubrimiento de los Manuscritos Bíblicos de Edmund Wilson pela Fondo de Cultura Económica (1956)
>>> Mundo do Fim do Mundo de Luis Sepúlveda pela Relume Dumará (1997)
>>> Claves para el Diagnostico de las Enfermedades de los Peces de H.-H. Reichenbach-Klinke pela Acribia (1976)
>>> A Alimentação dos Peixes de Aquário de Gastão Botelho e outros pela Nobel (1984)
>>> Miscelânea de Língua e Literatura Portuguêsa Medieval de M. Rodrigues Lapa pela Instituto Nacional do Livro (1965)
>>> Revolução Industrial e Subdesenvolvimento de Paul Bairoch pela Brasiliense (1976)
>>> Revista Tempo Brasileiro 30 / 31 Epistemologia 2 de Carlos Henrique de Escobar, Louis Althusser e outros pela Tempo Brasileiro (1973)
>>> Aforismos para a Sabedoria de Vida de Arthur Schopenhauer pela Folha de São Paulo (2015)
>>> Receita de Ano Novo de Carlos Drummond de Andrade pela Record (2011)
>>> Um Espia Na Casa Do Amor de Anaïs Nin pela L&PM (2006)
>>> Jogos divertidos e Brinquedos Criativos de Marcos Teodorico Pinheiro de Almeida pela Vozes (2007)
>>> O efeito urano de Fernanda Young pela Objetiva (2001)
>>> Tarzan Nº 27 5ª Série de Edgar Rice Burroughs pela Ebal (1979)
>>> Tarzan Nº 35 5ª Série de Edgar Rice Burroughs pela Ebal (1980)
>>> Tarzan Bi Nº 10 2ª Série de Edgard Rice Burroughs pela Ebal (1978)
>>> L'Origine et l'Evolution de la Vie de A. Oparine pela Éditions de la Paix
>>> O Acaso e a Necessidade de Jacques Monod pela Vozes (1976)
>>> O Capital Livro 2 Volume III de Karl Marx pela Difel (1983)
>>> Os Paraísos Artificiais / O Ópio e Poema do Haxixe de Charles Baudelaire pela L&pm (1982)
>>> Se Deus Fosse um Ativista dos Direitos Humanos de Boaventura de Sousa Santos pela Cortez (2014)
>>> Realidad del Alma de C. G. Jung pela Losada (1946)
>>> 501 Filmes Que Merecem Ser Vistos de Larrousse Editorial pela Larrousse Editorial (2009)
>>> Almanaque dos seriados de Paulo Gustavo Pereira pela Ediouro (2008)
>>> No Jardim das Feras de Erik Larson pela Intrínsica (2012)
>>> A massai branca de Corinne Hofmann pela Geração (2007)
>>> Norte e Sul - Edição Bilíngue de Elizabeth Gaskell pela Landmark (2010)
>>> Julieta de Anne Fortier pela Arqueiro (2010)
>>> A Balada do Velho Marinheiro de Samuel T. Coleridge pela Disal (2006)
>>> Que País É Este? e Outros Poemas de Affonso Romano de Sant'Anna pela Civilização Brasileira (1980)
>>> A Mulher Mais Linda da Cidade e Outras Histórias de Charles Bukowski pela L&pm (2017)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela Expressão Popular (2018)
>>> Adução - O Dossiê Alienígena de Pedroon Lanne pela Talentos Da Literatura (2015)
>>> Medo Clássico de Edgar Allan Poe pela Darkside Books (2018)
>>> Mandrake - a Bíblia e a bengala de Rubem Fonseca pela Nova Fronteira (2015)
>>> Memórias de Minhas Putas Tristes de Gabriel García Márquez pela Record (2009)
>>> Belo Sacrifício de Jamie Mcguire pela Verus (2016)
>>> Perdido na Amazônia 1: Dan contra a terrível Doutora Nova de Toni Brandão pela Sm (2005)
>>> Deixe os homens aos seus pés de Marie Forleo pela Universo dos livros (2011)
ENSAIOS

Segunda-feira, 21/7/2008
O som na cabeça
Daniel Daibem

+ de 7100 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Há quatro anos apresento um programa na Rádio Eldorado FM, de São Paulo, chamado Sala dos Professores. Nele, tento compartilhar com os ouvintes coisas das quais, geralmente, só os músicos têm consciência quando estão tocando. São preceitos que, se usados intencionalmente e com bom gosto, geram todas as sensações possíveis em quem ouve uma canção: alegria, melancolia, vontade de dançar, de relaxar, de sair chutando tudo...

Existem regras simples para esse resultado aparentemente complexo. Improvisar, por exemplo. No Brasil, a palavra improvisar ganhou a conotação "fazer as coisas de qualquer jeito". É aí que começa a confusão. A maioria das pessoas, mesmo as que curtem jazz há bastante tempo, pensa que o conceito de improviso na música é mais ou menos assim: o tema é apresentado e na hora de tocar... liberdade total, vale tudo!

Liberdade, sim, mas dentro de algumas normas. É exatamente como em uma conversa. Quando se está discutindo algo, obrigatoriamente se usa um idioma. As ferramentas são as palavras desse idioma. Pode-se até contar a mesma história várias vezes de formas diferentes, mas, para ser entendido, deve-se usar palavras que já existam nessa língua.

Na música também é assim. Pode-se dizer que o idioma é o ritmo: baião, jazz, samba, bolero, funk... Para cada um deles existe um vocabulário de melodias e divisões rítmicas. A melodia é a parte emotiva da música. Quando o músico improvisa, usa seqüências melódicas já existentes, que podem ser um trecho de um tema conhecido, uma frase de blues... Então o músico não cria?

Cria, sim, mas com o que já foi inventado. E quem inventou? Para não parecer uma opinião arrogante, vai aqui um exemplo, uma frase dita por um dos maiores gênios da música contemporânea, o maestro Antônio Carlos Jobim. Numa entrevista à televisão, perguntaram a ele:

― E aí, Tom, como é ser um dos maiores compositores do mundo, com mais de 3 mil músicas e tal...?

Ele respondeu:

― É, a gente vai fazendo umas coisinhas aí, imitando os passarinhos...

Ele sabia que tudo já fora inventado, que só se brinca com o que já existe. E disse mais, que ouvindo a obra de Heitor Villa-Lobos conseguia dizer qual era exatamente o pássaro que estava sendo imitado em determinada melodia. Villa-Lobos era outro que também sabia que tudo já havia sido inventado e, no meio da noite, se enfiava na mata para ouvir a "sinfonia da natureza" e colecionar movimentos rítmicos e melódicos.

A ranhura que faz a diferença
A melodia solta no espaço, sem um ritmo, não é nada. É como a água sem um recipiente. Qual é o recipiente que dá forma às melodias? É o ritmo. A parte "esportiva" da música. Além dele, há também o groove. Para brincar com as melodias deve haver um groove, uma levada, uma célula rítmica que servirá de alicerce para qualquer seqüência tocada ou cantada. Os jazzistas são os músicos que mais dominam essa prática, porque estudaram os ritmos; podem, então, tocar qualquer música na levada que quiserem, claro que com o mínimo de bom gosto.

E é justamente por essas pequenas regras que uma jam session (reunião de músicos que tocam e improvisam) dá certo. Mesmo se os músicos estiverem se encontrando pela primeira vez, o solista pode chamar qualquer tema no ritmo que achar adequado para o momento. Por exemplo, "Garota de Ipanema" em ritmo de jazz ou "Yardbird Suite", de Charlie Parker, como samba. Nas jam sessions, cada música, executada dentro desse conceito, pode durar três minutos ou várias horas, dependendo do vocabulário e do conhecimento de quem a estiver tocando. O improviso acontece nesse ciclo. Algo aparentemente complexo, mas que funciona devido a regras simples.

Para não ficar só na teoria, segue uma dica aos leitores: ouçam coisas simples, músicas que podem ser cantaroladas. É por meio delas que se entende que canções que parecem extremamente complexas são totalmente dependentes de regras básicas.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado na revista Continuum Itaú Cultural, edição n.º 12, em comemoração de seu 1º ano de existência. Daniel Daibem é radialista e músico. Apresenta diariamente o programa Sala dos Professores, na Rádio Eldorado FM de São Paulo (92,9 MHz).


Daniel Daibem
São Paulo, 21/7/2008

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Joey e Johnny Ramone de André Barcinski
02. De Kooning em retrospectiva de Sonia Nolasco
03. Amy e a hipocrisia coletiva de André Barcinski
04. Manual do Publicitário de André Barcinski
05. A Widow's Story: A Memoir de Sonia Nolasco


Mais Daniel Daibem
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/7/2008
20h24min
Por sinal, o programa é uma aula de bom gosto.
[Leia outros Comentários de Guto Maia]
30/7/2008
14h29min
Me perdoem a expressão batida, mas a "Sala" é um verdadeiro oásis no deserto da mesmice e baixo nível da rádio e da mídia no geral. Apenas lamento não poder ouvir o programa com mais frequencia. O Daniel Daibem é ótimo: simpático, sem ser apelativo, profissional, mas não por isso engomado, e ainda tem boa dicção, carência recorrente no pessoal jovem de rádio (ouça os repórteres "de rua" da CBN...) E acredito que deve ser muito corajoso para conseguir impor uma idéia dessas no rádio. Mas é emblemática a mudança de programação da Rádio Eldorado, que hoje toca rap "chique", que em muitos momentos parece a Antena 1 ou uma rádio de rock e, no entanto, em outros tempos (não muito distantes) era a melhor alternativa de São Paulo, superior a Rádio USP ou a falecida Musical FM. Ouvindo a Eldorado descobri Tuck & Patti, ouvi James Taylor cantando "It´s only a paper moon" (desafio os fãs do JT a me dizer em qual CD está essa gravação) etc. Por isso, longa vida ao Daniel! (E à P. Palumbo também!)
[Leia outros Comentários de Conrado Paulino]
31/7/2008
15h35min
Parabéns pela coluna Daniel! Texto muito suave e didático. Vou comentar sua coluna com meus alunos de Produção de Áudio aqui em Curitiba. Não conheço o seu programa, mas vou dar uma escutada na Eldorado. Abraço.
[Leia outros Comentários de Otacilio Vaz]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO SOCIOLÓGICA
PETER H. MANN
ZAHAR
(1970)
R$ 10,00



HARRODS BOOK OF FINE WINE
JOANNA SIMON
MITCHELL BEAZLEY
(1990)
R$ 50,00



TIME RIDERS 2 - O DIA DO PREDADOR
ALEX SCARROW
FUNDAMENTO
(2011)
R$ 44,00



JUSTINO, O RETIRANTE (LITERATURA INFANTO-JUVENIL)
ODETTE DE BARROS MOTT
BRASILIENSE
(1987)
R$ 7,00



COMO FAZER MONOGRAFIA NA PRÁTICA
TAKESHY TACHIZAWA E GILDÁSIO MENDES
FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS
(2001)
R$ 15,00



I TAROCCHI DEGLI GNOMI
ANTONY MOORE
LO SCARABEO
(1999)
R$ 126,00



O MUNDO É BÁRBARO
LUIS FERNANDO VERÍSSIMO
OBJETIVA
(2008)
R$ 11,20



ENTRE DEUS E O DIABO
GERALDO PIERONI, CARMEN LÍCIA PALAZZO, LUIZ ANTONIO SABEH
BERTRAND
(2007)
R$ 15,00



MAGIA DO I-CHING
J. H. BRENNAN
MADRAS
(2011)
R$ 35,00
+ frete grátis



ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING
PHILIP KOTLER
EDITORA PEARSON
(2000)
R$ 100,00





busca | avançada
29017 visitas/dia
1,1 milhão/mês