Poder e Vocação | Ronaldo Brito Roque | Digestivo Cultural

busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cinema é filosofia
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Mulher no comando do país! E agora?
>>> YouTube, lá vou eu
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Bar azul - a fotografia de Luiz Braga
>>> Eu + Você = ?
>>> Virtudes e pecados (lavoura arcaica)
>>> Pela estrada afora
>>> A vida sem computador
Mais Recentes
>>> Coleção Os Pensadores de Vários pela Abril Cultural (1973)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Um Diplomata da Regeneração - O 1º Conde de Villa Franca do Campo de Fernando Abecassis pela Tribuna da Historia (2007)
>>> Inspeção do Trabalho de Nelson Mannrich pela LTr (1991)
>>> Jurupari - Estudos de Mitologia Brasileira de Silvia Maria S. de Carvalho pela Ática (1979)
>>> Sport in the 21st Century de John Mehaffey & Reuters pela Thames & Hudson (2007)
>>> Matemática para economistas de Alpha Chiang pela Unesp (1982)
>>> Memórias do cárcere 3º volume Colônia Correlaccional de Graciliano Ramos pela José Olympio (1954)
>>> As hortaliças na medicina doméstica de A. Balbach pela Edel
>>> Caderno de teses vol.2 28ºCongresso Nacional procuradores Estado de Helena Maria Silva Coelho pela Metropole industria gráfica ltda (2002)
>>> Casais Inteligentes Enriquecem Juntos de Gustavo Cerbasi pela Gente/ SP. (2004)
>>> Ordem Juridico-econômica e trabalho de Ricardo Antonio Lucas Camargo pela Sergio antonio fabris (1998)
>>> Capo Verde. Una storia lunga dieci isole de Marzio Marzot & Maria de Lourdes de Jesus et alii pela D'Anselmi (1989)
>>> Investimentos Inteligentes: Para Conquistar e Multiplicar o seu Primeiro Milhão de Gustavo Cerbasi pela Thomas Nelson do Brasil (2008)
>>> Esquecidos e Renascidos - Historiografia Acadêmica Luso-americana de Iris Kantor pela Hucitec (2004)
>>> Nova York anos 40 de Andreas Feininger pela Museu Lazar Segall (2011)
>>> O Intelectual e o Poder de Eduardo Portella pela Tempo Brasileiro/ RJ. (1983)
>>> Indivíduo e Cosmos na Filosofia do Renascimento de Ernest Cassirer pela Martins Fontes (2001)
>>> Fundamentos Culturales de Civilizacion Industrial de John U. Nef pela Editorial Paidós/ Buenos Aires (1964)
>>> Noções Preliminares de Direito Previdenciário de Wagner Balera pela Quartier Latin (2004)
>>> Salvador Negro Amor de Sérgio Guerra pela Maianga (2007)
>>> Ensaios de Biologia Social - Encadernado de Josué de Castro pela Brasiliense/ SP (1957)
>>> A imprensa na História do Brasil & Fotojornalismo no século XX de Oswaldo Munteal & Larissa Grandi pela Desiderata/PUC (2005)
>>> Roteiro de Macunaíma (Encadernação de Luxo) de M. Cavalcanti Proença/ Autografado pela Ahembi/ SP. (1955)
>>> Alferes Teófilo Olegário de Brito Guerra -Um Memorialista Esquecido de Raimundo Soares de Brito pela Coleção Mossoroense (1980)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 2 + A Volta do Camelo de Barro de Lee Falk pela Globo (1989)
>>> Lugar de Fala de Djamila Ribeiro pela Polen (2019)
>>> Administração Financeira Internacional de David K. Eiteman, ArthurStonehill, e Michael Moffett pela Bookman (2002)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 1 + o Retorno do Cobra de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> História da Literatura Portuguesa/ Encadernado de Antonio José Saraiva e Oscar Lopes pela Porto Ed.
>>> Cortez -A Saga de Um sonhador de Teresa Sales -Goimar Dantas pela Cortez (2010)
>>> HQ Os grandes inimigos do Mandrake Nº 4 + Os Oito Tentáculos da Morte de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> HQ Rastros de ódio - Revista Cinemin Nostalgia 3 de Diversos Autores pela Ebal (1989)
>>> Regulamento do ICMS do Rio de Janeiro de Ana Cristina Martins Pereira pela Lex (2006)
>>> A cidade do sol de Khaled Hosseini pela Nova froteira (2007)
>>> HQ Revistsa Elipse nº 1 + Crepúsculo dos Super-heróis de David Campiti & Kevin Juaire & Bart Sears pela Ebal (1992)
>>> Cinquenta tons mais escuros de E L James pela Intrínseca (2012)
>>> As mil e uma noites- os corações desumanos de René Khawam pela Brasiliense (1991)
>>> HQ Quem foi? Os prisioneiros de Sulma de Diversos Autores pela Ebal (1982)
>>> Autoritarismo e Participação Política da Mulher de Fanny Tabak pela Graal/ RJ. (1983)
>>> Cartas entre amigos - sobre os medos contemporâneos de Fábio de melo e Gabriel chalita pela Ediouro (2009)
>>> A Civilização Romana de Pierre Grimal pela Edições 70 (2001)
>>> Centenário de José Bezerra Gomes de Joabel R. de Souza pela Fcjbg (2011)
>>> Alienação na Univesidade - a Crise dos Anos 80 de Paulo L. Hoffmann pela Edit. da UFSC (1985)
>>> O castelo da intriga de Paulo Stewart pela Scipicione (1996)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1993)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1996)
>>> As asas do joel de Walcir Carrasco pela Quinteto Editorial (2019)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1998)
COLUNAS >>> Especial Eleições 2006

Sexta-feira, 22/9/2006
Poder e Vocação
Ronaldo Brito Roque

+ de 5400 Acessos
+ 6 Comentário(s)

Você vai ficar deprimido, mas ainda assim o documentário Vocação do Poder, de Eduardo Escorel, é uma boa pedida.

A gente aprende na escola que a democracia foi uma conquista. O povo passou a escolher seus governantes e legisladores, e com isso as leis ficaram mais justas, mais favoráveis à igualdade. Há maior controle da população sobre os detentores do poder. O sistema de mandatos faz com que a câmara se renove ou se conserve, segundo o desempenho e a aprovação social dos políticos. Tudo muito lindo na teoria. Mas e na prática, como a coisa funciona? É isso que o filme procura mostrar. A equipe acompanhou seis candidatos a vereador na cidade do Rio. O diretor foi muito feliz na montagem, alternando momentos do dia da eleição, quando a adrenalina dos candidatos era máxima, com cenas das campanhas que vinham ocorrendo meses antes.

Aos poucos você vai percebendo - quando não percebe logo de cara - que a maioria, mesmo que quisesse, nada poderia fazer pela população que a elegeu, a não ser pequenos favores como doar cadeiras de rodas e caixões. Os candidatos parecem nem saber a diferença entre executivo e legislativo. Acreditam que o vereador possa exercer funções como controle da polícia ou do sistema de saúde. É até difícil de acreditar, mas nenhum dos candidatos revela sequer uma proposta, nem nas reuniões internas dos partidos. Tudo que sabem fazer é recorrer a termos vagos, como "justiça social", "debate", "democracia", que eles mesmos não saberiam definir. Aliás, estou fazendo uma injustiça. Um dos candidatos tem uma proposta concreta. A construção de uma grande danceteria com palco para shows e desfiles. E é justamente o candidato do setor mais pobre da população. É claro que ele não fala em saúde e educação, todo mundo sabe que pobre precisa é de sexo e música ruim. Os candidatos de nível social melhor, que poderiam apresentar propostas mais concretas, sabem apenas abordar as pessoas na rua e dizer "Posso contar com você?", ou coisa pior. E é isso que é mais deprimente: Justamente os mais instruídos, que têm um curso de Direito ou coisa parecida, que poderiam expor propostas sérias e viáveis, ficam só naquele papo de "a gente precisa de alguém do Leblon lá em cima". O filme só não deprime mais porque é bem feito. Pelo menos nossos documentaristas são bons.

Mas quando vi o documentário, me ocorreu outra questão, também ligada à vocação do poder, que não é abordada no filme talvez por não caber naquele formato. A questão é a seguinte: quando você conversa com um sujeito de 18 anos, e pergunta sobre seus sonhos, ele normalmente responde que quer ser compositor popular, poeta, escritor, atleta, bombeiro, militar, médico, engenheiro de computadores, artista plástico, desenhista de quadrinhos e por aí vai. A minha pergunta é simples: por que ninguém quer ser político? Por que ninguém sonha desde cedo com a carreira de administrador público?

Na minha modesta opinião, é aí que está a raiz do problema: a carreira política não é a realização de um sonho autêntico. Ela é uma saída mais ou menos improvisada para a falta de grana ou para a falta de aptidão para outras áreas. Outros países têm políticos melhores justamente porque lá o ideal de ser político é esteticamente viável. Esses países têm uma cultura que reconhece a importância do político, e por isso um sujeito pode sonhar em ser legislador ou administrador público sem sentir vergonha de si mesmo. Um sujeito pode declarar para os pais e para os amigos que quer ser político, e daí surgem os diálogos e as tensões que vão informar ao indivíduo o que uma sociedade espera de um político, qual é seu papel, de que maneira ele vai servir sua comunidade, etc. Mas, no Brasil, o professor de história já é o primeiro a nos dizer que os políticos não passam de uma corja de incapazes. Se você disser a seu pai que gostaria de seguir a carreira política, ele possivelmente vai zombar de você.

Ser político no Brasil é feio, e por isso mesmo as mentes mais capazes e letradas - justamente as que melhor podem servir a comunidade - vão buscar sua realização em outras carreiras. Se quisermos melhorar a política nacional, acho que a primeira coisa a fazer é mostrar aos jovens que ser político não é feio; não é essencial da política manchar a biografia de ninguém. O curso de história deveria mostrar como a sociedade pode ser transformada - para melhor - pela ação de talentos políticos autênticos.

Precisaríamos de livros que contassem a vida de políticos que conseguiram construir sua carreira sem usar o dinheiro público para pagar suas putas (nada contra putas; apenas não se deve pagá-las com dinheiro público). É por isso que eu gosto do Gilberto Gil como ministro da cultura. Não concordo com nenhuma das suas idéias políticas, às vezes ele me parece um verdadeiro retardado. Mas pelo menos ele passa uma informação aos jovens: político não precisa ser um cretino. Um homem pode exercer um cargo público movido pelo desejo autêntico de melhorar a sociedade. Daqui a cinco anos ninguém vai se lembrar dos cantadores de cordel e dos cineastas medíocres que foram financiados pela política cultural do Gil, mas se pelo menos isso ficar na cabeça dos jovens, já está bom.


Ronaldo Brito Roque
Rio de Janeiro, 22/9/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Jagunço degolado de Wellington Machado
02. Solidão Moderna de Mentor Muniz Neto
03. A Poética do Chá de Felipe Leal
04. Journey de André Graciotti
05. Independência de André Julião


Mais Ronaldo Brito Roque
Mais Especial Eleições 2006
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/9/2006
12h44min
Seu texto foi muito bem escrito. Tudo que penso sobre a política, você conseguiu colocar no papel de forma clara e objetiva! Parabéns!
[Leia outros Comentários de Mariana]
22/9/2006
20h15min
É incrível como você consegue sintetizar tudo em um texto. Parabéns!!!
[Leia outros Comentários de Danielle]
24/9/2006
20h18min
Ronaldo, o texto é muito bom. Eu trabalho com política e vivencio muito do que você está vivendo. Não sou político, contudo. Decidi me dedicar à Ciência Política. De fato, a maior parte das pessoas não tem nenhuma capacidade de fazer propostas. Mas tem um ponto que faltou: não é só uma questão de vontade. Mesmo que boas pessoas quisessem entrar para a política, as barreiras de entradas não podem ser subestimadas. De qualquer modo, meus parabéns pelo texto. Abraços
[Leia outros Comentários de Pablo]
26/9/2006
09h24min
Pablo, acho que vc está enganado. Fazer política de qualidade e melhorar o mundo não é uma questão de vontade. É uma questão de inteligência. Eu não acredito em vontade. Eu fujo de pessoas bem intencionadas. Quer um exemplo? Vc chega numa cidade pobre do interior e encontra uma criança doente. Ela está com febre. O curandeiro da região já deu os chás de sempre, e não adiantou. Eu te pergunto: se vc não souber nada de medicina, vc vai poder fazer alguma coisa para ajudar? É claro que não. Então boa vontade não adianta. Em política é a mesma coisa. Um sujeito com boa vontade que não tenha os conhecimentos e as idéias certas não pode fazer absolutamente nada para ajudar. Lute contra essa sua idéia, meu amigo. A política não precisa de pessoas bem intencionadas. Aliás, acredito que ela já está cheia delas. Precisa é de pessoas inteligentes, com conhecimentos precisos de economia e administração. Fuja das boas intenções. Abraço, Rbr
[Leia outros Comentários de Ronaldo]
26/9/2006
13h08min
Desde a criação da Democracia, na Grécia Antiga, ser político não é profissao, é serviço público. O cidadão afirma-se quando participa da vida de sua cidade, inclusive política. Por isso, político não deve ser profissão: deve ser um cidadão que, a partir de uma etapa da vida, resolve colocar seus conhecimentos a serviço da sociedade. O problema é que houve deturpação do conceito: a política está cheia ou de espertalhões ou de gente que não tem nenhuma profissão. Essas são as que se servem da sociedade, e não servem à sociedade.
[Leia outros Comentários de Alexandre Magno]
5/10/2006
14h10min
Eu concordo com o Ronaldo e ainda vou mais longe: no Brasil o cara não entra na política pensando em trabalhar pelo Estado, e sim em enriquecer de uma maneira mais fácil. É uma saída que essas pessoas encontram para sair da indigência, daí a explicação para tantos candidatos bizarros nos horários eleitorais. Esses caras sabem que as imunidades parlamentares e pizzas vão salvá-los quando eles se envolverem com a corrupção, que está enraizada em nossa cultura, já que criou-se a idéia de que não dá pra fazer política sem sujar as mãos.
[Leia outros Comentários de Diogo Salles]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UM IR E VIR COTIDIANO
SIVA BIANCHI
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



TRAÍDA SÉRIE HOUSE OF NIGHT - LIVRO 02 8898
P C CAST E KRISTIN CAST
NOVO SÉCULO
(2009)
R$ 10,00



OSTEOPOROSE
M. A. DAMBACHER E E. SCHATCHT
ALFAD
R$ 9,00



MANEJO REPRODUTIVO DE OVINOS DE CORTE (NAS REGIÕES CENTRO-OESTE, NORTE E SUDESTE DO BRASIL)
AURORA MARIA GUIMARÃES GOUVEIA CLÁUDIO JOSÉ BORELA ESPESCHIT E SILVIA LETICIA TARTARI
LK
R$ 63,00



TRAVESSIA REPORTAGEM SOBRE O SERTÃO DE GUIMARÃES ROSA
JULIANA SIMONETTI
LINC
(2010)
R$ 35,00
+ frete grátis



O LIVRO DOS MILAGRES
KEVIN BELMONTE
THOMAS NELSON BRASIL
(2015)
R$ 36,00



POIROT INVESTIGA
AGATHA CHRISTIE
RECORD
(2001)
R$ 10,00



LOVE KISS
GILBERT OAKLEY
DIAMOND STAR
(1970)
R$ 19,82



O GUIA OFICIAL DO CLUB PENGUIN VOL 1
DISNEY
MELHORAMENTOS
(2011)
R$ 4,00



DIREITO PENAL CONCRETO
ANTÔNIO JOSÉ MIGUEL FEU ROSA
CONSULEX
(1992)
R$ 26,82





busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês