Comentários de Irã Dudeque | Digestivo Cultural

busca | avançada
74581 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Artistas plásticos se reinventam e apostam no ambiente virtual
>>> Websérie As 7 Irmãs Axanti
>>> Sesc 24 de Maio apresenta novos episódios do projeto Música Fora da Curva
>>> Quarador de imagens partilha experiências em música, teatro e cinema
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
>>> Exposição curiosa aborda sobrevivência na Amazônia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A Pérola de Galileu
>>> Notas confessionais de um angustiado (Final)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Di-Glauber
>>> Corpos
>>> The safest room in the house
>>> Como escrever bem — parte 2
>>> Vestibular, Dois Irmãos e Milton Hatoum
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> A morte da Gazeta Mercantil
Mais Recentes
>>> Em Busca do Tempo Perdido Volume 3 de Marcel Proust pela Saraiva de Bolso (2014)
>>> Minha Formação: Joaquim Nabuco Saraiva de Bolso - Texto Integral de Joaquim Nabuco pela Saraiva de Bolso (2015)
>>> Cosmos: Possible Worlds de Ann Druyan pela National Geographic (2020)
>>> Les Perruches Du Soleil (french Edition) de Jacques Dochamps pela First (2019)
>>> Owl Diaries: a Woodland Wedding de Rebecca Elliott pela Scholastic (2016)
>>> A Tapestry of Tales: Brunt Boggart de David Greygoose pela Pushkin Childrens Croydon (2018)
>>> Real Pigeons: Fight Crime de Andrew Mcdonald, Ben Wood (ilustrador) pela Random House Books For Young R (2020)
>>> Palestrantes: Ideias Que Conectam Historias Que Transformam de David Fadel/janaina Paes pela Literare Books/fadel (2018)
>>> O Casamento e as Luzes de Nelson Real Junior pela Idea (2018)
>>> Watchmen Companion - (capa Dura) de Alan Moore (autor), Dave Gibbons (ilustrador) pela Dc Comics (2019)
>>> Desenho Geométrico - Volume 4 de José Ruy Giovanni, Marangoni, Elenice Ogassawara pela Ftd (2016)
>>> Jerome Robbins, By Himself de Jerome Robbins pela Knopf (2019)
>>> Anti/hero (english Edition) de Kate Karyus Quinn, Demitria Lunetta pela Dc Comics (2020)
>>> Visual Galaxy: the Ultimate Guide to the Milky Way and Beyond de National Geographic pela National Geographic (2019)
>>> Box - the Word Power Collection: the Most Effective Vocabulary Builder de Norman Lewis pela Anchor Books/berkley (2019)
>>> Dr. Seusss Horse Museum de Dr. Seusss pela Random House Books For Young R (2019)
>>> À Mesa Com os Chefs Europeus: Carne, Caça e Aves de Eurodélices pela Könemann (2000)
>>> Thats Good, Thats Bad de Joan M. Lexau Aliki pela Prestel (2020)
>>> Coleções Caros Amigos: os Negros - História do Negro no Brasil de Junior, José Arbex pela Caros Amigos (2015)
>>> Projects and Their Consequences: Reiser+umemoto de Jesse Reiser pela Princeton Architectural Press (2019)
>>> The Seedling That Didnt Want to Grow de Britta Teckentrup pela Prestel Junior (2020)
>>> Arte do Encontro: das Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros de Juliano George Basso (idealização) pela Secult (2014)
>>> Segunda-feira Nunca Mais! de Dan Miller; Gabriel Zide Neto pela Fontanar (2010)
>>> Curso Condensado de Harmonia Tradicional Com Predomínio..... de Paul Hindermith pela Irmãos Vitale (1998)
>>> Como Salvar uma Vida ( Em Excelente Estado) de Sara Zarr pela Id (2012)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Quarta-feira, 20/11/2002
Comentários
Irã Dudeque


Os donos do campo e da bola
Antes, o colunista Alexandre Silva tentou me desqualificar para o debate devido ao meu nome (cf. comentário 39). Agora, lendo o comentário do acreditável Felipe Ortiz, percebo que fui censurado. Diante de tais atitudes, percebo que neste "Digestivo" a liberdade de opiniões funciona em apenas um sentido. Assim sendo, retiro-me deste debate, entregando-o às louvações recíprocas e ao pensamento único.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Irã Dudeque
20/11/2002 às
07h55 200.213.80.5
 
fingimentos e imitações
Enfim, Hélion, ao deixar tudo sem resposta, esses caras estão, tacitamente, aceitando que são trogloditas, sub-intelectualizados, "literatos" semi-alfabetizados, irresponsáveis, pré-iluministas, que escrevem sobre o que não entendem e que - o pior dos piores nessas alturas - sequer conhecem a obra do Francis. Não existe programa de idéias. Nem idéias. Só frases soltas, desconexas, citações sacadas a esmo e sem a menor necessidade. Na falta de talento e capacidade para formular análises estruturais, submergem num mundo de arremedos, de simulacros, paródias e caricaturas. E isso só pode ser entendido como um "programa" se tomarmos a palavra "programa" no mesmo sentido em que é utilizada por prostitutas. Ou seja, um conjunto de posições definidas ad hoc e cujo objetivo é um êxtase momentâneo e, quiçá, bem-remunerado.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por irã dudeque
19/11/2002 às
20h46 200.213.80.5
 
Programa de idéias?
Helion, você diz que "é bom que a direita se manifeste e demonstre ter um programa de idéias". Programa de idéias? Esses caras? Eles podiam estar citando intelectuais conservadores e requintadíssimos como o Raymond Aron, por exemplo, mas estão fazendo o que? Prometendo murros nos dentes, guilhotina, limpeza étnica, bomba nuclear em cada capital árabe, chutes entre as pernas, fechamento de tribunais, mão na fuça, fechamento das Universidades Públicas. Isso é um "programa de idéias"? Isso aí é uma baderna mental que mistura positivismo, impressionismo intelectual e esnobismo. E além do mais, são uns sujeitos muito esquisitos. Afirmou-se por aqui que os caras são trogloditas, sub-intelectualizados, "literatos" semi-alfabetizados, irresponsáveis, pré-iluministas, que escrevem sobre o que não entendem, que sequer leram o Francis, e eles se fixam no quê? No adjetivo invertido (adjetivo, aliás, que eu aprendi com o Francis, que o usava a torto e a direito).

[Sobre "Filhos de Francis"]

por irã dudeque
19/11/2002 às
20h01 200.213.80.5
 
Sou fã do Francis
Sou fã do Francis e, por recomendação de um amigo, dei uma olhada nesse debate e nos blogs dos "intelectuais" citados. E aí quase caí da cadeira. Veja-se, por exemplo, o blog de Rafael Azevedo e sua coleção de aberrações: para quem ia votar no Lula, Rafael Azevedo prometia "um murro nos dentes". Para os magistrados, Rafael Azevedo propõe a guilhotina (ou ainda que sejam "pendurados de ponta cabeça numa árvore"). Para resolver as divergências do "ocidente civilizado" com o oriente, Rafael Azevedo propõe uma "limpeza" étnica e mais "uma bomba nuclear em cada capital desses caras". Para quem gostou do filme "Cidade de Deus", Rafael Azevedo promete "um murro no meio da boca, e um chute entre as pernas." Para Rafael Azevedo, as pessoas "mais repulsivas" do mundo são advogados e defensores dos direitos humanos; estes são "a escória do universo" (abaixo dos neo-nazistas, por exemplo - afinal, Rafael Azevedo defende uma "limpeza" no oriente). Quanto à democracia, o pensador político Rafael Azevedo é anglófilo no seu parecer "Thank God I'm outta here!". Além disso, Rafael Azevedo é contra TODOS os advogados. Agora, naquilo que foi um debate sobre o Paulo Francis, Rafael Azevedo comete mais uma série de atos "intelectuais": Primeiro, destrata o debatedor Marcelo porque este escreve em revistas como Geek e Hacker, enaqunto "eu [Rafael Azevedo] tenho que me contentar com fatos e argumentos". Só isso já seria suficiente para situar a posição intelectual de Rafael Azevedo, pois a invocação peremptória a "fatos e argumentos" guarda um quê do ranço positivista. Depois Rafael Azevedo parte para um ataque pessoal contra um "sujeito chamado Irã", pois com um nome desses (árabe?), ele seria indigno de um debate. Ao que tudo indica, Rafael Azevedo (belo nome!) defende que só pessoas com nomes apropriados tenham direito ao debate. Num primeiro momento, devemos banir alguém chamado Irã, depois talvez devamos abolir as opiniões e os escritos de pessoas intituladas Ezra, Millôr ou ainda o pobre indiano Vikran Seth (ainda bem que eu me chamo Leonardo!). Feita a restrição ao nome de Irã (árabe?) Rafael parte para a agressão de fato, e convoca o dito cujo para um duelo (São Paulo, dezembro), quando promete-lhe "enfiar a mão na fuça". Intelectualizadíssimo, o Rafael Azevedo. Porém, apesar de tão disparatadas idéias, Rafael Azevedo é ídolo de Alexandre Soares Silva, que, aparentemente, considera-o um grande pensador. Talvez porque Rafael Azevedo seja mais furioso nas suas soluções de "limpeza", enquanto Alexandre Soares Silva sai-se com ideiazinhas irresponsáveis como as que "os fuscas e os mavericks [dos anos 70] enfeiavam mais a orla de Ipanema do que todos os prédios atuais juntos" (viva a especulação imobiliária, por ser menos nociva que os mavericks!). Então, que tal juntar admirados e admiradores numa campanha, digamos, em prol da volta da dinastia Bourbon ao trono da França, com direito a um rei que curasse escrófula? Talvez sobrasse algum viscondado para gente como Rafael Soares. Ou uma campanha pelo reconhecimento público de Torquemada? Talvez sobrasse algum cargo de inquisidor para gente como Rafael Soares, adepto de "limpezas". Ou ainda, que tal a criação de um centro para a divulgação das idéias de Adolf Hitler? Peço desculpas aos outros escritores citados nesta página se cito em demasia o nome de Rafael Azevedo. Divulgo tal nome para essas nobres ocupações, pois entendo que nelas Rafael Azevedo poderia mostrar um resumo dos seus argumentos "intelectuais", argumentos que envolvem murros nos dentes, guilhotina, limpeza étnica, bomba nuclear, chutes entre as pernas, mão na fuça e, the last but not the least, música erudita (ah, o efeito cenográfico de bombas atômicas atiradas ao som da Cavalgada das Valquírias; Rafael Azevedo é um esteta). Divulgo o nome de Rafael Azevedo pois ele tem a cabeça talhada para tanto. Uma cabeça dividida entre o Ocidente pré-Iluminismo e Munique, 1936 (música erudita, por favor!). Ou, talvez, eu esteja sendo meio genérico. Tomo o irabundo Rafael Azevedo como exemplo, por ser o exemplo mais aberrante. O mais provável é que não só a cabeça de Rafael Azevedo, mas as de todos os outros produtores de blogs citados nesta página, estejam situadas em um endereço mais específico: Rua Maranhão, em São Paulo, sede da TFP. Ou, ainda, em algum Centro Positivista. Eu, da minha parte, continuarei lendo revistas como Geek, e me preocuparei com nazistinhas agressivos e semi-alfabetizados como Rafael Azevedo, apenas para evitar que um reacionário vulgar como ele faça alguma outra coisa na vida além de redigir suas insanidades num blog.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Leonardo Marques
18/11/2002 às
11h18 200.213.80.5
 
Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Sessenta Anos de Jornalismo - a Imprensa no Maranhão
Ignotus - Joaquim Serra
Siciliano
(2001)



Brasil Em Alta: a Historia de um Pais Transformado
Larry Rohter
Geração Editorial
(2012)



Como Motivar Seus Filhos
Scott Turansky
Thomas Nelson
(2016)



É Possível Salvar a Europa?
Thomas Piketty
Intrinseca
(2015)



Three Men in a Boat
Jerome K. Jerome
Penguin Popular
(2007)



Descrição, História e Aquisição do Português Brasileiro
Ataliba Castilho, Maria Aparecida Morais
Pontes
(2007)



Para a reconstrução do materialismo histórico
Jurgen Habermas
Brasiliense
(1990)



Universidade ,Escola , Formação de Professores
Denice Barbara Catami e Outros
Brasiliense
(1986)



Outra Reunião?
Fernando Henrique da Silveira Neto
Cop
(1994)



Ladrão de Olhos: as Aventuras de Peter Nimble
Jonathan Auxier
Leya
(2011)





busca | avançada
74581 visitas/dia
2,6 milhões/mês