A Cultura do Consenso | André Forastieri

busca | avançada
42519 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Matheus Nachtergaele conversa com Liliane Reis no Estúdio Móvel
>>> Caminhos da Reportagem visita Igrejas que recebem a comunidade LGBT
>>> Em Porto Alegre, feriadão terá mateada, exposição e muitas atrações gratuitas para toda família
>>> Empresas do ABCD estarão na SEMANA DA CASA, maior evento de decoração da América Latina, em SP
>>> Kleber Albuquerque & Carlos Careqa juntos em show no Auditório Ibirapuera no dia 12/6
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ler para ficar acordado
>>> Abdominal terceirizado - a fronteira
>>> 80 anos de Alfredo Zitarrosa
>>> Nunca fomos tão vulgares
>>> Submissão, oportuno, mas não perene
>>> Tricordiano, o futebol é cardíaco
>>> Ação Social
>>> Antes que seque
>>> Etapas em combustão
>>> Antonia, de Morena Nascimento
Colunistas
Últimos Posts
>>> Adriane Pasa no Canadá
>>> Temporada 2016 do Mozarteum
>>> Curso de projetos literários
>>> Patuá em festa
>>> Literatura: direito humano
>>> Geraldo Rufino no #MitA
>>> Portal dos Livreiros: 6 meses!
>>> Ryley Walker
>>> Leia Mulheres - BH
>>> Adagio ma non troppo
Últimos Posts
>>> Descascando o abacaxi na Nova Inglaterra
>>> Quando nos tornamos únicos.
>>> O Jogo dos tronos na versão brasileira.
>>> Enchendo o porquinho.
>>> Ceifadores
>>> Eterna carestia
>>> Transparências
>>> E agora Jose ? Ops, Michel...
>>> Côncavo e Convexo
>>> Lúdico e Trágico
Blogueiros
Mais Recentes
>>> HQ: Estórias Gerais
>>> Submissão, oportuno, mas não perene
>>> Soundscapes
>>> Nós o Povo
>>> Nós o Povo
>>> Qual o destino da música instrumental brasileira?
>>> Superdeuses, de Grant Morrison
>>> Fuel My Fire
>>> O Mário que eu conheci
>>> BarCamp, Florianópolis - I
Mais Recentes
>>> VOLTA AO LAR- Como resgatar e defender sua criiança interior
>>> SEGUNDO AS ESCRITURAS-Estrutura fundamental do Novo Testamento
>>> AS EPÍSTOLAS DE JOÃO
>>> Trilogia Watchman Nee-O Caminho da Salvação 3,4,5
>>> AJUDA-TE PELA ANÁLISE TRANSACIONAl- a arte de viver bem com a terapia da redecisão
>>> A ONTOLOGIA ONÍRICA- confluências entre magia, filosofia, ciência e arte
>>> Vida, Paixão e Glorificação do Cordeiro de Deus- As Meditações de Anna Catharina Emmerich( 1820-1823)
>>> TERAPIA DE VIDA PASSADA-uma abordagem profunda do inconsciente
>>> NO PRINCÍPIO- GÊNESIS-1-11
>>> PSICOFISIOLOGIA
>>> Angelus Silesius- A Mediação do Nada- Não pertences ao todo se fixo e teu ser
>>> Guerrilha do Araguaia - Relato de um Combatente
>>> Orvil - Tentativas De Tomada Do Poder
>>> A Verdade Sufocada
>>> CONSOLO PARA QUEM ESTÁ DE LUTO
>>> Esboço Geral da Economia de Deus e O VIVER ADEQUADO de um HOMEM-DEUS
>>> O mesmo mar
>>> Alta fidelidade
>>> Monsieur Pain
>>> As avós
>>> Todos os homens são mentirosos
>>> Formas breves
>>> Carlota Fainberg
>>> Santa Maria do circo
>>> Os pinguins de Sr. Popper
>>> Coração hipotecado
>>> Fora de órbita
>>> A vida modo de usar
>>> Respiração artificial
>>> A caixa-preta
>>> D. Quixote (2 volumes)
>>> A divina comédia
>>> Aventuras de Alice no país das maravilhas & Através do espelho e o que Alice encontrou por lá
>>> Contos de fadas de Perrault, Grimm, Andersen e outros
>>> Bartleby, o escrivão
>>> Hamlet
>>> Último round (tomo II)
>>> Último round (tomo I)
>>> A volta ao dia em 80 mundos (tomo I)
>>> Um homem extraordinário e outras histórias
>>> Pinóquio
>>> O casamento do céu e do inferno & outros escritos (edição bilíngue)
>>> Uma temporada no inferno (edição bilíngue)
>>> Poemas escolhidos (edição bilíngue)
>>> FREUD E A ALMA HUMANA
>>> MIND AS HEALER, MIND AS SLAYER- A Holistic Approach to Prevent Stress Disorders
>>> NERUDA- ANTOLOGIA POÉTICA
>>> O vermelho e o negro
>>> Hamlet, Rei Lear e Macbeth
>>> O primo Basílio
ENSAIOS

Segunda-feira, 10/10/2011
A Cultura do Consenso
André Forastieri

+ de 21500 Acessos
+ 4 Comentário(s)

Caros amigos, é chato dizer, mas o Brasil é um lugar chato. Dolorosamente chato. Viver aqui é um porre.

O Brasil não tem literatura, não tem teatro, não tem cinema, não tem estilo, não tem ciência. Tinha novelas e música. Hoje, nem isso.

E não adianta jogar toda a culpa no capitalismo avançado, na globalização, ou na pobreza. A Índia, por exemplo, tão miserável e internacionalizada quanto o Brasil, é um país de verdade com uma cultura de verdade ― incluindo indústrias fonográfica e cinematográfica da pesada, uma indústria de software florescente, um número enorme de cientistas importantes etc.

Nem é preciso ser um país continental. Qualquer Nova Zelândia tem seu cinema, qualquer Irlanda tem seu U2, qualquer lugar onde se vá se encontra algum sinal de vida própria.

Aqui não tem nada. Tem a bunda da Carla Perez.

No Brasil não há produção cultural, não há reflexão, não há crítica, não há debate informado. Temos horror pelo conflito, que é o horror pelo mundo moderno, pela iniciativa, pelas idéias. Queremos ser amados e resolver tudo na boa. Vivemos na cultura do consenso.

Quase sempre foi assim, e nunca entendi direito por quê. Herança portuguesa, influência da contra-reforma ― tá, tudo bem, mas não é o suficiente. Pior: fui perguntar para minha mulher, que é jornalista e economista, se ela conhecia algum livro que relacionasse economia e cultura e tentasse dar conta da origem deste lodo todo. Resposta dela: "Não existe".

É até argumentável que a cultura do consenso comporte aspectos positivos. A tolerância racial, a assimilação rápida de novas tendências, a paciência ― enfim, a adaptabilidade.

Sim, o brasileiro é adaptável ao extremo ― para o bem e para o mal. Estimulado, provocado, informado, o brasileiro consegue lidar com complicações e inovações que dariam nó na cabeça de muito primeiro-mundista.

Este cheirinho de potencial cria a ilusão de que moramos num país, e não num descampado improdutivo. A má notícia é que o espaço da informação, da análise, da provocação ― o que passa por imprensa no Brasil ― raramente vai muito além de press releases porcamente disfarçados. Não informa, não estimula, não debate e influi cada vez menos.

Os meios de comunicação no Brasil não passam de estações repetidoras do consenso. A ação entre amigos que gerencia este país tem seu reflexo perfeito nos jornais, revistas, rádios e TVs. Como Narciso, a imprensa está apaixonada pelo que vê.

Não é preciso ir muito longe para encontrar as provas da mediocridade da imprensa brasileira.

Abra o jornal de hoje. Ligue a televisão. Por baixo das quatro cores ou dos efeitos gerados por computador, a conversa mole e a desinformação correm soltas. O cinema nacional renasceu, consultas crescentes ao SPC significam aquecimento, Chico César é moderno, publicidade é cultura.

Qualquer sinal de idéias destoantes, de conflito, de vida inteligente é abafado tão rápido quanto possível.

Aliás, não é à toa que os vestibulandos estão preferindo publicidade a jornalismo. As profissões são praticamente as mesmas. Mas paga bem melhor quando exercida em agências, em vez de redações.

O pior é que o tédio que domina a vida brasileira tende a se aprofundar. Nos condenamos a pelo menos doze anos, provavelmente dezesseis, de dominação da vida pública e seus porta-vozes.

Com a conivência da leal oposição do rei, com a nossa conivência e descaso, e com o aplauso puxa-saco da "inteligentsia" e da imprensa, que se misturam e se confundem e cuja falta de critérios e escrúpulos não tem igual.

Entre tanta coisa chata, talvez o mais chato de tudo é que até quem está na contracorrente desta miséria mental se rendeu. A única opção visível para as melhores cabeças da minha geração é fazer bem o que se faz, ganhar o máximo de dinheiro possível e viver no Brasil como viveríamos em San Francisco, Nápoles ou Bangkok.

Lemos mais em inglês do que em português, compramos livros pela Amazon, música pela internet, funghi porcini na importadora da esquina e carros importados com airbag.

Não votamos ou votamos nulo. Rimos da jequice dos poderosos e do nosso lumpesinato cultural. O Brasil é isso mesmo. A imprensa é isso mesmo.

Eu esperava e espero mais de mim e da minha geração.

Podemos continuar empurrando nossa mediocridade com a barriga, engolindo a raiva e a frustração de morar num país de merda como o Brasil. Ou podemos criar vergonha na cara, meter a mão nesta merda e tornar este lugar um pouco mais interessante para se viver.

Como, não sei. Mas parece divertido..;

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado na revista Caros Amigos, em abril de 1997, e republicado no blog de André Forastieri, em fevereiro de 2009 (atualmente no portal R7).


André Forastieri
São Paulo, 10/10/2011

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Joey e Johnny Ramone de André Barcinski
02. Só é louco quem não é de Claudia Lage
03. Pierre Seghers: uma exposição de Manoel de Andrade
04. Leonard Cohen de Mariana Ianelli
05. Sobre o preço dos e-books de Raphael Vidal


Mais André Forastieri
Mais Acessados de André Forastieri
01. A Cultura do Consenso - 10/10/2011
02. Chega de Escola - 31/1/2011
03. Eu nunca fui nerd - 14/3/2011
04. Encontro com Kurt Cobain - 11/4/2011
05. As letras de música de hoje - 6/12/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
16/1/2012
10h26min
André, parabéns pelo texto. Só me espanta ler que o Brasil não tem cultura. Tem. Ninguém é desprovido de crenças, costumes, preferências e afins. Pode não ser a 'cultura' que você espera. Somos adaptáveis, sim. E até de forma negativa porque caímos até no conformismo. E me incluo aqui. Só acho que a palavra 'cultura' pode ser melhor empregada.
[Leia outros Comentários de Tacyana]
16/1/2012
13h47min
É isso aí, toda a tentativa de debate e conflito é abafado com a premissa, vc leva a vida muito a sério.
[Leia outros Comentários de Samantha ]
16/1/2012
17h04min
Chato é ver gente falando como se a ótica pequeno burguesa fosse á única existente e a visão puramente midiática. De fato o Brasil de Rede Globo e seus supedâneos é incrivelmente chato. Mas existe um outro Brasil, riquíssimo em Cultura, que vive mergulhado no ostracismo, que come a globalização pelas bordas, que medra na periferias. Talvez quinhentos anos de sua descoberta precise ser novamente descoberto.
[Leia outros Comentários de Edson B de Camargo]
9/2/2012
09h50min
O texto não procede. É discriminatório, incoerente, de visão limitada. O tema é até bem interessante, já que revela certa afecção globalizante, mas o autor interrompe o fluxo com ingenuidade. Ele realmente não conhece a Índia.
[Leia outros Comentários de Dan]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SÃO BERNARDO
GRACILIANO RAMOS
RECORD
(1990)



INSTITUIÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL (VOLUMES 1, 2 E 3)
PIERO CALAMANDREI
BOOKSELLER
(2003)



UMA MISSÃO DE AMOR- JOÃO TEIXEIRA DE FARIA ( JOÃO DE DEUS)
CARLOS JOEL CASTRO ALVES
VITÓRIA
(1995)



COUNTRY MUSIC U.S.A
BILL C. MALONE
UNIVERSITY OF TEXAS PRESS ( EUA )
(1985)



ERA UMA VEZ NO SPAGHETTI WESTERN: O ESTILO DE SERGIO LEONE
RODRIGO CARREIRO
ESTRONHO
(2014)
+ frete grátis



A BÍBLIA À MODA DA CASA
PAULO NETO
REDE VISÃO
(2002)
+ frete grátis



A GENEALOGIA DA MORAL
FREIDRICH NIETZSCHE
EDIOURO
(2016)
+ frete grátis



DISCURSO DE PRIMAVERA E ALGUMAS SOMBRAS
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
CÍRCULO DO LIVRO
(1996)
+ frete grátis



NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS, 6 - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
MARILDES ROCIO ARTIGAS SANTOS (COORD.)
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
(2000)
+ frete grátis



BENCHMARKING- UMA FERRAMENTA PARA A MELHORIA CONTÍNUA
KATHLEEN H.J.LEIBFRIED; C.J.MCNAIR, CMA
CAMPUS
(1994)
+ frete grátis





busca | avançada
42519 visitas/dia
1,1 milhão/mês