7 coisas que aprendi | Blog de Luís Fernando Amâncio

busca | avançada
59441 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Clube do Disco - Clube da Esquina
>>> MONSTRA exibe filmes feitos por e com crianças nos dias 25 e 26/5
>>> Tão Somente Meninos
>>> Festa junina no Teatro do Incêndio busca continuidade do projeto SOL.TE
>>> Céu se apresenta no Sesc Guarulhos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
Colunistas
Últimos Posts
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
>>> Como declarar ações no IR
Últimos Posts
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
>>> Sexta-feira santa de Jesus Cristo.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Tecnologia de Minority Report
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Do Surrealismo
>>> Milagres não existem
>>> Valsinha
>>> Sobre o caso Idelber Avelar
>>> Uma gafieira, pintura digital
>>> As drogas fazem você virar os seus pais
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
>>> O Conto do Amor, de Contardo Calligaris
Mais Recentes
>>> Guia do Estressado de Rosana Ferrão pela Aeroplano
>>> A Arte da Guerra de James Clavel pela Record (2002)
>>> Poesia na Varanda de Sonia Junqueira; Flavio Fargas pela Autêntica (2012)
>>> A Falta Que Ela Me Faz de Fernando Sabino pela Record
>>> Quem Manda na Minha Boca Sou Eu! de Ruth Rocha pela Ática (2007)
>>> Propósito - a Coragem de Ser Quem Samos de Sri Prem Baba pela Sextante (2016)
>>> O Inglês; Tal Qual Se Fala no Presente sem Auxílio de Professor de M. Oliveira Malta pela Cia. Brasil (1960)
>>> Medicina Alternativa de A a Z de Carlos Nascimento Spethmann pela Natureza (2004)
>>> Administração Estratégica 2 Edição de Varios pela Pearson (2005)
>>> O Vaqueano de Apolinário Porto Alegre pela Três (1973)
>>> A Casa Iluminada de Alessandro Thomé pela Benvira (2012)
>>> Medicina Alternativa de a a Z - 6ª Edição de Carlos Nascimento Spethmann pela Natureza (2004)
>>> O Poder de Mau Humor de Ruy Castro pela Companhia das Letras (1993)
>>> O Amanha Começa Hoje de Alf Lohne; Charlote F. Lessa; Eduardo Olszewski pela Cpb Didaticos (2013)
>>> 21 Days to the Perfect Dog de Karen Wild pela Hamlyn (2014)
>>> Ligados. Com Ciencias - 3º Ano de Maira Rosa Carnevalle pela Saraiva Didáticos (2015)
>>> Depois Que Vim a Saber... de Elifas Alves pela Teatro Espírita (1983)
>>> Sherlock Holmes - O Vale do Medo de Arthur Conan Doyle pela Principis (2019)
>>> Instalações Elétricas de Hélio Crede pela Ltc (1986)
>>> Mensagens do Vento de Aldo Saettone pela Clio (2008)
>>> O Gerente Que Veio do Céu de Floriano Serra pela Gente (2000)
>>> Gramática Texto Análise e Construção de Sentido Caderno de Estudo de Maria Luiza M. Abaurre pela Moderna (2011)
>>> O Sentido da Vida na Catequese de Isabel Cristina a Siqueira pela Paulus (2014)
>>> Quando é Preciso Ser Forte de De Rose pela Egrégora (2005)
>>> Flores de Kalocsa de Vários Autores pela GyÖrgyi (1984)
BLOGS >>> Posts

Terça-feira, 1/9/2015
7 coisas que aprendi
Luís Fernando Amâncio

+ de 5500 Acessos

Nessa semana, participei do projeto 7 coisas que aprendi, dos blogs Escriba Encapuzado e Vida de Escritor, de, respectivamente, T.K Pereira e Alexandre Lobão. A proposta é que escritores, iniciantes ou veteranos, compartilhem suas experiências em sete tópicos.

No meu texto, aproveitei a equivalência numérica com os pecados capitais e os relacionei com meus aprendizados. Caso queiram conferir a postagem original e a contribuição de outros autores, é só acessar o Escriba Encapuzado

1 — Vaidade. Convenhamos: um escritor não busca o anonimato. Há maneiras mais eficientes para isso — não escrever, por exemplo. Quem escreve quer ser lido, é uma equação simples. E não há nada de mal nisso. Escrever é compartilhar, dialogar com a imaginação dos leitores, que vão construindo seus textos a cada linha. Não é errado ficar feliz com o reconhecimento.

Alguns escritores, entretanto, se perdem por aí. São levados pelo que entendem ser o sucesso (para uns, uns milhares de acessos no blog, para outros um Jabuti) e acabam virando personagens de si mesmos: escritores caricaturais que se creditam mais do que seria de bom tom. Se o sucesso chegar para você (e tomara que ele venha para todos nós), segure a onda. Vaidade é um tóxico que não ajuda na qualidade de seus textos.

2 — Preguiça. No que diz respeito ao ofício literário, não há espaço para a preguiça. Tirando a parte dos insights, quando as ideias brotam na sua cachola, as demais etapas do nosso trabalho não são lá das mais emocionantes. É preciso sentar na frente do computador, desligar das tentações do mundo ao redor, da internet e desenvolver o texto. Porém, a parte mais difícil vem depois: ler, reler, revisar. E é fundamental.

É preciso lapidar, reestruturar, inverter. E corrigir, evidentemente. Às vezes, aquela mudança que torna mais harmônico seu poema vem lá pela décima quinta leitura. Pode ser o diferencial do texto. Por mais que haja uma visão romântica do artista como a cigarra da fábula, há muito trabalho de formiguinha no ofício literário.

3 — Gula. Sobre a prática da leitura, não tenha dúvidas: seja um guloso. Devore clássicos, tenha contemporâneos para a sobremesa e não ignore as surpresas, que podem ser um ótimo aperitivo. Ler outros autores só vai ajudar no seu desenvolvimento como escritor. Aumenta seu léxico. Te faz mais feliz.

4 — Luxúria. Seja um pervertido, um insaciável no que diz respeito a buscar inspirações em outras artes. Não é porque jogamos no time dos escritores que vamos ter reservas de dialogar com artes plásticas, cinema, futebol, o que for, né? O mundo mudou, não dá para ser um pudico. Inclusive, no nosso próprio campo, seja um devasso e experimente novos gêneros, novas temáticas. A luxúria literária pode ser um belo pecado no seu desenvolvimento como escritor.

5 — Avareza. Viver de literatura é possível. E não me refiro somente aos escritores que tem bons contratos com grandes editoras. Eles não representam a maioria dos casos. Tem muita gente nova batalhando, doando seu máximo para sobreviver no cenário literário, atuando de uma forma mais ampla no mercado editorial.

Eu, particularmente, não me encaixo nessa categoria. Como todo autor, quero ser lido, mas por escolhas pessoais não tento viver do que escrevo. Mas, observando experiências alheias, posso dizer: é possível viver de literatura. Só não acredite que será uma trilha simples, com tijolos amarelos, que o levará para lançamentos em livrarias-cafés de Paris.

6 — Inveja. Possivelmente você verá companheiros de ofício literário obterem maior reconhecimento do que o seu. E vai pensar, "poxa, eu também gostaria de estar ali". Não os inveje. Inveja é um péssimo sentimento, que não acrescentará em nada na sua formação. Já a humildade, a consciência de que você não é um predestinado e, em consequência, tem muito a aprender, só vai contribuir. Deixe a rivalidade para Saramago e Lobo Antunes, Vargas Llosa e García Márquez. Faça do sucesso alheio um aprendizado, resumindo.

7 — Ira. Nem sempre as coisas sairão como desejado. Talvez seu original não consiga aprovação em algumas editoras, ou, se já publicado, não repercuta como você gostaria. É difícil ser um escritor que não é consagrado. São inúmeras as portas fechadas que encontramos. Somos muitos e o lugar ao sol é disputado. Frustrações ocorrem e acessos de ira, vontade de chutar tudo para o alto e levar uma vida comum, longe da criação literária, serão provações. Resista a elas. Deixe a ira para seus personagens.


Postado por Luís Fernando Amâncio
Em 1/9/2015 às 10h29


Mais Blog de Luís Fernando Amâncio
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Dicionário Escolar Língua Portuguesa
Michaelis
Melhoramentos
(2008)



Cheiro de Goiaba - 8ª Ed.
Gabriel Garcia Marquez
Record
(2014)



Antologia Poética
Vários Autores
Universidade Vale do Paraíba
(2002)



Midas e Sadim. Tudo o Que Voce Precisa Evitar para Ter Sucesso
Ricardo Bellino
Campus
(2006)



Parasyte - Vol. 2
Hitoshi Iwaaki
Jbc
(2015)



Caça ao Tesouro
Amanda Wood
Brinque Book
(2008)



Tops 3 - Student Book With Bound and Songs Cds
Rebecca York Hanlon, Jake Kimball
Pearson Education
(2008)



Interlocuções Entre O Direito Previdenciario,O Direito Tributario E A Economia - Direito
Melissa Folmann
Paixao
(2017)



A Noite e o Riso
Nuno Bragança
Moraes
(1978)



Relógio de Pandora
John J. Nance
Record





busca | avançada
59441 visitas/dia
1,8 milhão/mês