Gilberto Gil: Cultura Viva | Digestivo Cultural

busca | avançada
73422 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Minute Media anuncia lançamento da plataforma The Players’ Tribune no Brasil
>>> Leonardo Brant ministra curso gratuito de documentários
>>> ESG como parâmetro do investimento responsável será debatido em evento da Amec em parceria com a CFA
>>> Jornalista e escritor Pedro Doria participa do Dilemas Éticos da CIP
>>> Em espetáculo de Fernando Lyra Jr. cadeira de rodas não é limite para a imaginação na hora do recrei
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
>>> Publicar em papel? Pra quê?
>>> Impressões
>>> A escrita boxeur de Marcelo Mirisola
>>> Desorientação vocacional
>>> Flip 2006: um balanço tardio
>>> Flip 2006: um balanço tardio
>>> Flip 2006: um balanço tardio
>>> Montezano, do BNDES, sobre o marco do saneamento
>>> Leitor bebum começou com um gole
Mais Recentes
>>> Golem e o Gênio: uma Fábula Eterna de Helene Wecker pela DarkSide (2015)
>>> Os Chakras: e os Campos de Energia Humanos de Shafica Karagulla, M.D. e Dora Van Gelder Kunz pela Pensamento (1991)
>>> O Caminho da Tranquilidade de Dalai Lama pela Sextante (2000)
>>> Perdas & Ganhos de Lya Luft pela Record (2003)
>>> Minecraft Fortaleza Medieval de Mojang pela Abril (1500)
>>> Minecraft Guia de Criação de Mohang pela Abril (2017)
>>> Minecraft Guia de Exploração de Mohang pela Abril (2021)
>>> Salomé de Oscar Wilde pela Principis (2021)
>>> O Mercador de Veneza de William Shakespeare pela Principis (2021)
>>> Do Contrato Social de Jean - Jacques Rousseau pela Principis (2021)
>>> Kilmeny do Pomar de Lucy Maud Montgomery pela Principis (2021)
>>> A Mamãe é Rock de Ana Cardoso pela Principis (2019)
>>> Nos Bastidores Trinta Anos Escrava, Quatro Anos na Casa Branca de Elizabeth Keckley pela Principis (2021)
>>> O Conde de Monte Cristo de Alexandre Dumas pela Principis (2021)
>>> Romeu e Julieta de William Shakespeare pela Principis (2021)
>>> O Condenado de Camilo Castelo Branco pela Principis (2021)
>>> The secret Agent de Joseph Conrad pela Collins Classics (2012)
>>> Vandrad, o Viking a Contenda e o Feitiço de Joseph Storer Clouston pela Principis (2021)
>>> Helena de Machado de Assis pela Principis (2021)
>>> Utopia de Thomas More pela Principis (2021)
>>> Poliana de Eleanor H. Porter pela Tricaju (2021)
>>> Cause of death de Patricia Cornwell pela Warner Books (1997)
>>> Um Inimigo do Povo de Henrik Ibsen pela Principis (2021)
>>> The Da Vinci Code de Dan Brown pela Corgi Books (2004)
>>> Little Woman de Luisa May Alcott pela Signet Classics (2012)
BLOG >>> Posts

Quinta-feira, 6/4/2006
Gilberto Gil: Cultura Viva

+ de 1000 Acessos

Enquanto na Bienal do Ibirapuera a programação do Cultura Viva se apresenta com a produção efetiva dos Pontos de Cultura (entidades que desenvolvem as manifestações culturais), não muito longe dali, no SESC Vila Mariana, ocorrem os debates que visam proporcionar uma explicação teórica e conceitual desse arrojado projeto do Ministério da Cultura, em parceria com as ONGs e o setor privado (esse em menor escala, nesse momento).

Para tanto, nesta quinta-feira, 6/4, o ministro da Cultura, Gilberto Gil, falou amplamente acerca dessa iniciativa que, segundo ele, é uma das marcas de sua gestão. Mas o ministro não tratou somente de Cultura. Quem ouviu bem, notou que ele não fugiu às perguntas, especialmente quando era instigado a fazer uma análise de sua gestão como defesa da Política Cultural do governo Lula.

Este repórter viu e ouviu atentamente as falas do ministro em duas oportunidades nesta quinta-feira. A primeira ocasião foi uma coletiva de imprensa com Gilberto Gil; a segunda, na palestra de Gil, cujo título, muito sugestivo, era "Argamassa que une a Sociedade". Cada fala tem suas peculiaridades, então, este relato vai privilegiar os principais detalhes de cada um desses encontros.

Coletiva de Imprensa

Para os leitores que supõem uma coletiva de imprensa semelhante à dos filmes, cabe ressaltar que a realidade pode ser bem mais ficcional do que o cinema. Assim, a espera é sempre maior, e os jornalistas e assessores de imprensa circulam com seus comentários técnicos e olhares impacientes, ora manuseando o celular, ora buscando o ângulo mais exclusivo para as imagens. Nessa hora, ninguém parece prestar atenção em nada a não ser no seu próprio trabalho que, teoricamente, tem tudo a ver com o ambiente que eles desprezam. E foi nesse instante que Gilberto Gil apareceu; nem a assessoria parecia estar preparada, posto que o ministro chegou na sala de imprensa improvisada com a maleta na mão, sem auxiliares mais próximos (a periferia do astro, como disse certa vez o colega Marlúcio Luna), dando um bom dia caloroso aos poucos jornalistas presentes.

Eram 10h10, quando o repórter de um jornal do Nordeste perguntou acerca do futuro do projeto Cultura Viva. E Gil respondeu que, para ele, os objetivos não são tão importantes nesse momento. Agora, a preocupação é justamente dar condições para que os empreendedores culturais possam consolidar seus respectivos trabalhos e, assim, atingir o nível esperado da auto-gestão, ou seja, sem a participação tão direta do Estado nessas manifestações culturais. Um pouco adiante, a pergunta desse repórter seria de certa maneira retomada quando outro jornalista questionou a respeito dos Pontos de Cultura já em pleno funcionamento. E o exemplo que o ministro deu foi de uma Comunidade de Catadores de Lixo em Brasília. A iniciativa desse grupo existe há dez anos, e agora a Comunidade já é capaz de gerir seu próprio negócio, comercializando a produção realizada a partir de material reciclado.

É nesse ponto, aliás, que o debate começou a tomar outra forma, uma vez que Gil passou a teorizar a respeito não só de Políticas Culturais, mas também de mercado, capitalismo e, como era esperado, da política. Sempre que possível tudo isso ao mesmo tempo. Foi politicamente, aliás, que o titular da pasta da Cultura respondeu a propósito das querelas da TV Digital (para quem não está acompanhando o debate, a tensão chegou a tal temperatura que Hélio Costa, ministro da Comunicação, foi vilipendiado num cordel lido por Gilberto Gil. Fogo amigo). Desse modo, Gil baixou o tom nacionalista no que se refere à escolha de qual modelo será implementado no país. O ideal, sugeriu o ministro, é que os sistemas possam ser equivalentes e não absolutos e exclusivistas.

- Senhor Ministro, o país vive agora num período de crise política....
- A crise é permanente no mundo moderno.

A reação veio seca, sem maiores alterações na voz, embora fosse visível certo desconforto entre os presentes. E esse nível de desconforto bateu nas alturas quando uma repórter da Rede Record, cansada de tentar chamar a atenção circulando de um lado para outro, quis tomar conta da coletiva, fazendo intervenções a cada resposta dada. Coincidência ou não, foi nesse momento que a assessoria quis dar a entrevista por encerrada, mas a repórter, fiel a seu trabalho, insistia:

- Ministro, o senhor vai continuar na pasta na próxima gestão? O que o senhor vai dizer para o próximo ministro da Cultura? Você acha que vai existir uma continuidade no projeto?

Respostas? Objetivas, nenhuma. O ministro apenas sorriu e deixou os jornalistas para ir ao auditório. Nesse meio tempo, o diretor do SESC tentou mostrar seu contentamento com a insistência da jornalista. E após cumprimentá-lo, ela disse:

- Não precisa apertar minha mão!

E depois:

- Gil, eu te adoro!

Melhor falar do discurso feito no Teatro do SESC Vila Mariana.


Postado por Fabio Silvestre Cardoso
Em 6/4/2006 às 18h00


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nietzsche reloaded de Julio Daio Borges
02. Caminhos para Roma de Celso A. Uequed Pitol
03. Depeche Mode 101 (1988) de Julio Daio Borges
04. Raul Seixas previu nossa Copa de Vicente Escudero
05. Power To The People de Julio Daio Borges


Mais Fabio Silvestre Cardoso no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




El Conflicto Social y los Gobiernos del Maximato
Lorenzo Meyer
El Colegio de Mexico
(1978)



Passatempo Direito Administrativo
João Antônio da Costa Lagranha
Rideel
(2016)



O Livro da Terra e dos Povos
Childcrafts
World Book
(1997)



O Sentido e a Máscara - Teatro - Coleção Debates
Gerd A. Bornheim
Perspectiva
(1975)



A Arte de Ouvir o Coração
Jan Philipp Sendker
Paralela
(2013)



A Ideologia
Ari Herculano de Souza
Do Brasil
(1989)



O Guarani - Ed. Paulus
José de Alencar
Paulus
(2005)



O Pensamento Vivo de Chaplin
José Geraldo Simões
Martin Claret
(1984)



Jesus e Jesus na Arte 4 Volumes
Vários Autores
Jbig
(1983)



Amor e Amizade
Jane Austen Whit Stillman
Gutenberg
(2016)





busca | avançada
73422 visitas/dia
2,5 milhões/mês