Um breve testamento literário | Mariana Ianelli | Digestivo Cultural

busca | avançada
45185 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 8/10/2002
Um breve testamento literário
Mariana Ianelli

+ de 3800 Acessos

"Para mim, a literatura é um segmento da minha vida, não é de jeito nenhum o centro. Isso deve parecer desconcertante, porque afinal escrevi 14 livros...É que a literatura é uma vocação mas também uma facilidade, porque não tenho razões para me jactar de escrever bem." (Julio Cortázar em O fascínio das palavras; pág.174)

Cerca de três meses antes de morrer, Julio Cortázar ainda poderia ser visto à porta do seu apartamento saudando o amigo jornalista Omar Prego e levando-o até o seu escritório para que uma última entrevista se realizasse, embora sem o fôlego de outras vezes.

Conforme o combinado em 1982, eles se reuniriam durante duas ou três horas, em ocasiões variadas, para conversar sobre grandes temas de literatura e de política latino-americanas que se vinculassem especialmente ao universo pessoal de Cortázar. Mas a morte do escritor, em janeiro de 84, deixaria todo o material das entrevistas de Omar Prego silencioso, embora já pronto a dar em um livro, O fascínio das palavras, cujo teor, rico e singular, havia sido planejado a dois.

A ternura de pequenos hábitos adquiridos apenas abandonou Cortázar na época da sua internação no hospital Saint-Lazare, onde os dias se passaram sem ânimo. No entanto, a boa música, a influência enigmática dos astros e o pressentimento de um novo romance em formação, que provavelmente viria prorromper em mais uma tormenta de criatividade foram os prazeres que Omar Prego lembra ter reconhecido em Cortázar sempre que lhe fazia as visitas.

Ordenado por assuntos principais, o livro guarda a possibilidade de um regresso imaginário e bem pausado aos encontros entre Omar Prego e Cortázar, quando os dois confabulavam longamente sobre o poder encantatório das palavras e os territórios obscuros que há dentro da própria vida humana.

Desde muito pequeno, por desconfiar da maneira como lhe apresentavam a realidade, o menino Cortázar enveredou na construção do seu mundo infantil e o fez com tamanha vivacidade que, aos nove anos, ele já havia escrito um "romance".

Foi a leitura de livros românticos, emprestados de sua mãe, que levou Cortázar à solidão. Enquanto se afastava da família, "por incompatibilidade de sonhos", ele começou a brincar com o idioma, descobrindo a magia dos palíndromos, explorando a dimensão fantástica da vida que existia nos romances disfarçada em simples vocabulário.

A compreensão de como penetrar na literatura de alta qualidade, Cortázar alcançou-a a partir de uma inclinação mais apaixonada do que intelectual por aquilo que ele mesmo denominava de um "mundo paralelo", constituído pelas "leis da noite", estas que regiam a lógica dos acontecimentos cotidianos por meio de um encadeamento constelar de fatos.

No conjunto dos seus contos, romances e poemas, um registro de lições aprendidas está por ser revelado, e isso o leitor percebe nas perguntas brilhantes de Omar Prego a Cortázar. Lições de concisão, que o escritor detivera da sua vivência com Borges, inimigo feroz das "adjetivações inúteis"; lições de ritmo, que, assimiladas através da música, ajudaram Cortázar a compor "a eufonia dos seus desenhos sintáticos"; lições de fantasia, que ele retirava de dentro dos seus pesadelos e transportava à linguagem onírica da poesia.

Outras lições também não devem ser desprezadas : a consciência política gerada pela Revolução Cubana, que não se transformou apenas em matéria para alguns contos valiosos de Cortázar, como Graffiti e Reunião, mas ainda reafirmou a opinião do escritor quanto à necessidade de que a ficção latino-americana se volte aos seus próprios dramas históricos; o silêncio exterior da noite em Paris e a ligação intrínseca com Buenos Aires, duas condições quase fundamentais para que Cortázar houvesse se entregado com plena liberdade "ao impulso da idéia inicial" de um texto.

O relato das suas manias íntimas por boxe ou vampirismo, seus "terrores sobrenaturais", suas preferências literárias não valeriam ser transmitidas senão pela voz do próprio artista, porque nada comprova com mais precisão os caminhos do seu processo criativo do que o conjunto de seus depoimentos reunidos na obra de Omar Prego. Ali, é possível se espantar com a força de uma paixão pela vida que destinou um escritor à eternidade dos seus leitores futuros por nenhum motivo que tivesse sido tão denso quanto uma vocação, uma puríssima vocação de espírito.


Mariana Ianelli
São Paulo, 8/10/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Dama Dourada, de Anne-Marie O'Connor de Ricardo de Mattos
02. Todas as Tardes, Escondido, Eu a Contemplo de Duanne Ribeiro
03. Civilização de Daniel Bushatsky
04. God save the newspapers! de Rafael Rodrigues
05. Papel, tinta, bluetooth e wireless de Tati de Roterdã


Mais Mariana Ianelli
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O PRAZER DE LER JORNAL: DA ACTA DIURNA AO BLOG - COLECAO ALDUS
WALTER GALVANI
UNISINOS
(2008)
R$ 12,00



PHRASE BOOK 5
ROBERTO DUAILIBI
MANDARIM
(1999)
R$ 10,00



REPÚBLICA SOCIALISTA DO PARAGUAY
A. SONSIN
WM
(2004)
R$ 15,00



MEU NOME NÃO É JOHNNY
GUILHERME FIUZA
RECORD
(2007)
R$ 10,00



CRÔNICAS CALIFORNIANAS - 562
CLAUDIA MONTEIRO DE CASTRO
ESCRITURAS
(2000)
R$ 8,00



A FAMÍLIA VAI AO CINEMA
INÊS ASSUNÇÃO DE CASTRO E JOSÉ DE SOUSA MIGUEL
AUTÊNTICA
(2012)
R$ 14,50



A FÓRMULA DO AMOR
ELIZABETH KANTOR
REALEJO
(2013)
R$ 35,20



TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA - CLÁSSICOS SARAIVA
LIMA BARRETO
SARAIVA
(2007)
R$ 14,00



VENDAS E DIVISÃO DA PROPRIEDADE COMUM - DOUTRINA E JURISPRUDÊNCIA 76
CELSO LAET DE TOLEDO CESAS
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(2001)
R$ 26,00



A SIGNIFICAÇÃO NO CINEMA
CRHRISTIAN METZ
PERSPECTIVA
(1972)
R$ 23,00





busca | avançada
45185 visitas/dia
1,2 milhão/mês