Os bons companheiros, 30 anos | Relivaldo Pinho

busca | avançada
59013 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> SENTENÇA DISCUTE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER E TRAZ CRÍTICA AO SISTEMA LEGAL BRASILEIRO
>>> Universidades públicas apresentam lições aprendidas com as crises
>>> Mega evento de preparação ao ENEM reúne personalidades e conteúdo exclusivo ao público jovem
>>> Lançamento do livro 'Pesquisa e ensino de história na Amazônia'
>>> Maurício Limeira lança coronavídeo GUERRA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Coisa mais bonita é São Paulo...
>>> Cuba e O Direito de Amar (1)
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Saudade do amanhã
>>> Cata-lata
>>> A busca
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Desfile de homens ocos
>>> Na casa do mouro
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
>>> Eucanaã Ferraz
>>> Um século de paixão pela arte
>>> Meus melhores discos de 2008
>>> O guia do consumidor de livros
>>> Unsigned and independent
>>> Os Insones, de Tony Belloto
Mais Recentes
>>> Psicologia histórica do novo testamento de Klaus Berger pela Paulus (2011)
>>> Jane Eyre de Charlotte Brontë pela Penguin Readers (2008)
>>> Emma de Jane Austen pela Penguin Readers (2008)
>>> Indiana Jones And The Kingoom Of The Crystal Skull de George Lucas & Jeff Nathanson pela Richmond Publishing (2008)
>>> Comportamento organizacional de Idalberto Chiavenato pela Campus (2005)
>>> Coleção Completa Anne de Green Gables 13 Volumes de Lucy Maud Montgomery pela Ciranda Cultural (2019)
>>> ...Anexos das Memórias do Instituto de Butantam, Secção de Ofiologia de Afrânio Amaral pela Comp Melhoramentos de São Pau (1921)
>>> ...Atlas of External Diseases of the Eye - Orbit, Lacrimal Apparatus de David D. Donaldson pela The C V Mosby Company (1968)
>>> ...Boa Idéia Artesanato Em Casa Nª 29 Argila: Confecção de Travessas de Abril Cultural pela Abril (1976)
>>> ...Cabo Verde, Constituição, Lei Eleitoral e Legislação Complementar de Edições 70 pela Edições 70 (1994)
>>> ...Como Funciona 6 Vols da Enciclopédia de Ciências e Técnica Vol. 1 de Abril Cultural pela Abril (1975)
>>> ...Cronologia do Século Xx, as Grandes Tendências e as Grandes Datas de Béatrice Compagnon e Anne Thévenin pela Plátano (1999)
>>> ...Cronologia do Século Xx, as Grandes Tendências e as Grandes Datas de Béatrice Compagnon e Anne Thévenin pela Plátano (1999)
>>> ...Cronologia do Século Xx, as Grandes Tendências e as Grandes Datas de Béatrice Compagnon e Anne Thévenin pela Plátano (1999)
>>> ...E Assim Veio a Guerra de R. Von Wehrt pela Leuzinger (1941)
>>> ...E Jesus Não Voltará... de A. Marcéu pela Oesp
>>> ...E Viva Melhor de Readers Diggest pela Edição do Autor (1966)
>>> ...Encyclopedia Portugueza Illustrada Diccionario Universal 6 Vols 5 de Maximiano Lemos pela Lemos 7 Cia
>>> ...Longe da Terra de José Mauro de Vasconcelos pela Melhoramentos (1969)
>>> ...Los Platos Voladores - Único Documento Confirmado Sobre El de Jorge A. Duclout Napy Duclout pela America Tecnica (1956)
>>> ...Nova História de Portugal, Portugal da Monarquia para a República de Joel Serrão A. H. de Oliveira Marques pela Presença (1991)
>>> ...Nova História de Portugal, Portugal da Monarquia para a República de Joel Serrão A. H. de Oliveira Marques pela Presença (1991)
>>> ...Nova História de Portugal, Portugal da Monarquia para a República de Joel Serrão A. H. de Oliveira Marques pela Presença (1991)
>>> ...Os Forjadores do Mundo Moderno - 6 Volumes - a Vida de Escritores de Louis Untermeyer pela Fulgor (1964)
>>> ...Planeta 36 3 Anos de Planeta Nova Seção : a Atualidade Misteriosa de Editora Três pela Três (1975)
>>> ...Portugal Brasil, uma Década de Expansão das Relações de Joaquim Ramos Silva pela Terramar (2002)
>>> ...Revista Portuguesa de Filosofia, Filosofia Em Portugal V, Tomo 46 de Lúcio Craveiro pela Appacdm (1990)
>>> ...Revista Portuguesa de Filosofia, Filosofia Em Portugal V, Tomo 46 de Lúcio Craveiro pela Appacdm (1990)
>>> ...Revista Portuguesa de Filosofia, Filosofia Em Portugal V, Tomo 46 de Lúcio Craveiro pela Appacdm (1990)
>>> ...Revista Portuguesa de Filosofia, Filosofia Em Portugal V, Tomo 46 de Lúcio Craveiro pela Appacdm (1990)
>>> ...Revista Portuguesa de Filosofia, Filosofia Em Portugal V, Tomo 46 de Lúcio Craveiro pela Appacdm (1990)
>>> ...Senão o Mundo Pára Ciência Como História de Heinz Gartmann pela Boa Leitura
>>> ...Senão o Mundo Pára Ciência Como História de Heinz Gartmann pela Boa Leitura
>>> ...Si Dice?... Dubbi Ed Errori Di Lingua e Di Grammatica de Eugenio Treves pela Ceschina (1960)
>>> ...Textos Científicos En Ruso Al Alcance de Todos Matemática, Física de W. D. Koroliova pela Lenguas Extranjeras
>>> 017 Radar System Fundamentals - Navships 900 de J. B. Dow pela Navy Department (1944)
>>> 1 Cancioneiro Alegre de Poetas Portugueses e Brasileiros Vol de Camilo Castelo Branco pela Publicações Europa América
>>> 1 Congresso Internacional de Direito Fiscal, a Fiscalidade na União... de António Marcos pela Universidade Fernando Pessoa (2000)
>>> 1 Congresso Internacional de Direito Fiscal, a Fiscalidade na União... de António Marcos pela Universidade Fernando Pessoa (2000)
>>> 1 Congresso Internacional de Direito Fiscal, a Fiscalidade na União... de António Marcos pela Universidade Fernando Pessoa (2000)
>>> 1 Congresso Internacional de Direito Fiscal, a Fiscalidade na União... de António Marcos pela Universidade Fernando Pessoa (2000)
>>> 1 Congresso Internacional de Direito Fiscal, a Fiscalidade na União... de António Marcos pela Universidade Fernando Pessoa (2000)
>>> 1 Congresso Internacional de Direito Fiscal, a Fiscalidade na União... de António Marcos pela Universidade Fernando Pessoa (2000)
>>> 1 Congresso Internacional dos Caminhos Portugueses de Santiago de C... de Diversos Autores pela Tavola Redonda (1992)
>>> 1 Congresso Internacional dos Caminhos Portugueses de Santiago de C... de Diversos Autores pela Tavola Redonda (1992)
>>> 1 Congresso Internacional dos Caminhos Portugueses de Santiago de C... de Diversos Autores pela Tavola Redonda (1992)
>>> 1 de Janeiro de 1993, o Que Vai Mudar na Europa de Peter Sutherland pela Edições 70 (1989)
>>> 1 Douro, Estudos & Documentos de Vários Autores pela Universidade do Porto (1996)
>>> 10 Contemporâneos de Diversos Autores pela Fundação Serralves
>>> 10 Contos da Nossa História de A. do Carmo Reis pela Campo das Letras (2001)
BLOGS >>> Posts

Quarta-feira, 7/10/2020
Os bons companheiros, 30 anos
Relivaldo Pinho

+ de 800 Acessos




“Quando a polícia siciliana finalmente quebrou a máfia no começo dos anos 90, prenderam alguém – esqueço o nome dele, mas era o segundo no comando – e um repórter italiano perguntou para ele se havia algum filme fiel sobre aquele mundo. E ele disse: ‘Ah, ‘Os bons companheiros’, na cena em que o cara diz ‘Você acha que eu sou engraçado?’. Porque essa é a vida que a gente leva. Você pode estar sorrindo e rindo num segundo e [estala os dedos] numa fração de segundo está numa situação em que pode perder a vida”.

Esse depoimento de Martin Scorsese é a melhor descrição e metáfora de seu filme, “Os bons companheiros” (“Goodfellas”), lançado em 1990. Um filme que se tornaria, como outros do diretor , um ícone do cinema por, dentre tantos motivos, a inventividade da linguagem e da representação.

Talvez, inventividade não seja a palavra certa. A película do diretor norte-americano é mais do que isso. Ela faz parte de um gênero e, ao mesmo tempo, o subverte; é linear, não sendo previsível; é sobre o poder, mas quem atira sempre é o instinto.



A trajetória de Henry Hill ( Ray Liotta ) de menino a homem encantado com o mundo da máfia, nos é mostrada em uma narração que parece nos trazer os elementos perfeitos de mais uma história de gangsters. Mas Scorsese não se trai.

“Pensei no filme como uma espécie de ataque” (“Conversas com Scorsese”, de Richard Schickel), diz ele. Essa fúria é a grande marca desse frenesi imagético. Scorsese quer que o espectador, como Joe Pesci (Tommy), sinta o coice da Magnum 44 romper, inesperadamente e, ao mesmo tempo, em slow motion, paralisar você. Pow! Pow!

Isso pode parecer um elogio à violência gratuita e, como nos filmes conhecidos de gangsters, transmitir uma sensação de onipotência e glamour. Mas o filme não é apenas um contraponto desse gênero. Ele é, principalmente, a ascensão e derrocada desse mundo. Não é uma tragédia, e não é uma expiação.

Aqui, o padrão não é “O poderoso chefão” , e sim o belo e, esse sim, trágico, “Inimigo público nº 1” (1931), de William A. Wellman , com a interpretação que projetou James Cagney para a glória.



Scorsese conta sobre o espanto da plateia ao exibir o filme para o elenco do seu “O aviador” (2005). O que impressiona, diz o diretor, é seu aspecto violento, mas de uma violência que mais se oculta do que se mostra.

Sob esse aspecto, “Goodfellas” seria exatamente o oposto do filme de 1931. Mas, o que está em jogo, além da exibição dessa violência “escondida”, é, como em os “Os bons companheiros”, ambos os protagonistas mergulham (não submergem, é diferente) nessa vida impulsiva e se deleitam com o poder. É, demasiadamente, humano.



É isso que confere à essa obra um de seus fascínios. Esse filme não apenas quebra a ideia do gênero filmes de gangsteres, como se convencionou mencionar. É a mão do narrador que confere a ele o status de obra de arte.

Como diz Edward Buscombe em “A ideia de gênero no cinema americano”, “a principal justificação do gênero não é a de que permite a diretores meramente competentes fazer bons filmes (embora possamos estar agradecidos por isso), mas a de que permite a bons diretores tornarem-se melhores ainda”.

Scorsese, como sempre, imprime sua mão, para lembrar uma expressão de Walter Benjamin utilizada aqui, provavelmente, de modo indevido, na argila de sua experiência. Sua história é a de ítalo-americanos, mas seu filme é sobre o viver indomável.

Na edição especial em DVD do filme, Thelma Schonmaker, sua montadora, ilustra, em sentido próximo, esse aspecto. Diz ela: “esse foi um daqueles filmes que montamos como um cavalo. Foi tão bem escrito e moldado por Pileggi (autor do livro, “Wiseguy”, que deu origem ao filme e também roteirista da película junto com Scorsese) e Marty (Scorsese), que tinha sua própria energia, sua própria força. Enquanto Marty o criava, já sabíamos que seria incrível. Era muito forte e tinha muito ritmo”.



Força e ritmo. É a síntese dessa linguagem que atravessa todo o filme. A cena dos corpos exibidos em diferentes lugares é guiada pela música; o close em Jimmy Conway (Robert De Niro) no balcão destaca seu contido cinismo. Sim, forma e conteúdo. É impressionante que, hoje, isso pareça, cada vez mais, algo raro.

Basta ver, por exemplo, outras duas sequências icônicas, a da entrada de Henry no Copacabana em uma única tomada usando uma steadicam (novidade na época) e o final frenético do neurótico personagem. Inventividade não é a palavra certa.

“Os bons companheiros”, como grandes obras, foi tão imitado, copiado, citado e, como sempre, na maioria das vezes, das piores formas, que, talvez, jovens cinéfilos acreditem que Tarantino tenha criado o contraponto imagem/trilha sonora.



A clássica cena, “Você me acha engraçado?” em que Joe Pesci e Ray Liotta improvisam só pôde ser realizada exatamente porque forma, conteúdo e ritmo formam um único elemento fílmico.

Inimitável, porque moldado em força e ritmo, a obra prima de Scorsese ainda espanta, encanta e vibra. Como a vida na qual “você pode estar sorrindo e rindo num segundo e [estala os dedos] numa fração de segundo está numa situação em que pode perder a vida”.


Este texto foi publicado em 27/09/2020 no Diário Online

Relivaldo Pinho é autor de, dentre outros livros, Antropologia e filosofia: experiência e estética na literatura e no cinema da Amazônia, ed.ufpa.
Site: Relivaldo Pinho
[email protected]


Postado por Relivaldo Pinho
Em 7/10/2020 às 16h23


Mais Relivaldo Pinho
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




JUCA MULATO
MENOTTI DEL PICCHIA
ITATIAIA
R$ 5,00



GUIA DO CONDOMÍNIO - SÉRIE CIDADANIA - 10826
FRANCISCO DE ASSIS PORTO
GLOBO
(2001)
R$ 10,00



O EU EDUCADO
VERA RUDGE WERNECK
RIO FUNDO
(1991)
R$ 15,00



ALUCINAÇÕES MUSICAIS
SACKS, OLIVER
COMPANHIA DAS LETRAS
(2007)
R$ 26,00



E SE ... E SE HITLER TIVESSE VENCIDO?
SUPER INTERESSANTE
ABRIL
(2015)
R$ 15,00



AUDITORIA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
JOSHUA ONOME IMONIANA
ATLAS
(2005)
R$ 22,00



IRMANDADE DA ADAGA NEGRA, VOL. 1 - AMANTE SOMBRIO - 1ª EDIÇÃO
J. R. WARD
DIGERATI
(2009)
R$ 35,95



O NOVIÇO O JUIZ DE PAZ DA ROÇA; O JUDAS EM SÁBADO DE ALELUIA..
MARTINS PENA
EDIOURO
(1995)
R$ 18,68



ATO PROCESSUAL (IN)EXISTENTE
DANILO HEBER GOMES
JURUÁ
(2013)
R$ 37,00



CRONISTAS DO ESTADÃO - VÁRIOS AUTORES (LITERATURA BRASILEIRA)
MOACIR AMÂNCIO (ORG.)
O ESTADO DE SÃO PAULO
(1991)
R$ 10,00





busca | avançada
59013 visitas/dia
2,0 milhão/mês