Oderint Dum Metuant | Elton Mesquita | Digestivo Cultural

busca | avançada
49036 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Quilombaque acolhe 'Ensaios Perversos' de fevereiro
>>> Espetáculo com Zora Santos traz a comida como arte e a arte como alimento no Sesc Avenida Paulista
>>> Kura retoma Grand Bazaar em curta temporada
>>> Dan Stulbach recebe Pedro Doria abrindo o Projeto Diálogos 2024 da CIP
>>> Brotas apresenta 2º Festival de Música Cristã
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
Colunistas
Últimos Posts
>>> Bill Ackman no Lex Fridman (2024)
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
Últimos Posts
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Capitu, a melhor do ano
>>> Vontade de abraçar todo mundo
>>> Italo Calvino: descobridor do fantástico no real
>>> Notícias do Brasil
>>> Making it new
>>> Nick Carr sobre The Shallows
>>> O bom e velho formato site
>>> Escrever não é trabalho, é ofício
>>> A metade da vida
>>> A última discoteca básica
Mais Recentes
>>> Gramática de Hoje - Curso Ilustrado para 5º a 8º Série de Ernani e Nicola pela Scipione (1995)
>>> Guia do Brigadeiro de Sem Autor pela Alto astral (2012)
>>> Dinâmicas de Grupo: Redescobrindo Valores de Giovanna Leal Borges pela Vozes (2002)
>>> A Chave dos Lusíadas 11ª edição. de Luís de Camões (prefacio e notas de José Agostinho pela Figueirinhas Porto
>>> Guia Arte e Artesanato Bonecas de Pano de Varios Autores pela Casadois (2014)
>>> Guia de Ouro: Patch Apliquê - 290 Ideias de Moldes de Guia de Ouro pela Alto Astral (2013)
>>> Páginas Preferidas (versos) primeiro volume de Armando Gonçalves pela Autor (1964)
>>> Guia Arte e Artesanato Applique 52 Modelos Passo a Passo de Janaina Medeiros pela Artesanato (2013)
>>> Market Leader Upper Intermediate Business English Practice File de John Rogers pela Pearson Longman (2006)
>>> Os Temperamentos - a Face Revela o Homem- II de Norbert Glas pela Antroposofica (2011)
>>> Noções fundamentais da língua latina de Napoleão Mendes de Almeida pela Saraiva (1957)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis (14) pela Folha (2008)
>>> Uma Historia de Sabedoria e Riqueza de Mark Fisher pela Ediouro (1997)
>>> Five-minute Activities: a Resource Book of Short Activities de Penny Ur e Andrew Wright pela Cambridge University Press (1992)
>>> Sexo e Sexualidade Adolescência: Feliz... Idade de TodoLivro pela Todolivro
>>> Quem mexeu na minha bagunça ? de Celi Piernikarz pela Cortez
>>> Viagem ao Centro da Terra Em Quadrinhos de Júlio Verne pela Farol Hq (2010)
>>> Crianca Aos 9 Anos, A de Hermann Koepke pela Antroposofica (2014)
>>> Dom Quixote. O Cavaleiro Da Triste Figura - Coleção Reencontro Literatura de Miguel De Cervantes pela Scipione (paradidaticos) (2007)
>>> Quando os Lobos Uivam de Aquino Ribeiro pela Livraria Bertrand (1958)
>>> Amargo Despertar de Sardou Victorien pela O Clarim (1978)
>>> Querida Mamãe: Obrigado Por Tudo de Bradley Trevor Greive pela Sextante (2001)
>>> Os Mais Relevantes Projetos de Conclusão dos Cursos - Mbas 2014 de Strong Educacional pela Fgv (2015)
>>> Mobimento: Educação e Comunicação Mobile de Wagner Merije pela Peirópolis (2012)
>>> Go beyond students book pack 2 workbook de Nina Lauder, Ingrid Wisniewska pela Macmillan Education (2018)
COLUNAS >>> Especial Guerra no Iraque

Sexta-feira, 28/3/2003
Oderint Dum Metuant
Elton Mesquita
+ de 9600 Acessos

Hoje pela manhã, este link chegou ao meu conhecimento, através deste blog.

Trata-se de um arquivo mp3 de um programa de rádio onde um refugiado iraquiano identificado como Muhammad discute com uma pacifista americana sobre a guerra iminente. "Como, exatamente, deixar Saddam no poder promoverá paz e justiça no Iraque?", Muhammad pergunta. A jovem não consegue montar uma frase coerente. Nervosa, ela ri e sai do tópico diversas vezes. Em alguns segundos, o ouvinte inteligente, mas desinformado, terá a impressão desagradável de que as manifestações pela paz não passam de balidos débeis emitidos por liberais bem-vestidos que não têm idéia sobre o que estão falando, quando na verdade a opção pela "Paz" nem sequer existe fora do contexto estrito de necessidade prima facie.

Ouvir, da boca de alguém que efetivamente passou pela opressão, uma argumentação apaixonada pela derrubada do regime de Saddam tem esse efeito. Pelo tom de voz de Muhammad, nota-se que este homem está comprometido com a causa da guerra. É a voz de ódio fomentado por anos de opressão. "Famílias perderam vinte, trinta parentes quando Saddam atacou a população com gás", ele diz. A jovem pacifista, reduzida pelo seu interlocutor enfurecido a uma "garotinha" armada de uma "simplista diplomacia nickelodeon", não sabe o que dizer.

Agora, pode-se simpatizar com os sentimentos de Muhammad - mas nunca aprovar a conclusão a que ele chega. Afinal de contas, este homem está em território seguro. Para uma amostra da diversidade de opiniões do iraquianos sobre a invasão, tente este link. É o blog de um iraquiano que está no Iraque, e que, em determinado momento, diz: "Ninguém aqui no Iraque é pró-guerra (veja, eu disse 'guerra', e não 'troca de regime'; nenhum ser humano arrazoado irá pedir a você que lhe administre a surra de sua vida, a não ser que você seja um membro do Clube da Luta, e se você ouvir iraquianos [no Iraque, não expatriados], dizendo 'Ei, bombaerdeiem com tudo', tenha certeza de que é o desespero e 10 anos de dureza e opressão falando. Não há uma única pessoa dentro do Iraque [e este é um 'dentro' em negrito, piscando e sublinhado] que esteja gritando e pulando pras bombas caírem. Não somos suicidas, sabe. Não todos nós, pelo menos".

Além disso, não é necessário muito esforço, nem ir muito longe, para constatar que os motivos realmente importantes para um posicionamento contra a atual invasão dos EUA ao território Iraquiano passam longe dos etéreos e provavelmente inatingíveis conceitos de "paz e justiça para todos num mundo perfeito". Trata-se, simplesmente, de uma questão de pragmatismo, honestidade - e, talvez o mais importante - precaução.

Ser contra a ação militar americana no Iraque seria uma reação automática beirando a fisiologia em qualquer ser humano com o mínimo de amor-próprio e respeito pela própria inteligência. Pois se os procedimentos diplomáticos da ONU foram desrespeitados, e se os protocolos e resoluções do Conselho de Segurança foram abertamente desmoralizados, não o foram mais que a inteligência dos cidadãos ao redor do mundo, que tiveram que conviver com falácias, desmentidos, rumores, escritórios grampeados, distorções dos fatos, pura e simples ESTUPIDEZ, incompetência e ignorância arrogante.

Esta, desde o princípio, tem sido uma campanha desonesta e burra, orquestrada por pessoas que conhecem a extensão do próprio poder e que desistiram de qualquer fachada de decência e humanidade fora dos horários de pronunciamento do presidente Bush. É uma campanha fundamentalmente errada e baseada em algumas das mais memoráveis distorções da realidade já vistas.

A não ser que seja possível se sentir confortável num cenário onde se é tratado como uma criança que pouco sabe, e que deveria deixar determinados assuntos nas mãos dos adultos, não vejo como se pode ser a favor deste ataque, que aliás não está começando agora: Mães iraquianas têm visto seus filhos morrer de desnutrição já desde o final da primeira Guerra do Golfo, por causa de um dos maiores embargos econômicos já perpetrados. E os EUA sabiam que Saddam não se importaria nem um pouco. Assim se configura um ato de irresponsabilidade criminosa tão monumental que chega a ser anestesiante, o que talvez explique, mas não justifique, o modo irresponsável como o tema da guerra têm sido tratado em alguns círculos da web. Compreendo que seja fácil e tentador exibir uma mordacidade que se basta em se imaginar desafiadora do status quo politicamente correto, quando não se sabe do horror diário que determinadas políticas têm infligido em certas regiões do mundo. Mas digressiono.

Vou tentar levantar alguns pontos baseados no meu argumento de que ser contra a invasão americana ao Iraque não significa necessariamente estar-se disposto a perder tempo com vagos sentimentos "boa-gente" pela Paz Mundial. Pela ordem:

Pragmatismo
Saddam Hussein foi derrotado na primeira Guerra do Golfo e fugiu. E descobrimos todos que errar não é só humano, como deve ser governamental, pois Saddam conseguiu fugir apesar de toda a vigilância da CIA em cima dele - e voltou ao poder. A intervenção americana não se aproveitou do fato de que o ditador tinha fugido para instalar um regime democrático. Por algum motivo, isso nunca aconteceu. Muhammad, nosso imigrante enfurecido, parece ter se esquecido disso. Portanto, primeiro: Não há garantias de que Saddam será deposto. E segundo: Não há garantias de que o presidente eleito após a guerra, se de fato os EUA conseguirem depor Saddam, não será uma cobra criada pela CIA como Noriega, Pol Pot, Bin Laden etc etc etc, ou seja, um mero fantoche dos interesses de Washington, que poderá, futuramente, se o padrão se repetir (e não há porque não se repetir), se voltar contra a mão que o alimenta.

Honestidade
A resolução 1411 do Conselho de Segurança da ONU - que exige do Iraque obediência às resoluções dos inspetores da ONU - não autoriza a intervenção militar. Não está no texto da resolução em nenhum lugar. Simples assim.

O Presidente Bush diz que 35 nações apóiam os Estados Unidos. De 193 reconhecidas pela ONU. Olhando a lista, encontramos países como Eritréia (quem?) e Etiópia (subitamente possuidora de inaudito peso político). O apoio da Turquia foi comprado - e a maioria da população turca se manifestou contra a guerra.

Não preciso lembrar que o ataque ao Iraque é o fato culminante da Campanha Contra o Terror (lembra?), que, por meios inescrutáveis a qualquer pessoa com o mínimo de amor à lógica, conseguiu ligar Osama Bin Laden a Saddam Hussein (nenhum dos seqüestradores dos aviões era iraquiano, e Osama já chamou o líder iraquiano de "infiel"). Irresponsabilidade mentirosa, manipulação dos fatos para interesse próprio. Injustificável e obsceno.

Um longo etc. se segue, abarcando escritórios da União Européia grampeados, documentos forjados, rumores desmentidos, mas por motivos de espaço não me será possível discorrer sobre todos.

Precaução
Qualquer capo da máfia ou valentão de jardim de infância poderá falar com autoridade sobre o que os EUA estão fazendo neste momento no cenário mundial. Se chama estabelecer credibilidade. A mensagem enviada a todas as nações do mundo é: "Não queremos e não precisamos de aprovação. Podemos fazer o que quisermos, onde quisermos, com quem quisermos, e não há nada que ninguém possa fazer a respeito disso". É fácil perceber o panorama que se desenha no horizonte, não a partir de agora (tivéssemos nós a sorte de dizer que este incidente "abre um precedente"), mas desde o final da Segunda Grande Guerra, quando os EUA começaram a estabelecer objetivamente sua política internacional. "Oderint dum metuant": "Que nos odeiem, contanto que nos temam".


Elton Mesquita
Rio de Janeiro, 28/3/2003

Mais Elton Mesquita
Mais Especial Guerra no Iraque
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Razão da Vida
Cesar Romão
Mandarim
(1999)



Mais que Vencedor
Alex Dias Ribeiro
Alex
(1981)



A Floresta Adormecida
Naoma Zimmerman
Melhoramentos
(1969)



Arcangelo Ianelli
Maria Carolina Duprat Ruggeri
Cultural
(2013)



Cancer Nursing: Principles and Practice
Connie Henke Yarbro e Outros
Jones & Bartlett Learning
(2010)



Just Promoted!
Edward Betof / Frederic Harwood
Mc Graw Hill
(1992)



El Mundo Del Jardín de Infantes
Willi Vogt
Kapelusz
(1976)



Mate-me por Favor: a História sem Censura do Punk
Legs Mcneil e Gillian Mccain
L&Pm Editores
(2021)



Livro Literatura Brasileira Onze Minutos
Paulo Coelho
Rocco
(2003)



Reforma Economica para o Brasil
Abilio Diniz
Nobel
(1990)





busca | avançada
49036 visitas/dia
1,8 milhão/mês