Os Saltimbancos | Digestivo Cultural

busca | avançada
73783 visitas/dia
2,7 milhões/mês
Mais Recentes
>>> “Bella Cenci” Estreia em formato virtual com a atriz Thais Patez
>>> Espetáculo teatral conta a história de menina que sonha em ser astronauta
>>> Exposição virtual 'Linha de voo', de Antônio Augusto Bueno e Bebeto Alves
>>> MAB FAAP seleciona artista para exposição de 2022
>>> MIRADAS AGROECOLÓGICAS - COMIDA MANIFESTO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
>>> Fernando Cirne sobre o e-commerce no pós-pandemia
>>> André Barcinski por Gastão Moreira
>>> Massari no Music Thunder Vision
>>> 1984 por Fabio Massari
>>> André Jakurski sobre o pós-pandemia
>>> Carteiros do Condado
>>> Max, Iggor e Gastão
Últimos Posts
>>> A lei natural da vida
>>> Sem voz, sem vez
>>> Entre viver e morrer
>>> Desnudo
>>> Perfume
>>> Maio Cultural recebe “Uma História para Elise”
>>> Ninguém merece estar num Grupo de WhatsApp
>>> Izilda e Zoroastro enfrentam o postinho de saúde
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Crise dos 40
>>> Marcelotas
>>> Para ler no botequim
>>> O blog da Bundas
>>> Introdução à lógica do talento literário
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Nada a comemorar
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> O desafio de formar leitores
>>> O Tigrão vai te ensinar
Mais Recentes
>>> Jornalista Edilson Cid Varela de Adirson Vasconcelos Junior pela Correio Braziliense (2003)
>>> Jornal Pasquim Ano XI 70/80 Encadernados de Jornalistas pela Codecri (1970)
>>> A Deusa de Jade e Outros Contos Chineses Famosos de Lin Yutang pela Irmãos Pongetti (1959)
>>> A Barca de Gleyre 2º tomo de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1948)
>>> Jornal Pasquim IX -1977 (vários números) de Jornalistas pela Codecri (1970)
>>> A cidade e a serra de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão (1944)
>>> O pensamento vivo de Rui Barbosa de Américo Jacobina Lacombe pela Livraria Martins (1944)
>>> Jornal Pasquim ANO X de 1979- Encadernados de Jornalistas pela Codecri (1979)
>>> Memórias inacabadas de Humberto de Campos pela José Olympio (1935)
>>> O cortiço de Aluis Azevedo pela Circulo do Livro (1991)
>>> Ressurreição de Machado de Assis pela Sociedade Gráfica (1962)
>>> O leopardo de Giuseppe Tomasi Di Lampedusa pela Abril Cultural (1974)
>>> O amigo fritz de Erckmann Chatrian pela Saraiva (1955)
>>> Não Posso Deixar-te de Luciana Peverelii pela Vecchi (1961)
>>> O País das uvas de Fialho D Almeida pela Livraria Clássica (1946)
>>> Literatura Comentada Oswald de Andrade de (Oswald de Andrade) pela Nova Cultural (1988)
>>> Os Dez Dias Que Abalaram o Mundo de John Reed pela Circulo do Livro (1986)
>>> Compêndio da Cambridge sobre Voltaire de Nicholas Cronk (Editor) pela Madras (2010)
>>> O Jornal da Noite de Arthur Hailey pela Record (1990)
>>> As meninas de Lygia Fagundes Telles pela Circulo do Livro (1979)
>>> Um estranho no espelho de Sidney Sheldon pela Circulo do Livro (1976)
>>> O Universo Das Comunicaçoes Humanas - Comunicação de Eneas Machado de Assis pela Mageart (1997)
>>> Literatura Comentada Guimarães Rosa de (Guimarães Rosa) pela Nova Cultural (1988)
>>> O Peregrino de John Bunyan pela Publicações Pão Diário (2020)
>>> O livro de san michele de Axel Munthe pela Círculo Do Livro (1985)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Teatro

Segunda-feira, 28/10/2013
Os Saltimbancos
Julio Daio Borges

+ de 7000 Acessos




Digestivo nº 495 >>> Todo mundo cantou Os Saltimbancos, nos anos 80, quando era criança: "Nós, gatos, já nascemos pobres, porém, já nascemos livres..." Sem perceber que havia uma tremenda mensagem política embutida. Quando se assiste hoje ― e há montagens que nunca saem de cartaz ―, a primeira associação é com A Revolução dos Bichos, de Orwell. Porque os animais se revoltam contra seus donos e resolvem fugir, como na novela do autor de 1984. Acontece que ― ao contrário de concluir que a "revolução" é apenas outra forma de opressão (entre os próprios bichos) ―, Os Saltimbancos insiste na luta de classes, maldizendo os "patrões" e navegando na maré política do Brasil de então. Ainda sob o impacto da ditadura militar, havia o aceno da redemocratização, mas os bichos, n'Os Saltimbancos, são "o povo", naquela visão romântica da época da fundação do PT: "explorado", "injustiçado", "oprimido" etc. Do PT antes da tomada do poder, vale dizer; antes da presidência de Lula, portanto. Quando o partido se colocava como o último reduto da "ética na política". Antes do mensalão... Assistir a Os Saltimbancos, hoje, é viajar no tempo... Quantos ideais, quanta inocência... Sendo que, atualmente, o próprio Chico Buarque não vota mais "com o PT". Sentia-se responsável ― afinal Sérgio Buarque de Hollanda assinou a ata de fundação do partido e costumava dizer, antecipando o "discurso", que, nos livros de História, sempre faltava "o povo"... Os Saltimbancos "de Hollanda" ainda mistura um pouco do teatro de Ariano Suassuna: e o Jumento, que lidera a bicharada, tem a inteligência de um João Grilo, de uma Caroba, mas sem o mesmo humor, e sem a mesma poesia (afinal serve a um fim "útil"). Não seria errado aproximar o Jumento do sindicalista e líder operário Lula (e não pelos mesmos motivos que Diogo Mainardi aproximaria). Ocorre que o Jumento, com fama de "burro", revela-se um líder nato, na peça. "Uma força da natureza", como Collor definiu Lula. O Jumento vem "dos rincões", não domina nenhum saber específico e desconfia dos apelos da "cidade grande", que parece seduzir os outros bichos. O texto, abrasileirado, evoca um País menos urbano. O Cachorro funcionaria como uma espécie de "Sancho Pança" do Jumento, entre a fidelidade e a falta de senso crítico. (Como um Chicó, d'O Auto da Compadecida?) Já a Gata tem a malícia da cidade grande, abusa do charme em benefício próprio, mas dialoga também com o feminismo à brasileira, com a mulher moderna, independente, pós-desquite... Os Saltimbancos, o título, num dado momento é confundido com "assaltantes de banco", provavelmente fazendo alusão à "guerrilha urbana", que, de fato, assaltava a bancos e, inclusive, sequestrava embaixadores, sempre em nome da causa (basta assistir a O que é isso, companheiro?, baseado no livro de Gabeira). Aliás, ao reencontrar seus "donos", todos reunidos na "Pousada do Barão", os bichos fazem uso da força, colocando os "patrões" para correr e assumindo o controle da estalagem. Evidentemente uma sugestão de que o povo, um dia, chegaria ao poder ― por ser mais forte ou, numa democracia, por ser maioria. As "diretas" não viriam de imediato e a eleição do PT, com Lula, demoraria um tanto. Ocorre que, em 2002, o povo não chegou à "terra prometida" e o Brasil não se converteu no "paraíso" da propaganda política. O mensalão revelou que o PT queria se perpetuar no poder ― como qualquer outro partido? ―, e o grau de corrupção dos que falavam "em nome do povo" se revelou o mesmo, senão maior, que o de seus predecessores... Ou seja: ao contrário do que a fábula pregava, a realidade, ou a verdade, se impôs ― como sempre. Em clima de julgamento do mensalão, é interessante observar o gesto, anacrônico, de um Antonio Candido, que escreve para José Genoíno, ex-guerrilheiro, ex-presidente do PT, "em solidariedade" depois da condenação, como um desagravo, como se a máquina de comprar apoio do Congresso Nacional, montada pelo Partido dos Trabalhadores, fosse tão inocente quanto... aqueles assaltos a banco, amadorísticos, do filme de Bruno Barreto... Aliás, o Barretão (pai) estava lá, ao lado de José Dirceu, sobre quem anunciou uma "cinebiografia". E Fernando Morais, o autor de A Ilha, estava lá também, no apartamento de Dirceu... Chico Buarque, felizmente, capitulou; e dos outros... quando vai cair a ficha? Afinal: O po-vão é tão ba-ca-na...! Mas-também-não-é-nenhum-banana...!
>>> Os Saltimbancos
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. A Epopeia de Gilgamesh, pela WMF Martins Fontes (Literatura)
02. Sobre os enganos do mundo, de Sêneca (Literatura)
03. A Questão dos Livros, de Robert Darnton (Literatura)
04. O iPad, da Apple e de Steve Jobs (Internet)
05. Imprensa em 2009 (Imprensa)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Homem do Chapéu Vermelho
Hervé Guibert
José Olympio
(1996)



Segunda Guerra Mundial - História Fotográfica do Grande Conflito
Charles Herridge
Círculo do Livro



Frommers - Guia Completo de Viagem - Orlando
Rena Bulkin
Julio Louzada
(1995)



Equações Trigonométricas
Herbert F. Pinto
Científica
(1970)



Estações do Ano Inverno
Todolivro
Todolivro
(2010)



A Quarta Onda: os Negócios no Século Xxi
Herman Bryant Maynard Jr e Susan e Mehrtens
Cultrixamana
(1995)



Estes Homens Fizeram o Judaísmo
Marcos Margulies
Documentário
(1974)



Elétrico
Eduardo Ferrari
Literare Books International
(2019)



Refrações no Tempo
Maria José de Queiroz
Topbooks
(1996)



A Suspeita da Imperfeição
Alex de Andrade
Luziletras
(2002)





busca | avançada
73783 visitas/dia
2,7 milhões/mês