25 anos do Rock in Rio | Digestivo Cultural

busca | avançada
58257 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Sessão Única com Jogo de Escape Game e debate do filme 'Os Bravos Nunca se Calam' em SP
>>> OBRAS INSPIRADAS DURANTE A PANDEMIA GANHAM DESTAQUE NO INSTITUTO CERVANTES, EM SÃO PAULO
>>> Sempre Um Papo com Silvio Almeida
>>> FESTIVAL DE ORQUESTRAS JUVENIS
>>> XIII Festival de Cinema da Fronteira divulga Programação
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A voz de uma geração perdida e abandonada
>>> Direita, Esquerda ― Volver!
>>> O menino mais bonito do mundo
>>> iPad
>>> iPad
>>> iPad
>>> Sátiro e ninfa, óleo s/ tela em 7 fotos e 4 movies
>>> poeta del vacío existencial
>>> Croft & Kidman
>>> Histórias de gatos
Mais Recentes
>>> Meu Ano de Descanso e Relaxamento de Ottessa Moshfegh pela Todavia (2009)
>>> Além das Crianças Índigo de P. M. H. Atwater pela Prolibera (2008)
>>> Semântica e Estilística - Dimensões Atuais do Significado e do Estilo de Esther Gomes de Oliveira; Suzete Silva (orgs.) pela Pontes (2014)
>>> A montanha mágica de Thomas Mann pela Círculo do livro (1982)
>>> Tecnologia da Informação - A Arte do Planejamento Estratégico de Bernard Boar pela Berkeley (2002)
>>> Doutor Fausto de Thomas Mann pela Nova Fronteira (1984)
>>> Carlota em Weimar de Thomas Mann pela Nova Fronteira (1984)
>>> Fábulas de La Fontaine de Marc Chagall pela Estação Liberdade (2004)
>>> Produção Textual, análise de gêneros e compreensão de Luiz Antônio Marcuschi pela Parábola (2008)
>>> As confissões de Felix Krull de Thomas Mann pela Hemus
>>> Direito e Razão - teoria do garantismo penal de Luigi Ferrajoli pela Revista dos Tribunais (2006)
>>> Década Perdida - Dez Anos de PT no Poder de Marco Antonio Villa pela Record (2013)
>>> Sua alteza real de Thomas Mann pela Portugália
>>> O Debate Sobre Deus de Terry Eagleton pela Nova Fronteira (2011)
>>> Mario e o mágico de Thomas Mann pela Artenova (1975)
>>> O Insaciável Homem-Aranha de Pedro Juan Gutierrez pela Companhia das Letras (2004)
>>> Os Buddenbrook - Decadência duma família de Thomas Mann pela Círculo do livro (1975)
>>> A Hipótese Comunista de Alain Badiou pela Boitempo (2012)
>>> Fenômeno da Lavagem de Dinheiro e Bem Jurídico Protegido de Romulo Rhemo Palitot Braga pela Juruá (2010)
>>> As cabeças trocadas - Uma lenda indiana de Thomas Mann pela Nova Fronteira (1988)
>>> Mulheres Que Correm Com os Lobos de Clarissa Pinkola Estés pela Rocco (1992)
>>> Conhecendo a Biodiversidade de Ariane Luna Peixoto; outros pela Vozes (2016)
>>> O eleito de Thomas Mann pela Portugália (1980)
>>> Alice no País dos Números de Carlo Frabetti pela Atica (2000)
>>> Por quem os sinos dobram de Ernest Hemingway pela Companhia nacional (1979)
BLOG >>> Posts

Quinta-feira, 14/1/2010
25 anos do Rock in Rio

+ de 5700 Acessos
+ 3 Comentário(s)

No dia 11 de janeiro de 1985 as portas se abriam na "Cidade do Rock". As chuvas, que castigaram a capital fluminense, transformaram o enorme terreno de várzea (arrendado ao lado do autódromo de Jacarepaguá) num pântano. O boato que circulava na época, antes do evento começar, é que, segundo uma profecia de Nostradamus, um festival na América do Sul acabaria em tragédia. Nem chuva, nem lama, nem Nostradamus. Nada foi capaz de conter o maremoto de sons, cores e atitudes que varreriam a cidade e o país. Era o Rock in Rio. Há 25 anos, o festival que, para muitos, é o Woodstock brasileiro, mudaria conceitos, quebraria paradigmas e colocaria definitivamente o Brasil na rota dos grandes shows internacionais. Era o marco zero do rock no Brasil.

Antes disso, poderíamos contar nos dedos as atrações internacionais que já haviam passado por aqui: Santana (1971 e 1973), Alice Cooper (1974), Genesis (1977), Queen (1981), The Police (1982), Van Halen e Kiss (1983). Esta primeira ― e, até hoje, melhor ― de todas as edições do Rock in Rio trazia bandas como Yes, AC/DC, Queen, Scorpions, Iron Maiden, B-52's e Whitesnake, além de artistas solo como Ozzy Osbourne, Rod Stewart e George Benson. Todos no auge. E James Taylor, que chegou ao Rio em frangalhos, teve sua carreira reabilitada no palco. O festival também trazia atrações nacionais, como Barão Vermelho, Paralamas do Sucesso, Pepeu Gomes, Lulu Santos, Kid Abelha e Blitz, o que culminaria na explosão da cena roqueira nacional (o BRock). O Rock in Rio ainda voltaria em 1991 e 2001 ― e viraria franquia, sendo exportado para Portugal e Espanha ―, mas foi em 1985 que as comportas foram abertas. Até ali não havia publicações especializadas sobre música no Brasil, a divulgação era sofrível, as informações eram desencontradas e a infraestrutura para shows era ainda mais precária do que a que temos hoje. Com o sucesso do festival, todo um mercado relacionado à música pop e rock foi finalmente descoberto.



Roberto Medina penou como nunca para idealizar o Rock in Rio. Até ali, ele estava mais familiarizado com artistas como Barry White, Julio Iglesias e Frank Sinatra ― e sofreu para lidar com as bizarrices dos roqueiros. O caso mais conhecido foi o de Ozzy Osbourne, que naquela época já era conhecido pelo fatídico episódio em que mordeu um morcego vivo no palco. Pelo seu contrato, ele estava proibido de abocanhar qualquer animal vivo durante o show e foi fiscalizado por membros da sociedade protetora dos animais. Outro problema foi o sino de uma tonelada que o AC/DC usava na música "Hell's Bells". Se fosse usado, a estrutura do palco cederia. A banda bateu o pé: sem sino, não há show. Tiveram que produzir uma réplica de gesso do sino, e as badaladas foram acionadas eletronicamente.

Era uma época de muita curiosidade, de efervescência e de transição ― política e comportamental. Entre goles da cerveja Malt 90 (também conhecida como "Malt Nojenta"), gírias como "chocante" e a estranha moda "New Wave", a imprensa (não especializada) ainda sofria para encontrar a melhor cobertura para o evento. Os roqueiros, que ficaram conhecidos pelas alcunhas de "metaleiros", "agressivos" e "barulhentos", mostraram a sua cara e uma nova geração ali se desenhava. Dez dias, 1,38 milhão de espectadores e muitas toneladas de lixo depois, o Yes encerrava o último show do Rock in Rio. E o rock no Brasil nunca mais seria o mesmo a partir dali.


Postado por Diogo Salles
Em 14/1/2010 às 19h13


Mais Diogo Salles no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/1/2010
22h19min
Tinha seis anos quando aconteceu e pode parecer mentira, mas lembro dos jornais (TV) falando sobre o assunto e mencionando o espetacular público. Ali aprendi a amar o rock'n'roll e admirar bandas como Queen e Iron Maiden. É uma pena que não interesse aos empresários realizar um novo evento. Simplesmente demais.
[Leia outros Comentários de Levy Gonçalves Júnio]
14/1/2010
22h35min
O primeiro LP que comprei? "Rock in Rio" (não ao vivo, mas uma coletânea de bandas que viriam ao Brasil). Minha primeira aventura com uma fita de vídeo-cassete? Gravar os shows do Rock in Rio. Os primeiros textos de rock/pop que li? Revistas sobre o Rock in Rio. E por aí vai... Me dá vontade até de chorar, tamanha a importância que estes tempos tiveram sobre minha vida. E, claro, sobre a de milhões de garotos. Obrigado por me dar esta boa lembrança, amigo Diogo!
[Leia outros Comentários de Luiz Augusto Lima]
26/1/2010
11h46min
Cara, lembrei de quando estava em Santa Catarina de férias e implorei à minha mãe para ver o AC/DC e o Iron Maiden, tive que arrumar meu quarto e lavar a louça para obter o "alvará" e poder ficar até mais tarde para assistir aos shows! Tinha 8 anos também. E foi meu começo no mundo do Rock and Roll. Abraços, Luiz
[Leia outros Comentários de Luiz Schneider]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Cadeia para os Mortos: Historias de Ficção Politica
Rodolfo Konder
Alfa-omega
(1977)



Ficando Íntimos
Barbara Keesling
Record
(2000)



Assobie Enquanto Trabalha - Considerando a Vocação de sua Vida
Richard J. Leider & David A. Shapiro
rocco
(2003)



Il Giocatore
Fidor Dostoevskij
Arnoldo Mondadori
(1970)



Escolafobética
Noélia Ribeiro
Vidráguas
(2015)



Paixões Toxicas
Bernardo Stamateas
Academia da Inteligencia
(2010)



Reencarnação tudo o que Você Precisa Saber
Richard Simonetti
ceac
(2001)



Cintilação das Estrelas
J. Raul Teixeira
fráter
(1992)



Lord Jim (1971)
Joseph Conrad
Abril
(1971)



Introdução a Sociologia 6ªed (1975)
T. B. Bottomore
Zahar
(1975)





busca | avançada
58257 visitas/dia
1,6 milhão/mês