Elgar e seus enigmas | Digestivo Cultural

busca | avançada
70300 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Samir Yazbek e Marici Salomão estão à frente do ciclo on-line “Pensando a dramaturgia hoje”
>>> Chá das Cinco com Literatura recebe Luís Fernando Amâncio
>>> Shopping Granja Vianna de portas abertas
>>> Teatro do Incêndio lança Ave, Bixiga! com chamamento público para grupos artistas e crianças
>>> Amantes do vinho celebram o Dia Mundial do Malbec
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> La Guerra del Fin del Mundo
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
>>> Alfredo Bosi e a dignidade da crítica
>>> Pi, o [fi]lme, e o infinito no alfa
>>> Sábia, rubra, gorda (e gentil)
>>> Sol sem luz
>>> Letícia Sabatella #EuMaior
>>> Réquiem reloaded
>>> Fábio Porchat no Comedia em Pé
Mais Recentes
>>> A Senhora do Jogi de Sidney Sheldon pela Record (2010)
>>> A Palavra Perdida de Lino de Albergaria pela Atual (1991)
>>> O Desafio Amazonico de Samuel Murgel Branco pela Moderna (1989)
>>> Alguém Para Amar a Vida Inteira de Roniwalter Jatobá pela Positivo (2015)
>>> O Céu está caindo de Sidney Sheldon pela Record (2000)
>>> Alquimistas e Quimicos de Vanin Jose Atilio pela Moderna (1994)
>>> Trafico de Anjos de Luiz Puntel pela Atica (1992)
>>> O Plano Perfeito de Sidney Sheldon pela Record (2012)
>>> As Aventuras do Marujo Verde de Glaucia Lemos pela Atual (1990)
>>> Posso Te Dar Meu Coração? de Ganymedes José pela Moderna (1989)
>>> O Segredo do ídolo de Barro de Elisabeth Loibl pela Melhoramentos (1987)
>>> O Elefante Assassino de Pedro Bandeira pela Atual (1987)
>>> Lover in the rough de Elizabeth Lowell pela Avon books (1994)
>>> O Passado Esteve Aqui de Stella Carr pela Moderna (1988)
>>> O Guarani - de José de Alencar pela Reddiel (1997)
>>> A Maldição da Fabrica de José Americo de Lima pela Atual (1989)
>>> Vinda Com a Neve de Odette de Barros Mott pela Moderna (1982)
>>> Qual é a Minha de Marcia Leite pela Scipione (1990)
>>> Um Cadáver Ouve Rádio de Marcos Rey pela Atica (1984)
>>> O Caso da Ilha de Odette de Barros Mott pela Atual (1987)
>>> Literatura Comentada de Mário Quintana pela Abril Educação (1982)
>>> Literatura Comentada de José Lins do Rego pela Abril Educação (1982)
>>> Literatura Comentada de Graciliano Ramos pela Abril Educação (1981)
>>> Literatura Comentada de Camilo Castelo Branco pela Abril Educação (1980)
>>> Literatura Comentada de Antonio Callado pela Abril Educação (1982)
BLOG >>> Posts

Sexta-feira, 18/5/2007
Elgar e seus enigmas

+ de 2100 Acessos

Ele não tem 1% do prestígio de nomes como Bach, Mozart e Beethoven, cuja obra somada, me arrisco a confessar, não me emociona tanto quanto um de seus concertos ou sinfonias. Suas composições transbordam de sentimentos profundos e universais, mas ele é ainda visto por muitos como mero porta-voz de um Império. No próximo dia 2 de junho, completam-se 150 anos de nascimento desse gênio da música orquestral, mas é improvável que fora de seu país natal a data inspire alguma homenagem.

Estou falando de Sir Edward Elgar (1857-1934), compositor romântico inglês que preencheu uma enorme lacuna deixada por Henry Purcell (1659-1695), e abriu caminho para Ralph Vaughan Williams (1872-1958) e Benjamin Britten (1913-1976), seus aclamados sucessores.
Auto-didata, Elgar cresceu na loja de música do pai, organista da cidade de Worcester. Trabalhou inicialmente como instrumentista e maestro da região, chegando até a reger no hospício local, provavelmente uma das experiências pioneiras em musicoterapia. Suas primeiras composições relevantes, Salut d'Amour (1888) e a Serenata para Cordas (1893) foram dedicadas à esposa e já revelam seu fantástico dom melódico.

Porém, somente com as famosas Variações Enigma (1899) é que Elgar começou a chamar atenção internacional. São catorze variações, dedicadas secretamente a um parente ou amigo - a melodia sobre a qual ele desenvolve cada variação também não foi revelada. O tema intitulado Nimrod, posteriormente identificado como o colega editor August Jaeger, é comovente.

Em 1901, compôs o estimado oratório Sonho de Gerontius e a primeira das cinco marchas da série Pompa e Circunstância. Orgulhoso desta criação, o compositor declarou que uma melodia como aquela surgia apenas uma vez na vida. Entretanto, por sugestão do rei Eduardo VII, ganhou uma letra ufanista (Terra de Esperança e Glória), que acabou criando uma forte e prejudicial associação entre Elgar e o Império Britânico. Para piorar, viria a ser adotada como hino oficial de cerimônias de formatura, criando um vínculo irreversível com eventos cafonas.

Ainda no mesmo ano, Elgar escreveu sua primeira sinfonia, um trabalho magnífico, quintessência da "melancolia heróica" de seu estilo. Ele vivia num estado de espírito que oscilava entre a nostalgia e o idealismo, e esse temperamento bipolar é evidente em suas composições. Igualmente satisfatórias são as exuberantes aberturas In London Town (1901) e In the South (1904).

Outro trabalho indispensável, passaporte incontestável para a imortalidade de qualquer compositor é o Concerto para Violoncelo (1919), uma das mais lembradas interpretações da violoncelista inglesa Jacqueline du Pré. Para o biógrafo Michael Kennedy, sua tristeza desoladora é resultado de alguém "cansado do mundo, encontrando consolo na beleza da música".

Edward Elgar faleceu em fevereiro de 1934. Adepto de melodias fortes, sentimentais e acessíveis, conduzidas por orquestrações grandiloqüentes, nunca impressionou cínicos, insensíveis e elitistas. Apesar da admiração de figuras do porte do dramaturgo George Bernard Shaw, do maestro Hans Richter e do compositor de cinema John Williams - a marcha da seqüência final de Guerra nas estrelas é puro Elgar - é geralmente classificado como coadjuvante no romantismo europeu da segunda metade do século XIX. É um dos grande enigmas da história da música, o pouco reconhecimento de um artista que, nas certeiras palavras do compatriota e também músico Hubert Parry, sabia alcançar o coração das pessoas.


Postado por Fábio Scrivano
Em 18/5/2007 às 12h57


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Eugênio Christi de Julio Daio Borges
02. Stan Getz e Oscar Peterson de Julio Daio Borges
03. Privatiza, Presidente! de Julio Daio Borges
04. Não há governo mais acusado de Julio Daio Borges
05. O advogado do diabo de Julio Daio Borges


Mais Fábio Scrivano no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mudança Radical - do Islã para o Senhor Jesus
Samir Mustafa
Getsêmani
(2012)



Plenitude Visionária - Autografado
Márcio Catundo Gomes
Companhia das Musas
(2007)



Regra Constituições Diretório da Ordem dos Mínimos
Cura Generalicia da Ordem de Roma (1986)
Delegação Geral do Brasil (sp)
(1995)



Fascinação do Amor
Condessa Dorsay
Empresa
(1938)



Billy the Kid - História de um Bandido
Pat Garrett
L&pm
(1985)



Cantinho do Caminhoneiro
Sandra Casadei
Edicon
(1997)



Seus Problemas Acabaram! Casseta e Planeta
Objetiva
Objetiva
(2004)



Os Guerreiros do Tempo - 8a edição - Coleção Veredas
Giselda Laporta Nicolelis
Moderna
(1996)



Mundo da Lua e Miscelanea
Monteiro Lobato
Brasiliense
(1950)



Teoria da Legitimidade do Direito e do Estado
Antonio Carlos de Almeida Diniz
Landy
(2006)





busca | avançada
70300 visitas/dia
2,6 milhões/mês