E a internet está, de novo, mudando o mundo... no Egito, na Líbia... | Digestivo Cultural

busca | avançada
52947 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> O Buraco d’Oráculo leva dois espetáculos de seu repertório a praça em São Miguel Paulista
>>> Eleições 2022: Bolsonaro ganha no Nordeste e Lula no Sul e Sudeste, mas abstenções ganhará em todo o
>>> Paisagens Sonoras (1830-1880)
>>> III Seminário Sesc Etnicidades acontece no Sesc 24 de Maio nos dias 10, 11 e 12 de agosto.
>>> Longa nacional 'Dog Never Raised' estreia no 50º Festival de Gramado
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
Últimos Posts
>>> Os chinelos do Dr. Basílio
>>> Ecléticos e eficazes
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Descartável
>>> Sorria
>>> O amor, sempre amor
>>> The Boys: entre o kitsch, a violência e o sexo
>>> Dura lex, só Gumex
>>> Ponto de fuga
>>> Leite, Coalhada e Queijo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Uso do Twitter no Brasil
>>> Górgias, de Platão, por Daniel R.N. Lopes
>>> Brothers Gather Round
>>> Poesia em Fibonacci
>>> Freud pela Companhia das Letras
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> O novo sempre vem
>>> Música para olhar
>>> Uma outra visão do jornalismo
Mais Recentes
>>> A Lesson Before Dying de Ernest J. Gaines pela Vintage Books (1997)
>>> Todas as Constituições do Brasil de Adriano Campanhole / Hilton Lobo Campanhole pela Atlas (1971)
>>> Almanaque Abril 98 de Abril pela Abril (1998)
>>> Homeopatia - a Medicina do Equilíbrio de Edson Velardi Credidio pela Copola (1994)
>>> Introduccion a La Economia Positiva de Richard G. Lipsey pela Vicens Vives (1969)
>>> Kadiuéu de José Hamilton Ribeiro pela Brasiliense - Sp (1981)
>>> Conspiradores de Michael André Bernstein pela Record (2006)
>>> Boca ! Tudo o Que Você Precisa Saber para Ter um Sorriso Saudável de Fábio Bibancos pela Abril (2005)
>>> Fundamentos da Estetica de Claude R Rufenacht pela Quintessence
>>> Ensino Moderno de Matematica de J G Chaves pela Brasil
>>> Meninos sem Pátria de Luiz Puntel pela Atica
>>> Livro - Assim Nasce um Líder de Jo Owen pela Lafonte (2017)
>>> Autores Contemporaneos Brasileiros de Dulce Salles pela Giordano (1996)
>>> The Versalog Slide Rule de Não Consta pela The Frederick Post Company
>>> Contos da Alma de Alma Welt pela Palavras e Gestos (2004)
>>> Cinco Minutos / a Viuvinha de José de Alencar pela Atica (1995)
>>> Milagres de Bolso de Joan Borysenko pela Nova Era (1997)
>>> O Outro Gume da Faca de Fernando Sabino pela Atica (1996)
>>> Nem uma hora? de Larry Lea pela Betânia (1989)
>>> O Verão do Lobo Vermelho de Morris West pela Nova Cultural (1987)
>>> Biblioteca do Lider de Prof. Alberto Montalvão pela Novo Brasil (1979)
>>> Tio Robinson de Julio Verne pela Scipione (1994)
>>> Desenvolvimento Industrial Paulista de Serviço de Publicações Fiesp -ciesp pela Fiesp-ciesp (1972)
>>> Brasil Historia 1 Colonia de Antonio Mendes Jr; Luiz Roncari; Ricardo Maranhão pela Brasiliense (1983)
>>> Atlas de Bolso de Anatomia Humana - Heinz Feneis e Wolfgang Daube de Heinz Feneis; Wolfgang Dauber pela Manole (2000)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Internet

Quarta-feira, 30/3/2011
E a internet está, de novo, mudando o mundo... no Egito, na Líbia...
Julio Daio Borges

+ de 17200 Acessos
+ 2 Comentário(s)




Digestivo nº 477 >>> Para quem ainda duvida do papel que as chamadas mídias sociais desempenharam, ultimamente, no Egito, e, mais recentemente, na Líbia, deveria ler apenas o prólogo de O Efeito Facebook, de David Kirkpatrick, pela editora Intrínseca. Em breves páginas, Kirkpatrick explica como uma singela comunidade no site de Mark Zuckerberg, que se dizia cansada das FARC, redundou em passeatas históricas, na Colômbia, e na posterior soltura de reféns como Íngrid Betancourt, num gesto inédito dos terroristas para com o povo. A imprensa tem dificuldade em aceitar que exista uma ferramenta mais eficiente — que ela própria — ao discutir os interesses das pessoas, arregimentar multidões e, como no caso desses países, transformar efetivamente a sociedade. O que os impressos, o rádio e a televisão sustentaram por décadas, a internet conseguiu derrubar em poucos anos. Basta lembrar que os jornais têm séculos e o Facebook... menos de dez anos. A internet representa melhor os interesses de todos. Para se manifestar na imprensa, é preciso se submeter a uma casta (hoje, uma burocracia): os jornalistas. Para se manifestar na internet... é virtualmente mais difícil não se manifestar! Aproveitando a interligação, sem precedentes, que redes como o Facebook proporcionam, questões são levantadas em segundos e movimentos se formam, eletronicamente, em instantes. Nos jornais, um protesto ficaria, no máximo, relegado à "seção de cartas". Os jornalistas não são mais os juízes supremos do que interessa à opinião pública, e esse fato produz um incômodo profundo. Ninguém mais lê os jornais para saber o que pensar, uma vez que a ação está no Twitter, e, nesses países, nas ruas! Quem tentou ler a cobertura pífia da nossa imprensa, constatou que alguns segundos de Al Jazeera, na internet, transmitiam muito mais informação do que páginas e páginas de press-releases (de anteontem) traduzidos das agências de notícias. Nossos jornalistas monoglotas acreditam que a nossa imprensa está fazendo seu trabalho, mas qualquer pessoa que conheça os rudimentos do inglês consegue perceber que ficamos a anos-luz dos acontecimentos... Fora que existe um princípio de subversão, inerente à rede, que não combina mais com o paternalismo de regimes ditatoriais, nem de editores da velha mídia. Do mesmo jeito que povos não querem mais ser dirigidos por tiranos, cidadãos querem ter acesso irrestrito ao conhecimento, não aceitam mais filtros, nem, muito menos, uma casta de verdadeiros burocratas da informação. O sucesso de iniciativas como o WikiLeaks comprova: os antigos meios de comunicação perderam sua função de fiscalizar o poder; só resta aos cidadãos interferir diretamente no processo, através da internet, mudando o estado de coisas. A imprensa morreu, como sempre. E a internet renasceu, mais uma vez.
>>> AJE
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. Salinger, de David Shields e Shane Salerno (Literatura)
02. Sobre a Filosofia e seu Método, de Schopenhauer (Literatura)
03. Logicomix, de Doxiadis, Papadimitriou, Papadatos e Di Donna (Literatura)
04. E o iPad não salvou os jornais e as revistas... (Imprensa)
05. Borges e Osvaldo Ferrari, Diálogos (Literatura)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
5/4/2011
23h27min
Boa noite! Em outro comentário que fiz, neste mesmo local, já se discutia a preocupação de certas pessoas, com relação as dúvidas quanto a sobrevivência dos jornais convencionais. No entanto me lembro da indignação de alguns. Não têm como ignorar os fatos relatados no texto, são verdadeiros e têm ajudado muito no mundo em que vivemos hoje. Isso é evolução de tecnologia, e o que é melhor, para o acesso de todos, não tendo espaço para discriminações, ainda ocorre, é claro, mas os indivíduos colocam os seus pontos de vista "sem censura". Obviamente que temos que ter bom senso e responsabilidade nos compartilhamentos de relações. Existem os babacas, é claro. Mas atente a uma coisa: é a liberdade de expressão, que aliada a responsabilidade, tem ajudado muita gente e aberto os olhos de muitas pessoas, e povos inteiros. Agora sim, sem restrições com acesso a informações numa velocidade fantástica. Gosto dos jornais escritos, tanto é que os leio, mas não dá para comparar...
[Leia outros Comentários de Célio José Ramiro]
15/4/2011
15h19min
A internet muda, muda, o tempo todo... e nós??? porque continuamos os mesmos???
[Leia outros Comentários de Rebeca]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




1. 905/81 o Processo da Usura
Newton de Castro Ribeiro
Mor
(1986)



Nova era da economia mundial
Varios
Pioneira
(1985)



O Brilho da Estrela
Danielle Steel
Altaya Record
(2001)



The South American Handbook - 1958/59
Howell Davies (Ed) e Jules S. Sottnek
Travel&publications
(1958)



O Grande Pulso
Carlos Torres
Madras
(2012)



Uma Prova de Fé
Irmão Jerônimo
Aedav
(2005)



Frases Que Han Hecho História
Carlos Fisas
Planeta
(1996)



Genios da Pintura El Greco N 33
Victor Civita
Abril Cultural



Livro - Liberdade Vigiada as Relações Entre a Ditadura Militar Brasileira e o Governo Francês: Do Golpe à Anistia
Paulo Cesar Gomes
Record
(2019)



The bounds of sense: an essay on Kantis Critique of pure reason
Pf. Strawson
Methuen and Co ltd
(1966)





busca | avançada
52947 visitas/dia
2,0 milhão/mês