A obra de Chico Buarque | Digestivo Cultural

busca | avançada
73958 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exposição do MAB FAAP conta com novas obras
>>> Projeto Camerata Filarmônica Brasileira apresenta concerto comemorativo no dia 15 de maio em Indaiat
>>> Ação Urgente Contra a Fome - SescSP
>>> 3ª Mostra de Teatro de Heliópolis recebe inscrições até 31 de maio
>>> Minute Media anuncia lançamento da plataforma The Players’ Tribune no Brasil
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Irredentismo
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Hitler, de Ian Kershaw, pela Companhia das Letras
>>> Livrarias em tempos modernos
>>> O que é a memética?
>>> O dinossauro de Augusto Monterroso
>>> Sobre o Jabá
>>> Você viveria sua vida de novo?
>>> Suicídio, parte 2
Mais Recentes
>>> Inner Work - A Chave do Reino Interior de Robert A. Johnson pela Mercuryo (1989)
>>> Clássicos do Mundo Corporativo de Max Gehringer pela Globo (2008)
>>> Manual do Empregador Doméstico Prático de Eliane Maria Silva De Macedo pela Saraiva (2000)
>>> Cliente Nunca Mais de Telma Teixeira de Oliveira Almeida pela Casa da Qualidade (1997)
>>> A arte de separar-se de Edoardo Giusti pela Nova Fronteira (1987)
>>> Contribuições a uma Teoria de Personalidade de S. Elyseu Jr. pela Alínea (1996)
>>> Feminilidade - Perdida e Reconquistada de Robert A. Johnson pela Mercuryo (1991)
>>> A Espiral em busca do infinito de Glória Kreinz e Crodowaldo Pavan pela Njr (2021)
>>> Anjos Cabalísticos de Monica Buonfiglio pela Própria (1993)
>>> Como a criança pensa de Ruth M. Beard pela Ibrasa (1976)
>>> A Força das Pirâmides de Max Toth e Greg Nielsen pela Record (1976)
>>> Deuses, Espaçonaves e Terra - Provas de Däniken de Erich Von Däniken pela Círculo do livro (1977)
>>> O Erotismo Fantasias e Realidades do Amor e da Sedução de Francesco Alberoni pela Circulo do livro (1992)
>>> Uma nova era para educação da humanidade de Nelson Ruas Santanna pela Caravela (1995)
>>> O Último Olimpiano - Volume 5. Série Percy Jackson e os Olimpianos EAN: 9788580575439 de Rick Riodan pela Intrinseca (2014)
>>> Documento de teresopolis de Vários Autores pela Cbcisc (1968)
>>> Lições de Ciência Política e Teoria do Estado de Espedito Pinheiro de Souza pela Mackenzie (2000)
>>> Bozza del testo della regola de Giuseppini del Murialdo pela Congregazione di san giuseppe (2005)
>>> A Batalha do Labirinto - Volume 4. Série Percy Jackson e os Olimpianos de Rick Riodan pela Intrinseca (2014)
>>> Nero de Alexandre Dumas pela Saraiva (1952)
>>> A Maldição do Titã - Volume 3. Série Percy Jackson e os Olimpianos de Rick Riodan pela Intrinseca (2014)
>>> O Mar de Monstros - Volume 2. Série Percy Jackson e os Olimpianos de Rick Riodan pela Intrinseca (2014)
>>> Viagens de Gulliver de Jonathan Swift e Cláudia Lopes pela Scipione (1970)
>>> Líderes e Lealdade - as Leis da Lealdade de Dag Heward-mills pela Central Gospel (2011)
>>> Revista Manchete , Nº 1 , 907 - Novembro de 1988 de Varios pela Bloch (1988)
BLOG >>> Posts

Sexta-feira, 7/9/2007
A obra de Chico Buarque

+ de 8800 Acessos
+ 3 Comentário(s)

"Vida, minha vida. Olha o que é que eu fiz". Como na música "Vida", o jornalista Fernando Barros fez os alunos do curso de MPB do Espaço da Revista Cult olharem para o que Chico Buarque fez durante sua vida. Na última terça-feira, o autor do livro Chico Buarque - Folha Explica analisou a obra do cantor e compositor carioca, intercalando músicas, histórias, análises e curiosidades. O artista, quase unanimidade entre público e crítica, tem cerca de 40 álbuns, três romances e quatro peças de teatro. Um prato cheio para discussões, pena que num espaço tão curto de tempo. Afinal, são mais de 40 anos de carreira para serem relembrados em duas horas de aula.

Mesmo assim, o panorama traçado por Barros englobou várias questões. Uma delas foi a própria análise que a mídia e os estudiosos acadêmicos fazem da obra do cantor. O jornalista comentou sobre uma das principais tendências que o mercado e a academia seguem: dividir a obra, seja em épocas, fases ou temas. É muito comum ver CDs com coletâneas de canções que falam de uma só temática ou estudos que abordam determinada fase do artista.

Mesmo reconhecendo o quão difícil é lidar com toda a obra de Chico, que além de complexa é extensa, Barros critica algumas dessas clivagens. Uma das tendências desaprovada por ele é privilegiar o período de confronto do regime militar. Para o jornalista, isso ocorre porque o compositor ficou mais famoso nesta época. "Ainda hoje sua imagem é refém da caricatura que se construiu no auge da ditadura. O combate à ditadura não é a tônica da obra dele e a interpretação da obra ainda está muito viciada nesse viés", afirma.

No entanto, uma das principais teorias defendidas durante a aula foi justamente o contraste existente entre a produção musical feita até os anos 80 e o que foi feito depois. De acordo com o jornalista, nos anos 70 há um predomínio de expressões artísticas (peças e músicas) que tratam de temas coletivos, que solicitam o engajamento e a participação das pessoas em alguma causa, talvez por conta da situação política em que vivia o Brasil.

"A partir dos anos 80 o Chico é mais recluso, tanto na música quanto na literatura. A obra fica menos óbvia. O antigo inimigo, a ditadura, não está mais lá", explica. Segundo Barros, as canções e os romances são mais introspectivos. Mas por quê? "A obra dele é muito reveladora. Ele percebeu muito antes como seria frustrante nossa redemocratização, pois ela não cumpre o que prometeu", avalia.

Um dos temas mais freqüentes dessa nova fase é o papel do artista na sociedade, a sua função, propósitos, frustrações e a relação com a mídia. "Na carreira" e "Mambembe" foram as canções que Barros utilizou para exemplificar essa temática freqüente na obra de Chico. Na literatura, isso pode ser observado no livro Budapeste, que fala, entre outras coisas, sobre a relação do escritor com a indústria cultural.

Se tem algo que explica o porquê de toda a genialidade de Chico Buarque é o fato de que em suas canções ele fala de temas universais por meio do retrato do cotidiano dos brasileiros. O jornalista até cita uma frase, tirada de um ensaio de José Miguel Wisnik e Guilherme Wisnik, que resume essa idéia: "Chico Buarque faz como se virasse uma canção a página da história". Para Barros, Chico é o segundo maior poeta modernista do Brasil, sendo o primeiro Carlos Drummond de Andrade.

"Vida, minha vida
Olha o que é que eu fiz
Toquei na ferida
Nos nervos, nos fios
Nos olhos dos homens
De olhos sombrios
Mas, vida, ali
Eu sei que fui feliz"


Chico realmente tocou na ferida, nos nervos, nos fios e nos olhos de muitos homens e mulheres com sua música. Por isso tem se dedicado a escrever canções inspiradas no ofício do artista, tentando talvez entender a própria obra.

Para ir além
Espaço Revista Cult


Postado por Débora Costa e Silva
Em 7/9/2007 às 20h19


Mais Débora Costa e Silva no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
2/10/2007
11h37min
O Chico, a despeito do olhar de desconfiança de muitos intelectuais ou afins, é sem dúvida uma pérola no meio de tantas jóias falsas. Seja no período da ditadura, seja se colocando como alma feminina, seja zombando do mundo, das pessoas, seja extremamente lírico, romântico. Ele tem o dom de encantar, de nos fazer pensar, e até mesmo sonhar. O Chico é o Chico, e embora tenha escrito em "Beatriz", "para sempre é sempre por um triz", isso não serve de verdade nem para ele nem para a sua obra. Ambos são eternos. Abraços.
[Leia outros Comentários de Adriana Godoy ]
5/10/2007
07h14min
"Você vai ter que ver a manhã renascer e esbanjar poesia", disse Chico Buarque. Creio que ainda chegará o dia em que seremos não somente alfabetizados, mas letrados, para entendermos que viveu entre nós um artífice das letras, o maior cronista do nosso tempo: Chico Buarque. Entre Chico e Drummond, pode parecer desvario, mas elejo Chico, pela contemporaneidade e semântica da sua obra. Abraços.
[Leia outros Comentários de Antônio P. Andrade]
16/9/2011
16h45min
"Passas em exposição/ passas sem ver teu vigia/ catando a poesia que entornas no chão". É isso. Ele não sabe e nem imagina o que eu penso da sua obra, mas tudo bem. Chico é sem dívida o maior e o melhor compositor do seu tempo.
[Leia outros Comentários de Orleans Branco]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




The (diblos) Notebook: a Novel
James Merrill
Dalkey
(1994)



Muito Além dos Índices. Crônicas, História e Entrelinhas da Infla
Salomão Quadros
Fgv
(2008)



Expedição: Em Busca dos Dinossauros: uma Viagem Em Busca do Passa
Denise Gonçalves (textos e Edição)
Supernova (sp)
(2003)



Estilhaços
Guido Fidelis
Rg
(2011)



Sic Est in Provérbio: Assim Diz o Provérbio
Carlos Bachinski
Juruá
(2006)



Obra Poética de Carlos Drummond de Andrade 3
Carlos Drummond de Andrade
José Olímpio
(1983)



Lacoustique Appliquée
Jean Jacques Matras
Presses Universitaires
(1969)



A Little Piece of Ground
Elizabeth Laird
Macmillan
(2003)



A Epopeia das Misericórdias
Niversindo Antonio Cherubin
São Camilo
(2014)



Censis 33º Rapporto Sulla Situazione Sociale del Paese
Fondazione Censis
Fondazione Censis (roma)
(1999)





busca | avançada
73958 visitas/dia
2,5 milhões/mês